Paulista de asfalto começa em meio a reformas em Interlagos (Foto Marcelo Iha)   Temporada paulista começa este fim de semana em Interlagos 20150120 Interlagos MarceloIha

Paulista de asfalto começa em meio a reformas em Interlagos (Foto Marcelo Iha)

Com o início das reformas do Autódromo de Interlagos protelado por questões burocráticas, foi finalmente confirmado que a rodada de abertura da temporada paulista de automobilismo de asfalto acontecerá neste fim de semana. Com início a partir de sexta-feira, a programação inclui a disputa de provas para as categorias F-Vee, F-1600, Classic Cup, Speed 1600, Turismo N, Hot V8, Marcas e Pilotos, Força Livre e Spyder. Os treinos começam na sexta-feira e as competições serão no sábado e domingo; a programação detalhada está nesta página do site da Federação de Automobilismo de São Paulo.

A incerteza sobre a realização dessas competições surgiu logo após a disputa da 6 Horas de São Paulo, etapa válida pelo Campeonato Mundial de Resistência em 30 de novembro último: na semana seguinte à essa competição o autódromo começou a sofrer uma reforma que deveria incluir a derrubada total do paddock atual. A promessa não vingou devido a recursos e manobras políticas que atrasaram o cronograma original do trabalho e alimentaram uma série de informações desencontradas. Nos últimos dias circulou, inclusive, uma nota em que a administração do circuito paulistano avisava da interdição da “pista principal”, supostamente o leito onde acontecem as competições. A notícia causou alvoroço no meio e a situação foi revertida.

F-1: novos carros a caminho

Enquanto Lewis Hamilton e Mercedes discutem a renovação de contrato que poderá tornar o inglês o piloto mais bem pago da categoria, a equipe alemã e suas rivais parecem dispostas a demonstrar austeridade e apresentar seus carros na própria pista ou mesmo através da internet. Longe vão os dias em que o Cirque du Soleil e finos clubes noturnos eram usados como palcos para eventos de início de temporada… A única exceção até o momento é a Force India, que vai lançar seu carro amanhã no Museu Soumaya, um edifício de linhas arrojadas situado na Cidade do México e batizado com o nome da mãe de Carlos Slim, um dos homens mais ricos do mundo e que apóia a equipe através de uma de suas inúmeras empresas, a Claro.

 

O Museu Soumaya, arrojado edifício na CIdade do México (Foto Museo Soumaya)  Temporada paulista começa este fim de semana em Interlagos Unti20150120 MuseuMexico

O Museu Soumaya, arrojado edifício na CIdade do México (Foto Museo Soumaya)

A Mercedes divulgou nota ontem anunciado que a o W-06, modelo a ser usado este ano, será apresentado dia 1o de fevereiro em Jerez, onde haverá os primeiros treinos livres desta temporada. A Ferrari (30/1) e a McLaren (29/1) deverão explorar os recursos das mídias sociais à exaustão, opção onde a equipe inglesa tem se destacado em inúmeras ações.

Hockenheim inferniza Nürburgring

 

Hockeneheim pode receber F-1 este ano (Foto DTM)  Temporada paulista começa este fim de semana em Interlagos 20150120 Hockenheim DTM Media1

Hockenheim pode receber F-1 este ano (Foto DTM)

Posto que Bernie Ecclestone não conseguiu comprar o circuito conhecido como Inferno Verde, a mítica pista da Floresta Negra poderá ser substituída no calendário da F-1 deste ano pelo traçado de Hockenheim, situado próximo a Heidelberg, uma das maiores cidades alemães que escaparam de bombardeios durante a Segunda Guerra Mundial. Em um passado recente Ecclestone fez uma oferta para comprar o traçado de Nürburgring mas foi derrotado por grupo que, aparentemente, não conseguiu completar o pagamento acordado. Nem mesmo um milionário russo conseguiu resolver a pendenga e, conseqüentemente, parece haver uma situação onde não é claro quem responde pelo autódromo das montanhas de Eiffel.

 

Nürburgring: pista no inferno verde vive inferno astral (Foto Nürburgring)  Temporada paulista começa este fim de semana em Interlagos 20150120 Nurburgring williamsBMW

Nürburgring: pista no inferno verde vive inferno astral (Foto Nürburgring)

Mais curioso ainda é que quando questionados sobre a possibilidade de promover o GP alemão deste ano, os organizadores locais de Hockenheim optaram por não comentar o assunto, uma clara manobra para negociar melhores termos financeiros com o bam-bam-bam da F-1. Nos últimos anos as pistas de Hockenheim e Nürburgring se revezavam na realização do GP alemão, tal como ocorreu durante vários anos entre Brands Hatch e Silverstone, na Inglaterra.

A jogada dos motores

Pouco a pouco vai sendo esclarecida a questão do congelamento de especificações de motores da F-1. No ano passado a especificação das unidades de potência foram congeladas antes do início da temporada e em uma data que claramente indicada: 28 de fevereiro. O mesmo regulamento incluiu cláusula semelhante para que operação similar acontecesse nas temporadas seguintes; o detalhe é que a data para essa ação a partir de 2015 não foi incluída no texto. Com isso Ferrari e Renault conseguiram convencer a FIA de que é legítimo usar os pontos possíveis de alteração, segundo uma tabela divulgada no final de 2013, durante o ano sem ferir o regulamento… Da mesma forma a Honda, que volta à categoria este ano, também poderá ir acertando seu motor durante o transcorrer das 20 etapas da temporada que inicia 16 de março, na Austrália.

 

Motores da F-1: segue a discussão tipo pode-não-pode (Foto Mercedes Benz Meida  Temporada paulista começa este fim de semana em Interlagos 20150120 MotorMercedes MBenzMedia

Motores da F-1: segue a discussão tipo pode-não-pode (Foto Mercedes Benz Media)

Pelo regulamento, cada fabricante de motor teria 32 pontos para trabalhar em seus motores, pontos que a FIA divulgou uma tabela que especifica o valor de cada peça ou sistema das unidades de potência. Uma possibilidade para permitir a Honda possa desenvolver seu motor ao longo da temporada de 2015 (algo que Ferrari, Mercedes e Renault não puderam fazer no ano passado), seria permitir ao fabricante japonês utilizar pontos “não usados” por seus concorrentes até o início do campeonato deste ano. Em outras palavras, estamos vivendo mais um daqueles episódios bizarros onde a intepretação de um regulamento que pune o progresso tecnológico na categoria supostamente de tecnologia mais avançada no automobilismo, cria uma situação que beira o ridículo, independente dos recursos técnicos, humanos e financeiros que a F-1 tem a seu dispor.

Marussia adia leilão e segue na UTI

Os atuais administradores da equipe Marussia postergaram a realização de um leilão previsto para ocorrer amanhã (quarta, 21/1/2015), um modo de evitar o fim de qualquer possibilidade da escuderia participar do campeonato deste ano. Segundo Graeme Lowdon, “quando você está ligado tão profundamente a uma equipe você não permite que ele acabe facilmente.” Rumores de que um investidor teria dado sinais de sua disposição em salvar a equipe não foram confirmados.

Carlin vai com dois americanos na F-3

 

Americano Ryan Tveter foi confirmado no Europeu de F-3 (Foto Carlin Motorsport)  Temporada paulista começa este fim de semana em Interlagos 20150120 Tveter Carlin

Americano Ryan Tveter foi confirmado no Europeu de F-3 (Foto Carlin Motorsport)

O inglês George Russell, um dos principais rivais de Pietro Fittipaldi na temporada britânica de F-Renault 2.0 em 2014, terá dois americanos como companheiros da equipe Carlin para a disputa da temporada européia de F-3: Gustavo Menezes (sim, ele é americano…) e Ryan Tveter, anunciado ontem pela organização do campeonato, que inicia no fim de semana de 14 de abril em Silverstone (Inglaterra). Antes disso, as 15 equipes participam de um teste em Valência (Espanha) dias 17 e 18 de março. Até lá espera-se que Pietro Fittipaldi tenha sido confirmado na lista de inscritos, possivelmente com a equipe Fortec.

Volvo está ligada na F-E

 

Alain Visser indica que a Volvo pode participar da F-E em futuro próximo (FOto Volvo)  Temporada paulista começa este fim de semana em Interlagos Un20150120 ALain Visser VOlvo VOlvotitled 4

Alain Visser indica que a Volvo pode participar da   F-E em futuro próximo (FOto Volvo)

Alain Visser, vice-presidente sênior de marketing, vendas e serviços a clientes da fábrica Volvo, de origem sueca e atualmente controlada pelo grupo chinês Zhejiang Geely Holding, deixou claro que a empresa sueca poderá investir na F-E, a nova categoria de monopostos movidos a energia elétrica. Embora não veja o automobilismo no DNA da marca, Visser admitiu que a F-E “é algo que estamos considerando seriamente, embora nada esteja definido ainda.” O executivo revelou também que embora a repercussão da categoria ainda seja limitada “trata-se de um conceito de automobilismo esportivo que pode crescer muito.”

WG

A coluna “Conversa de pista” é de total responsabilidade de seu autor e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas.

 

Sobre o Autor

Wagner Gonzalez
Coluna: Conversa de Pista

Jornalista especializado em automobilismo de competição, acompanhou mais de 300 grandes prêmios de F-1 em quase duas décadas vivendo na Europa. Lá, trabalhou para a BBC World Service, O Estado de S. Paulo, Sport Nippon, Telefe TV, Zero Hora, além de ter atuado na Comissão de Imprensa da FIA. É a mais recente adição ao quadro de colunistas do AUTOentusiastas.

Publicações Relacionadas

  • Lucas dos Santos

    Será que, nessas reformas de Interlagos, farão algo para melhorar a segurança da Curva do Café? O acidente do Webber – que, graças à segurança do carro, não se feriu gravemente – na etapa do WEC ainda está bem recente. Creio que daria para redesenhar o traçado ali. Bastaria construir uma pista paralela à atual a partir do fim da saída da Junção. O que hoje é a pista, passaria a servir como área de escape – preferencialmente de brita. Dessa forma a segurança aumentaria, as características do traçado seriam preservadas e não seria mais necessário utilizar aquela chicane – que as categorias nacionais utilizam.

    Essa história dos motores vai dar o que falar quando a temporada da F1 iniciar. Será que isso tem potencial para afetar o domínio da Mercedes?

    A Fórmula E, por enquanto, tem sido uma categoria fantástica. Há ainda quem torça o nariz para ela, mas não é necessário gostar de carros elétricos para acompanhá-la. Basta gostar de automobilismo! A caótica etapa de Buenos Aires foi excelente! Isso que eu chamo de corrida imprevisível! Meu único receio é que, a partir da próxima temporada, quando a categoria não será mais novidade para as equipes e não terá mais carros iguais – cada equipe construirá o seu – as corridas acabem “esfriando”.

    • Wagner Gonzalez

      Lucas, não há como construir uma pista paralela nesse local.

  • Marco de Yparraguire

    Por que Interlagos não volta ao seu traçado original?

    • Wagner Gonzalez

      As mudanças realizadas no autódromo literalmente impedem que o traçado antigo seja recuperado. Esta operação não é impossível, mas seria altamente cara e problemática.

    • Lucas dos Santos

      Porque, além de já ter parte dele inutilizada, dificilmente conseguiria atender às atuais exigências para receber homologação da FIA.