Caros leitores e, agora, ouvintes,

Agradecemos a receptividade demonstrada no primeiro podcast do Ae. Isso nos motivou bastante a seguir em frente com a iniciativa. Também agradecemos as várias dicas que recebemos, sendo que algumas já foram adotadas, como o uso do Soundcloud como plataforma. Então a partir de agora temos um perfil lá no Soundcloud onde todos os podcasts poderão ser acessados. E simultaneamente também serão postados aqui no site através da interface do próprio Soundcloud.

Descobrimos também que alguns ouvintes de podcasts preferem baixá-los para escutar off-line quando lhes for mais conveniente. Há um botãozinho aí na interface para baixar o arquivo. Ainda vamos trabalhar um pouco mais na qualidade do som. E com o tempo achar o melhor formato e possivelmente até aumentar a freqüência.

Nessa segunda edição temos o BS falando sobre a “nave” RS 7 e o PK falando sobre o Gol Rallye, além de outras conversas entre um assunto e outro. E no segundo podcast desse post o MAO também fala do RS 7.

Com um abraço,

Ae

Sobre o Autor

AUTOentusiastas

Guiado por valores como paixão, qualidade, credibilidade, seriedade, diversidade e respeito aos leitores, o AUTOentusiastas desde 2008 tem a missão de evoluir e se consolidar como um dos melhores sites sobre carros do Brasil. Seja bem-vindo!

Publicações Relacionadas

  • Rafael Chagas

    Seguidor nº1 no soundcloud! Sejam bem vindos a minha rotina de informação e entretenimento… Indispensável enquanto rodo pelas estradas de SP. Forte abraço e parabéns por mais essa iniciativa!!!

  • Warley Camurça

    Galera, venho aqui dar uma de chato mas é por um motivo que interessa a todos nós autoentusiastas: Eu queria propor uma campanha: Todo mundo sem abastecer por um dia. Ninguém abastece por um dia, ninguém! Enquanto em todo o mundo os preços dos combustíveis caem, no Brasil só aumenta, e muito! Então, quem achar válida a idéia, passa pra frente! Vamos fazer barulho, não podemos mais permitir que o governo nos assalte assim! Vamos criar a campanha do ninguém abastece! Com a ajuda dos nossos sites e blogs preferidos, podemos colocar a campanha pra frente.

  • Davi Reis

    Bacana demais! E esse Audi RS7, pelos céus… Dirigi um desses no Salão do Automóvel do ano passado e caramba, cada acelerada era mais uma parte da minha coluna espinhal que quebrava. É de fazer perder o fôlego. Sobre o Gol Rallye, é um sério candidato à minha garagem esse ano: pode não ser o melhor carro, mas com o ajuste dinâmico típico da Volkswagen e o novo motor EA-211, é com certeza o compacto mais gostoso de dirigir.

    • CorsarioViajante

      Tem o câmbio de seis marchas? Para mim, que pego muita estrada, é fundamental… QUanto será o preço real dele?

      • Rafael Kleber

        Não tem, apenas no Fox. Espero a versão civil do Gol com este motor e seis marchas!

        • CorsarioViajante

          Eu também… Com controle de cruzeiro.

      • Davi Reis

        O câmbio de 6 marchas não tem, mas pelo o que eu conheci do motor e vejo relatos de donos, ele vai bem na estrada, gasta pouco e passa despercebido. Sobre o preço, no final do ano passado ele era vendido aqui em Belo Horizonte por 48 mil reais, com pintura especial e com o kit tecnologia, único opcional (sensores de chuva e crepuscular, controle de velocidade de cruzeiro, retrovisor eletrocrômico e coming/leavinghome). Na época o preço de tabela de um equipado assim era de 54 mil reais.

    • Fat Jack

      Eu só lamento o posicionamento de altura da suspensão…

  • Rafael Sumiya Tavares

    Parabéns à todos que fazem deste o melhor ponto de encontro para os apaixonados por automóveis e tudo que se move por motores! Já sou fã desse novo formato.
    Um abraço

  • Rafael Kleber

    Notei a película apenas nos vidros traseiros.

  • Vinicius

    Muito bom o podcast! Uma sugestão: entrevistar alguns convidados de vez em quando. Pode ser gente das fabricantes, ou pessoas ligadas ao automobilismo, ou especialistas…

  • Christian Sant Ana Santos

    Faço idéia de um bichinho desse, tem que ficar uns dias até acostumar com o desempenho. Semana passada aluguei um A4 1,8, 170 cv, rodei 649 km, já me diverti bastante, mesmo tração dianteira.

  • Roberto Besser

    Muito bom!!!!! 🙂

    Sobre o uso do skype para gravar um futuro podcast, pensem na possibilidade de usar o Hangouts do Google para isso, permitira até a interação dos leitores/ouvintes e também será possível deixar gravado e arquivado no Youtube.

  • Domingos

    Não sei porque mas esse A7 me lembra muito o Ro88. Inclusive, era um carro que achava lindo em fotos e esse A7 é a mesma coisa.

    A traseira fininha é fantástica e muito original.

    Mas vou estragar: para mim ele é bonito mesmo em cor de alemão tentando ser chique como dourado forte, roxo metálico, verde floresta metálico e por aí vai.

    E melhor mesmo se for numa versão macia e com um belo motor diesel e câmbio manual.

    Não sei porque, mas o carro só casa para mim se for numa configuração assim. Em prata, por exemplo, parece que a traseira não fica tão bonita. E vestido de esportivo para mim também não fica legal, não importa o quanto seja cavalar.

    Pensava que ele tivesse vidros traseiros escurecidos, é comum em alguns desses carros. Talvez se tirassem o filme, daria um efeito parecido (talvez no RS7 seja sempre com vidros escurecidos atrás).

    Acho que não vou ser mencionado no próximo podcast com uma idéia dessas hahahahahaha

  • Ilbirs

    Off-topic, mas bastante interessante: Flávio Ferreira, pesquisador da UFPE, conseguiu transformar pneu em gasolina. Pelo que já foi conseguido, dá para transformar uma tonelada de pneus velhos em 300 l de combustível. A gasolina é extraída do óleo que sai do pneu derretido e, sem álcool anidro como aditivo, consegue de cara atingir octanagens semelhantes à da gasolina de petróleo. Fala o pesquisador também que conseguirão chegar a teores de goma tão baixos quanto o da gasolina comercial. Fora isso, esse processo em pesquisa também consegue extrair os fios de aço, que podem ser usados para diversas finalidades, bem como o negro-de-fumo e os gases.
    Consigo imaginar essa gasolina de pneu sendo misturada à que conhecemos, agregando a esse combustível mais vantagens do ciclo fechado de produto, uma vez que viria de algo reciclável. Logo, também dá para imaginar até mesmo menos adição de anidro (quem sabe indo para os 18% de outros tempos), o que na prática tornaria os carros a gasolina mais econômicos.

    Considerando-se a quantidade de pneus velhos espalhados Brasil afora, também dá para imaginar farta matéria-prima. A matéria menciona que catadores de material reciclável em média recolhem cem pneus velhos por dia em Palmares, o que nos faz pensar em quantos pneus são descartados diariamente em cidades maiores. Uma tonelada de pneus em média significa 75 unidades, o que mostra haver mais de uma tonelada diária em uma cidade que não tem o tamanho do Recife.
    Caso algo assim ganhasse escala, creio que acabaria sendo a forma preferida de se reciclar pneus, uma vez que agregaria um valor que, creio, é maior que o de transformá-los em tapetes de borracha ou outros materiais. Dependendo da razão entre pneus descartados e reciclados, talvez até faltasse matéria-prima para o processo, isso se o mesmo não for aperfeiçoado e passe a gerar mais que os tais 300 l por tonelada.

    Segue o vídeo da matéria:

  • Sérgio Luiz Santanna

    Domingos, dê uma olhada nos Audi dos anos 70 e 80 e você verá que elementos da NSU e da DKW foram incorporados à linguagem visual da marca…

    • Domingos

      Da DKW era algo tradicional mesmo, até na última matéria do Carlos Meccia isso ficou claro nas primeiras fotos.
      Mas da NSU eu nunca tinha visto ou notado. O A7 é o primeiro que vejo assim e realmente ficou muito bacana, além de um tributo legal ao passado da marca.
      Até parece que sabem que entre todas da Auto Union, a Audi prevaleceu por ser a mais compatível em construção e mecânica com a VW e então respeitam muito as outras marcas que se foram.

  • Cláudio P

    Já curtia muito o AE pelos textos e os vídeos excelentes, mas digo que estou gostando muito deste formato também. Como o objetivo é apenas o áudio vocês mesmo acabam por mudar a forma de abordagem e fica muito legal de ouvir, como uma boa conversa
    informal, mas com conteúdo. Parabéns a vocês por mais essa iniciativa.

    Sobre o Audi RS7, pude vê-lo de perto no Salão do Automóvel. Eu já tenho uma simpatia antiga pela marca, mas achei esse carro simplesmente espetacular. Obviamente todos os seus atributos técnicos e tudo o que há embarcado nele impressionam, mas há um aspecto que achei muito especial, essa carroceria cinco portas. Parecia um tipo esquecido para carros a partir de certo porte, mas tem voltado a aparecer modelos assim nos últimos tempos e eu
    tenho especial afinidade com essa solução porque tivemos na família um raro Passat 5 portas 1980 exportação que nos deixou saudades, entre outro motivos, pela funcionalidade que não se encontra similar nos muitos compactos de 5 portas com os quais estamos acostumados. Não é uma comparação, claro, há um abismo entre os dois carros, apenas explicando o motivo da minha simpatia.

    Quanto ao Gol, concordo que o G5 (e essa fase atual que alguns chamam de G6) é o melhor Gol de todos os tempos. E entre as melhorias que o carro sofreu eu destaco a qualidade da carroceria. Nas gerações anteriores esse nunca foi um ponto alto do carro. A resistência sempre foi ótima como sabemos, mas quanto a qualidade de acabamento, arremates, soldas, alinhamento e nivelamento das superfícies, são detalhes e que o Gol sempre deixou a desejar, mas atualmente, muito ao contrário se tornou excelente nesses detalhes. Principalmente quando se observa áreas não tão visíveis como batentes de porta, cofre o motor e outros, chega a parecer um carro de categoria superior.

    Por fim, sobre a questão das películas, de fato esse RS7 está
    com elas numa versão absurdamente escura e eu também repudio isso. É o que se costuma chamar de visual “lacrado”, mas a melhor definição é a do AE, mesmo, ou seja, “sacos de lixo”. Porém eu ainda acho que é possível usar películas com bom senso, ou seja, as claras com transparência 70% nos laterais e traseiro e nenhuma no para brisa. O problema é que, como já muito bem explicado aqui no
    AE, nos vidros laterais dianteiros mesmo a 70% fica fora da lei. E lei se cumpre, simples assim, mas em minha opinião isso podia ser revisto.

    Entre todos os aspectos negativos já mencionados sobre o tema, PK relatou um muito importante, que é o motorista do carro de trás não conseguir ver o trânsito a diante do carro logo a frente devido a película, mas isso acontece nos carros com películas escuras. Quando sem tem a frente um carro com película 70% nos vidros traseiro e laterais e nada no para brisa a visão do trânsito a frente fica preservada, por isso, nos exemplo das fotos a seguir eu não coloco os dois casos na mesma categoria.

    Enquanto no 206 a película atrapalha a visão tanto do próprio motorista como dos outros em relação ao trânsito a frente, no 207, ainda que também fora da lei, a situação é completamente diferente. Com película 70%, pode-se ver o trânsito a frente dele sem problemas e o carro se mantém funcional para o motorista. Em minha opinião a lei poderia ser revista para este caso. Mas claro, é só minha opinião, sem nenhuma crítica ao modo de pensar de vocês do AE que, reputo, nos brindam com o melhor conteúdo que existe sobre o universo do automóvel.

    E mais uma vez parabéns pela nova abordagem dos podcasts!

  • Bob Sharp

    Claudio
    Não há justificativa para o motorista perder visibilidade. A lei está certa e não deve ser mudada.

    • Cláudio P

      Bob, entendo sua opinião e respeito. Apenas quis expor que, em minha opinião, não é tão simples assim. Há diferença entre instalar uma película com transparência de 20% como na primeira foto, e outra 70% como se vê na segunda foto. Tenho dois carros, um com película clara (mas não no para-brisa) e outro sem película nenhuma. Considero que a lei está errada por dois motivos. Primeiro pela película clara não restringir a visão, apenas atenua a claridade e acredito que poderia ser liberada para os vidros laterais dianteiros. Segundo, a lei permite uso de película escura no vidro traseiro, o que prejudica muito a visão do trânsito a diante para o carro que vem atrás, que é o exemplo que o PK citou. Ou seja, é possível atrapalhar os outros motoristas e estar dentro da lei. Em resumo, há anacronismos na lei que, claro, podem ser questionados. De qualquer forma, Bob, faço questão de frisar que só dediquei esse tempo ao tema aqui no AE porque considero este um espaço de vida inteligente sobre nossa paixão em comum, o automóvel. Ambiente propício para debates em alto nível. Leio Bob Sharp desde minha adolescência, e vou fazer 45 anos. Você é uma de minhas referências na formação do meu autoentusiasmo.
      Abraços

  • Nerd de Carro

    Vocês estão me acompanhando no retorno ao lar, no ônibus fretando pelo meu trabalho. Escutar o ronco do RS7 me levou para um lugar longe do transito, um passeio com queridos amigos.
    Parabéns pelo podcast.

    P.S. Considero ideal a participação de no mínimo três pessoas no podcast.

  • Sérgio Luiz Santanna

    Caros,

    Uma sugestão para melhorarem o podcast (não ouvi ainda, mas já está no gatilho): Mande os “jove” para a Campus Party, lá o pessoal do Scicast vai fazer uma oficina de edição de áudio.
    Acreditem, os primeiros episódios sempre serão uma droga (não ouvi ainda, então não tenho idéia de como está a qualidade do áudio), mas depois melhora com o tempo, experiência e equipamento que não costuma ser caro.

  • Adilson Nicoletti

    Fantástico o podcast. Ouvir a voz daqueles que a gente se acostumou a ler o texto é uma experiência muito interessante. Excelente iniciativa. Como disseram, um “manjar dos deuses”.

  • Sérgio Luiz Santanna

    Caros,

    Escutei os dois podcast´s e sugiro algumas melhorias:
    Microfones de lapela e mixer portátil (se acharem e se puderem)
    Se não tiver mixer, gravadores digitais com os microfones de lapela, depois mixem no Audacity (ótimo editor de áudio free-cost).
    Acreditem, os primeiros episódios sempre serão uma droga, por melhor que vocês sejam (É a primeira vez que a voz do Bob Sharp está no mesmo nível de outros participantes, acreditem, toda vez que vi ele na TV foi decepcionante por conta dos profissionais…), mas com o tempo e experiencia vai melhorar ainda mais.
    A qualidade do áudio está boa, então as sugestões que dei não darão uma qualidade muito perceptível ao ouvinte médio, mas ficará a nível mais profissional.
    Arranjem um amigo músico que faça uma abertura legal para vocês, isso ajuda a preparar o espírito do ouvinte. Isso vale para a “TV”…
    Façam um roteiro básico com os dados do carro, isso diminui os “gaguejos” na hora de falar.
    E presenteiem os “gearheads” com alguns segundos de acelerada quando pegarem algum bólido, eles agradecem (porque vocês acham que o Canal do Bellote TV é tão acessado, rsrsrsrsrsrs).
    Se receberem (ou visitarem) alguém interessante, aproveitem façam uma entrevista e lancem como um podcast á parte.
    Outra sugestão é fazerem uma edição especial de salões de automóveis, quem interessa, quem vem,que conceito é,etc…
    Caros, são só sugestões e esse podcast vem em boa hora.
    Continuem com o bom trabalho.