Tapado  OUTRA ARMADILHA DA CET Tapado

Depois da armadilha armada no acesso à Ponte das Bandeiras mostrada aqui, a autoridade de trânsito da cidade de São Paulo, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) praticou outro ato. diferente mas do gênero, que é multar injustamente motoristas. Em outras terras, tal desmando levaria à exoneração do cargo e indiciação por crime contra a economia popular do responsável pelo órgão, no caso Jilmar Tatto, que também é secretário municipal de Transportes e que age sob ordens do prefeito Fernando Haddad.

Pois vários leitores nos enviaram o relato do jornalista Fábio Santos, publicado no portal Terra na véspera de Natal, que transcrevemos:

” Na noite desta terça-feira me deparei com uma situação que pareceu uma pegadinha de muito mau gosto para multar motoristas em São Paulo. Tudo começou quando minha mulher e eu saímos para jantar com um casal de amigos na região da Paulista. Eram 21h30 quando nós quatro, no carro do fotógrafo Alan Morici, resolvemos parar para comer algo no Shopping Pátio Paulista. Como não sabíamos se ficaríamos por lá, estacionamos o carro na rua Cincinato Braga, logo após verificar a seguinte placa:

 

gambiarracetfabiosantos  OUTRA ARMADILHA DA CET gambiarracetfabiosantos1

Como o horário estava dentro do permitido, deixamos o carro lá e fomos ao shopping. Após o jantar, resolvemos esticar até o cinema. Após uma noite agradável, assim que deixamos o shopping, avistamos um veículo da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) estacionado logo atrás do carro do Alan, com agentes fazendo anotações. Intrigados com a situação, entramos no carro e demos a volta no quarteirão, para checar a sinalização mais uma vez. Ao perceber que o agente acabara de multar um carro estacionado, fomos questionar.

Segundo o agente identificado em seu uniforme como Campese, a via estava com proibição no estacionamento por período integral. Neste momento ele nos apontou uma placa adiante na via (N.d.R: a da abertura desta matéria):

Segundo o agente, é possível que uma das placas tenha perdido o plástico preto, seja por vandalismo ou até pelas fortes chuvas que caíram na cidade nos últimos dias.  “Pode até ser que ela tenha sido descoberta. Se o senhor achar aqui no trecho outra placa aqui que tenha sido descoberta, o que está valendo é a que está coberta”, disse um dos agentes — demonstrando total incoerência, já que , segundo a visão dele, o motorista deve saber qual placa está correta.

Neste momento, questionamos ao agente sobre a legalidade deste tipo de “gambiarra”. Pois como o motorista pode saber se um plástico preto colado em uma placa é oficial ou ato de vandalismo? Ou, pior, se um plástico preto colado por qualquer um em uma placa de proibido estacionar ou de vaga preferencial invalida a sinalização, autorizando qualquer motorista a estacionar em local proibido ou em vagas destinadas a pessoas com deficiência.

“Se uma placa tiver qualquer alteração, ela deixa de ter validade”, disse meu amigo, em diálogo que foi gravado. “Se ela for adulterada, sim”, concordou o agente, se contradizendo mais uma vez. Questionado se iria continuar multando os motoristas, a dupla respondeu afirmativamente e pediu para que a gente entrasse em contato com a assessoria da CET.

O Viver SP entrou em contato com a CET nesta quarta, mas a equipe não atenderá à imprensa até a próxima segunda-feira por causa do feriado de Natal. O atendente, da área operacional, nos informou apenas  que “o plástico pode ter sido retirado por motivo de vandalismo”.

O questionamento que fica é: um órgão oficial de trânsito da cidade de São Paulo deve ou não utilizar de gambiarras em seu trabalho? A rua ficou fechada para estacionamento por mais de um mês e seria sensato a troca da sinalização ou avisos com uma faixa, que não gerasse espaço para dupla interpretação. Não sabemos se o Alan foi multado, mas com certeza muitos outros motoristas que caíram na pegadinha do saco preto foram multados e terão que gastar tempo e dinheiro para recorrer na justiça.

 

placasinalizacao01-1  OUTRA ARMADILHA DA CET placasinalizacao01 1

Para finalizar, um trecho do Código de Trânsito Brasileiro que trata da sinalização de trânsito:

CAPÍTULO VII – DA SINALIZAÇÃO DE TRÂNSITO

        § 1º A sinalização será colocada em posição e condições que a tornem perfeitamente visível e legível durante o dia e a noite, em distância compatível com a segurança do trânsito, conforme normas e especificações do CONTRAN.

        Art. 81. Nas vias públicas e nos imóveis é proibido colocar luzes, publicidade, inscrições, vegetação e mobiliário que possam gerar confusão, interferir na visibilidade da sinalização e comprometer a segurança do trânsito.”

 

Comentários do Ae

– O § 1º a que o autor da reclamação se refere é relativo ao Art. 80 do CTB. A placa com o plástico preto não está conforme as normas e as especificações do Contran, portanto é inválida.

– O Art. 81 não é pertinente ao caso, uma vez que a placa, mesmo com o plástico preto aplicado, era perfeitamente visível.

– O tal agente de nome Campese, desconhece (ou fingiu desconhecer) o princípio de Direito que diz in dubio, pro reo, neste caso ‘em dúvida, pró-cidadão’.

– Como é possível a autoridade de trânsito adulterar uma placa de sinalização? Chega a ser surreal.

– Não há outra maneira de um motorista se orientar em proibições de estacionar e outra instruções a não ser pelas placas de trânsito e pelas normas que assim o determinem e que dispensem sinalização, com os casos especificados no Art. 181 do CTB, e foi o que o reclamante fez, orientou-se pela placa que especificava horário de proibição, agiu corretamente.

– Não cabe desconfiar de uma placa normal, como a segunda desta matéria. Pode-se desconfiar é da de abertura, pois ao estar parcialmente coberta com um pedaço de plástico preto não é de se esperar que tal aberração seja obra da autoridade de trânsito.

– Tal atitude leva qualquer um a inferir que má sinalização é a estratégia da CET para engordar os cofres da prefeitura. O maior exemplo disso é a falta de sinalização, segundo normas e especificações do Contran, para o rodízio, a ponto de motoristas de fora não terem como saber do regime e serem multados. Nenhum motorista, para dirigir, precisa conhecer outra lei que não o Código de Trânsito Brasileiro, por onde o trânsito no Brasil se rege, de acordo com o Art. 1º da peça legal.

– No caso em questão, se um agente de trânsito da CET tivesse a devida noção de responsabilidade e de Direito, comunicaria ao comando que a placa estava sem o plástico e este mandaria imediatamente um agente se postar, a pé, sob a placa até ela ser adulterada novamente. Nesse ínterim, este agente informaria aos motoristas que não poderiam estacionar ali, valendo-se da regra estipulada no Código de que a ordens emanadas dos agentes de trânsito prevalecem sobre qualquer outra (Art. 30 do CTB).

Revolta realmente o trânsito de uma cidade do porte de São Paulo e de outras Brasil afora estar na mão de gente incompetente ou mesmo venal. Onde estão os Ministérios Públicos Estaduais, que não se mexem?

Ae/BS

Sobre o Autor

AUTOentusiastas

Guiado por valores como paixão, qualidade, credibilidade, seriedade, diversidade e respeito aos leitores, o AUTOentusiastas desde 2008 tem a missão de evoluir e se consolidar como um dos melhores sites sobre carros do Brasil. Seja bem-vindo!

Publicações Relacionadas

  • ccn1410

    O que ocorreu é uma afronta aos bons princípios.
    Não quero entrar em detalhes, mas aqui em SC já vi coisas piores. Muito piores.
    O ruim disso tudo é que já não confiamos mais naqueles em quem mais deveríamos confiar.

    • Bob Sharp

      ccn1410
      Isso para mim só em um nome: roubo.

      • Robson Santos

        Bob o que acha do seguinte exemplo : uma Rua começando com limite 50 km/h , cai para 40 km/h numa curva e em seguida menos de 50 metros adiante um radar de 30 km/h ! Essa rua existe, é a rua dos Vianas em São Bernardo do Campo/SP, essa aberração pode ser vista pelo Google, dá pra se ver claramente a pegadinha em que você se mete por causa da visibilidade ( a placa de 40km/h no poste e aí surpresa: radar de 30 sem dar tempo de reduzir pois na verdade já mal houve tempo pra perceber e reduzir de 50 para 40 quem dirá 30… ).
        Pena eu ter mudado só recentemente, a multa ter ido para o endereço antigo e terem me avisado tarde demais pra recorrer…. Mesmo assim com essa prova fotográfica do google, posso fazer algo contra esse verdadeiro crime que me foi imposto ?

        • Lucas dos Santos

          O Manual Brasileiro de Sinalização, aprovado pela Resolução 180 do Contran, portanto, com força de lei determina que:

          A velocidade indicada vale a partir do local onde estiver colocada a placa […].

          (…)

          A redução do valor da velocidade regulamentada para um trecho, em relação ao trecho imediatamente anterior, deve ser feita com base em estudos de engenharia que levem em conta diversos fatores, entre os quais:

          • Tempo de percepção/reação do condutor;

          • Distância de frenagem em função da redução, de forma a garantir a segurança;

          • Distância de legibilidade da placa.

          De acordo com o seu relato, esses parâmetros não estão sendo respeitados, impedindo que você reduza a velocidade com segurança antes de passar pela placa – seja por você não poder visualizar a placa com antecedência ou por não haver espaço suficiente para você reduzir.

          Logo você pode usar isso como argumento. Afinal, assim como nós, motoristas, temos que fazer a nossa parte, respeitando as leis de trânsito, o órgão de trânsito também precisa fazer a parte dele, respeitando os critérios estabelecidos pelo Contran no que toca à sinalização das vias – dentre outras obrigações.

        • Andre Sousa

          Em Santos tinha uma pegadinha parecida na entrada da cidade, há muitos anos (e naquela época não tinha limite de pontos na carteira – eu conheço muita gente que “comprou” o radar de tanto levar multas). A pegadinha acabou depois de darem uns tiros na radar algumas vezes, afinal, esses equipamentos são caros.

  • Adriano Rech

    Isso só pode ser pegadinha, né?

    Me recuso a acreditar que na maior cidade de AMÉRICA LATINA usem de um artificio desse para sinalizar o transito.

    Placa com plasti -CU- zinho colado? não é possível!

    Bah! Vamos pro céu de roupa e tudo desse jeito!

    Com tudo que pagamos de impostos sobre veículos nesse pais ainda temos que mandar goela abaixo, a seco, uma dessas?

    O bozo passa vergonha perto de nós brasileiros.

    P.S: um feliz 2015 a todos.

  • Luiz Leitão

    É surreal mesmo, Bob, para qualquer estrangeiro em visita ao Brasil. Para nós, os desmandos das autoridades são triviais. Ainda mais agora, com a cidade nas mãos do Haddad, possivelmente o pior prefeito que já tivemos, superando até mesmo o Kassab.

    • Domingos

      Eu já cantava a bola para um amigo petista que o Kassab ia ser como mais um Maluf: o PT ia no futuro se aliar com ele e as idéias de imbecil eram bem ao feitio do partido.
      Ele achou absurdo, que estava falando besteira. Agora é o Kassab como ministro ainda por cima…

  • Renan Veronezzi

    Viver em São Paulo não deve ser fácil. Essa CET é Surreal, com o “S” maiúsculo mesmo.

  • GUS

    A B S U R D O !

  • Cristiano Reis

    Estou habilitado há 10 anos e consegui a proeza de nunca ser multado, mas não sei até quando vou conseguir continuar assim, radares móveis “ocultos”, limites de velocidade ridículos, linha exclusivas para ônibus que não entendo direito, zona azul brotando da noite para o dia e outras atrocidades como essa mencionada na matéria me fazem crer que isso não vai durar muito.

    • Domingos

      Ou te inventam multa em abordagem policial. O Detran às vezes não as cancela mesmo com ganho de causa. Se não fosse isso teria apenas 2 multas (de rodízio) no mesmo tempo de carteira. E tendo dirigido fora do país também.

  • AlexandreZamariolli

    Bob,
    Antes de mais nada, e apesar de tudo, feliz 2015 para a equipe e os leitores do Ae.
    Um macaquinho no meu sótão acabou de perguntar: quando o cidadão altera a placa do seu carro com fita adesiva, ele comete crime (art. 311 do Código Penal – três a seis anos de reclusão e multa); mas quando o marronzinho põe um saco de lixo na placa de trânsito, o saco prevalece sobre a placa?
    Como dizia o grande humorista Orival Pessini, sob a máscara de outro macaco, o Sócrates: “Não precisa explicar; eu só queria entender!”

    • Lucas dos Santos

      Perfeito!

    • Bob Sharp

      Alezandre
      “Façam o que eu digo mas não façam o que eu faço”…

  • Diogo Rengel Santos

    Na boa, uma adulteração como esta deveria ser tratada como escandâlo municipal e tanto a diretoria da CET quanto mesmo a propria prefeitura deveriam responder por isto

    • Domingos

      Ficaria mais bonito que a chuva de placas que estão infestando a cidade…

  • Newton (ArkAngel )

    Começamos bem o ano…
    Sugiro ao CET que remova todas as placas da cidade, pois pelo visto mais vale a arbitrariedade dos agentes de trânsito do que o CTB.

  • Viajante das orbitais

    Que bom que fotografaram e têm provas de toda a armadilha, tomara que esses malditos bandidos do CET sejam levados para a justiça, percam seus empregos e se lasquem, os desejo todo o mal. É muito descaramento um golpe desses.
    Imaginem quantos já foram enganados e ficou por isso mesmo, mas dessa vez há provas.

  • Lucas dos Santos

    Pensei o mesmo aqui. Como pode uma cidade com o porte de São Paulo se utilizar desse artifício?

    Sem falar que a alteração seria válida por um mês, o que não justificaria deixar de trocá-la por outra, mais adequada. Será que as contas estão tão “apertadas” assim para fazerem essa “gambiarra”?

    • Domingos

      O roubo que deve estar grande. A arrelia que o PT deve estar fazendo com os cofres da cidade mais rica do país deve ser algo histórico.
      Absolutamente tudo é financiamento de campanha e suborno para eles. E tudo é “justificado”, segundo eles.

  • F A

    E mesmo que a placa adianta com o saco preto tivesse validade, ninguém é obrigado a ficar andando para ver se existem outras placas diferentes mais adiante. Me sinto como naqueles filmes de reinados onde o povo era estuprado pelo rei na forma de taxas e impostos.

    Também, como algum ignorante vota num sujeito vagabundo como esse prefeito.

    • Eduardo Mrack

      Os impostos e taxas de hoje são muito maiores do que os da idade média…

      • Domingos

        Perfeitamente. O maior revisionismo histórico (leia-se, contar claras mentiras através da reescrita da história verdadeira em algo falso) foi essa baboseira que o período medieval foi algo sombrio, escuro, com as pessoas oprimidas e impostos elevados.
        Lembro até hoje como os professores de história achavam uma surpresa que os senhores feudais cobravam taxas para a utilização de algumas pontes ou estradas dentro do feudo… Como se para viajar 50 KM em São Paulo, área equivalente a de alguns feudos, não se pagasse uns 10 reais pelo menos.
        Mais as taxas em combustível, IPVA e outras que aposto que a maioria dos feudos não cobravam de uma carroça.
        O primeiro progressismo boçal, o primeiro petismo, o primeiro Haddadismo foi aí. Nisso trocaram uma organização muito menos corrupta, muito mais solidária, muito menos abusiva por um “governo do povo” em que só piora tudo.
        Mas aí tem aquele discurso “bonito” de lutar contra o poder dos reis e da economia… Igualzinho já fazem vários séculos.

        • Malaman

          A única diferença é que naquela época os reis e senhores eram oficialmente o Estado, enquanto que hoje ainda somos obrigados a escolher quem vai nos extorquir.

  • Marco Aurélio Strassen Murillo

    Patético, aliás esse prefeito, chamado de
    Prefeitão por alguns infelizes e ignorantes, é um prato cheio para ensinarmos nossos filhos como má gestão, má intenção e falta de preparo podem infernizar a vida dos cidadãos.

    • Roberto Neves

      Pelo que leio na internet (sou carioca e não conheço de perto) Haddad é amado por uns e odiado por outros. Verdadeiro prefeito polêmico.

      • Domingos

        Só gosta dele a “eLiTiChi iNteLeCtual” de São Paulo, que consiste de maconheiros, moradores de bairro nobre com complexo de “tenho que parecer bonzinho, mas não quero ser mesmo – aí voto em partido que se diz do povo”, professores de faculdade pública “engajados” e outros lixos.
        Nem mesmo os eleitores padrão do PT têm muita simpatia por ele. Tirando o fim da inspeção veicular, que eles adoraram, é reconhecido por essa população como um cara mais preocupado em pintar ciclo-faixa que qualquer outra coisa.
        O aumento de faixas de ônibus melhorou pouca coisa no tempo da grande maioria dos trajetos, em um trajeto longo às vezes não se ganhou nem 5 minutos (até porque as principais faixas já existiam). As linhas continuam ruins, lotadas e com falta de intinerários e freqüência como sempre.
        A popularidade dele foi pesquisada pelo PT antes das eleições e foi TÃO ruim que desassociaram ele de qualquer campanha presidencial e até mesmo na estadual eu pelo menos não lembro de sequer ver ele mencionado.

  • Mr. Car

    Não rolou, ainda nāo foi desta vez que ganhei a Mega Sena da virada, mas se um dia acontecer, estou aceitando palpites. Me mudo para Oslo, Helsinque, ou Copenhagen?

    • Angelito

      Nenhum. Todas essas cidades tem campanhas de incentivo ao uso de bicicleta (sim, faz um frio de matar lá e ainda assim o pessoal usa bicicleta) além de incentivarem o uso de transporte público e prejudicarem o uso de carros (motos não sofrem tanto isso) através de suas legislações. Recomendo Alemanha ou alguma cidade americana de porte médio, ouvi dizer que no Texas está tendo uma boa expansão do mercado, assim como a região dos Apalaches.

      ps: em nenhum ponto fui ironico, sarcástico, intencionalmente ofensivo, ou qualquer figura de texto que pudesse induzir a um significado diferente do literal, e expressei minha sincera opinião

      • Mr. Car

        Sem problemas. Em país civilizado eu usaria o transporte público numa boa. Sem atrasos, sem ir espremido como em uma lata de sardinhas, e sem um retardado ouvindo funk no último volume no assento ao lado. Talvez até me sentisse incentivado a usar menos o carro. Repare bem, eu disse incentivado, ao invés de coagido, como tentam fazer com os donos de carros nesta republiqueta das bananas.

    • CCN-1410

      Genève.

    • Malaman

      Dallas

  • Eduardo Mrack

    Quando eu me lembro do “nós pega o peixe”, aí nada mais me parece absurdo, ainda que o seja.

  • Lucas dos Santos

    É inacreditável a “solução” encontrada de alterar a sinalização temporariamente, cobrindo-a com pedaços de plástico preto. Fosse por apenas uma noite, seria totalmente compreensível, mas por um mês? Já que a CET não queria gastar com placas novas, poderia ter feito um trabalho melhor para cobrir a informação da placa, utilizando algum material que se fixasse melhor ali e com a mesma cor do fundo da placa. Mas não, fizeram da pior maneira possível.

    Mas esse é o menor dos problemas. Se a placa não estava coberta, não poderiam ter multado, simples assim! O motorista não teria como “adivinhar” que ali era proibido. Ou será que acharam que foram os próprios motoristas que arrancaram o plástico preto? Seria o mesmo que um estabelecimento comercial cobrar mais caro por um produto que estava marcado com um preço inferior, alegando que aquele preço estava errado e que valia o mais caro. Isso não existe!

    Certa vez, em Ponta Grossa, no Paraná, resolveram retirar todas as placas de trânsito da principal avenida da cidade e substituí-las por sinalização horizontal. Tal medida foi tomada, pois, segundo as autoridades da época, “as placas de sinalização eram uma poluição visual para a avenida”. Com isso surgia um problema: não era possível saber se os motoristas que estacionavam indevidamente em vagas para idosos o faziam por ignorar a inscrição “Idoso” no chão, ou porque simplesmente não a visualizavam, já que não havia placa. Diante dessa situação, os agentes de trânsito acabavam não multado os motoristas, pois a sinalização era claramente insuficiente – às vezes os próprios agentes precisavam se agachar e olhar embaixo dos carros para ver se estavam ou não estacionados na vaga de idoso. Isso só foi resolvido somente na gestão seguinte, quando instalaram novamente a sinalização vertical na avenida.

    Nesse caso em São Paulo, o que os agentes deveriam ter feito, era simplesmente orientar os motoristas a saírem dali, afirmando que não era mais permitido estacionar. Simples assim. Por mais que o objetivo fosse “arrecadar”, não havia como fazê-lo nessas condições.

  • guest

    Eis o link de outra armadilha (não sei como postar as fotos nestes comentários): https://www.facebook.com/soareselite/posts/614894321950620
    Trata-se de radar oculto por um carro “supostamente” avariado, ocupando ILEGALMENTE o acostamento de uma rodovia )parece-me que é no RJ).

    • Mr. Car

      Na Via Lagos esta armadilha é muito usada, só que sempre vi com um carro da própria concessionária que administra a rodovia sendo usado como supostamente avariado. Por isto o truque já é manjado por quem trafega usualmente por lá.

    • Lucas dos Santos

      Na minha opinião, o uso de radares ocultos é válido DESDE QUE no local onde ele se encontre haja sinalização regulamentando a velocidade máxima da via ou que a velocidade fiscalizada seja a estabelecida pelo parágrafo primeiro do Art. 61 do CTB, de acordo com o tipo de via. Afinal, é uma forma de se fiscalizar o trânsito. E também, claro, precisa haver um motivo plausível para haver tal fiscalização em determinado ponto – alto índice de acidentes, por exemplo. Fora isso, é pura “safadeza” – para não dizer algo pior – das autoridades de trânsito.

      No entanto, o que me irrita é que o pessoal gasta tempo e dinheiro desenvolvendo as mais mirabolantes e tecnológicas “arapucas” de velocidade possíveis, com puder de detecção de dezenas de quilômetros, e deixa de lado todo o resto. Ou então só passam a fiscalizar certas infrações quando há aumento no valor da multa, como no caso da “Lei Seca” e das ultrapassagens em local proibido. Enfim, está tudo errado!

    • Domingos

      Desse mal São Paulo está quase livre, não conheço nenhum caso pessoalmente e ouvi falar de muito poucos. Já no RS e RJ chovem de radares escondidos.
      Agora que aqui também o câncer chegou, rezo para que não comece mais esse choro do desespero aqui. Vão justificar de todas as maneiras, mesmo sendo ilegal. Se o governo estadual for para esse caminho, então…

  • jrgarde

    O que o Bestahaddad disse esses dias sobre os temporais, vocês viram? Que no temporal de domingo, o vento foi parecido com o do furacão Katrina! Isso ele disse ao vivo num jornal da Globo, no outro dia, foi desmentido, afinal os ventos foram de no máximo 90 km/h contra 230 do Katrina. Fora o que foi mal educado com o apresentador.

    • Domingos

      Governo de gente burra para gente burra. Esse pessoal só ganha eleição na base do desespero ou da compra de votos.
      Aposto que muitos acreditaram. Eu ouvi a entrevista onde se justificava a redução de velocidade na Marginal e parecia que estava ouvindo um maconheiro da USP (bom, provavelmente era…) falar. Fora a desculpa dos acidentes fatais, onde foi admitido que acontecem durante a madrugada (portanto a redução não funcionaria mesmo que fosse bem intencionada).

  • Taylor

    Você acha que tem alguma chance?

    Em 1982, um agente da PRF que se encontrava na pista expressa da Dutra – sob o Viaduto Curuça – cruzou feito louco o guard rail que divide a pista expressa da local, cruzou novo guard rail que separa a local da Rua Ciro Soares de Almeida e se jogou em frente a minha moto, pois eu não usava capacete (o código vigente previa o uso apenas em rodovias).
    Após insinuações de um possível achaque – sem minha cooperação – ele lavrou a multa que me recusei assinar. De saída mencionei conhecer a legislação e acusá-lo de usurpar o poder, visto que a jurisdição dele era nula sob uma via municipal.
    – A multa chegou indicando que eu trafegava na Rodovia Dutra;
    – Recorri ao JARI informando estar em via municipal;
    – Como reforço fiz alusão ao artigo da lei que mencionava que tal infração – se procedente – previa a apreensão da motocicleta, o que não ocorreu.

    Resultado: Indeferido. Palavra de um contra a o outro.

    “In dubio, pro reo” uma banana!

    Taylor

    • Bob Sharp

      Taylor
      Que agente da PRF nojento. Isso é coisa de canalha. Quando não se pode mais contar com a honestidade da polícia, estamos perto do fim.

      • Domingos

        Já estamos, Bob. A polícia às vezes não respeita nem mais senhor de idade em abordagem…
        Mas vamos ter esperança. Ao menos a maioria ainda não chegou nesse nível – o problema é que tem muitos!

    • Malaman

      Acho que está confundindo as coisas. O que citou vale em casos de processos judiciais, o que não foi o caso.
      O policial possuí a chamada fé pública, ou seja, na dúvida, a palavra dele vale sim mais que a sua.

  • Eduardo Mrack

    Legal seria algum cidadão de alma limpa e mente afiada, parar de placa em placa e arrancar os sacos de lixo com fita isolante das mesmas, agindo com imundade, sob o véu da lei de manter a constituição, ordem e a vigência do código de trânsito brasileiro. Mas penso que este cidadão acabaria preso e violado em curto tempo, mesmo sem estar cometendo crime algum, pelo contrário, estar desfazendo o crime.

    Fiscais de trânsito ( e boa parte dos policiais ) conhecem tanto de leis como o meu cachorro. Ao que tudo indica não é dada instrução nenhuma a eles senão a do procedimento de acionar o guincho e de como aplicar a multa.

    • Domingos

      CET não tem poder de polícia, no entanto podem chamar a polícia como qualquer um. Dá tempo de arrancar essa gambiarra nojenta. A cidade mais rica do país e num lugar onde se paga por baixo uns 40% de tudo que se compra e faz em impostos simplesmente não pode ter gente assim mandando nela. Esse tipo de serviço é inaceitável.
      O próximo passo é a prefeitura tapar buraco com terra.

  • Rafael Ax

    É parece que a grande arrecadação com multas tem finalidade exclusiva de engordar os cofres da prefeitura, mas não de gerar reinvestimento para a própria CET. Os coitados não tem verba nem para fazer placas, tem que ficar fazendo remendos com saco de lixo picotado….

  • Christian Bernert

    Em Curitiba também tem absurdos da sinalização. Este pandemônio de placas fica na Linha Verde. Trecho urbanizado da BR-116 próximo ao bairro Parolim.
    Todas as placas de velocidade são de 70km/h e a sinalização horizontal também diz o mesmo. Mas tem uma placa de 40km/h perdida ali no meio.

    • Lucas dos Santos

      Mas que “beleza”! Sem dúvidas que aquela placa de 40 km/h está “sobrando” ali.

      Conforme pode ser visto no vídeo a seguir – a partir dos 2min25s – não há razão aparente para se reduzir a velocidade ali, por um espaço tão curto.

      Provavelmente era para ser (mais) uma placa de 70 km/h e alguém, muito desatento, deve ter se enganado e colocado a placa errada.

      Quanto à quantidade de placas, parece que ignoraram o princípio da suficiência, em que a quantidade de placas deve ser compatível com a necessidade – nem mais e nem menos.

      • Mas aí entra a amizade do secretário de Transportes com o dono da fábrica de placas.
        quanto mais “amigos” eles forem, mais placas serão feitas, com o nosso dinheiro…

    • Domingos

      Não sei qual é o governo atual de Curitiba, mas apesar de ser uma encantadora cidade ela é tomada de PrOgReSsIsMos. Aqui em SP o atual prefeito e os cargos altos da CET afirmaram em entrevista que mais placas e pintura nas ruas dão à cidade uma maior beleza…
      É o baixo nível nos governando. O pessoal da “lombada deixa a rua chique” chegou ao poder. Tudo trouxa. Mais trouxa é quem vota nisso (paulistas, curitibanos, nordestinos e o raio todo). Sou paulista e com orgulho, a propósito.

      • Lucas dos Santos

        Tudo o que eu posso dizer é que o governo atual de Curitiba não difere muito do de São Paulo, infelizmente.

    • Já me deparei com situações semelhantes e, acredite, nesse caso o melhor seria andar a 40 km/h!

    • Marcos

      Morei em Curitiba 10 anos, mudei para Cuiabá há três meses. E vou ser bem sincero. Cidade limpa, bonita, mas MUUUIITO ordinária. O projeto da linha verde era excelente, cheio de trincheiras mas para “acelerar” a conclusão fizeram essa lambança aí. Além disso colocaram semáforos a cada esquina e quadruplicaram a quantidade de radares. Curitiba está no mesmo caminho de São Paulo, a qualidade de vida que era altíssima já está baixa porque ao invés de continuarem se desenvolvendo de forma inteligente só fizeram gambiarras. Eu morei na Argentina na frente do Angeloni e ali era via de 60 km/h mas depois que colocaram o radar a velocidade caiu para 40 km/h. PORÉM na Av Água Verde (rua Chile) a velocidade é de 60 km/h. Eu acho um absurdo tanto semáforo em BR e nas vias rápidas, morei na Martim Afonso e a cada 200 m tem um semáforo e todos com radar de avanço de sinal e velocidade. Morar ai ficou insustentável e a tendência é piorar. E não adianta ficar achando que o transporte público ai é bom porque não é, está bem longe de ser bom, o fato de ser uma referência no Brasil não torna nada bom. Nem vou comentar sobre os motoristas ai porque a coisa ia ficar feia, eu NUNCA vi tanto barbeiro em uma cidade, eta povo que não sabe dirigir, não é à toa que tinha o Sinal Vermelho Curitiba.

  • joaoamc

    Não dá nem para acreditar nisso. Só pode ser piada. Isso representa bem a seriedade com que a coisa pública é tratada nesse país.

  • Christian Bernert

    Certa vez aconteceu algo curioso comigo. Eu estava em Bayeux na Paraíba, procurando um endereço em uma marginal da BR-101. Cheguei em uma esquina e percebi que estava na contramão, ao meu lado já estava um agente de trânsito começando a preencher uma multa.
    Eu então parei o carro logo adiante, fui até o agente de trânsito e argumentei que não havia nenhuma placa no trajeto que eu fizera, indicando que aquele trecho seria contramão. Propus ao agente que verificasse o trajeto para ver que eu estava certo. Ele concordou, entrou no meu carro e refizemos o trajeto. Ao verificar que eu estava certo ele prontamente anulou a multa.
    Confesso que fiquei até surpreso com o resultado desta ousadia.

  • Christian Bernert

    O lema do segundo mandato da Presidente Dilma é: “Brasil, pátria educadora,”
    Eu pergunto: Quem afinal irá educar quem? Quem terá esta autoridade?
    Estes que usam Saco de Lixo nas placas serão educados por quem?

    • Cristiano Reis

      Pelo ao menos no ministro da educação ela acertou, Cid Gomes mudou e marcou a história de Sobral e do Ceará, espero que faça o mesmo pelo Brasil.

  • Bob Sharp

    Angelo_Jr
    Você esteve nessas cidades citadas ultimamente? Se não, sugiro que visite uma delas e veja com seus próprios olhos se existe a massificação da bicicleta com que o prefeito de São Paulo sonha, bem ao jeito de Nero ser divertindo vendo a sua Roma incendiada.

    • Angelito

      Bob, nunca fui, mas pretendo ir e estudo muito elas por causa de meu curso (Arquitetura e Urbanismo). A massificação da bicicleta como o Haddad quer deve acontecer em médio prazo, mas somente se houver mais investimentos na infraestrutura para os ciclistas. Ciclovias segregadas, equipamentos como este:http://vadebike.org/2014/04/elevador-para-ciclistas-subida-noruega-trondheim/ para subir morros, pois como bem dizem aqui só pintar uma parte do asfalto de vermelho não é ciclovia e nem ciclofaixa. Mas só continuando a explicação para alguns colegas de que o carro (como meio de transporte diário) não é muito apreciado nos países nórdicos, um editorial da Veja que exemplifica um pouco isso, e que mostra o que várias cidades no Brasil, especialmente em seus centros históricos (que NUNCA foram pensados para carros, somente (mal-)adaptados), estão passando: http://veja.abril.com.br/blog/denis-russo/cidade/nos-nao-somos-dinamarqueses/

      • Marcos

        Nos países nórdicos não temos assaltos como aqui. Um dia eu estava conversando com meu tio e ele disse que apresentaram para ele o sistema automático da Alemanha para abertura de faixas de circulação de acordo com sensores que medem o fluxo, temperatura e outros fatores das Autobanen. A questão não está no sistema moderno, está na infraestrutura básica que é necessária para o sistema funcionar. No Brasil não temos nem como garantir energia elétrica, mal conseguimos manter semáforos funcionando o ano todo, toda hora algum caminhão enrosca em fios de luz, toda hora uma chuva derruba árvores sobre os fios. Não temos constância em telefonia, eletricidade e TV a cabo, POR QUE iremos gastar dinheiro implantando um sistema importado que não vai funcionar? Temos que parar de buscar soluções modernas em outros países até conseguirmos resolver os problemas BÁSICOS como os citados acima.

  • Bob Sharp

    Mr. Car
    Mas como você faria, morando em Moema e precisando estar no Hotel Marriott de Guarulhos para uma apresentação de produto às 8h30? Qual transporte público você usaria?

    • Mr. Car

      Bob, vale se hospedar no hotel na noite anterior, he, he?

    • Angelito

      Bob, aí é transporte interurbano, uma coisa BEM diferente do problema atual, que é o uso intenso do carro para transportes cotidianos, o casa-trabalho-casa

      • Marcio

        Caro Angelo, engano seu, é lógico que o problema atual é o mesmo! Trabalho no Itaim Bibi, e muitos dos meus colegas se deslocam DIARIAMENTE de Osasco, Alphaville, Guarulhos, Barueri, Zona Leste (para lá do Carrão), para trabalharem aqui. Ou seja, são trechos de transporte interurbano, feitos diariamente no esquema casa-trabalho-casa. Isso sem falar nos colegas de São Bernardo, Santo André, São Caetano ou até Mauá. Basear o problema do transporte paulistano no deslocamento entre bairros é um sério erro.

  • Domingos

    Também não moraria em nenhuma delas, por orgulho e princípios. Se tivesse nascido nelas, seria outra coisa – embora teria críticas sérias também.
    O problema da bicicleta é só o cume do problema. Como falaram, usar transporte público nesses lugares é uma comodidade e algo muito bom. O problema é que por trás há o mesmo espírito imbecil que é exportado para nós e forçado na nossa goela como se fosse a solução para o mundo todo.
    Esse espírito também envolve estar numa cidade em que aborto é bacana, uso de drogas é mais bem visto que uso de bebida e cigarros e que seu objetivo de vida é:
    – Caso seja mulher, rodar o máximo possível. Usar bastante droga e só ter um emprego que te permita essa vida.
    – Caso seja homem, se aproveitar bastante dessas mulheres. Usar bastante droga e só ter um emprego que te permita essa vida.
    Também se acostume com o governo metendo o dedo nos seus filhos e família, pois é desses centros que vem coisas como a lei da palmada e outras histerias.
    Ah, vale a pena lembrar que será considerado um conservador, inimigo do povo e do progresso e um machista meramente se não achar bonito basear sua vida em coisa nenhuma com ajuda do governo.
    More na Alemanha – tirando uma ou outra cidade infectada pela babaquice. Melhor ainda, compre alguma casa a preço de carro usado em alguma pequena cidade da França ou Espanha e esqueça toda essa estupidez.
    Vale até a Itália com as cidades pequenas quase sem habitantes, porém com todos os serviços e comodidades do primeiro mundo (exceção a lugares muito isolados).
    Se você tiver filhas, ao menos não serão vaga… já sabe. Se tiver filhos, ao menos estarão num lugar em que ainda dá para casar e ter uma família ou filhos, no lugar de passar a vida criando gatos e enchendo a cara de lixo.

  • Roberto Neves

    Excelente artigo-denúncia, Bob!

  • Rafael Malheiros Ribeiro

    Pois comigo aconteceu algo semelhante em minha cidade, Petrópolis-RJ. Estacionei o carro em local permitido à noite, conforme mostra a placa no poste. Ao retornar na manhã seguinte, o órgão de trânsito local, a CPTrans, tinha colocado cones de proibido estacionar para uma manutenção da rede elétrica. E multou meu carro! Como eu poderia adivinhar que a “legislação” mudaria durante a madrugada?

    • Domingos

      E ainda por cima não rebocaram, o que indica que foi pela má intenção mesmo…
      Quem inventou esse negócio de cota de multas tinha que ir para o inferno.

  • Barroso

    Tampar a placa é muito comum, principalmente em vias que ainda não foram abertas ou terão mudanças de sinalização. Eu não vejo problemas, SE tiver reforço de sinalização provisória, como faixas de pano por exemplo, de modo a não trazer confusão e óbvio, desde que o cidadão não seja multado em casos onde possa haver a possibilidade de dúvida.

    • Lucas dos Santos

      Sem dúvidas.
      Já vi isso em algumas rodovias, em que algumas placas se encontravam inteiramente cobertas com um plástico preto, mas ao lado havia uma sinalização provisória – montada em um cavalete. Dessa forma, não deixa dúvidas ao motorista.

  • Angelito

    Em Biguaçú-SC existe um posto da PRF que eles sempre tampam as placas de redução de velocidade com plásticos pretos. Mas isso, claro, só se dá acompanhado de indicação eletrônica (aqueles painéis móveis abastecidos por energia solar) com ordens para manter a velocidade, e somente durante a temporada de verão

  • Domingos

    Exatamente. E nos dando a mera ilusão e perda de tempo que mandamos em alguma coisa, quando ao menos nos reinados toda a parte política – que sempre foi e será inútil e parasita – não existia e o rei, se amasse sua pátria, poderia governar para o interesse melhor da nação sem desmandos.
    Com o feudalismo, quando o rei não era bondoso e abusava, ainda se tinha a proteção dos feudos. Se poderia escolher em qual feudo viver, o que era muito mais efetivo do que a ilusão da democracia e do voto – que só serve realmente para escolher quem vai te enganar.
    A organização ocidental teria muito a aprender com aquela época e deveria imitar muita coisa.

  • Domingos

    É uma pena. Curitiba parece bem propensa a esses governos, apesar de ser uma cidade exemplo para o Brasil.
    Deveriam ter parado na arborização e nas linhas de ônibus (muito mais bem planejadas que em qualquer outra cidade do Brasil apesar de todos os pesares).

  • Domingos

    Quando o bom senso não é ativado é porque alguma coisa está fedendo. A maioria dos problemas de organização de cidades e da população é na verdade extremamente simples. Por isso mesmo, no passado, os povos mais avançados hoje se desenvolveram a partir de economias que não eram 1/10 da economia Brasileira de hoje e até do que éramos em 90…

  • Após escutar o discurso de posse da presidente reeleita no Congresso, onde a única parte que não parecia ser um playback do discurso de posse do primeiro mandato desta quatro anos atrás era o novo mote “Brasil, pátria educadora!” não pude deixar de pensar imediatamente no novo ministro da Educação, indicado na véspera, que como tantos outros não tem a menor afinidade com a pasta senão o interesse pela vultosa quantia do erário que será “reservada” a esta… Ali, qualquer fiapo de esperança que ainda teimava em morar no peito de qualquer cidadão de bem desta nação se extinguiu por completo! Se um “poste” como o atual prefeito de São Paulo fez o que fez lá e faz o que podemos confirmar chocados, imagine o Douto cidadão agora empossado desta importante pasta, cujo passado não inspira a menor confiança em probidade moral …

    • Cristiano Reis

      Se ele fizer pela educação do Brasil o que fez pela educação de Sobral e do Estado do Ceará, teremos um grande ministro da Educação, basta ver as escolas técnicas criadas em seu mandato, onde as especialidades são definidas pela região em que são implantadas para atender a demanda. Temos também o rapaz que acertou 95% das questões do Enem que é de uma escola pública de Fortaleza (mas concordo que é mais mérito do próprio estudante).

  • Antônio do Sul

    Em 2016, espero que esse fantoche do PT seja defenestrado da Prefeitura. De 1992 para cá, período em que vivo em Curitiba, nunca vi prefeito tão fraquinho quanto o Gustavo Fruet.

  • Andre Sousa

    Não sei se vocês repararam, mas na cidade de SP estão, maliciosamente, retirando as placas “Fiscalização Fotográfica de Velocidade”ou “Fiscalização Eletrônica Nesta Via” que até então eram posicionadas alguns metros antes de um radar, juntamente com uma placa informando a velocidade máxima permitida, sem falar nos inúmeros radares que estão colocando escondidos atrás de viadutos.

    • Domingos

      Deixou de ser obrigatório as placas de aviso então?

  • Bob Sharp

    Domingos
    Inferno é pouco!

  • Bob Sharp

    Mr. Car
    Até vale, se eu não precisasse trabalhar normalmente entrando no período noturno. Lembre-se que não tenho só o Ae para cuidar.

  • Bob Sharp

    Cristiano
    Tenho certeza de que Cid Gomes jamais deixaria passar um livro de Português onde “nós pega o peixe” é considerada forma aceita de expressão popular.

    • Cristiano Reis

      Assim espero Bob! Tomara que eu não “queime a língua” aqui nos comentários. 🙂

      • Prezado Cristiano! Não era minha intenção polemizar, principalmente porque não o conheço e nem sei qual sua simpatia pelo quadro político apresentado a nação nos ultima horas…Também não sei o que foi foi feito em Sobral, que me parece ser um bom resultado da Governança do atual integrante da pasta da educação. Porém gostaria de expor dados que me levaram a tecer meu comentário: O governardor não reeleito do meu estado ( RS ) além de ter sido ministro da educação no governo Lula ( criou o piso nacional do magistério! ) logo depois, no auge do escãndalo do mensalão, foi ministro da justiça do mesmo governo, com o intuito de “limpar o nome do partido” e, em seguida, candidato a governador de nosso estado e, claro, eleito… primeira polêmica: negou-se a pagar o piso nacional do magistério criado por si mesmo! As outras estavam estampadas em todos os jornais e culminaram com o achaque aos depositos judiciais do estado ( 5 bi ) e a rejeição para a reeleição de 70% do eleitorado gaucho em um segundo turno… Agora, comentário baseado em dados do portal de transparencia do governo federal: Ceará : 8,8 milhões de habitantes, 149 mil kilometros quadrados e 184 municipios com um repasse de verbas federais em 2014 ( até novembro ) de 5,3 bilhões. Rio Grande do Sul : 11,16 milhoes de habitantes, 281 mil kilometros quadrados e 497 municipios com um repasse de verbas federais no mesmo período de 3,.1 bilhões … Prezado autoentusiasta, o mínimo que o atual ministro da educação e antigo governador do estado do Ceará tinha que fazer era alguma coisa para algum municipio do estado que governava… Embora o mesmo, num primeiro instante, rejeitou o ministério da educação e só o aceitou depois da promessa de nossa presidente reeleita demonstar o novo mote de seu “regoverno” chamado astuciosamente de ” Brasil, pátria educadora” e o volume de recursos que pretende destinar a pasta… Bem nobre!

  • Fat Jack

    Legalização do absurdo é o “prato da casa” na cidade de São Paulo, sobre a retirada por “vândalos”, isso é certeza, certeza de que são os mesmos vândalos que estavam a encher sua “caixinha de Natal” com multas como a tema do presente post.
    Infelizmente, vivemos numa época em que o rabo abana o cachorro e não o inverso e onde a única coisa que podemos é alertar aos conhecidos, torcendo para que eles não caiam neste tipo de armadilha (não cabe outro nome)…

  • Juvenal Jorge

    Prefeito e seus asseclas obedientes e que não se amotinam em prol da democracia seriam PRESOS e CONDENADOS em um país sério.
    Arderão no fogo do inferno.

  • Andre Sousa

    Sim, já faz um tempo. No entanto, a administração anterior da prefeitura de SP ainda assim as colocava. Do meio deste ano p/ cá, além dos inúmeros radares que estão instalando (e após reduções drásticas nos limites de vlocidade), estão retirando as placas. Uma bofetada na cara do contribuinte.

  • Israel

    Concordo plenamente com as críticas redigidas acima. Infelizmente, em São Paulo, as autoridades de trânsito sempre acham que estão cobertas de razão em todos os casos, o que desafia qualquer lógica e bom-senso.