PMRSP  EM SÃO PAULO MOTORISTA É MULTADO POR ESTAR CHUPANDO BALA DE MENTA PMRSP1

(Foto meramente ilustrativa, sem relação com a matéria, de acidadedevotuporanga.com.br)

A notícia saiu no O Estado de S. Paulo, replicada no Yahoo Notícias e enviada ao Ae pelo leitor Cláudio Alves.

“Um motorista foi multado ontem na rodovia José Ermírio de Moraes (Castelinho), em Sorocaba (SP), por dirigir chupando uma bala de menta. O homem, um empresário de 32 anos que pediu para não ser identificado, estava ao volante de um Porsche quando foi ultrapassado por uma viatura da Polícia Rodoviária Estadual e recebeu sinal de parada. Segundo contou à TVTem, o policial o advertiu por ter tirado a mão do volante para levar à boca um drops.

O motorista perguntou se receberia uma multa por isso e o policial assentiu. Ele então pediu que a suposta infração constasse da multa. Na autuação entregue ao motorista, o policial citou o artigo 252 do Código de Trânsito Brasileiro que considera infração dirigir com apenas uma das mãos ao volante. No espaço reservado às observações, o policial grafou: “Dirigindo comendo drops menta”. Segundo ele, antes de aplicar a infração, o policial conferiu os documentos, os pneus, as placas e o extintor de incêndio do veículo. Como encontrou tudo em ordem, teria encontrado na guloseima o motivo para a multa.

O motorista informou que vai entrar com recurso. Ele acredita que houve exagero na autuação e que foi multado apenas porque dirigia um carro de luxo. O comando da Polícia Rodoviária Estadual informou que o ato praticado pelo motorista configura infração. O artigo 252 do CTB, no inciso V, considera infração média ‘dirigir com apenas uma das mãos, exceto quando deva fazer sinais regulamentares de braço, mudar a marcha do veículo, ou acionar equipamentos e acessórios do veículo.'”

Comentários do editor

– O motorista, pelo Art. 252 do CTB, Inciso V, não pode: coçar o nariz, ajeitar os óculos,  tirar os óculos ao entrar num túnel ou quando a noite cair, colocar a mão na boca antes de espirrar, sinalizar para o outro motorista com o mão, e outros gestos.

— Pelo mesmo dispositivo legal, bizarramente o motorista só poderá fumar ao dirigir se tiver um auxiliar para levar o cigarro à sua boca, bater a cinza no cinzeiro e finalmente aí apagá-lo.

— Se houve, de fato, esta atuação, isto só serve para se duvidar da idoneidade da Polícia Militar Rodoviária do Estado de São Paulo, o que é tanto triste quanto preocupante.

— Corroborando o que a colunista Nora Gonzalez escreveu em sua coluna “Visão feminina” de hoje, a polícia encarregada de fiscalizar trânsito, neste caso a PMR/SP, não cumpre com rigor seu dever de abordar veículos trafegando sem condições de segurança, mas o faz num veículo tecnicamente em ordem e sai com esse absurdo de autuar o motorista estar este usando uma das mãos para levar uma bala à boca.

Lamentável.

Ae/BS

Sobre o Autor

AUTOentusiastas

Guiado por valores como paixão, qualidade, credibilidade, seriedade, diversidade e respeito aos leitores, o AUTOentusiastas desde 2008 tem a missão de evoluir e se consolidar como um dos melhores sites sobre carros do Brasil. Seja bem-vindo!

Publicações Relacionadas

  • Antônio do Sul

    A inveja é mesmo uma desgraça. Se o empresário estivesse dirigindo um carrinho 1-L, passaria despercebido. Realmente, colocar uma bala na boca demora uma eternidade e demanda força e atenção do motorista…

  • Maurilio Andrade

    Enquanto isso, vários carros sem as mínimas condições de uso trafegando impunemente. Brasil, que terrinha de bosta.

  • Paulo Roberto de Miguel

    O policial estava atrás de um “agrado”, será?

    • Antônio do Sul

      É bem possível…Por isso, em alguns lugares, as abordagens no trânsito são filmadas por câmeras instaladas nas próprias viaturas.

      • Domingos

        Uma medida excelente e clara, simples, óbvia que aqui vai ter mil desculpas e atrasos para começar a valer – se é que um dia vai valer…
        Ou vai ficar sem manutenção por “falta de orçamento” etc.

    • Z_H

      Na Rodoviária ainda por cima? Imagina. de jeito nenhum.

  • Jr

    Há casos como este em Curitiba. Num desses o motorista foi multado e argumentou que devia estar mudando de marcha com a mão direita enquanto dirigia…. teve de pagar. Outro é deficiente, não tem um braço, e tem carro adaptado automático reconhecido pelo Detran, e assim vamos.

  • Edu Silva

    Esses caras estão de molecagem…..o cidadão hoje é descaradamente desrespeitado pelas autoridades……esse país acabou…

  • Diogo Rengel Santos

    Bom eu tenho uma teoria para isto: desespero para arrecadar….

    Daqui a pouco terão guardinhas nos fórums só para multar quem estiver criticando a atuação da polícia…

    • vstrabello

      Concordo. Os caras querem arrancar o $$$($) do bolso dos motoristas, Por mais que o carro esteja em ordem, eles sempre vão querer procurar algo mais para garantir mais $$$($).

    • Domingos

      O governo já tem sua equipe de militantes pagos só para fazerem censura e desordem de quem discorda deles na internet.
      O Conselho Nacional de Justiça já fica monitorando e caçando “grandes criminosos” que eventualmente fazem alguma ofensa na internet.
      Não duvido que logo coloquem pessoas para não permitir que se critique as instituições.

  • Ilbirs

    Por essa interpretação da lei, o motorista também não poderia mexer no rádio/GPS/smartphone em função GPS. Como já disse o Antônio do Sul, realmente fica a impressão de que ele foi multado por dirigir um Porsche, e não por fazer algo que atente contra a lei.

  • TwinSpark

    Dezenas de carros e motoristas que não poderiam estar circulando e os caras vão atrás de um Porsche… Os policiais devem ter pensado “ele é rico, mas nós vamos mostrar quem manda aqui”.

    • Z_H

      Talvez… mas acho que tá mais para “ele é rico, vamos levar algum”

  • André Andrews

    Inacreditável. Cópias dessa autuação deveriam ser espalhadas por todos os cantos.

    Realmente estamos vivendo numa ilha cercados por canalhas.

    O sistema de SAC da Prefeitura de São Paulo que inclui a CET, simplesmente deixou inabilitado o envio de reclamações, seja na parte de Fiscalização ou Manutenção de Sinalização Semafórica (só tentei usar estas, pode haver mais). Isso nada mas é do que uma atitude para frear as reclamações. Antigamente havia (retiraram, acredite se quiser) um campo para denunciar lombadas irregulares (do qual usei, mas nunca retiraram ou reformaram nenhuma). Comecei então a “importuná-los” (na verdade é obrigações deles) exigindo manutenção de suas pinturas; agora o envio é impossível. Tentei pedir Necessidade de Ajustes de Tempos Semafóricos, mesma coisa, não envia com nenhum navegador, já há muito tempo.

    • CorsarioViajante

      É a piada do sofá! A melhor maneira de acabar com as reclamações não é resolvendo os problemas, mas impedindo as pessoas de reclamar.

      • Domingos

        Por isso mesmo a tendência dos governos atuais de legalizarem e até bonificarem com dinheiro certos problemas. Com o crack está assim.
        Estava pesando na eleição do governo e passaram em várias cidades e até como medida mais nacional a simplesmente:
        – Mandarem os policiais não fazerem muita coisa.
        – Darem dinheiro para a família de quem usa.
        Pronto, assim o problema ‘acabou”. Logo legalizam a corrupção também, assim deixa de ser crime e de ser preocupação do governo. Vai ser coisa para reacionário reclamar.

    • Domingos

      E quando envia, o responsável por ler ainda fica pensando “que trouxa, perdendo tempo com isso, vou ignorar só de falso prazer”.
      Mas relaxa, a vida vai dando a cada um o que cada um fez. Você faz sua parte ainda que ignorado e tem como enviar essas reclamações, esses aí do outro lado sem cumprirem suas obrigações e fazendo baixísses provavelmente vão ficar na porcaria que estão pelo resto da vida.
      E aí vão reclamar de Deus, dos políticos, do governo, dos países ricos, falar que o brasileiro é sofrido etc. Nunca a eles mesmos. Isso os manterá assim, o que é uma boa punição.

  • Domingos

    Molecagem e malandragem são as classificações perfeitas.

  • Domingos

    Perfeito o final. A polícia sistematicamente não tem parado carros em clara falta de condição para andar, talvez até por ordem dos nossos governantes no melhor estilo “luta de classes” e “criação de problemas, para depois fingir que os resolvo”, mas o cidadão que se empenha em manter o carro e documentação em ordem é tratado como bandido e ainda recebe multa falsa.
    A polícia talvez receba ordens ou talvez saiba que parar um carro com documentação atrasada e outros problemas não lhe traga nada. A multa pode nem ser paga e a caixinha pode não acontecer ou ser pequena.
    Infelizmente essa é a realidade de muito do nosso patrulhamento de tráfego. Já vi no meu bairro carro tirando racha NA FRENTE de DUAS viaturas e ambas sequer saíram do lugar. Os policiais ficaram na frente de ambas sem nem ficarem preocupados.
    Nesse mesmo bairro, havia uma viatura da polícia que ficava rondando uma rua de madrugada e parando gente de bem para inventar multa. Fui vítima, embora infelizmente não tenha um Porsche. Ainda assim existe muito petismo e inveja, maldade e malandragem no nosso povo – e, conseqüentemente, na nossa polícia também.
    Me apontaram arma na cara e tudo. Estava num carro sem filme, andando sozinho e sem fazer absolutamente NADA de errado ou suspeito. Como avisei que iria recorrer, ainda inventaram uma segunda multa. No entanto, felizmente não ficou por isso mesmo e embora eu não tenha conseguido ganhar o recurso das duas, uma delas acabou cancelada e o caso foi levemente investigado.
    Temos a polícia que merecemos, em grande parte. Mas não deixa de ser inaceitável tanto a falta de uma fiscalização decente quanto um comportamento menos digno de ladrão e marginal por parte da polícia.
    Existem carros rodando em São Paulo com as rodas apontando para lados completamente diferentes, o carro chega a andar torto em reta, e não são parados.
    Particularmente eu indico ficar atento ao comportamento e a cara do policial e, dependendo do caso, parar em uma loja ou algum lugar seguro ou até entrar em alguma rua e desaparecer. E jamais se coloque em ruas ou locais isolados ou escuros antes de uma abordagem, pois é aí que mora o perigo.
    No meu caso, se eu tivesse parado num posto de gasolina um pouco antes, as coisas teriam sido muito melhores.

  • Rogério Ferreira

    Caramba, eu não estou acreditando nisso, parece piada mas é realidade… Ou seja, não posso tirar a mão nem para passar as marchas… Carro com câmbio manual deveria ser proibido no Brasil.

    • damasiofa

      “dirigir com apenas uma das mãos, exceto quando deva fazer sinais regulamentares de braço, mudar a marcha do veículo, ou acionar equipamentos e acessórios do veículo”

  • Mingo

    Tem duas coisas que eu sempre peço a Deus antes de sair de casa:
    1ª Que nenhum bandido cruze meu caminho.
    2ª Que nenhum policial cruze meu caminho.
    Dessa turma quero é distância!

    • Domingos

      Com o tempo, apesar da lavagem cerebral que somos assim porque somos os “oprimidos do mundo” (como se nenhum outro povo passou por dificuldades), a gente percebe que o Brasil é o Brasil e que a América Latina é o que é porque o povo é… ladrãozinho mesmo.
      A malandragem e o jeitinho nada mais são que nomes que suavizam pequenos roubos, abusos de poder e estelionatos. Enganações em geral que o brasilóide e o latinoamericano medianos fazem até entre parentes e amigos – aliás, principalmente com esses.
      A polícia e os políticos meramente é o que somos. Um povo baixo nível em geral. E assim como sair de casa para conquistar qualquer coisa com sinceridade é dificultado e ridicularizado, pode ter certeza que dentro da corporação pressionam para que as coisas sejam assim.

    • Boni

      Sensacional a sua colocação!

  • Lucas

    Como pode?! E eu nem me surpreendo mais com isso. Tempos difíceis os atuais. É cada vez mais “cada um por si e Deus por todos”.

  • Thiago Teixeira

    Bob, vou dizer o que deve ter acontecido. Num chute matemático, 90% de ser isso: O policial se sentiu “ofendido” em algum momento ou situação pelo “playboy” do esportivo. Em retaliacao lhe deu uma multa ridícula por um ato ridículo. Tirar a mão do volante para por o drops na boca. Descrever a situação, como foi feito na observação da multa, eu diria como uma forma de “humilhar” o motorista. E também evitar que no recurso o motorista ganhe a causa por alegar que usou uma das mãos para trocar marcha, usar equipamento do carro, dar sinal etc. Algo que seja excludente da proibição.
    Não estou defendendo o policial. Essa descrição é uma hipótese. Mas nas notícias só divulgam o dito por uma das partes. Acaba por ser tendenciosa e divergir do que de fato possa ter acontecido.

  • Joel Gayeski

    Bah, achei que tinha aberto a página do Sensacionalista.
    O lizarB parece não ter jeito mesmo.

  • Marco Antonio

    Prezados,

    Minha opinião sobre o tema, o policial queria levar um agrado do proprietário da Porsche, e sabem por que eles não param os carros caindo aos pedaços em nossas vias e estradas? Por que o dono é um duro que não tem como ganhar nenhum agrado e ainda por isso os devidos policiais terão um trabalho enorme em preencher multas e documentação de recolhimento do veículo.

    Se alguém discordar que se pronuncie…. rs

  • BR

    Retrato de um Brasil despreparado e com políticos e autoridades extremamente “INGUINORANTES” e recalcados .

  • c4vitesse

    Eu preferia não ter lido isso, triste mesmo.

    Espero que ele consiga recorrer.

  • Rodolfo

    Se eu fosse o motorista perguntaria para o guarda:
    – Como o Sr. tem certeza que eu tirei a mão do volante se Sr. nem viu? Eu antes da curva parei no acostamento e coloquei a bala de menta na minha boca.

  • Sérgio Afonso

    É o fim dos tempos. Só que eles, que são “nossos” empregados, podem andar a milhão (tenho vídeos sobre o que falo), fumar, não usam cinto de segurança, falam ao celular dirigindo, enfim tudo o
    que levaríamos multas se fizéssemos. Isso tem que ter um fim. Será que o Contran, Denatran, sei lá, não tem como normatizar o comportamento desses indivíduos? Eles se comportam, como se as rodovias fossem propriedade deles. É exatamente o contrário. No caso do Porsche, algo me diz que queriam um “agrado”.

    • Domingos

      Tem que acabar com as imunidades de autoridade. Isso é coisa para ditadura e reinado, numa democracia é um completo veneno.
      E isso inclui as imunidades de juízes, autoridades policiais e o tal foro privilegiado. Além disso os entes públicos jamais poderiam se valer da tal fé pública e nem mesmo da proteção judicial contra erros de conduta e exercício da profissão.
      Se o seu mecânico faz um erro de diagnóstico e te dá um prejuízo, você pode processá-lo. Se um juiz solta um bandido recorrente que já matou várias pessoas, caso aliás como o que está acontecendo na França (um dos assassinos já havia sido liberado pela justiça em um caso grave), nada acontece.
      O que prova também que a democracia é só uma farsa, em qualquer lugar do mundo.

  • NoobForSpeed

    Acho que alguém estava com problemas pra fechar a cota do mês.

  • joao

    Todo$ sabemo$ que o$ problema$ de trân$ito se re$umem em drop$. Cu$tava oferecer para o gualda?

  • Rafael C

    O drops já estava desembrulhado num saquinho, como se fosse amendoim sem casca, certo? Tem de multar mesmo. Desembrulhar bala é tão perigoso quanto atender um celular. Distrai tanto quanto ter aquela msg inocente do whatsapp, ficar navegando pelo menu configuração do rádio do carro etc… Que é bem diferente de coçar o nariz, não é, editor?

    Quando o policial pára e multa, o cidadão tem mais recursos para se defender, ou até, como descrito na matéria, para fazer mimimi por ser minoria (ele dirige um Porsche) e dizer que foi vítima da sociedade por causa da condição social dele.

    Deveria, isso sim, haver mais abordagens como aquela. Errado é colocar radar móvel escondido com limites de velocidade
    artificialmente reduzido. O cidadão recebe a multa em casa e mal se
    lembra se passou pelo trecho, quiçá se a sinalização existia.

    • Daniel

      Você está brincando, correto?
      Não queira comparar o ato de desembrulhar uma bala com o de ler uma mensagem. Se você não é capaz de desembrulhar uma bala sem manter contato visual com o doce, sinto-lhe informar que nem dirigir você pode. Senilidade tem limites amigo. Talvez seja o caso de começar a andar apenas como passageiro.

    • Eduardo Fujiwara

      Caramba, que comparação esdrúxula hein, para operar o celular tenho que desviar minha atenção do tráfego, o que é realmente perigoso, mas pegar uma bala e colocar na boca é algo completamente natural….. operar a temperatura do ar-condicionado ou o rádio, ou o espelho consome muito mais da minha atenção e ainda é amparado pela lei, já que são acessórios do carro. E aí, o que tem a dizer sobre isso?

    • anonymous

      Desembrulhar bala é perigoso? Tem de multar mesmo?
      Como pode a moderação permitir esse tipo de trollagem?

      Ou este sujeito é o próprio policial que preencheu a multa, ou veio provocar balbúrdia.

    • Antônio do Sul

      Como o dono do Porsche provavelmente não é artista de circo, com toda a certeza ele não desembrulhou a bala enquanto estava fazendo uma ultrapassagem, curva fechada ou troca de marchas…

  • RoadV8Runner

    Tragicômico este texto… Pelo visto, os responsáveis por fiscalizar o trânsito aqui na região de Sorocaba gostam de dar multas bizarras. Na primeira noite de validade da famigerada “lei seca”, um motorista foi multado e levado à delegacia por estar dirigindo alcoolizado. O motivo do motorista estar “embriagado” foi o fato de ter comido 4 bombons de licor minutos antes de pegar o volante… Não lembro direito dos detalhes, mas lembro que o motorista exigiu um segundo teste com o etilômetro minutos depois da autuação, o que não indicou nível de álcool. Mas não houve jeito, o motorista teve que recorrer judicialmente para anular a multa (não sei se conseguiu…) A situação foi tão absurda que, no dia seguinte e logo após a notícia ser veiculada no rádio, um dentista aconselhou aos motoristas que costumavam usar enxaguante bucal com álcool na formulação a aguardarem cerca de 15 minutos antes de pegarem o volante, pois senão haveria o risco de serem flagrados alcoolizados na eventualidade de fazerem o teste com o etilômetro na esquina de casa! Surreal…

    • Roberto Neves

      O meu periodontista também desaconselha o uso de enxaguantes bucais com álcool, mas por razões técnicas, de saúde.

  • LG

    Que país de fezes…
    o abuso de poder é o genitor da famosa frase: “sabe com quem está falando?”. Aposto que se o motorista fosse um juizinho qualquer, teria dado voz de prisão à “otoridade” e desta vez com razão, ao invés do que aconteceu com aquela agente de trânsito no Rio.

  • Marcos Amorim

    Já que muitas viaturas brasileiras possuem câmeras no painel que raramente são ligadas, chegou a hora do cidadão comum equipar seu carro com câmeras de painel, da mesma forma que acontece na Rússia. O interessante é que isso começou lá exatamente por causa de golpes, malandragem e corrupção policial.
    E olha que já tem bastante gente comprando esses equipamentos pelo dealextreme e aliexpress…

  • Marco

    Policial vê um Porsche. Pensa: “esse camarada tem dinheiro. vou fazê-lo parar”.

    Como não encontra nenhuma irregularidade, “arruma” uma forma de punir o motorista.

  • KzR

    Logo então estarão autuando os deficientes por usarem apenas uma mão para dirigir…

  • Nora Gonzalez

    Num pais em que as autoridades dizem abertamente que pelo menos 30% da frota de veículos circula irregularmente (em termos de documentação) e não se sabe bem quanto dela circula em condições precárias de manutenção é incrível que tenha sobrado tempo para autuar alguém por estar comendo uma bala. Incrível também a precisão da autuação: bala de MENTA. Não eucalipto, mel, mas menta. Ah, agora eu entendi…

  • Bob Sharp

    Domingos
    Deixei passar para responder depois. Tem chegado muito comentário e como você e muitos leitores já sabem, só libero após efeturar ajustes ortográficos e gramaticais, isso toma tempo. Aguarde que vem resposta aí.

  • Roberto Neves

    Surreal, kafkiano!

  • Sandro

    É surreal, concordo. Agora… por que muitos motoristas fumantes não utilizam os cinzeiros dos carros para guardar as bitucas de cigarro em vez de arremessá-las pela janela? Isso sim é infração (artigo 172, salvo engano), além de ser uma tremenda falta de educação. Outro dia, em Curitiba, discutia-se na Câmara de Vereadores como autuar pedestres que jogam bitucas na via pública, como obrigar os fabricantes de cigarros a instalar recipientes para bitucas e por aí vai (deve estar faltando serviço na Câmara local…). Ora, antes de se preocupar com isso, basta utilizar o CTB e multar os motoristas que jogam bitucas e outros detritos pela janela – nada mais justo e cidadão.

    • Bob Sharp

      Sandro
      Sou fumante e acho o fim do mundo atirar bitucas pela janela. É falta de educação, como você disse. Muitos carros de teste hoje não têm cinzeiro (os da VW, sempre!) e tenho um portátil, tipo copo, para encaixe no porta-copos. Antes de meu irmão trazê-lo, de presente, do Canadá, eu usava uma lata de cerveja sem a face superior. A Câmara de Vereadores daí? Falta do que fazer mesmo.

      • Domingos

        Lata de cerveja de alumínio pode ser algo bem perigoso para as mãos, são muito finas e com uma face delas fora existe o risco de ter ou formar partes cortantes.

        Isso ao manuseá-la, mas também tem o risco do carona ou alguém mexer lá e se cortar.

        Para um mercado com tantos fumantes, é mesmo estranho que ninguém ofereça um cinzero bom para carros no mercado paralelo.

        Lembrei agora: os Citroens e Peugeots às vezes são acompanhados de um copinho com tampa que serve de cinzeiro. Aquilo tem um tamanho padrão de encaixar em porta-copos e serve em qualquer carro.

        Para quem não pode trazer um de fora…

        • Bob Sharp

          Domingos
          Você tem razão nisso, tanto que tinha o cuidado de deixar o aro superior e rebater cuidadosamente a borda interna após cortar o que seria a tampa, justamente para evitar qualquer superfície cortante.

          • Domingos

            Deixando o aro da borda e rebatendo fica bem melhor mesmo, só se enfiar a mão dentro para ter risco. Mas que trabalho…
            Fora que pela fragilidade ela vai amassando com o tempo e tem que fazer outra.
            Se eu fosse fabricante eu cortaria custos não colocando nem acendedor e nem cinzeiro, investindo o recurso em alguma outra área do carro, mas não ter opções boas e práticas nem como acessório e nem no mercado paralelo é ridículo mesmo.

      • Domingos

        Acho que errei. É em alguns Renault que existe isso. Não tenho certeza agora, mas era em carro francês. Acho que alguns C3 tiveram, enfim, carro francês.

  • Bob Sharp

    Rafael C.
    Seu carro deveria ser identificado de alguma maneira para eu e outros não chegarem perto dele…Sugiro que você faça um curso de reciclagem de direção. Não há vergonha nenhuma nisso. Há vários, procure no Google.

    • Domingos

      Hahahahaha, boa Bob!

  • Kevin “Schãoantz!” (F.Lopes)

    Se seguir a mesma lógica do policial ao eu ligar o farol, ligar o rádio ou mudar de marcha posso ser multado! Onde vamos parar…
    É uma palhaçada atrás da outra! Legalismo estúpido e sem sentido!

    • Alexander Gustavo Romanoff

      Não, estes atos estão expressos na lei, retirar uma das mãos para acionar dispositivos do carro.

      O resto, tecnicamente é o que o texto diz, ao rigor da lei, não se pode coçar o nariz, ajeitar os óculos, tirar os óculos ao entrar num túnel ou quando a noite cair, colocar a mão na boca antes de espirrar, sinalizar para o outro motorista com o mão, e outros gestos.

  • Domingos

    Nenhum deles está recomendando mesmo faz um tempo. Me parece que pode irritar ou mesmo ferir, em caso de uso constante, a boca e língua do usuário.

    Quando começou essa moda de enxaguantes, raramente necessários, lembro que os dentistas não viam muito bem não.

    Agora os sem álcool não apresentam problemas, mas também não são exatamente necessários.

  • Domingos

    Imagina a balbúrdia que seria o trânsito com essas normas e interpretações da lei. Melhor, imagine a balbúrdia que é o pensamento de um cidadão desses.

    Ele está pronto para ser colocado no quadro da CET pela administração Haddad.

  • Enojado

    Isto é uma cusparada na cara dada por estes vagabundos, pagos por nós, e travestidos de agentes da lei. Estamos vivendo uma nova Alemanha nazista no Brasil. Extorsão, perseguição, achaque, prisão! Vocês já viram isto na história recente por parte de um país dominado pelas SS? E sabem o que os americanos disseram quando entraram lá? Que os responsáveis eram o povo alemão! Adivinhem quem será responsabilizado pelos atos desta polícia suja, imunda, covarde, safada, desonesta e repleta de bandidos?

  • Bob Sharp

    Domingos
    Nunca houve esse risco ao enfiar a mão dentro lata, não ficava nenhuma parte cortante. E nunca foi preciso repor a lata, nunca amassava. Os carros alemães, todos, vêm com acendedor e cinzeiro. O comprador pode comprar o pacote não fumante, opcional. Isso tem um nome: respeito. Fumante não é um desclassificado.

    • Alexander Gustavo Romanoff

      Não é desclassificado, é viciado e fraco por ser incapaz de conter seu vício. E prepotente ao querer que os outros fumem também em restaurantes, aviões e tudo quanto é lugar. E acha que cigarro não faz mal, afinal, ele está vivo, não é não?

      Meu avô fumou dos 15 até os 45 anos de idade, parou, e morreu de câncer de pulmão aos 77, o mal tarda, mas não falha.

  • Marcelo Henrique

    O erro dele foi de estar comendo um drops de menta, se fosse uma de tutti-frutti teria passado.
    Coisas de Brasil, se fosse no DF ele teria ganhado esta multa e não adiantaria fazer requerimento pois tudo se resulta como “indeferido”.

  • Franklin Corcino

    Seria cômico se não fosse trágico.

    Já fui parado e recebi multa alegando que meu carro era rebaixado.

    Na verdade, as pessoas que deveriam representar a lei, no caso os policiais. Foram mal treinados, e com certeza nem se lembram do juramento que fizeram.

    Hoje a palavra de um Homem não vale nada.

  • Bob Sharp

    Alexander Gustavo Romanoff
    Desculpe, mas com relação a esse assunto você só disse bobagem, como muita gente. Fumar é um vício tão lícito e delicioso quanto tomar cafezinho, Coca-Coca ou chope. Não quero, absolutamente, parar de fumar. Não tem nada de querer parar e não conseguir.. Quanto ao fumar nos locais que você citou, não há o menor problema, desde que os ambientes sejam separados, como foi durante décadas. Ninguém que não fumasse era incomodado.O que vocês, não fumantes xiítas têm, é simplesmente inveja de quem tem esse enorme prazer e tudo fazem para privá-los dele. É ridículo. Sempre se fumou ao longo de décadas e não havia a mortandade de que tanto se fala. Quanto ao seu avô, se não tivesse parado de fumar passaria fácil dos 90 anos, e saudável, pois a depressão por parar de fumar provavelmente levou ao desenvolvimento da terrível doença. Foi um grande erro ele parar de fumar, acredite você ou não.

    • Bikentusiasta

      O cigarro fazer mal é uma constatação científica, porém o fazer mal é relativo. Se uma pessoa não pratica nenhuma atividade física e se movimento o mínimo possível, provavelmente ela não sentirá os males de forma aguda e, mas se precisar subir alguns lances de escada ou ter que correr por algum motivo, como pegar um ônibus, aí sim ela vai sentir e vai estar tossindo até a alma depois de um esforço físico. Essa de ambientes separados só funciona se houver separação física. Antigamente a informação era mais facilmente escondida, e não saber de mortes devido ao cigarro não implica na não existência dessas mortes. A 30 anos atrás as megaempresas tinham um poder controlador muito maior do que hoje sendo fácil para elas esconder informações.
      (Obs: Não tenho inveja de que fuma cigarro, maconha, crack ou use qualquer outro tipo de droga, não sou contra o uso de QUALQUER tipo de droga por uma pessoa adulta desde que não ameace a integridade física de outras pessoas)

      • Bob Sharp

        Bikentusiasta
        Você está dando uma de papagaio, desculpe. “Constatação científica” é como estatística, serve ao propósito que se quiser. Se cigarro fizesse o mal que “autoridades médicas” dizem, primeiro, nenhum médico fumava e vários fumam. Segundo, governo algum do mundo autorizaria fabricação e venda de cigarros se cigarro fizesse mal. Essa de ambientes separados fisicamente é outra balela que a brigada antifumo inventou justamente por invejar quem fuma. Em bares e restaurantes, quando havia área fumante e não fumante, nesta não se tinha o menor odor de tabaco. A história de “fumante passivo” é outra mentira, criada para a campanha antifumo ganhar força, pois antes de inventarem essa besteira ninguém deu a menor atenção às campanhas. Sobre fumar e resistência física, o meio-de-campo da Seleção Brasileira, Gérson, era fumante, tanto que foi aproveitado na campanha publicitária do cigarro Vila Rica. Essa posição no futebol é a que mais corre em campo. E sobre a integridade física que você diz não dever ser ameaçada pela fumaça do tabaco, meus dois filhos cresceram desde bebês, aliás ainda no útero materno, em ambiente fumante e são perfeitamente saudáveis (estão com 30 e 32 anos). Meu neto de 6 anos sempre “respirou” fumaça de cigarro, desde bebezinho, e é um garotão saudável, enorme para a idade e, muito importante, sem qualquer traço de obesidade. Portanto, “fumante passivo”, mais uma balela. Desconfio haver um forte lobby da indústria farmacêutica nessa caça aos fumantes, pois fumantes ficam bem menos resfriados e gripados que os não fumantes. Um mercado de 7 bilhões de consumidores de antigripais e quetais não é de se jogar fora.

        • Bikentusiasta

          Bob
          Estatística é uma ferramenta usada por qualquer pesquisa científica, automóveis são fabricados com base em dados estatísticos, na engenharia mecânica há áreas, principalmente de materiais, em que só é possível fabricar alguma coisa com base em dados estatísticos. Não compreendo esse seu desmerecimento nessa área.

          Vários médicos fumam, vários médicos são obesos e vários médicos sofrem infarto(conheço um caso em que o próprio médico constatou que estava infartando). Pois é, em casa de ferreiro o espeto é de pau…

          Fumaça não escolhe caminho, provavelmente você não sentia o odor do tabaco por já estar muito acostumado com ele, ou porque as pessoas tinham vergonha de reclamar pois o cigarro era uma coisa “bacana”.

          Tive um professor de biologia que era cirurgião médico pneumologista e legista, ele conta que a mãe dele morreu de câncer de pulmão porque passou grande parte da vida inalando a fumaça do cigarro que o marido dela fumava, infelizmente o “mito” do fumante passivo para ela não foi mentira.

          Sobre resistência física, qualquer pessoa com um mínimo de bom senso sabe que TODOS os atletas de ponta utilizam drogas para melhora o desempenho físico, seja por meio de testosterona, GH ou EPO’s(muito usada entre ciclistas e jogadores de futebol).

          Quanto a sua saúde está claro que você e toda sua família são pontos fora da curva, com certeza são privilegiados geneticamente e não dá para generalizar com base em poucas pessoas.

          Sobre governo autorizar ou não alguma substância, existem casos como a cocaína, que era remédio e depois foi proibida, o LSD(Delysid) era remédio e depois foi proibida, mesmo não sendo tóxica, é muita ingenuidade achar que governos agem para proteger a população, o governo precisa manter um “caos controlado”.

          Não estou sendo “papagaio” estou tentando mostrar que você não pode afirmar alguma coisa com base apenas na sua experiência própria.

  • Fernando Oliveira Lopes

    Entendi, valeu pelo esclarecimento. Creio que talvez ele tenha feito um movimento brusco com o carro quando pegava a bala e o policial o pegou bem nessa hora, talvez eu tenha me precipitado

  • Bob Sharp

    Bikentusiasta
    Essa do “ponto fora da curva” é o grande quebra-galho dos estatísticos quando alguma coisa sai errada….Baseio-me na minha experiência sim, por que não? Vocação para papagaio é que não tenho. Esse seu professor de biologia, cirgurgião bam-bam-bam etc usa a mesma lógica de a aranha escutar pelas pernas, em que cortando-as o aracnídeo não atende ao chamado…Quer dizer então que se o marido não fuma o cônjuge nunca contrairá câncer! Legal essa, hein!

    • Bikentusiasta

      Bob
      Realmente não entendo a sua lógica. Se a experiência de alguém com o cigarro foi ruim então ela está errada pois não é igual à sua. Se eu falasse que qualquer pessoa consegue pedalar 36 km por dia você ia cair matando porque eu estaria fazendo uma generalização absurda e seria um ponto fora da curva por conseguir fazer isso.

    • RoadV8Runner

      Bob,
      Acho que eu e você fazemos parte dos 0,00000002% da população mundial que não acreditam que o cigarro faz tanto mal assim… E aquela de que os filhos de fumantes se tornarão fumantes no futuro também não cola. Meus pais eram fumantes e nem eu, nem minha irmã somos fumantes.
      Acho estranho o comportamento da maioria em não questionar a fundo alguns conceitos muito duvidosos, sob a alegação de que não são especialistas no assunto. Não sou especialista em nada, mas tenho um tal de senso crítico que me permite questionar tudo que me chega de informação.

      • Bob Sharp

        RoadV8Runner
        Comigo foi diferente, meus pais não fumavam e quando no ônibus alguém acendia um cigarro eu esticava o pescoço para curtir aquele cheiro agradável.

  • Renan V.

    Policial ferrarista e sem-vergonha. Só pode.

  • Carlos Spindula

    Acho que não adianta nada se o policial for mesmo corrupto. É só chamar o “elemento” para uma conversa fora do alcance da câmera, é isso que eles fazem quando estão com más intenções, infelizmente…

  • Giovanni Leonardo Ferreira

    Fui multado certa vez quando entrei em uma blitz e desliguei o farol mantendo apenas o farolete aceso e acendendo a luz interna. O policial mandou seguir sem falar nada e depois recebi a multa por transitar de farois apagados.

  • Bob Sharp

    Giovanni
    Que loucura. O policial que fez isso é safado mesmo, mau caráter.

  • Pedro

    Na hora que comecei a ler imaginei que o “policial ia acusá-lo de comer a bala de menta para esconder o hálito de álcool e escapar da lei seca…

  • Newtonean

    Acho pouco provável que a multa tenha sido pelo consumo da guloseima ao volante. E se o motorista realmente deixou de olhar à frente e de segurar o volante por um longo período, buscando o petisco, abrindo a embalagem e o policial viu a prolongada desatenção? Eu quase saí da estrada certa vez ao trocar um CD, o bendito escapou da minha mão e me abaixei para apanhá-lo. Quando olhei o estava com duas rodas no acostamento. Se ali houvesse qualquer obstáculo ou pessoa teria havido consequências.