Kia Soul - AUTOentusiastas 33  KIA SOUL, NO USO Kia Soul AUTOentusiastas 33 e1417453980330

Carro design! Adoro a criatividade dos marqueteiros. E na maioria das vezes funciona bem. O design, ou desenho da carroceria como preferimos aqui no Ae, ou ainda simplesmente estilo, é um dos primeiros filtros nas nossas decisões de compra. Talvez, antes do desenho venha a categoria ou segmento. Mas o fato é que parte do nosso desejo vem de um desenho bem feito. Embora não seja o primeiro de sua espécie — há o Nissan Cube e o Toyota/Scion xB — o Soul é bem mais resolvido.

Difícil é definir o Soul. A Kia o denomina crossover urbano, cruzamento de segmentos, no caso de um suve com hatch (?). Mas para mim o que mais importa é que o carro tem o seu caráter. Seu desenho desperta atenção, uma certa curiosidade, e uma pitada de desejo pelo fato de ser praticamente único. Ainda mais num mundo onde a aparência é mais importante que a verdade.

O Soul chegou ao mercado em 2009 e no final de 2013 foi atualizado com o lançamento da segunda geração com desenho completamente novo, que chega agora no Brasil. Num olhar menos atento parece até apenas uma atualização, mas na verdade o carro é todo novo. E o desenho agora foi feito no estúdio da Kia na Califórnia, o melhor lugar para se criar produtos descolados. Descolado? Sim, não encontro termo melhor para descrever o Soul.  Os mais conservadores de fato não devem ter interesse algum no Soul, mas eu admiro a Kia por fazer algo fora da mesmice.

 

Parece o mesmo, mas é totalmente novo  KIA SOUL, NO USO Kia Soul AUTOentusiastas 34

Parece o mesmo, mas é totalmente novo

Agora o desenho está mais maduro, com linhas mais suaves mas ao mesmo tempos com um aspecto mais robusto e mais sofisticado. O destaque é para as enormes rodas de 18 polegadas que preenchem muito bem as caixas de roda. Apesar do formato mais quadradinho não há cantos retos no Soul. E um dos elementos que mais me atrai é o formato dos vidros laterais que dá a impressão de uma caída no teto, mas na verdade a linha de cintura é que é inclina para cima e a linha superior dos vidros inclinada para baixo. Tudo isso acentuado pela inclinação do pára-brisa. Me remete ao teto do Nissan GT-R. Resumindo, o carro design está mais design ainda.

 

Eu gosto de guardar bem as primeiras impressões quando sento ao volante de um carro de teste. Minha experiência mostra que algumas dessas impressões, principalmente as negativas, podem ir se abrandando conforme o tempo de uso. A gente vai se acostumando e entendendo melhor a proposta do modelo. Mas quem senta ao volante de um candidato a compra na concessionária não tem esse tempo de adaptação, então a primeira impressão é a que vale.

No Soul o desenho do interior e o capricho se destacam logo de cara. Partida com botão, bancos de couro com costuras aparentes, assim como o volante e a cobertura do instrumentos e a qualidade dos materiais, são alguns destaques positivos. Olhei para o sistema de áudio e vi uma telinha bem pequena. Logo pensei que não havia câmera de ré e nem sistema de navegação. Descobri que há a câmera mas a navegação continuará sendo feita pelo Waze, no smartphone.

Muitas das vezes eu ate prefiro o Waze do que o sistema do carro! Não vejo a hora de unificarem todos os sistemas de navegação, pois alguns são chatos de usar. Outro ponto é a altura do banco, ponto H, bem elevada. Posição de comando (!) como nos suves.

No post do Uno Way, quando falei sobre suves, muitos defenderam a categoria, então acho que há muitos autoentusiastas que gostam de altura. E os não autoentusiastas então? Minha esposa adorou! E apesar de todo o ambiente mais sofisticado, o painel de instrumentos é pobre. Na hora eu lembrei do Uno.

 

Além do capricho, o espaço interno é fantástico. É um verdadeiro salão, uma excelente escolha para quem precisa ou gosta de espaço. O carro é largo, com 1.800 mm, com bancos muito confortáveis, poltronas. “PK atrás do PK” dá e sobra. Mas antes de sair rodando, só de ver as rodas gigantes e os pneus 235/45 R18 imaginei que o conforto seria comprometido. Que nada! A suspensão foi um dos principais pontos de melhoria na parte mecânica. O arranjo trivial, com McPherson na frente e eixo de torção atrás, conta agora com amortecedores melhores e reposicionados , novas buchas e embuchamento do subchassi dianteiro. Além disso há o monobloco bem rígido.

Como resultado tem-se um rodar muito confortável e silencioso mesmo em pisos muito ruins. Em um carro tão alto, com 1.613 mm de altura, era de se esperar uma rolagem maior, o que não ocorre. Os freios a disco ventilado na frente e simples atrás são perfeitos. E a direção, com assistência elétrica, tem três níveis de assistência, normal, comfort e sportEu imagino que acima de certa velocidade o modo sport entre automaticamente, pois quase não senti diferença entre os modos.

 

Mas se estilo, conforto e equipamentos estão em um nível excepcional, em desempenho o Soul é apenas mediano. Eu entendo o dilema da Kia, que não deve ter uma cota de importação com menos IPI, pois não tem fábrica no Brasil. Lançar um carro novo, importado, sem benefício fiscal e com câmbio desfavorável e ainda assim agradar a todos, é uma tarefa bem difícil. Então, já que o Soul (que poderia se chamar Body) tem apelo mais voltado para o visual,  teve-se que economizar no coração.

O conjunto motriz é composto pelo conhecido 4-cilindros de 1,6 litro flex com 122/128 cv (G/A) lá em cima, a 6.000 rpm, e 16 m·kgf de torque a 4.500 rpm com gasolina e 16,5 m·kgf a 5.000 rpm com álcool e uma caixa automática convencional de seis marchas. Difícil fazer milagre com esse conjunto, então a caixa acabou sendo mais ajustada para o conforto, com trocas bem suaves e muito silêncio interno.

Os 1.392 kg de peso não ajudam no desempenho. No entanto para os mais pacatos, a grande maioria dos motoristas, vai bem. O motor do Kia Sportage, 2-litros de 169 cv, cairia como uma luva no Soul, principalmente porque já está disponível em outros países.  O preço parece bem salgado, R$ 88.900 mais frete, ou R$ 92.900 incluindo o teto solar. Eu disse parece salgado pois é tudo uma questão de referencial. Eu vejo o MINI Countryman com o mesmo tipo de apelo do Soul, mas ele parte de R$ 126.000. Está certo que tem um motor turbo de 184 cv e muito mais esportividade, além de ser um BMW.

 

Resumindo: dentro da dificuldade que é trabalhar com modelos importados a Kia fez o melhor possível com um pacote equilibrado que se destaca pelo estilo e conforto para pessoas que gostam de sair da mesmice e de posição de dirigir elevada. O Soul é um carro versátil que agrada tanto os mais jovens, com estilo de vida ativo, quanto os casais com filhos.

Gostei: estilo / conforto / espaço interno / qualidade construtiva
Não gostei: desempenho apenas suficiente / painel de instrumentos simples demais

 

Narciso?  KIA SOUL, NO USO Kia Soul AUTOentusiastas 21

Narciso?

PK

Fotos: autor

Vamos dar uma volta no Soul?

 

 

Veja a ficha técnica e a lista do principais equipamentos do Soul.  Em seguida, mais fotos.

 

FICHA TÉCNICA KIA SOUL 2015
MOTOR
TipoIgnição por centelha, 4 tempos, flex
InstalaçãoDianteiro, transversal
Material do bloco/cabeçotealumínio/alumínio
N° de cilindros / configuração4 / em linha
Diâmetro x curso77 x 85,4 mm
Cilindrada1.591 cm³
AspiraçãoAtmosférica
Taxa de compressão12:1
Potência máxima128 cv a 6.000 rpm (A)
122 cv a 6.000 rpm (G)
Torque máximo16,5 m·kgf a 5.000 rpm (A)
16 m·kgf a 4.500 rpm (G)
N° de válvulas por cilindro4
N° de comando de válvulas /localização2 / cabeçote
Formação de misturaInjeção eletrônica no duto
ALIMENTAÇÃO
CombustívelGasolina E20/25, 95 octanas RON
TRANSMISSÃO
Rodas motrizesDianteiras
CâmbioAutomático epicíclico
N° de marchas6 à frente e uma à ré
Relações das marchas1ª  4,400:1; 2ª  2,726:1; 3ª 1,834:1; 4ª 1,392:1; 5ª 1,000:1; 6ª 0,774:1; ré 3,440:1
Relação de diferencial3,957:1
FREIOS
De serviçoHidráulico, duplo-circuito em diagonal, servoassistido, ABS com EBD
DianteiroDisco ventilado
TraseiroDisco sólido
SUSPENSÃO
DianteiraIndependente, McPherson, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
TraseiraEixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
TipoPinhão e cremalheira, assistência elétrica
Diâmetro mínimo de curva10,6 m
RODAS E PNEUS
RodasAlumínio 7J x 18
Pneus235/45R18V
PESOS
Em ordem de marcha1.392 kg
Carga máxima448 kg
CARROCERIA
TipoMonobloco em aço, 4 portas e  5 lugares
DIMENSÕES EXTERNAS
Comprimento4.140 mm
Largura sem espelhos1.800 mm
Altura1.613 mm
Distância entre eixos2.570 mm
Bitola dianteira/traseira1.560/1.573 mm
Altura mínima do solo150 mm
CAPACIDADES
Porta-malas686 litros
Tanque de combustível54 litros
DESEMPENHO
Velocidade máxima180 km/h (est.)
Aceleração 0-100 km/h12 s (est.)
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL
Cidade (dado de fábrica)6,7 km/l (A) e 8,4 km/l (G)
Estrada (dado de fábrica)9,4 km/l (A) e 11,2 km/l (G)
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 em 6ª40 km/h
Rotação do motor a 120 km/h em 6ª3.000 rpm
Rotação do motor à velocidade máxima (em 5ª)5.800 rpm

 

PRINCIPAIS EQUIPAMENTOS KIA SOUL 2015
CONFORTO & CONVENIÊNCIA
Abertura do capô com auxílio de molas a gás
Abertura interna da tampa de combustível
Ar-condicionado digital com ionizador
Banco traseiro rebatível e bipartido para ampliação do porta-malas
Botão Start/Stop para partida do motor por reconhecimento da chave Smart Key
Chave Smart Key para abertura das portas, porta-malas e acionamento do alarme
Computador de bordo com 4 funções
Console central com descansa-braço, porta-objetos e porta-copos
Console no teto com porta-óculos e luzes de leitura
Descansa-braço no banco traseiro com porta-copos (2)
Encostos de cabeça dianteiros e traseiros com ajuste de altura
Para-sóis com espelho, porta-tíquetes, extensão lateral e iluminação no teto
Porta-luvas climatizado com abertura amortecida e iluminação
Porta-revistas no encosto do banco do passageiro dianteiro
Rádio MP3 player com controles no volante, My Music, entrada auxiliar,
USB e para iPod
Revestimento de couro nos bancos, volante, manopla do câmbio e painéis das portas
Sistema de som com 4 alto-falantes e 2 tweeters
Termômetro do ar externo no painel de mostradores
Tomada auxiliar de energia 12 V (console central)
Volante de direção com regulagem de altura e profundidade
EXTERIOR E ESTILO
Espelhos retrovisores externos com rebatimento elétrico, aquecimento e setas integradas com LEDs
Faróis de neblina com lentes de policarbonato
Lanternas dianteiras e traseiras com LED
Limpador do pára-brisa com acionamento intermitente de freqüência variável
Rack no teto
TECNOLOGIA E SEGURANÇA
Bluetooth com controle de chamadas no volante
Bolsas infláveis frontais, laterais e de cortina
Câmera de ré com visor no mostrador do rádio
Cintos de segurança de 3 pontos (todos)
Cintos dianteiros com pré-tensionadores, limitadores de carga e regulagem de altura
Direção com assistência elétrica com 3 modos de direção (normal/conforto/esporte)
Freios a disco nas 4 rodas com ABS e EBD (ventilados na dianteira)
Indicador de condução econômica Eco Driving (se ativado Eco On)
Sensores de aproximação no pára-choque traseiro
Sistema de proteção contra descarga da bateria
Sistema Isofix para fixação de bancos infantis

 

Mais algumas fotos

 

 

 

Sobre o Autor

Paulo Keller
Editor Geral

Engenheiro mecânico com pós-graduação em marketing e administração de negócios iniciou um grupo de discussão sobre o mundo do automóvel no final dos anos 90. Em 2008 percebeu que a riqueza do conteúdo desse grupo não deveria ser restrita aos seus integrantes e então criou o blog AUTOentusiastas. Seus posts são enriquecidos com belas fotos que ajudam a transmitir sua emoção e sensibilidade. Além de formatar e manter as mídias sociais do site. Visite: www.paulokeller.tumblr.com.

Publicações Relacionadas

  • joao vicente da costa

    PK, fiquei com uma dúvida: vc lembrou do painel do Uno pq. é tão pobre quanto o desse Kia Soul?

    • JVC, exatamente o contrário. O Uno tem um mostrador digital super completo! abraço.

  • CorsarioViajante

    O preço é irreal. Não consigo imaginar nada que faça alguém comprar este carro exceto uma paixão incrível pelo seu desenho externo.

    • R.

      Meu caro Corsário
      Estou contigo e não abro!
      Nesse preço as vendas do Soul vão minguar.
      Já não existe mais o apelo novidade dos primeiros que, além disso, tinham um preço mais condizente.

  • Rafael Malheiros Ribeiro

    Sempre achei que o termo “carro design” resume bem o Kia Soul, ele é isso mesmo. Na prática, não gostei muito dele quando experimentei o da minha irmã por algumas vezes, não me “vestiu bem”, parecia aquele dilema do pato, que faz tudo mas não voa, nada ou anda bem… Ele é muito legal como exercício de design mesmo.

    Ela acabou desistindo do carro depois do segundo pneu, de perfil bem baixo, arrebentar numa de nossas “magníficas” vias e não encontrar o mesmo para reposição. A medida simplesmente não existia no Brasil quando de seu lançamento! Na primeira vez a concessionária “canibalizou” um pneu de um carro 0km que estava com problemas no pátio. No segundo, teve que procurar muito pelo Brasil, até achar ficou sem carro por uns dias…

    • Rafael, o da sua irmã já é desse novo? Eu não dirigi o anterior, mas quem andou nos dois disse que a diferença é gritante. Abraço.

      • Rafael Malheiros Ribeiro

        PK, ela comprou no lançamento, não desse modelo novo, que certamente foi aperfeiçoado em vários aspectos e deve ter melhorado mesmo. Mas continua a ter como ponto forte o design, em minha opinião muito bacana mesmo.

  • ccn1410

    Se tem coisa que não me faz a cabeça é comparativo de carro. O que gosto mesmo é ler os artigos e depois eu mesmo comparar, sem que alguém me faça a cabeça por esse ou aquele.
    Não é birra com o texto que foi muito bem escrito, mas depois de ler o post do Golf em 30/11/2014, parece que o Soul não tem graça. A diferença entre um e outro é gritante.
    É claro que ele é bonito, minha mulher certamente iria querer um, mas aqui em casa, até pelo preço, é carta fora do baralho.
    Não vale quanto pesa, apesar de nem o Golf valer.

  • Victor

    Por que não um manual, pra aproveitar melhor o motorzinho né?

    • Porque a maioria das pessoas prefere o conforto!! Abraço!

  • Marcos Alvarenga

    Confesso não ser minha praia, achava um carro puro “design”, mas sem “soul”, com o perdão do trocadilho. Não imaginava esse espaço interno todo para passageiros e bagagem.

    Pra quem não exige desempenho e tem família, mas gosta de ser visto como “Descolado” até que seria uma boa pedida:

    Sem sal, mas com “soul”.

  • Boni

    Ótima avaliação, PK, como sempre. Muito detalhada e com ótimas fotos.

    Em tempo: Uma heresia pagar quase 100K em um carro com um motor desse e que, sinceramente, me lembra uma bota ortopédica. (Ok, há quem ache bonito…)
    Para mim, cai no mesmo dilema do Veloster que foi descontinuado.

    Abraços,
    Boni.

    • Boni, bem lembrado. O Sou está para a Kia assim como o Veloster está para Hyundai. Eu quase coloquei isso no texto. Abraço!

  • guest

    O preço parece bem salgado, R$ 88.900 mais frete, ou R$ 92.900 incluindo o teto solar. Eu disse parece salgado pois é tudo uma questão de referencial…
    Tomando referenciais de design, dimensões e desempenho, o Citroen C3 Picasso custa quase metade disso…

  • Lucas dos Santos

    Realmente o design do carrinho é bastante marcante. Mas eu ainda não consegui me acostumar com essa tendência de hatches com “traseira reta”, como a desse Kia Soul, do Suzuki Swift e do Citroën DS3. Não me agrada, por mais funcional que seja.

    Quanto ao painel, eu adorei a simplicidade dele – mesmo que fuja da proposta “carro-design”. Se bem que eu sou suspeito para falar, visto que eu tenho uma preferência por estilos espartanos e minimalistas…

    O vídeo ficou excelente. Mostra o carro em um ambiente mais urbano, condição a ser enfrentada com mais frequência pelo veículo. Nota dez pelo vídeo!

    Embora eu tenha entendido perfeitamente o sentido desta frase, ainda assim acho que se criou uma ambiguidade ali: “Lançar um carro novo, importado, sem benefício fiscal e com câmbio desfavorável e ainda assim agradar a todos, é uma tarefa bem difícil“.

    • Lucas! Legal a observação sobre a frase. Abraço!

  • Christian Bernert

    Cada detalhe do desenho deste Soul é incrivelmente caprichado. Dá gosto de olhar. Sem dúvida uma dádiva para quem aprecia design. E pode pagar. Até o capricho da foto é digno de nota. Fiquei surpreso com as linhas de encaixe dos para-choques sendo seguidas pelas linhas dos raios das rodas. E elas foram propositalmente alinhadas para a foto, com logomarca na horizontal e tudo.
    Gostei do post PK!

    • Muito bem notado Christian! Que capricho mesmo. Eu não tinha reparado. Abraço!

  • Mr. Car

    Painel simples. Keller, mas relativamente completo. Tem até o marcador de temperatura, que muito carro bem carinho não oferece. Não desgosto do Soul, só não faz meu tipo. Por esta grana fico mesmo com um bom sedã, ou no estilo “quadradinho”, um Jeep Renegade.
    Off-topic: voltei do interior, pessoal. E mais: voltei com vontade de voltar a morar por lá, he, he! Já na chegada ao Rio, fui “recepcionado” com um tremendo engarrafamento, e com a notícia de mais duas (uma fatal) vítimas de balas perdidas, no lado de fora do do cemitério do Caju. Outro dia mesmo estive lá, para o enterro da sogra da minha irmã. Malditas metrópoles!

    • ccn1410

      Bem que faz. A tranquilidade no interior vale a pena.

    • Eduardo Copelo

      Interior é tudo de bom. Cada vez que vou, menos tenho vontade de voltar! E olha que nem é tão longe. Petrópolis, Friburgo… Qualidade de vida que se perdeu por essas bandas da Cidade Maravilhosa(?), é só carro, trânsito, estresse, notícia ruim, morte…

      Quanto ao Soul, a versão antiga não gosto nem desgosto. Essa nova… benza Deus, ô carrinho feio! Gosto é subjetivo, mas esse novo Soul é bem esquisitinho, fora que em termos de custo x benefício, tá bem ruinzinho, 92 mil já dá pra entrar na faixa de carros bem mais interessantes!

    • R.

      Boas-vindas Mr.Car !
      Sentimos sua falta e de seus comentários sempre temperados com uma grande dose de bom-humor e amistosidade.
      Espero que tenha curtido suas férias e principalmente o prazer de dirigir Brasil afora!
      Outro dia saiu uma reportagem no Ae sobre o Novo Logam …
      Claro que todos lembramos de você!
      Abraços

      • Mr. Car

        Curti sim, R. Valeu. Já li a matéria sobre o Novo Logan e postei uma mensagem ao Arnaldo Keller.
        Abraço.

  • Curió

    Dou risada dessa coisa de botão de partida. Não serve pra absolutamente nada, é mais lento e mais sujeito a problemas, além de a partida pela chave ser posterior a esse sistema. Todavia, é legal pra mostrar pro vizinho… Um grande amigo meu tem um Passat da geração anterior à atual, bem recente ainda. Motor 2.0 TSI, câmbio automático de 6 marchas, interior luxuoso… A partida funciona colocando a chave dentro de um receptáculo e apertando um botão ao lado. Não era mais fácil e prático girar a chave? Além de bem mais rápido… Gostei da avaliação, e particularmente do trecho que diz que vivemos num mundo onde a aparência é mais importante que a verdade. Assino embaixo.

    • CorsarioViajante

      Também não gosto deste sistema. Mas acho que alguns tem tamanho horror à todo trabalho físico que acham mais digno apertar um insosso botão do que fazer força para virar uma chave. Eu já acho extremamente prazeroso o momento de dar a ignição, de dar vida ao carro.

      • Curió

        Tem um pequeno Agrale na fazenda do meu avô, motor não me lembro se de 900 ou pouco mais cilindradas a diesel. Ele esteve durante anos sem sistema de partida por motor de arranque – mas também pudera, nem farol o coitado tinha mais. A segunda marcha das quatro, engatada para cima, tem de ser segurada no lugar para não desengatar. A partida era, obviamente, no “tranco”. Ele esperava parado em cima de alguma ladeira, a gente soltava o bicho, virava a chave na posição de ligado, pisava na embreagem com a segunda engatada, levantava a alavanca do afogador e depois do embalo, acoplava o disco. Era um fumação e um barulho que nem pareciam de um trator tão pequeno. E era legal, bem legal!

    • Leonardo Mendes

      Uma vez um 508 que estava aqui no showroom ficou sem gasolina.
      E pra desligar o “contato”, que ficou tudo aceso (luzes espia, etc.)? Tivemos que colocar gasolina, ligar e desligar.

      • Bob Sharp

        Leonardo
        Que história!

    • César

      Concordo! E eu louco por uma moto em que pudesse dar a partida “na chave”, mas infelizmente ainda não há.

      • Lucas dos Santos

        No caso das motos, li (acho que foi aqui mesmo no Ae) que elas têm partida por botão a fim de possibilitar que o piloto ligue a moto mantendo ambas as mãos no guidão. Nesse caso, faz sentido.

    • Lucas dos Santos

      Partida por botão só faz sentido em carros que utilizam chave-cartão ou sensor de presença (ou sei lá como se chama aquilo).

      Se a chave for “comum”, não há razão para ter o tal botão.

    • Nando

      Meu carro tem o tal botão e eu também o dispensaria sem dó, junto com o acendedor automático de faróis e o limpador de pára-brisa automático.

      Uma vantagem teórica do botão é proteger o motor de arranque e seus sistemas, pois o botão evita que um motorista inábil mantenha o arranque acionado com o motor já funcionando, o que acontece muito mais do que se imagina.

    • Eu acho um item de conforto. Não é uma necessidade. Mas não precisar tirar a chave do bolso nem para abrir as portas ou para travar quando deixar o carro é legal. E é bem mais rápido para entrar, ligar e sair andando. Mas ao menos para mim não é fator decisivo de compra.
      Abraço, PK

    • Christian Bernert

      Curió, permita-me discordar.
      É a melhor coisa que já inventaram. Isto, claro, associado à abertura e travamento das portas sem o uso da chave também. Funciona assim: De manhã cedo você poe a chave no bolso da calça e esquece. Destrava o carro e entra sem precisar dela. Liga o carro sem ter que tirar ela do bolso. Fecha o carro e trava as portas da mesma forma. Abre o porta-malas sem ter que apertar nada mais. Pega aquele monte de tralhas, bolsa, mala, caixa e consegue travar o carro sem ter que por tudo no chão outra vez. É uma maravilha de praticidade. Nunca mais quero nada diferente.
      Só tem um probleminha, uma vez deixei o carro no estacionamento e fui embora. Duas quadras depois fui alcançado pelo manobrista ofegante que vinha correndo atrás de mim. Eu havia esquecido de deixar a chave…

  • Fabio Vicente

    Eu sou um entusiasta que gosta de minivans. Mas suvs, essas comigo sem chance. Exceção para o Range Rover e o Mercedes G-Class.
    Assim como não vejo qualquer atrativo neste Kia Soul. Para mim um modelo desnecessário. Não compraria um desses nem se fosse o último modelo da face da terra. Mas respeito a opinião de quem gosta ou compra. Afinal, gosto é pessoal.

    • Minivan é o melhor tipo de carro para levar passageiros confortavelmente. E realmente, gosto é difícil de se discutir. Abraço!

  • Leonardo Mendes

    O Soul me remete muito ao PT Cruiser.

    • César

      Pode até ser, mas justiça seja feita: o Chrysler é muito mais bem resolvido em termos de design e de charme… Aliás, para mim, o mais original “retrofit automotivo” já feito.

      • Leonardo Mendes

        Concordo plenamente.
        Adoro o estilo “mafioso” dele.

      • Olho Vivo

        Me lembrei do game “Cruisin USA”, e daquele programa Supermami… por acaso ela, a atriz, dava um caldo…

  • R.

    PK
    Lindas as fotos em PB …
    É no Guarujá ?

    • R! Sim, no Guarujá e no caminho de ida e volta de São Paulo. Todas as fotos com celular.
      Abraço.

  • Luciano Gonzalez

    É um carro que conheço bem pouco, não me desperta o mínimo interesse… as mulheres devem gostar

  • R.

    PK
    Eu adoro relógios e nao pude deixar de reparar no seu …
    Nao sei a marca, mas é lindo e elegantíssimo!
    Cool !

    • CCN-1410

      Somos dois, hehehe…

  • Belford

    PK isso é um big UNO!

  • Ilbirs

    Sobre usar Waze na tela do sistema de som do carro, é importante falar que fora do Brasil o Soul de segunda geração é o primeiro carro a usar Android Auto:

    O que achei genial desse sistema é o de, a exemplo de um MyLink, usar o próprio celular em vez de usar GPS embutido, mas usar os próprios aplicativos do celular. Pelo que falam, o Android 5.0 já está pronto para isso, mas versões anteriores poderão fazer o mesmo usando um aplicativo específico.
    Por ora eles só mencionaram o navegador do Google como suportado, mas é de se imaginar que irão criar ou já criaram algum aplicativo que permita que o Waze rode.

    • IIbirs, valeu pela dica. Não vejo a hora desse sistema chegar por aqui. Abraço!

  • Nando

    Texto muito bem escrito, parabéns! Acho muito legal essa habilidade que você(s) tem de analisar criticamente o carro pelo que ele é, deixando de lado o gosto pessoal. Eu não conseguiria analisar um carro como o Soul com tanta isenção.

    O Soul é um dos maiores representantes da tendência em que “parecer” é mais importante que “ser”, e só isso já basta para eu descartá-lo como opção. Não consigo encontrar nenhum argumento lógico e racional para defender a compra de um carro altíssimo (porém sem qualquer habilidade especial para sair do asfalto), com motor ridiculamente fraco, sem qualquer luxo ou conforto acima da média (equiparável a uma simples minivan) e com que custa o mesmo que um sedã médio em versão de topo. E, de verdade, nem acho bonito. Se é para escolher um carro-imagem, tem coisa muito melhor desenhada no mercado.

  • Sabe que cheguei a pensar nisso! Abraço!

  • Caramba! É um Fossil. Abraço!

  • Ronaldo Nazário

    Até que enfim! Como eu queria saber o que o pessoal Kiassoul desse carro!
    Ronaldo Nazário

    PS.: Era melhor terem feito hospitais mesmo…

    PS II.: Depois da Copa, as Olimpíadas vêm aí, e o sucesso junto! Bianca está apostando que tomaremos de 4!

  • joaoamc

    Kia “Souicídio”, pelo preço. A que ponto chegamos e onde ainda vamos parar?

  • Bob Sharp

    Nando
    Só para você e os leitores saberem, essa característica da seqüência automática de partida não é devida ao botão, mas ao esquema elétrico. Alguns carros que testei recentemente (preciso dar uma busca para saber quais) tinham interruptor de partida pela chave e ela também era automática.

    • Nando

      Obrigado pelo esclarecimento, Bob!

      Portanto, concluo que realmente a partida por botão é só perfumaria. Hoje em dia os carros tem certos luxos que são totalmente dispensáveis, como os que já citei acima. A verdadeira experiência de se dirigir o carro, da sensação ao volante, está perdendo importância frente às perfumarias. Outro dia um amigo me disse que nunca compraria determinado modelo de sedã porque a central multimídia não era “touch”, dá para acreditar??

    • Lucas dos Santos

      Bob,

      Um dos carros testados pelo Ae que eu lembro que tinha partida automática foi o Fox BlueMotion:

      • João Carlos

        Safira e Vectra III também vinham com esse sistema nos últimos anos de produção, nas versões automáticas.

  • juvenal jorge

    Paulo,
    é um carro bacana, só precisava ter uma versão básica sem telinhas, com rodas e pneus do tamanho correto e com câmbio manual.
    Seria uma bela opção, mas por uns 30 mil a menos, no mínimo. Como está, é um total absurdo.

  • Sarcástico

    O Veloster!

  • Ana Carolina

    Se o Uno era um carro-sapato, esse é um sapatão!

  • Dieki

    O carro aumentou o preço em quase 50%, perdeu todo o mercado. Eu via vários deles todos os dias, todas as mulheres queriam um. Mas com esse preço, sem chance.

  • Rogério Ferreira

    Sabe o que existe de curioso na linha Kia oferecida no Brasil? Eles tem o melhor e o pior carro do mercado. De um lado a perfeição mecânica e aerodinâmica, a beleza e fluidez das linhas do Cerato, (um dos poucos a ter opção de cambio manual de 6 marchas) De outro tudo aquilo que um carro não pode ser: pesado, feio e inimigo do vento. Este é o Soul. Sinceramente, quem opta por esse tipo de veículo, pensa apenas no tal “desgin diferenciado”, sem entender nada, mais absolutamente nada de carro, e por esse mesmo motivo, que são elas compram (me desculpe Nora, sei que não é o seu caso).

  • Orizon Jr

    O preço é tão alto e desqualificante que não consigo esfriar a cabeça para analisar o carro.

    PK, é nessas horas que vejo que mesmo entendendo bastante do assunto (esqueci a modéstia em casa hoje, desculpe), sou um completo amador perto de profissionais como o Mestre Bob e vc.

    Como disse um outro leitor (Nando). Sua análise e isenção no teste deste Soul foram impecáveis.

    Forte Abraço e Boas Festas

  • washington luiz

    Estive visitando várias concessionarias e por último deixei a Kia no dia 30 jul 2015 resolvi finalizar e partir para os finalmentes..0-km Jeep, i35, EcoSport e até mesmo o Mini Cooper, com esforço dava para chegar lá….mas faltava a Kia, o famoso Sportage, vi que o preço estava acima dos meus planos, o vendedor percebeu meu anseio e mostrou o Novo Soul 2014 com teto panorâmico e a telinha de 9 pol com DVD, TV etc, aro 18, valor R$ 85,9 mil. Todos os acessórios dos carros vistos anteriormente não chegavam ao novo Soul. Vamos falar do motor 1,6: amigos, com essas péssimas estradas e pardais para comer nosso dinheiro tão sacrificado: por que não aceitar 1,6 e curtir o carro sem altas velocidades? Foi o que fiz!
    Agora e só aguardar o contato para buscar e curtir o novo Soul.

  • CÁSSIO

    um belo e vistoso carro este da Kia , acredito que se tivesse aquele motor 1,0 3-cilindros turbo com uma faixa de torque bem plana ele seria o conjunto mecânico ideal pra ele aqui nestas bandas .