Inflador

Sob pressão dos agentes reguladores federais dos EUA, a fabricante de bolsas infláveis Takata Corp. pediu ajuda aos fornecedores concorrentes para produzir infladores de reposição para os clientes da empresa.

Numa declaração por e-mail, o porta-voz da fornecedora Alby Berman disse nesta quinta-feira que a empresa “está procurando várias outras opções” em complemento à produção expandida nas próprias fábricas da Takata.

Uma alternativa é terceirizar a produção por meio de fornecedores concorrentes. A TWR Automotive, terceira maior produtora de infladores da indústria, confirmou esta semana ter sido consultada pela Takata.

“Recebemos, de fato, uma consulta diretamente do nosso concorrente para ver se estaríamos preparados para fornecer infladores para ela”, disse o chefe da TRW John Plant durante uma reunião por telefone com analistas da indústria. “Claro, estamos dispostos a fazer isso para ajudá-los.”

Da mesma forma, durante uma reunião com analistas no dia 23 de outubro, Jan Carlson, chefe da Autoliv, deu a entender que a empresa poderia produzir alguns infladores extras. “Vimos algum negócio nisso como resultado dessa situação,” disse Carlson. Mas não ficou claro quanto de capacidade-reserva a Autoliv tem a oferecer.

“Estamos avaliando nossa capacidade para determinar como poderemos dar o melhor apoio a nossos clientes e consumidores,” disse Thomas Jonsson, vice-presidente da Autoliv de comunicação corporativa, num e-mail à Automotive News no dia 30 de outubro.

A Honda Motor Co., maior cliente da Takata, já passou algumas compras de infladores para a Daicel Corp., quarto maior produtor do item, de acordo com reportagem da Reuters no dia 18 de outubro.

Se tudo der certo, isso significa que os três maiores rivais da Takata — Autoliv, TRW e Daicel — poderiam fornecer infladores para ela. (Automotive News Daily)

Ae/BS

(80 visualizações, 1 hoje)