MINHA PRÓXIMA COMPRA, UM DILEMA – POR MARCUS LAHÓZ – 20/11/14

Minha “história de leitor” é, basicamente, sobre a minha próxima compra. Hoje dirijo um Kia Soul 1.6 manual. Meu carros anteriores foram: Xsara Picasso 2.0 automático, Tempra 16v, Stilo 1.8, Tempra 16v, Saveiro 1.8 GNV, Tipo 1.6 Turbo, Chevy 1.6, Kombi (dispenso informar o motor), Lancer GTi 1.8 e assim vai até onde consigo lembrar, mas começa com uma Ipanema 2.0 Sl/E 4 portas 1993. O Tempra 16v é o mesmo carro e está comigo até hoje; o Tipo pegou fogo mas apenas depois de ser turbinado, os demais foram sempre 100% originais.

Bom, mas o passado não importa (mas serviram para formar meu caráter em relação a gosto), o que realmente quero é expor a minha enorme dúvida para aquisição do próximo carro. Me considero um relativo conhecedor de automóveis e isso dificulta demais a situação.

Meu penúltimo carro demorei três meses para comprar (o Xsara), e como hoje não tenho pressa, espero uma procura próxima de seis meses (já estou há dois).

Dentro do que procuro, basicamente é: tem que ter um bom motor (o mais forte que o dinheiro puder comprar), ser bonito e caber no bolso. Minha irmã riu demais quando falei estes fatores. Dentro das questões técnicas, o que eu gosto é: câmbio automático epicíclico ou robotizado, motor turbo, rodas 16, suspensão independente, faróis duplos, luzes de neblina dianteira e traseira. O que não gosto: CVT, rodas gigantes e pneus de fita isolante, carros feios, posição de dirigir ruim e freio a tambor na traseira (apesar de que meus dois últimos carros têm este item).

Valor?! Entre 45 mil e 55 mil reais. Carroceria preferida hatch médio. Modelo almejado: Golf Highline — obviamente esta fora da faixa de valores, mas este seria o modelo ideal.

Assim comecei a procura, comecei olhando os sedãss, afinal eles são maioria e você acha modelos 2012 (sim podem ser usados mas não muito) na faixa de valores. Então separei alguns: Fluence 2012 CVT, 408 2012 automático, Civic 2.0 2012 automático, Corolla 2.0 2012 automático, Lancer 2012 CVT, Cruze 2012 automático, Focus 2012 automático, Linea 2013 robotizado, Sentra 2012 CVT.

Os valores que encontrei foram:

 

CarroValor
FluenceR$ 43.000,00
408R$ 43.000,00
CruzeR$ 54.000,00
CivicR$ 56.000,00
CorollaR$ 55.000,00
SentraR$ 41.000,00
LineaR$ 45.000,00
LancerR$ 58.000,00

Obviamente, quanto menor o valor do carro, maior será o dinheiro no meu bolso. Assim, quanto mais barato, melhor. Depois disso comecei outra pesquisa, a manutenção. Fiz uma tabela com o custo das revisões até 120.000 km em concessionárias, os valores são surpreendentes, e as diferenças também. Tabela abaixo:

 

Revisão/Carro Fluence 408 Cruze Civic
10.000R$         235,00R$         327,00R$         240,00R$         241,05
20.000R$         659,00R$         649,00R$         552,00R$         393,00
30.000R$         465,00R$         327,00R$         448,00R$         363,55
40.000R$         659,00R$         708,00R$         612,00R$         946,80
50.000R$         465,00R$         609,00R$         500,00R$         363,55
60.000R$         810,00R$         649,00R$         624,00R$     1.017,70
70.000R$         465,00R$     1.029,00R$         392,00R$         363,55
80.000R$     1.805,00R$         708,00R$         996,00R$     1.940,47
90.000R$         465,00R$         327,00R$     1.832,00R$         363,55
100.000R$     1.095,00R$         780,00R$     1.044,00R$         685,50
110.000R$         465,00R$         327,00R$         363,55
120.000R$         810,00R$         708,00R$         946,80
total 60kR$     3.293,00R$     3.269,00R$     2.976,00R$     3.325,65
total 80kR$     5.563,00R$     5.006,00R$     4.364,00R$   5.629,67
total 100kR$     7.123,00R$     6.113,00R$   7.240,00R$     6.678,72
Total 120kR$   8.398,00R$     7.148,00R$     7.989,07
 
Valor médioR$         699,83R$         595,67R$       724,00R$         665,76
 
Valor por kmR$     0,06998R$     0,05957R$     0,07240R$     0,06658

 

 

Revisão/CarroCorollaSentraLancerFocusLinea
10.000R$         175,59R$         309,00R$         374,00R$         248,00R$         256,00
20.000R$         452,59R$         559,00R$         374,00R$         388,00R$         568,00
30.000R$         311,59R$         309,00R$         374,00R$         492,00R$         612,00
40.000R$         653,78R$         759,00R$         497,00R$     1.160,00R$         776,00
50.000R$         311,59R$         309,00R$         374,00R$         548,00R$         468,00
60.000R$         473,00R$         559,00R$         374,00R$         748,00R$         839,00
70.000R$         311,59R$         408,00R$         374,00R$         632,00
80.000R$         653,78R$     1.634,00R$         960,00R$         952,00
90.000R$         350,00R$         408,00R$         374,00
100.000R$         870,00R$         757,00R$         566,00
110.000R$         350,00R$         408,00R$         374,00
120.000R$         670,00R$         757,00R$         374,00
total 60kR$     2.378,14R$     2.804,00R$     2.367,00R$   3.584,00R$   2.212,00
total 80kR$   3.343,51R$     4.846,00R$     3.701,00
total 100kR$   4.563,51R$     6.011,00R$     4.641,00
Total 120kR$     5.583,51R$     7.176,00R$     5.389,00R$   5.103,00
Valor médioR$         465,29R$         598,00R$       449,08R$         597,33R$         637,88
 
Valor por kmR$     0,04653R$     0,05980R$     0,04491R$     0,05973R$     0,04253

O Linea tem revisões a cada 15.000 km, assim, considerar: 15 mil, 30 mil, 45 mil, 60 mil, 75 mil, 90 mil, 105 mil e 120 mil quilômetros.

Algumas considerações: a GM não tem revisão com valor tabelado para o Cruze após 100.000 km; a Ford não tem revisão com valor tabelado para o Focus após 60.000 km.

Dias de pesquisa e muita paciência, analisei a tabela a fundo, pensei em diversos fatores, cheguei à conclusão de que ela não me serve de nada, afinal vou comprar um carro usado, e não faço revisão em concessionária. Assim, fiz a segunda tabela, agora das peças. Veja:

 

Peças/Carro Fluence 408 Cruze CivicCorolla
Farol direitoR$   1.210,15R$       970,00R$       395,00R$   1.086,00R$       660,66
Pastilha freioR$       270,00R$       333,90R$       265,00R$       255,00R$       171,10
Pára-choque traseiroR$   1.436,00R$   1.350,00R$       440,00R$       578,00R$       686,37
Bomba d’águaR$       358,70R$       309,00R$       550,00R$       634,00R$       560,00
Filtro de óleoR$         39,30R$         37,00R$           42,00R$         35,00R$         34,76
4 amorteced.R$   1.450,00R$   1.972,00R$   1.300,00R$   1.286,00R$       898,00
TotalR$   4.764,15R$   4.971,90R$   2.992,00R$   3.874,00R$   3.010,89

 

Peças/Carro SentraLancerFocusLineaJetta
Farol direitoR$       851,00R$       922,00R$       853,70R$   1.278,00R$   1.101,00
Pastilha freioR$       352,00R$       236,00R$       253,00R$         367,40R$       381,00
Pára-choque traseiroR$       870,00R$       605,00R$   1.314,30R$   1.121,00R$   1.188,00
Bomba d’águaR$       485,00R$   1.400,00R$       320,40R$   2.205,00R$   1.048,00
Filtro de óleoR$         37,90R$         20,00R$         36,50R$         38,00R$         57,00
4 amorteced.R$   2.308,00R$   1.104,00R$   1.460,00R$       872,00R$   1.880,00
TotalR$   4.903,90R$   4.287,00R$   4.237,90R$   5.881,40R$   5.655,00

Algumas observações: Fluence tem todas peças assim como o 408, Cruze, Corolla e Linea. Sentra não tem nenhuma peça (somente tem o filtro de óleo), Focus não tem o farol e nem a bomba d´água, Lancer não tem nenhuma peça (somente o filtro de óleo), Jetta tem somente o filtro de óleo, Civic não tinha a bomba d´água. Segunda observação: a bomba d´água do Linea é acoplada à bomba da direção hidráulica (deve ser este o motivo do valor).

Analisando friamente a tabela, o melhor das duas é o Corolla. E o por quê de termos um Jetta na tabela? Bom, o modelo 2010 está por R$ 49.000,00 é mais velho que os demais, mas possui suspensão independente, câmbio de seis marchas e o melhor motor do grupo todo. A grande desvantagem é que ele é mais antigo, mas nem por isso tem as peças mais caras. Não cotei as manutenções, pois, com certeza o modelo 2010 já está fora de garantia.

No meu mecânico todos os modelos possuem o mesmo valor para mão de obra. De acordo com ele, em nível de dificuldade para manutenção (na ordem de mais difícil para mais fácil): Fluence, Linea, Sentra, 408, Jetta, Focus, Lancer, Cruze, Civic e Corolla. O mesmo me recomendou o Corolla.

Após a tabela e a análise fui dirigir os carros, tirando o Corolla, Jetta e o Focus, todos os demais foram zero-km (é mais fácil fazer um test drive em um zero de depois comparar com o usado). O primeiro foi o Fluence, não gostei do carro, achei bem “banheira”, lento, e o câmbio quando não está em modo manual é ruim de agüentar; 408, testei o 6-marchas, gostei bastante, muito bom em todos os sentidos, o problema é que o usado é de quatro marchas; Cruze, talvez o que eu tenha menos gostado, parece um Opala 4-cilindros: lento e gastador (quem gosta de Opala pode comprar que é gosto certo); Linea, depois um tempo acostuma-se com o câmbio; bom carro, menor que os demais, mas muito bom de dirigir; Civic, é o queridinho, bonito anda bem, bom de curva, mas não me empolga. Corolla, considero ele perfeito, câmbio bom, motor bom, suspensão boa, bonito, mas é sem graça; Sentra, quase o Corolla mas o câmbio é terrível, nem opção para manual tem: você sai no semáforo a 4.000 rpm com menos de meio acelerador; Lancer, o melhor CVT de todos, sobe pouco giro, rápido, carro gostoso; Focus, não gosto de Ford, todos que eu tive me deram problemas, achei o carro mais ou menos, sem sal e sem açúcar; Jetta, este é bom, motor ronca igual ao Marea 5-cilindros, anda bem, câmbio bom, suspensão idem e eu considero ele bonito (até mais que o novo).

Nos testes tive a oportunidade de dirigir um Fluence GT Turbo, este sim é bom, o controle de tração poderia atuar um pouco menos, mas é bom demais o carro (por 90 mil reais tem que ser bom mesmo).

Após duas semanas juntando tudo e pensando em tudo, cheguei à seguinte conclusão: Fluence GT usado a R$ 58 mil é bom negócio, Jetta 2010 é bom negócio, Linea é bom negócio. O que eu não compraria: Corolla, Cruze e Focus. Os demais seguem em banho-maria.

Mas há outra questão, não gosto de sedãs médios (mas gosto de carros grandes como Fusion e Passat) e nenhum deles é turbo. Então agora estou na dúvida entre um Golf GTI 2009 e um Passat 2010. Assim temos: Fluence GT, Jetta, Passat, Golf e Linea no páreo. A lista vai diminuindo e eu continuo a busca e a pesquisa.

ooooo

Sobre o Autor

AUTOentusiastas

Guiado por valores como paixão, qualidade, credibilidade, seriedade, diversidade e respeito aos leitores, o AUTOentusiastas desde 2008 tem a missão de evoluir e se consolidar como um dos melhores sites sobre carros do Brasil. Seja bem-vindo!

Publicações Relacionadas

  • CCN-1410

    Fluence GT, Jetta, Passat, Golf e Linea no páreo.

    Conclusão: O autor é fã da VW.

    • marcus lahoz

      Olha, só tive um VW na vida. Eu sou fã de carro bom. Seja da marca que for.

  • Thiago Teixeira

    Muito racional…

  • Jr_Jr

    Como entusiasta tenho o mesmo problema, as listas ficam até engraçadas, porque passam por todas as categorias e as vezes a conclusão é contrária a tudo que se pensou, rs.
    Ande com todos e compre o que proporcionou mais prazer.
    Carro tem que lhe fazer feliz e desde que os seus custos não sejam excessivamente maiores que os concorrentes (da sua lista pessoal) vai no que mais lhe agrada.
    Uma coisa que tenho como certa é que não vou ficar frustrado com um carro que eu não queria para economizar determinado valor por ano.

  • Bruno L. Albrecht

    E os T-Jet? Punto e Bravo?

    • marcus lahoz

      Câmbio manual,estou procurando um de câmbio automático. Mas como carros são bons demais.

  • Pietro

    Fiz a mesma pesquisa quando troquei de carro em janeiro deste ano, mas com valores até 25.000 reais. Também gosto de suspensão independente, freio a disco nas quatro e motor com alta potência específica. A diferença é que prefiro teto solar ao câmbio automático. A decisão ficou entre a emoção e a razão. Minha escolha, diversão. Adquiri o Focus hatch 2006 Ghia. Sei que é a escolha correta, sempre que dirijo ele, fico com um sorriso estampado no rosto. E pensar, quase peguei um Celta pelado….

  • Lucas

    Se me permite uma crítica, achei que sua pesquisa por peças foi um tanto superficial. Eu procuraria mais por peças de desgaste contínuo, como coxins de motor e suspensão, componentes de motor, câmbio, suspensão e freios (foram citados carros turbo: quanto custaria uma manutenção na turbina de um Fluence GT, por exemplo), preço dos pneus que vão no carro e até o seguro.
    Faróis, pára-choques, vidros e essas coisas são trocados mais na eventualidade de um acidente, que daí você aciona o seguro. E além de que essas peças muitas vezes podem ser encontradas usadas em bom estado.

  • Mineirim

    Marcus,
    Que dúvida boa essa sua!
    Algumas observações:
    – O segredo da manutenção da Ford: fuja das revisões na concessionária! Meu Focus levei até a de 50.000 km. Depois disso, faço as manutenções previstas no manual, mas em oficinas independentes, algumas vezes comprando peças nas concessionárias. Descobri que itens não foram trocados nas revisões. Tenho dúvida até do líquido de arrefecimento e fluido de freios. Aos 74.000 km está tudo muito bem.
    – Concordo com o que você disse sobre o Cruze, mas discordo do Jetta: sem graça para mim.
    Seu sobrenome me lembra um antigo colega de trabalho, engenheiro Antônio Romero Lahoz. É parente seu?
    Boa sorte na compra!

    • marcus lahoz

      Mineirim

      Não é parente não.

      Sobre a Ford, eu também fujo de concessionárias, mas o problema é que peças só se encontra nelas, e aí é que a porca torce o rabo.

      • Christian Govastki

        Lahoz, acha-se peças da Ford fora da CCS, mas em geral a diferença de preço não vale apena pela falta de qualidade.

        Comprei palhetas Dyna para o meu carro, um lixo, em 6 meses estavam duras e ressecadas, as originais duraram 4 anos. É mais cara? Sim, custavam o dobro do preço, mas duraram 8 vezes mais, então, no longo prazo sairia muito mais barato.

        Comprei pastilhas da Bendix/Honeywell, outra porcaria, duras e barulhentas, as originais nunca fizeram barulho e duram mais.

        Algumas poucas coisas, como discos de freio e lâmpadas, dá para usar o paralelo.

        A manutenção de rotina (óleos, filtros) em geral são mais caros quando se busca marcas de boa procedência, além da enorme perda de tempo pois os caras querem te empurrar marcas desconhecidas ou especificações erradas.

        E para ser ser sincero, tive muito mais problemas e cobranças a preços extorsivos na Honda (também tenho um Honda Fit) que na Ford.

        Tentei 2 das 3 concessionárias Honda e tive problemas em ambas, na Ford testei 4 e escolhi uma.

        • Antonio Pacheco

          As peças de manutenção normal (Velas, amortecedores, correias, filtros, pastilhas e etc) são até mais baratas na concessionária Ford do que no mercado paralelo. Tive um focus flex 2008, que vendi em 20012 com 112 mil km rodados. Fiz as 3 primeiras revisões em concessionária e continuei fazendo a manutenção preventiva em um mecânico de confiança. Basicamente, a manutenção era só óleo, filtros e fluídos, seguindo o previsto no manual. Não gastei muito com a manutenção do focus não.

  • RoadV8Runner

    Excelente trabalho de pesquisa, eu não tenho paciência de chegar a esse nível de detalhes… Também não sou fã de sedãs e também gosto de carros grandes. Portanto, esquecendo valores, eu ficaria com o Passat.

    • marcus lahoz

      Obrigado.

  • joao vicente da costa

    Não entendi como você conseguiu chegar a essa conclusão!

    • Leandro1978

      Também não… Talvez tenha lido somente o fim do texto?…rs…

      • Anderson

        Três carros da VW na lista final não diz nada?

  • Luciano Gonzalez

    Pergunta: Têm Golf GTI 2009?
    Nessa sua lista, eu ia de Jetta e depois, Civic… Ah, dá para pensar em um A3 2.0T….incluindo peruas, não sei se é do seu gosto, mas Passat Variant e a Jetta Variant com seu maravilhoso cinco-cilindros!

  • Christian Govastki

    As revisões do Focus múltiplas de 40k km são iguais, tanto nas verificações como nos preços (40 = 80 = 120).

    • marcus lahoz

      Christian,
      Pelas concessionárias que liguei, nenhuma tem valor fixo para revisão do Focus depois de 60.000 km.

  • Newton (ArkAngel)

    Caro Marcos, podemos analisar um carro sob diversos aspectos:
    1) Confiabilidade: neste quesito, Toyota e Honda são imbatíveis, tanto é que são apelidados com justiça, no ramo da reparação, de “tristeza dos mecânicos”, porque simplesmente esses modelos não quebram, desde que estejam com a manutençao em dia; mesmo assim, não são lá muito exigentes quanto a isto. E se por acaso necessitar de reparos, as peças são amplamente disponíveis a um preço razoável.
    2) Prazer ao dirigir: este item é altamente subjetivo, e se traduz em sensações estritamente particulares e pessoais. Carros com apelo esportivo tendem a despertar paixões, mas quando a paixão arrefece, nem sempre sobra coisa boa! Claro que isso não é uma regra, mas é muito comum.Jetta é um típico caso desses: um barato o ronco do 5 cilindros, comportamento no geral acima da média, mas se o carro tiver mais de 5 anos, a manutençao começa a pesar; nestes dias, atendi um desses, e necessitou da troca de óleo da transmissão, só aí já foram 8 litros de fluido Pentosin, e cada frasco de 1 litro sai a…..R$113,00!
    3) Qualidade oculta: já tive oportunidade de desmontar e montar totalmente diversos modelos, e essa qualidade aparece onde? na qualidade das soldas, acabamentos em lugares que normalmente não se vê, acessibilidade para reparos (que reflete diretamente no valor da mão de obra), qualidade da parte elétrica, enfim, da montagem em si, e neste ponto a Renault e as japonesas são top de linha. Já a Nissan…
    4) Adaptabilidade: sabe aquele carro que você dirige pela primeira vez, e logo de cara se sente à vontade, parece que já o dirige há muito tempo? Pois é, adaptabilidade é isso, e é fruto de ergonomia bem feita, cuidados com o NVH, distribuição da potência ao longo da faixa de operação do motor, etc… tudo isso passa a sensação de que o carro foi feito PARA VOCÊ! Carros como o Corolla são assim, geralmente quando um proprietário de um modelo desses muda de marca, a primeira coisa que ele diz é : “Puxa vida, que saudades do meu Corolla!” Existem carros que possuem qualidades que só vão aparecendo à medida que os utiliza no dia a dia. è o “carro legal”.

    Claro que existem milhares de fatores que fazem decidir a escolha de um modelo, afinal o carro é PARA VOCÊ!

    Boa sorte na escolha, e se precisar de auxílio, estou aqui!

    P.S. Já pensou num Hyundai I30? Não ignore esse modelo!

    • marcus lahoz

      Newton,

      Obrigado pelas dicas.

      Pensei no i30, mas aqui em Curitiba o valor dele é exagerado demais.

  • Fabio Ueda

    Marcus estou nesta dúvida há um ano mais ou menos. Passat Varaint sempre habitou meus sonhos e o valor de aquisição de uma semi-nova é razoável. Meu receio é quanto a valor de manutenção e seguro. Você chegou a levantar os custos para o Passat?

    • André

      Fabio,meu irmão tem um Passat 08 turbo,os gastos com a manutenção não são caros,só precisa fazer a troca de oléo no tempo certo,e abastecer com gasolina de qualidade.o valor do seguro eu não me recordo,mas não era tão caro.

    • marcus lahoz

      Fabio

      Os VW Passat tem o custo de manutenção mais alto devido a duas características básicas: 1- categoria acima, 2 – idade (assim tem maior freqüência na troca de peças).

      Seguro eu não cotei, mas tem alguns bons sites para cotar.

  • BlueGopher

    Marcus, só não entendi por que você teve tanto trabalho, fez tanta pesquisa, e no final informa que não gosta de sedans médios.
    Aconselho você a focar melhor o que você deseja, para não fazer uma compra e se arrepender depois.
    Em vez de tabela de preços de revisões ou de peças, faça uma tabela especificando as características que você acha mandatórias, as desejáveis, as aceitáveis, as não aceitáveis, distribua os modelos de carros disponíveis na tabela, e cruze estes dados com a profundidade do seu bolso.

    Adianto que o mais importante é adquirir um carro que lhe dê prazer em dirigir.
    O resto são firulas…

  • Leandro1978

    O que diz algo é ler o texto todo…

  • R.

    Marcus
    Uma coisa que você não pode deixar de considerar é o preço do seguro desses carros almejados.
    Acho que deve ser incluído no custo de compra , bem como nas despesas anuais posteriores…
    Cuidado, pode haver algumas surpresas amargas com os valores de alguns modelos, como exemplo o Golf GTI e o Lancer
    No mais, esses carros que você peneirou são ótimas opções e deixarão você e seus familiares muito bem servidos.
    Boa sorte!

  • R.

    Acho que ele não é fã da VW ..
    Ele é um autoentusiasta e, como tal, é fã de carro bom …

    • marcus lahoz

      Perfeito.

  • Bosley De La Noya

    Tá na cara, ccn1410!
    A turma do “não entendi” discorda…
    Sabem de nada inocentes!!!

  • R.

    Será???

  • marcus lahoz

    R. pensei nisso hoje. Renovei a pouco o seguro e realmente é um fator importante.

  • marcus lahoz

    BlueGopher, então peguei os sedans médios pois eles são maioria de mercado. Comecei pensando neles, hoje já não quero.

    Mas sou apaixonado por carros, e assim toda pesquisa que faço aumenta o meu conhecimento sobre marca e modelos.

    Se for pelo gosto, o bolso não agüenta.

  • Fernando

    Destaco a colocação sobre o Corolla, que é bem o que vejo nele, é cheio de qualidades e que no fim não agrada muito no visual e por ser muito neutro e equilibrado, de tão fortes as qualidades que levaram a isso.

    É um carro que se levando em conta a razão é uma boa opção (embora o valor dele seja até bem alto comparado aos demais) e por isso tem boa reputação e vendas (inclusive de usados) ocorrendo um ciclo.

    Não tenho um, mas já dirigi bastante e em um momento de colocar a razão em primeiro lugar não dá margem a queixas.

  • CorsarioViajante

    Não entendi muito bem. Você declara no começo que gosta de hatch, mas que não rola pelo preço. Daí faz uma tabela comparando um monte de sedãs usados… E conclui dizendo que vai optar por um hatch ou sedã usado…
    Nos hatches legais que podem se enquadrar no seu conceito: Golf 7, Bravo T-Jet, Peugeot 308 THP.

  • CorsarioViajante

    Também achei o mesmo.

  • Antônio do Sul

    Newton! Acho que você, que deve ter oficina, deve ter muito mais condições de fazer uma boa indicação do que eu, mas, quanto ao Civic, pelo menos aqui em casa, foi uma grande decepção. Meu pai teve um 2008, fez todas as revisões em concessionárias, e o usou até os 84.000 km. Comparado ao Focus MkI, que foi substituído pelo Civic depois dos 86.000 km rodados, o custo de manutenção foi bem mais alto, sem contar que ainda tivemos um problema com a assistência técnica da Honda, que fez um serviço de funilaria tão porco que passou a infiltrar água no porta-malas, enchendo a cuba do estepe. Pior do que isso foi a fábrica, que não deu a mínima para as nossas reclamações.

    • Guilherme Keimi Goto

      Concessionária costuma terceirizar funilaria. De qualquer modo, cobre retrabalho.

    • Newton (ArkAngel)

      Antonio, creio que seu caso é exceção, Civics não costumam dar problemas sérios. A não ser que na concessionária que você levou havia algum problema com a mão de obra. Bons mecânicos custam caro, e nem sempre as empresas estão dispostas a pagar bem.

      • Jesse Ferreira

        Newton, estou na dúvida entre um Fluence, Cerato, Focus, todos top, e RAV4 um pouco mas antigo. Qual você indicaria até R$ 50.000,00?

  • Bob, o de Petrópolis

    Marcus, experimente um Suzuki SX4 – é rápido, muito estável, 4×4 sob demanda e econômico – chego a fazer 12 km/l na cidade, na estrada cerca de 14, isso se não enfiar o pé, já que o carro pede. Ah, e é japonês fabricado no Japão, e se não me engano, 5 estrelas no crash test. Se tiver mais dúvidas, me procure no email registrado aí.

  • César

    Também não entendi, assim como o colega Corsário. Você almeja um hatch mas faz comparações entre diversos sedãs. Diz que não admite carro feio, mas cita Ipanema, Corolla, Sentra e Fluence (desculpe, mas a feiura desses modelos é quase que uma unanimidade). Aliás, na minha opinião, sedã bem resolvido esteticamente ainda está por nascer.
    Não vejo justificativa para não informar o motor da Kombi. É um veículo muito querido e ao longo de sua vida teve três tipos de motores com características bem distintas entre si.

  • guest

    Também sugeriria o Peugeot 308 THP Feline, que vai ao encontro da maioria dos quesitos importantes que o Lahoz elencou.

  • Luciano Gonzalez

    Lipe, só perguntei pois não me recordava até que ano foi fabricado o GTi 4,5…..

  • Carlos

    Comprei um Bravo Essence 2012, recentemente. É o mais pé-duro dos Bravo, mas já me parece bem legal. É fácil encontrar um Bravo Absolute Dualogic pouco rodado e com preço bacana. É algo próximo da sua definição, fora o fato de não ser turbo, mas já anda bem, tem bom “chão” um ronco que parece de Alfa Romeo. Não é o rei do espaço, mas para seu perfil não parece ser decisivo.

  • Guilherme Keimi Goto

    Talvez seja o que menos anda, mas os 5 cilindros do Jetta iriam para minha garagem e cantariam em algumas saídas de sinal.

  • Ilbirs

    Sobre Linea automatizado monoembreagem, após ver este vídeo muita gente vai descartar a compra de tal modelo:

    Eu mesmo já não era muito fã de monoembreagens (mas reconheço que a Fiat fez bom trabalho em sua adaptação das peças básicas da Magneti Marelli à sua transmissão), mas agora fiquei ainda mais cabreiro com esses problemas que parecem estar razoavelmente corriqueiros em tal solução.
    Tudo bem que já ouvi falar que manutenção de transmissão de duas embreagens é mais cara ainda, mas ainda não ouvi falar de um número razoável de carros com essa solução estarem dando problemas.

    • Roberto

      Olha, eu tenho um conhecido que tem um Fiat 500 com câmbio Dualogic e 60 mil km e nunca teve problema com o câmbio. Claro: ele sempre cuidou muito bem dos carros dele é sempre com a manutenção em dia é conforme o manual.

      Pode ser que um modelo ou outro de veículo tenha algum problema crônico (já que o câmbio recebe ajustes diferentes conforme o veículo) ou às vezes pode ser azar de pegar um veículo com defeito de fábrica. Todo caso, acredito que muitas vezes esses (e muitos outros problema) ocorrem por desleixo dos donos. Do contrário, duvido que o Fiat 500 e o smart fourtwo fizessem tanto sucesso e por tantos anos na Europa.

  • Ilbirs

    Eu entendo o que ele está dizendo: o cara acaba ficando com um sedã médio como se fosse um casamento de conveniência, uma vez que não há no mercado exatamente o que ele deseja, mas que já pode ter existido em um passado recente ou mais distante.

  • Ilbirs

    Já pensou em adquirir um i30 em São Paulo e levar para Curitiba? Aqui tem um monte deles e com certeza algum deles estará em muito bom estado. E, como São Paulo é a cidade com maior frota do Brasil, um monte deles estará com preço no chão.

  • Eduardo Mrack

    O Vectra B e o Alfa 156, ao menos na minha opinião, são sedãs muito bonitos e bem resolvidos. Até mesmo nos hatches enxertados para sedãs vejo alguma beleza, como no Ford Focus.

  • marcus lahoz

    Corsário; a questão dos sedãs médios é pelo amplo leque de opções. Não acho o design deles fantástico, prefiro os hatches.

    A tabela serviu para analisar a manutenção geral (veja que o 308 e 408 compartilham a plataforma, assim analisar o 408 serve como referência – assim como o Cruze x Cruze Sport).

    Se com a verba atingi-se os Golf 7 / BravoT-Jet e 308 THP, com certeza não escolheria outros.

  • Antonio Ancesa do Amaral

    Li na internet que os automatizados estão apresentando defeito, inclusive os da Ford. A Fiat recentemente convocou seus clientes. Automáticos apresentam problemas também. Segundo o site Oficina Brasil, os dos Honda Civic é no filtro que fica DENTRO do câmbio que tem que ser trocado com 80 mil quilômetros rodados, recomenda-se troca aos 40 mil e a Honda não sabe origem do problema que causa o entupimento do filtro, sendo que os dos Toyota Corolla apresentam menos problemas e a troca do filtro é mais fácil, pois Não precisa desmontar o câmbio todo.

  • CorsarioViajante

    Esse 5 cilindros… Nem prcisaria andar, bastaria ouvir! rs

    • Guilherme Keimi Goto

      Verdade.
      Onde estudo sempre passava um Jetta L-5 que saia do estacionamento e colocava o motor para soltar sua sinfonia nas 2 primeiras marchas (uns 200-300 m de reta). Eu só não sentia mais dor de cotovelo por aqueles 5 cilindros porque o humilde 1,6 do (nosso, você tem um também, não é?) Polo também satisfaz muito os ouvidos e os sentidos do motorista. rs

      • CorsarioViajante

        TEnho sim, mas o meu é 2,0 🙂
        Mas morro de vontade de, quando o motor atual se for, “me confundir” e acabar colocando, “sem querer”, o 2.5 de cinco cilindros. Como dizem, ai meu corassaunnnnnn!!! rs

  • pkorn

    Mais importante do que o valor de revisões em concessionárias (que podem ser feitas em outras oficinas) é cotar o valor do seguro, esse sim não tem como escapar e não há “seguradora do conhecido que faz desconto”. Eu já deixei de comprar um carro pelo preço do seguro, o vendedor ficou sabendo que o motivo era esse e “rachou” comigo a diferença de dois anos de seguro. Comprei.

  • Antônio do Sul

    Newton e Guilherme, o problema acabou sendo resolvido com a troca de marca, mesmo. Problemas acontecem, mas o que nos deixou chateados foi a falta de empenho do serviço de atendimento ao cliente da fábrica em resolver o nosso problema. Simplesmente, ouviram somente a versão da concessionária.

    • Guilherme Keimi Goto

      É uma pena, os Hondas são acima da média no preço e também mais confiáveis (dizem as estatísticas).
      Claro que isso não torna eles imunes a falhas e pelo maior volume de vendas da marca eles deveriam ter um compromisso ainda mais sério com o cliente quando a falha ocorre.

      • Antônio do Sul

        Guilherme, quanto ao pós-venda das marcas, sou a anti-estatística: meu pai teve problemas com a Honda, mas eu fui surpreendentemente bem atendido na rede Volkswagen. Há quase dois anos, comprei um Gol G4 usado, com 40.000 Km, manual com carimbos de todas as revisões, ar-condicionado e direção hidráulica e ainda na garantia de fábrica. Com o tempo, comecei a sentir uma dificuldade em reduzir da quarta para a terceira marcha, e o sintoma era de problema em anel de sincronismo (dando um tempo, a terceira entrava tranquilamente). Eu estava crente de que a fábrica, alegando mau uso, iria me negar o conserto na garantia. Mesmo assim, levei o carro na Servopa, autorizada VW aqui de Curitiba, onde fui muito bem atendido. A princípio, o consultor me disse que tentariam uma regulagem no trambulador e, se isso não resolvesse, aí sim abririam o câmbio. No fim, a Volkswagen, em garantia, autorizou a troca de todo o conjunto de engrenagens da terceira marcha, sem muita burocracia e nenhum questionamento.
        O meu pai, hoje, é muito bem atendido pela rede Ford (em Curitiba, por experiência anterior, a Slaviero é a concessionária da marca que tem o melhor serviço de oficina).
        Não quero fazer propaganda de ninguém, mas acho que quem trabalha bem merece reconhecimento.

  • Krypto

    “Cruze, talvez o que eu tenha menos gostado, parece um Opala 4-cilindros: lento e gastador” Isso comparando com os outros carros que você testou?? Tem algo errado..Já tive Civic e o desempenho e consumo são semelhantes se comparado ao Cruze. Além do que, num percurso de test drive não é possível aferir o consumo.

  • Josenilson

    Alguns meses atrás estava eu no mesmo dilema para trocar de
    carro. A procura por opiniões dos donos nos sites que dispõe dessa opção é algo
    quase sem valia dado o grau de desinformação de quem opina e/ou o caráter passional
    do depoimento.

    Em razão disso, torna-se difícil a decisão. A forma mais
    acertada que encontrei foi fazer test drive em todos os modelos candidatos.

    Fiz um caminho semelhante ao seu. Sabia o que queria,
    estabeleci a faixa de preços que me permite a aquisição, e pontuei outros
    fatores que deveriam ser atendidos para qualificar o carro como opção na lista
    de compra.

    Eu precisava de um carro para a família, que tivesse um bom
    desempenho para viagens, um bom porta-malas, não tivesse consumo alto nem
    manutenção cara e que ofereça um mínimo de itens de conforto e segurança.

    Porém, como todos sabem, para nós, autoentusiastas, a
    escolha de um carro tem uma parcela de passionalidade.

    O meu carro era um Linea Absolute 2009, Dualogic. Eu gostava
    muito do carro. Para meus padrões, nível de conforto e acabamento excelentes e
    um porta-malas grande. Tudo bem que não é um sedan grande, é meio apertado,
    estreito. Rodei como carro até os 120 mil quilômetros. Único defeito
    apresentado: problema no Dualogic com aproximadamente 90 mil quilômetros rodados.
    Solução das concessionárias Fiat: a troca do robô de automação a um custo de R$
    7.000,00. Não houve outro remédio. De resto, o carro é excelente. Bebe um pouco
    mais que a média. No meu circuito diário aqui em Brasília a média era 10,5
    km/l.

    Depois de muita pesquisa e testes acabei por adquirir um
    Honda Civic LXR automático.

    É um bom carro, mas perde ainda para o Linea em algumas
    coisas. Econômico? Sim, no mesmo percurso em que fazia 10,5 km/l com o Linea
    ele faz 12. Mas sinto falta de um monte de coisas que tinha no Linea:
    facilidade de ver todos o parâmetros do computador de bordo ao toque de uma alavanca;
    regulagem do encosto do banco do Linea é através de um comando circular e que
    faz a regulagem continua, no Honda é um alavanca de posições; GPS integrado;
    ronco do motor; mais prazer ao dirigir, mais estabilidade em curvas, mais barato.

    Enfim, o Honda é um excelente carro até agora ( 2000km rodados)
    mas não empolga como o Linea. O Línea é aquele sedan com alma italiana, o Honda
    é um carro comportado e com um acabamento que poderia ser melhor pelo preço.

  • Danilo Augusto Moreira

    Fui de Fluence GT e não me arrependi. Só estou vendendo ele agora para pegar um BMW 118i….

  • CristianoReis

    Esse motor do Linea decepciona.

  • Adam Lewis Charger

    Meu pai tem um Idea Sportig Dualogic com 80 mil rodados e nunca apresentou qualquer problema, roda bem suave por sinal, não tem aquele trancos que os mimimi falam por ai.

  • Carlinhos

    Nada serve em amigón!!

  • toni

    Achei interessante sua avaliação , mas permita-me
    acrescentar alguns dados :
    – você não considerou o fator peso dos carros, que influi no consumo, desgaste de pneus e suspensão e performance, além da estabilidade (quanto maior a massa, maior a força centrípeta que joga um corpo na tangente da curva ), neste quesito o 408 é 100 kg mais pesado que o Fluence e 180 kg mais pesado que o Corolla.
    – quanto ao câmbio vale observar que o único que no modo manual (talvez o Fluence CVT também seja, não tenho certeza ) não tem interferência na forma como você dirige (estica as marchas) é o Civic, os demais interferem sem você desejar, o que é bastante irritante.
    – acredito que qualquer carro que saindo da imobilidade você pise meio acelerador ele vá chegar perto dos 4.000 giros.
    – quanto ao CVT do Lancer, saiba que existem inúmeras queixas de propietários na internet de que o câmbio esquenta, sendo que a própria Mitsubishi já disponibiliza um radiador de óleo para o óleo do câmbio, às custas do proprietário é lógico.
    – quanto ao Fluence aspirado 2.0 motor Nissan, acredito que vc ficou com uma impressão falsa, possuo um com câmbio manual de 6 marchas e digo que ele é bem esperto, anda muito.
    Espero ter contribuído com o artigo, obrigado

  • toni

    Ilbirs , existem várias reclamações no youtube sobre dupla embreagem , tanto a do Jetta TSI , Golf TSI , Focus estão com problema de superaquecimento em situações extremas , tais como congestionamentos

  • Carlinhos

    To sentindo falta do nosso glorioso Mr. Car…

  • Guilherme Keimi Goto

    Torço para que sua confusão acabe logo…