Showroom  DEZ CARROS MAIS LEGAIS ATÉ R$ 35 MIL Showroom1

Cada vez mais está difícil de se comprar carros novos no Brasil. Tanto pelos preços absurdos como pela falta de opções decentes a um preço acessível. Muitas vezes a opção é partir para um semi-novo ou mesmo um usado. E pensando assim, é possível encontrar carros usados bem legais.

Certamente, um carro usado mais barato já está rodado, pode ter mais de dez anos de vida, e manutenção já começa a se tornar uma preocupação constante no orçamento de gastos anuais. Mas às vezes, como opção de segundo carro, um usado em ordem é um bom negócio, se entendermos que gastos de rodagem serão um pouco maiores que de um carro novo.

Abaixo segue a minha lista de carros usados que eu compraria, de acordo com o meu gosto. Não quer dizer que são melhores ou piores que outros modelos, mas são os que me agradam por algum motivo. E para não deixar a lista abrir muito, restringi o valor máximo para R$ 35.000 no mercado local, que é próximo do valor dos carros zero-km mais baratos que temos. A seqüência é aleatória.

– Volvo 850 R Turbo

 

Volvo perua  DEZ CARROS MAIS LEGAIS ATÉ R$ 35 MIL Volvo perua2

Volvo 850 R Turbo SW (pistonheads.com)

Já falei em diversas oportunidades aqui no Ae o quanto peruas me agradam, ainda mais se forem versões esportivas. E nada mais legal do que um Volvo dos anos 1990, quadradão e sem graça, com um motor turbo 5-cilindros de 250 cv e em algumas versões até mesmo um diferencial Torsen. E claro, o fato de ter sido usado pela equipe de Tom Walkinshaw no Campeonato Inglês de Turismo (BTCC, a sigla em inglês) em 1994.

Espaçosa, segura e rápida, a perua do 850 R pode ser encontrada no mercado por valores perto dos R$ 24 mil, ano 1997. A manutenção, pelo o que já ouvi de alguns donos, não é alta. É um automóvel confiável, mas o problema é encontrar uma em boas condições. Carros turbo usados são um problema, geralmente foram usados sem os cuidados especiais que um turbo pede e uma troca de turbina pode custar caro. Problemas no ABS também não são raros nestes carros.

Se fosse para ter um, seria preto, discreto e com cara de tiozão. Ou azul e branco todo adesivado, réplica do modelo do BTCC. Por que não?

– Audi S6 perua

 

Audi-S6_Avant_1996_  DEZ CARROS MAIS LEGAIS ATÉ R$ 35 MIL Audi S6 Avant 1996 1

Audi S6 Avant (netcarshow.com)

Mais uma perua na lista, desta vez um Audi, modelo S6, a versão esportiva da linha A6. Assim como o Volvo, em 1997, a opção esportiva da perua S6 pode ser encontrada no nosso mercado por valores próximos de R$ 33 mil. Com tração integral e motor V-8 de 290 cv, a S6 acelera forte, com 0-100 km/h na casa dos seis segundos. A caixa automática Tiptronic não é lá grande coisa, lerda e indecisa, mas dá para se divertir mesmo assim. Dificilmente encontra-se uma perua com transmissão manual, além de ser mais cara.

Também um carro que precisa ter sido bem cuidado, pois quase quinze anos de uso em um V-8 de 32 válvulas pode custar caro para se fazer uma manutenção. Não é exatamente bonita também, mas não passa desapercebida no meio do trânsito, ainda mais se for prata ou preta. Perto de um modelo atual é uma perua barata, o mesmo se comparada à lendária RS2 com motor Porsche, que passa fácil dos R$ 80 mil.

– BMW 540i

 

BMW 540i  DEZ CARROS MAIS LEGAIS ATÉ R$ 35 MIL BMW 540i1

BMW 540i (foto netcarshow.com)

Talvez o mais legal da lista, junto com o 850 R, o BMW 540i da geração E39 (1995-2003) é praticamente a versão menos nervosa do M5. Equipado com um V-8, assim como o M5, porém com “apenas” 290 cv contra os 400 cv da versão M, o 540i é discreto e confiável. Acelera até os 100 km/h em seis segundos e chega a 250 km/h tranquilamente.

As unidades dos primeiros anos, que começou a produção em 1997, têm as lanternas traseiras com piscas âmbar e sem os faróis dianteiros com iluminação circular, os famosos angel eyes (olhos de anjos). São os mais baratos, em torno de R$ 30 mil para os mais antigos e mais rodados, podendo chegar a R$ 35 mil em um modelo 2001. Há modelos com o pacote Sport Package, com kit aerodinâmico e rodas de 17″, que é bem bonito, além de um leve aumento do torque do motor.

O interior sóbrio dos BMW do começo dos anos 2000 e a aparência discreta do carro fazem dele uma opção muito boa. Vale fugir dos blindados, pois além de serem mais barulhentos em termos de acabamento, são mais pesados e o consumo de combustível e  o desempenho pioram.

– BMW 750i

 

BMW_E38  DEZ CARROS MAIS LEGAIS ATÉ R$ 35 MIL BMW E382

BMW 750i (Wikipedia)

Outro BMW na lista, agora um dos grandalhões da marca. O 750i (geração E 38) foi o carro-chefe da BMW de 1995 a 2001. Era o carro de chefes de Estado, presidentes, ditadores e generais mundo afora, disputando mercado com os Mercedes classe S. O 750i era o modelo mais caro, mais refinado, e equipado com o maior motor disponível, um V-12 de 5,4-litros e 325 cv. Este é o mesmo motor que equipava os Rolls-Royces da mesma época.

O 750i era extremamente moderno, já tinha sistema de navegação por GPS integrado, bancos elétricos com massageadores, controle de ar-condicionado de duas zonas, câmbio automático com a opção de troca de marchas manual. Além do mais, o 750i foi estrela do filme 007 – O Amanhã Nunca Morre, onde Bond pilotava o carro pelo celular.

Infelizmente este carro é relativamente raro, e para chegar ao valor de R$ 35 mil, apenas os modelos dos primeiros anos e blindados por empresas independentes. A manutenção é bem cara. Para se ter uma idéia, um buraco na estrada pode causar estragos de até R$ 15 mil em peças e mão de obra. É um investimento mais arriscado, mas se bem investigado na hora da compra e o carro for usado com cautela, é um preço para se pagar por um V-12 de alto nível. 

– Mitsubishi Eclipse GST Turbo

 

Mitsu eclipse  DEZ CARROS MAIS LEGAIS ATÉ R$ 35 MIL Mitsu eclipse1

Mitsubishi Eclipse GST Turbo (wikipedia)

Os japoneses também têm opções para quem procura um usado alternativo e diferente. O Eclipse foi um sucesso nos anos 1990, com um carro com cara esportiva, carroceria de duas portas muito bem desenhada, e um bom desempenho. A segunda geração do carro, fabricada de 1995 a 1999, tinha como um dos motores um quatro cilindros em linha turbocomprimido de 215 cv. O interior é simples porém funcional, sem luxo inútil.

O complicador para a compra de um Eclipse turbo é encontrar um que nunca tenha sido modificado. Graças a geração “Velozes e Furiosos”, muitos destes Mitsubishis foram rebaixadas, tiveram motores mexidos, adaptações de carroceria etc. Um exemplar original dos primeiros anos de produção pode custar entre R$ 27 mil e R$ 30 mil. E, novamente, motores turbo usados requerem atenção especial.

– Peugeot 406 Coupé V-6

 

Peugeot-406-Coupe-  DEZ CARROS MAIS LEGAIS ATÉ R$ 35 MIL Peugeot 406 Coupe 1

Peugeot 406 Coupé V-6 (netcarshow.com)

A Pininfarina é um dos maiores, se não o maior, estúdios de design de todos os tempos. Ponto. Praticamente tudo o que eles assinaram foi muito bem feito, independentemente de para qual fabricante. No caso da Peugeot, a Pininfarina desenhou a versão duas-portas do 406, e ficou um show. Além do desenho, a fabricação da carroceria também era feita pelo estúdio italiano. O motor V-6 de 3 litros e 210 cv não impressionam tanto, o carro é pesado e o câmbio automático que equipa  a maioria dos modelos importados também não ajuda em uma tocada esportiva.

Para um modelo 1999, o preço é de aproximadamente R$ 34 mil. Em uma breve pesquisa feita pela internet, quase todos os anunciados que encontrei se diziam 100% originais e com revisões feitas em concessionária, o que indica que o Coupé não fez muito sucesso entre os fãs do tuning, o que é muito bom. A confiabilidade deste carros é questionada no quesito suspensão, como a maioria dos carros franceses importados desta época, porém um carro bem cuidado pelos donos anteriores não deve apresentar problemas neste aspecto.

Mas ainda acima de tudo, é muito, muito bonito.

– Alfa Romeo 156 Sportwagon

 

Alfa Sport Wagon  DEZ CARROS MAIS LEGAIS ATÉ R$ 35 MIL Alfa Sport Wagon1

Alfa Romeo Sportwagon (netcarshow.com)

Não poderia faltar um Alfa Romeo na lista. Aliás, em nenhuma lista pode faltar um, não importa qual seja. Pensei em colocar o 164, mas seria um pouco abaixo da faixa de preço e idade dos demais. Passei então para o 166, seu sucessor. Ambos são V-6, o mágico 3-litros multiválvulas que todos os Alfas deveriam ter, com escapamento esportivo dimensionado, claro, mas é um carro que não consigo gostar do desenho da dianteira.

Então temos a opção do 156 Sportwagon com motor 2-litros. É talvez a perua mais bonita de todos os tempos. Desenhada por pelo italiano Walter de Silva, o pai de muitos outros Alfas e do Audi TT (atualmente Walter é o chefe de estilo do Grupo Volkswagen). O Sportwagon teve opção de motor V-6, mas o custo já é maior, e mais difícil de encontrar no nosso mercado. Ainda existiu a versão GTA da perua, com o V-6 de 255 cv, que seria o supra-sumo deste carro.

Não só do exterior bonito o 156 ganha o apego dos apreciadores de Alfas. O interior, principalmente o painel, segue a clássica linha italiana, com o quadro de instrumentos ressaltado, com dois grandes mostradores, como nos antigos GTVs. Um modelo 2002 custa por volta de R$ 33 mil, na configuração quatro cilindros e câmbio manual. Como sempre, confiabilidade italiana é de se desconfiar, mas um carro bem cuidado dificilmente dá problemas.

O Sportwagon pode não ser rápido como o Volvo R, nem germanicamente confiável como o S6, mas é amolecer qualquer coração.

 

– Jeep Grand Cherokee Limited LX 5.9

 

DEZ CARROS MAIS LEGAIS ATÉ R$ 35 MIL Jeep Grand Cherokee

Jeep Grand Cherokee Limited LX (colbertv8.blogspot.com)

 

Particularmente não gosto muito de SUVs. São grandes, desajeitados, caros demais. Entretanto, o Cherokee do fim dos anos 1990 me agrada. Ao contrário do 406 Coupé, onde a beleza do carro sobrepõe outros pontos negativos, o Cherokee passa longe no quesito beleza. A cara de Uno superdesenvolvido não atrai muito olhares mesmo. O que gosto do Cherokee é a versatilidade. O carro é confortável, bem macio ao estilo barca americana, bem espaçoso e mesmo assim não é enorme por fora, o que significa que não é trambolho para estacionar. E quando necessário, o sistema de tração 4×4 é muito eficiente e robusto, graças aos dois eixos rígidos.

A versão Limited da primeira geração que foi fabricada de 1993 a 1998 veio ao Brasil com motor V-8 5,2-litros, ou para os íntimos da família Chrysler, o 318-pol³. Graças às leis de emissões, nada mais de 220 cv eram extraídos do motor, mas o torque era impressionante. Já era um carro interessante, até que no último ano da produção, a Jeep lançou a versão LX.

Com o motor 5,9-litros (360 pol³) OHV e 250 cv, o ganho de performance não foi lá essas coisas, mas ainda assim por ser um SUV, era rápido. A própria Jeep anunciava o LX como o SUV mais rápido do mundo. E o ronco do V-8 é de impor respeito ao seu redor. Não é um carro para se fazer um trackday, mas é divertido para dar umas aceleradas. E a confiabilidade tende a ser maior que nos europeus e japoneses desta lista. Pode-se encontrar um exemplar por volta de R$ 31 mil.

– Mercedes-Benz E430 V-8

 

Mercedes-Benz-E-Class  DEZ CARROS MAIS LEGAIS ATÉ R$ 35 MIL Mercedes Benz E Class1

Mercedes-Benz E430 V-8 (netcarshow.com)

Procurei alguns exemplares de Mercedes para esta lista, mas para a minha surpresa, o preço de alguns aumentou bastante, enquanto que o de outros caiu. Os classe C do começo dos anos 2000 baixaram de preço, junto com o E430 da geração W210 (1995-2002). O classe E é um marco alemão de sofisticação e confiabilidade, sendo o segundo modelo topo abaixo apenas da classe S. Por menos de R$ 35 mil, as opções de E430 são na sua grande maioria blindados, feitos por empresas independentes. Muito raro encontrar um modelo que esteja nessa faixa de preço sem blindagem. O V-8 de 4,3-litros e 280 cv faz com que o desempenho seja praticamente igual ao do E36 AMG de motor seis cilindros.

Conforto a bordo do E430 é garantido, porém este é um raro caso de carro alemão com histórico desfavorável de qualidade. Diversos problemas marcaram esta geração do classe E, como muitos casos de ferrugem e defeitos de suspensão dianteira e motor. O custo de manutenção é salgado, bem salgado, como de um MB novo. Este vejo como o pior problema do carro. Considerando que por aproximadamente R$ 30 mil é possível comprar um modelo 1998 (blindado), talvez o risco de morrer na conta da revisão valha a pena pelo carro que é.

– Chrysler 300M

 

Chrysler-300M_1999  DEZ CARROS MAIS LEGAIS ATÉ R$ 35 MIL Chrysler 300M 19991

Chrysler 300M (wikipedia)

Outro carro na categoria barca americana, o 300M trouxe de volta a lendária família 300 da Chrysler, que nasceu há décadas atrás e fez muito sucesso. O 300M, diferente de seus antecessores, tem motor V-6 e tração dianteira. Com 260 cv, não é um carro fraco, mas é bem grande e a caia automática bem americana é pouco empolgante.

Mas o legal deste carro, para mim, é o visual. Arrojado e bem aerodinâmico, este Chrysler é muito espaçoso e confortável. Não é nenhum campeão de dinâmica veicular, sua suspensão macia prioriza o conforto e não a esportividade, então não esperamos uma agilidade de Lotus Elise nele. Um modelo 2000 é encontrado no mercado por mais ou menos R$ 32 mil, sem blindagem.

A manutenção é um pouco problemática por falta de peças, mas não é um carro que apresenta muitos históricos de problemas, pelo menos ao que pude pesquisar. Como um 300C V-8 Hemi ainda está bem fora do alcance em termos de preço, o 300M cobre muito bem esta lacuna de banheira americana.

Como vemos, opções existem aos montes, estas foram as minhas. Cada um ao seu gosto, com suas listas de prioridades, desejos e requisitos. Com uma boa investigada no mercado é possível encontrar um usado legal e que agrade. Basta lembrar sempre que a manutenção vai ser algo a se pensar, pois peças e mão de obra nestes casos são caras, e são carros já bem rodados. E os blindados precisam de manutenção especial e cuidados constantes, como evitar de deixar estacionado ao sol por muito tempo, além da validade da blindagem.

Curiosamente, minha lista rodeia muito carros do fim dos anos 1990, quando a eletrônica embarcada estava crescendo bastante, então as panes elétricas e eletrônicas podem ser outro problema.

 

MB

 

Sobre o Autor

Milton Belli

Engenheiro mecânico automobilístico e atualmente trabalhando na engenharia de um dos grandes fabricantes de veículos norte-americanos. Adora competições e aspectos técnicos de carros de corrida, temas principais de suas postagens.

Publicações Relacionadas

  • CorsarioViajante

    Lista interessante, mas para a MINHA realidade, inviável! Sendo realista acabaria enterrando mesmo os 35.000 num compacto de entrada, tanto pelo meu perfil de uso, como por só ter um carro.
    Mas de todos estes, o Alfa e o Audi balançam mesmo o coração.

  • Lemming®

    Faltou o Laguna V-6 que acho muito bonito e interessante (apesar de nunca ter sido proprietário ou dirigir um).

  • c4vitesse

    Se eu tivesse uma grana boa livre todo mês para dedicar a um carro e fosse comprar um usadinho esse Alfa estaria no topo da lista.

  • Lorenzo Frigerio

    Vários carros interessantes. Um Alfa 156, sedã ou perua, se tiver motor V-6 custará bem mais que isso.
    O 406 cupê é bem legal, mas é um carro raro. Existe também uma versão Volvo.
    Talvez o 300C V-6 (3.5 HO, mesmo motor do 300M) merecesse uma menção. Ao contrário do 300M, ele tem câmbio Mercedes de 5 marchas e é muito bom de andar; estica as marchas até o talo. Mesmo sem andar que nem o V-8, é empolgante ver aquele motor gritar. Acho inclusive que o carro deve ser mais “na mão” que os atuais, que foram sendo atualizados para conforto.
    Agora, um carro que eu gostaria de comprar é o Audi A4 2000, o último com aquela carroceria, que tem o V-6 30 V e Tiptronic no volante.

    • O 300C tem plataforma comum com o Mercedes classe E, é um com chassi.

  • Fabio Vicente

    Milton sua lista está exatamente de acordo com aquilo que prezo num automóvel. Eu mesmo nunca tive um carro zero-km mesmo depois de trinta e tantos anos de vida, porque não concordo com os preços praticados aqui no Brasil.
    Gostaria de acrescentar alguns modelos a esta lista:
    – Honda Prelude (até 25.000);
    – Mazda 626 (até 20.000);
    – Lexus Ls 400 (este supera um pouco os 35.000 – alguns exemplares estão próximos de 40.000);
    – Chevrolet Omega CD 3.8 V6;
    – Alfa Romeo 145 Quadrfoglio;
    – Fiat Tipo Coupê 16v – desde que você encontre um em bom estado.

    • Fernando

      Vendo seu post me lembrei ter visto semana passada uma oficina especializada em Mazda, Kia, Hyundai e havia vários carros anos 90 na frente, entre eles um Mazda 626, e um MX-3 V6! Fica pertinho de outra especializada em Alfa, e também a rua era bem divertida de olhar. rs

    • Marcos Alvarenga

      Eu ando com uma necessidade urgente de ter um Alfa com um bom custo-beneficio como segundo carro, e o 145 me fala ao coração. Arnaldo tem um, já fez até post sobre ele aqui.

      • Adriano Rech

        Tive o prazer de andar uns dias com uma Alfa 145 vermelha, eta carrinho para chamar atenção!!!

    • Antônio do Sul

      O Honda Prelude ainda é bem estiloso e compartilha o motor, acho que de 2.200 cm³, com o Accord da época. Então, peças não chegam a ser um problema, e a manutenção pode ser feita na rede autorizada Honda.

  • Rodolfo

    O ruim desses carros é achar peça de reposição… e quando acha é uma dinheirama.

    Imagina quanto custa um jogo de amortecedores desses Mercedes-Benz E430 V-8 ou Audi S6 listados acima ou até um farol e pára-brisa deles.

    • Fernando

      Como dizem, carro desvaloriza, peça não.

      Esse é um problema maior nas linhas mais caras de cada fabricante, às vezes o dono pode pensar muito quando seu carro de R$ 30.000 tem numa manutenção gasto um percentual razoável em relação ao valor do próprio carro, mas ainda assim ele pode ser tão bom quanto seu sucessor que hoje ainda custa várias vezes este valor.

      Por experiência posso dizer que ter um BMW série 3 não é problema, tanto pela variedade (hoje facilitado com importações bem mais fáceis) e até em uma ida à concessionária me surpreendi com valores menores do que de marcas de ampla venda por aqui, por incrível que pareça.

  • Fernando

    Ótima lista!

    Acho que o maior “porém” desses carros não é nem custo de manutenção(são de qualidade bem melhor do que os nossos nacionais) mas sim a impossibilidade de se fazer seguro neles. E pensar que em outros países é bem mais fácil e menos custoso, nós que honestamente pagamos as contas em dia que ainda pagamos o pato.

    Gosto bastante dessas referências, e tendo uma BMW E36 gostaria de ver como são no uso na cidade as séries 5 e 7 citadas, a minha série 3 já acho um tanto grande por fora(nossas ruas é que são pequenas, que fique claro). Uma pena é que por este valor não se chegue a conseguir uma boa M3, que assim como o Eclipse muitos sofreram por suas vocações esportivas.

    A Cherokee é um carro que me agrada bastante, acho que por ter visto ela chegar e nossas F1000, Veraneio, Bonanza/Sulam e etc envelheceram rapidamente. Meu gosto não é para carros tão altos ou mesmo de vocação offroad, mas se fosse ela seria uma opção, assim como a Ford Explorer. Gosto bastante até da versão Laredo, que sem algumas partes pintadas na cor do carro cai muito bem, melhor do que esses “Cross” que surgiram depois.

    Abraços

  • GFonseca

    Sobre a Grand Cherokee 5.9, foram fabricadas 14 mil ao todo e somente mil vieram ao Brasil. Achar uma em bom estado e não blindada está bem difícil. Eu gosto muito das Grand Cherokee dessa geração (ZJ), mas depois de uns bons meses procurando desisti das 5,9 e acabei pegando uma 5,2 mesmo. Mesmo assim deu trabalho pra achar uma inteira, a maioria já caiu na mão de quem não pode ou não quer manter como se deve.

    • GFonseca

      Esqueci de mencionar no meu comentário acima, a Cherokee da foto é uma Laredo e não uma LX 5,9. Dá pra notar pela grade cromada, pela ausência das entradas de ar no capô, além dos para-choques não pintados.

      • Marcelo

        Apesar de não trocar minha XJ por nada nesse mundo, meu sonho é ter um ZJ para fazer companhia à ele na garagem.

        • GFonseca

          Cara, você tem um belo carro, gosto muito da XJ também. Eu quase, mas quase peguei uma antes da minha ZJ, estava impecável, mas infelizmente compraram primeiro.

      • Sim já acertamos este detalhe, foi equívoco meu.

  • Aldi Cantinho
    • Esse em questão é o Féline. Tente achar um Griffé, que é pouca coisa mais caro e vem (muito) mais equipado, muito embora você já esteja bem servido com o Féline.

      Quanto à manutenção, só é caro MESMO trocar a correia dentada e os tensores (são quatro, se não me engano). Não tem peça paralela e as peças só se acham na CC. A mão de obra é cara porque tem que praticamente tem que tirar o motor pra trocar, mas no geral a manutenção é compatível com os demais carros da sua faixa de preço à época de 0 km.

      Inclusive, é ele que eu pretendo ter daqui a 2 anos, só que se possível um 2009.

  • Victor Gomes

    Gostei muito da lista! Talvez seja porque tenhamos gosto parecido.
    Também merecia estar nela o Lexus LS 400, dotado de toda a robustez que um Toyota pode proporcionar.
    Menção honrosa iria para o Mazda 929, que tem as mesmas qualidades do Chrysler 300M, e sofre também dos mesmos defeitos. A principal diferença é o fato do Mazda ter tração traseira.

    • Ilbirs

      O 929 é bem legalzinho. Apesar da aparência de “genérico de Jaguar”, é daqueles carros que oferece tudo aquilo que carros contemporâneos bem mais caros ofereceriam, com a vantagem de Mazdas serem veículos que dão pouca manutenção:

      http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/f8/Mazda_929_.jpg

      http://carphotos.cardomain.com/ride_images/1/1780/3041/4449020003_large.jpg?v=1

      Pelo tamanho dos vidros e a traseira baixa, creio que seja um sedã com visibilidade muito boa, ainda mais se considerarmos que visibilidade para trás costuma ser ponto fraco em veículo com esse tipo de carroceria. Além disso também tem o charme das portas sem molduras nos vidros, que permitem ser fechadas em um movimento de braço bem rápido e são leves o suficiente para serem manuseadas por idosos. Além disso, essa versão tem linhas bem mais fluidas e agradáveis que as de seu sucessor, em que deixaram a coluna traseira mais em pé para aumentar o espaço traseiro para cabeças (sendo que daria para ter feito algo mais fluido e com espaço para as cabeças como a Chrysler fez com o 300M e outros LHs):

      http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/a/a0/1995-1997_Mazda_Sentia.jpg/1920px-1995-1997_Mazda_Sentia.jpg

      Na linha atual da Mazda, um hipotético 9 acima do 6 é algo que consideraria interessante de existir, desde que na linha do último 929 (e não do Millenia, que tinha tração dianteira). Quem sabe houvesse a chance de compartilhar peças com o MX-5 da atual geração, ainda mais pensando que o pequeno roadster é atualmente o único modelo de Hiroshima com tração traseira.

      • Gil Duarte Duarte

        Tenho um Mazda Protegé e não troco, super 10 e elegante além da potência e tudo mais. Abraços!!!

  • Mr. Car

    Uma lista bacana, mas ousada demais para quem está sem dinheiro para comprar um 0-km. Alguns motivos: seguro, manutenção (cara pelas peças, e até por precisar de mecânicos mais especializados já que não é qualquer um que mexe nestes carros), e pela própria dificuldade em encontrar peças. Eu seria bem mais pé no chão, escolhendo modelos nacionais que ainda possuem fartura de peças, e tem mecânica bastante conhecida. Como um Vectra ou um Astra, por exemplo. Até um Marea, eu ainda arriscava. Mas se fosse para chutar o balde mesmo, poderia escolher alguns que sempre gostei, como um Alfa Romeo 164, um Ford Taurus daquele quadradinho, ou uma picape Dakota R/T.

    • Eduardo Copelo

      Vectra 2 é perfeito, com sorte encontra um Challenge impecável por aí! carro pra vida toda, manutenção tranquila e sem dor de cabeça!

    • Não é uma lista de opções para quem está sem dinheiro, mas para segundo carro, pelo fato dos pontos negativos quase todos em termos de custos.

    • Antônio do Sul

      E o que você me diz de um Omega 4.1, Mr. Car? Não é econômico, mas oferece bom desempenho (mas não excepcional), conforto, estabilidade, espaço interno e ainda tem uma mecânica simples. Já andei em um CD 4.1 com 240.000 Km e sem um rangido de plástico batendo.

  • Tadeu Carnevalli

    Boas opções para segundo ou terceiro carro. Não mais do que isso.

    Um conhecido tinha um Vectra e comprou um Alfa 164 6-cilindros, um carro espetacular. Mas recentemente teve um problema na injeção eletrônica. Resultado: o carro está parado há quase 6 meses, no tempo, fora de casa.

  • R.

    Audi A4 2000..

    A manutenção desse carro também não é nada barata.
    O segredo é encontrar um exemplar em ótimo estado , todo original e se possível de único dono…
    Mas é, sem dúvidas, um grande carro.

  • Rodolfo

    Você deu sorte de comprar um carro em que a manutenção é barata então.

    Eu mesmo prefiro comprar um carro 0-km nacional de motor 1.6 para cima do que passar raiva com manutenção de um usado. Cansei de depender de mecânico.

    E quando chegar aos cinco anos de uso ou 50.000 km me livro dele e compro outro 0-km.

    • Fernando

      É uma questão de muita avaliação mesmo.

      Tenho um nacional 1.6 também que foi envelhecendo e fui fazendo a manutenção básica sem sustos.

      Acabo não tendo problemas, a verdade é que confio mais em um bom mecânico por fora do que as próprias concessionárias caso precise deles, acompanhei alguns que prefiro distância(nada com os carros, é com alguns deles mesmo).

      • Rodolfo

        Carro nacional já é outra história. Um gol quadrado 1.8AP, por exemplo, as peças você acha em qualquer autopeça de esquina, e os preços são muito baratos… você não depende de importação de peças (quando existe ainda a peça).

        • Fernando

          Mas não entendi onde se chegou à conclusão de que alguém depende de importação…

          Tenho além deste importado outros 2 nacionais anos 80/90. E sabe o que é bem engraçado? É que para o importado eu tenho escolha(o contrário desse sentido de depender) pois posso ir na concessionária e eles conseguem as peças que eu quiser. Se o preço agrada ou não, você pode optar por 1- comprar de uma importadora; 2- importar você mesmo, dependendo do caso pagando imposto ou não; 3- comprar determinadas peças de mercado comum, encontradas nas demais auto-peças daqui.

          A grande diferença é que com os meus 2 nacionais de mesma época, fico chupando o dedo pois tem peça que eles simplesmente dizem que não tem. Pergunte a quem tem Gol GTS/GTi o que acha de algumas peças que são simplesmente cabeça de bacalhau.

          Acho que é um ponto de vista que o brasileiro precisa entender, que sofre quem quer, e no caso são os que vivem das coisas nacionais que não tem saída, pois viver de golzinho quadrado não é parâmetro.

          Além destes tenho também outro nacional mais novinho, e por isso reafirmo que não há essa crise toda que se prega, o Josias Silveira mesmo já mostrou em alguns posts aqui como parece que na verdade o problema não é o carro, e sim o dono.

          • Rodolfo

            Eu nunca vou me atrever a importar peça eu mesmo, vou a uma autopeças ou a um mecânico.

          • Gabriel França Voitch

            essas série 3 são bem interessantes mesmo, com uma certa segurança de que é possivel mante-la teria uma com certeza

    • Bsoley de La Noya

      Para não depender de mecânico, ou pelo menos tentar argumentar com eles, aprenda um pouco de mecânica…
      Apesar de que alguém que “se livra” dos seus carros não deve ser muito chegado neles não…

      • Lucas

        Verdade. Manter um carro antigo pode até ser uma terapia. Eu mesmo, vou dar um “tapa” no meu carro e fazer muita coisa eu mesmo, em casa. Só não vou eu mesmo tirar o motor porque não tenho a girafa. Mas as peças já estão todas sendo providenciadas. Depois de alguns dias pesquisando na internet por peças de qualidade, tenho certeza de que não vou gastar um horror.

      • Rodolfo

        “Me livro” quer dizer que não quero que ele quebre algo caro de arrumar na minha mão… eu amo carro, como todos que lêem este site.

  • Sempre que vejo uma perua da volvo me lembro da V40 T4 2002 e 2003

    http://static.cargurus.com/images/site/2010/06/25/15/38/2000_volvo_v40-pic-7379974598669732028.jpeg

    http://photos.ecarlist.com/Uk/hK/qS/72/gV/xg/nj/V6/7M/d1/Tw_640.jpg

    http://www.parts-specs.nl/photos/0682799-Volvo-V40-2.0-T-Europa-Nordic-2003.jpg

    E tem mais duas peruas bacanas que entrariam na minha lista:

    A Peugeot 407 SW 2.0, o modelo 3.0 V6 fica um pouco acima do preço

    http://mlb-s2-p.mlstatic.com/peugeot-407-sw-30-v6-17077-MLB20131757009_072014-F.jpg

    Linda e o teto panorâmico é um show a noite e na chuva.

    E a Citroen C5 Break de primeira geração e a com facelift:

    http://www.webcarcenter.com/guide/citroen/c5-break/2001/c5_break_arr_gd.jpg

    Não é nenhum canhão, mas é extremamente confortável, espaçosa e que traseira linda.

    E um coupé:

    Volvo c70 2.3 – 1999
    http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/39/Volvo_C70_Coup%C3%A9_1.JPG

    um coupé enorme e raro de encontrar, existe a versão cabriolet mas o preço fica fora da realidade.

    • O C70 da última foto sua é muito bonito também, são os primeiros mais arredondados da marca depois dos tijolos 850.

  • BrunoL

    Minhas visitas semanais aos sites de carros usados, com orçamento imaginário parecido, além de alguns citados, incluem:
    – Fiat Coupé;
    – Alfas 166, 155 e 147;
    – BMW Série 3 (E46);
    – Mercedes CLK (230k ou 320);
    – Volvos S60 e C70;
    – Subaru Legacy (o 3,0l, ainda um pouco fora do orçamento, mas um baita carro a ser comprado a preço de banana em alguns anos);
    – Hyundai Tiburon 2,7l V6 (coreano e automático, mas bonito de doer).

  • Tiozinho do Boteco

    Amigo, eu já fui proprietário de um Laguna V-6, ano 1997. Não sei se fui sorteado, mas o carro é muito frágil.Tanto a caixa automática como a parte elétrica nunca me deram sossego. Vendi-o barato para me livrar dele.

  • Ilbirs

    Em relação ao Mitsubishi Eclipse, sou mais a primeira geração desse carro quando de sua segunda configuração estilística (com faróis fixos em forma de gota):

    http://img.bomnegocio.com/images/22/2253706747.jpg

    Além de ser mais leve que a segunda geração, é daqueles carros altamente estilosos, com o teto sempre preto com acabamento meio laqueado e as lanternas sempre com um friso na cor da carroceria. Se for um GSX então, temos quatro rodas tracionando e praticamente o que um Lancer Evolution contemporâneo teria a preço menor.
    Senti a falta de um modelo que considero dos mais interessantes: o Mercedes C230 Kompressor manual da primeira geração (W202). É dos poucos Mercedes manuais de tração traseira disponíveis no Brasil que veio importado oficialmente (e portanto tropicalizado). Anda bem e imagino que dê menos manutenção que um W202 aspirado com mais cilindros (partindo do princípio que são dois cilindros a menos e o compressor tem lubrificação fechada). Tenho a curiosidade de saber se chegou a vir alguma Touring manual, pois aí seria uma junção de uma série de coisas boas, ainda mais sendo do tempo em que Mercedes ainda eram tanques de guerra.

    • Considerei colocar o C230K na lista, mas a barca E430 bateu mais forte no quesito emoção. Dos C230, talvez mesmo a perua, mas pessoalmente ainda ficaria com o E.

    • O ruim é achar um desses ser ser “manolizado”
      ou já muito malhado por pilotos de racha.

  • Rafael Sumiya Tavares

    Bem, aqui em casa temos uma 156 Sportwagon V-6, e é bem caro mantê-la, infelizmente, além do anestesiado câmbio Q-System… Mas os defeitos ainda não são suficientes para não amá-la!

    • Burke M. Hyde

      Puxa cara! Vocês têm um carro sensacional na garagem. Simplesmente a mais bela SW de todos os tempos.
      Desculpe a ignorância, mas como é esse câmbio Q-System?

    • Realmente é difícil não se apaixonar por um Alfa, por mais problemático que seja.

  • Eduardo Copelo

    O grande lance dessa lista é que tem que ter muito dinheiro para manter esses carros.

    Mas, se fosse para escolher, eu iria no Alfa (ah, o Alfa… ) e no 300M, carrão, já dirigi um e o carro é um luxo só! Fora a cara de “espaçonave”, diferente de tudo!

  • Rodrigo Costa

    Há alguns Série 3 E46 nesta faixa de preço. Fico louco quando vejo anúncios deles… ainda mais lembrando que a manutenção não é esse exagero de cara que pintam (além de serem carros que dificilmente dão manutenção), é mais cara que o E36, mas não exagerada.

    O que mata é o preço do seguro. Cheguei a cotar com minha seguradora e pelo meu perfil (casado, com garagem em casa e no trabalho) ficaria mais de R$ 7 mil. Porém, meu corretor me disse uma coisa curiosa: para fazer seguro deste Série 3, as seguradores pedem o número do chassi e que, por isso, o preço pode cair bastante.

  • Burke M. Hyde

    Muitos carros legais nessa lista!
    O meu predileto ainda vou ter que esperar um pouco. Os Mini Cooper começaram a ser importados oficialmente para cá em 2009 eu creio, portanto ainda são muito caros, mas daqui uns 10 ou 15 anos eu acho que vou atrás de um “S” ano 2011. Acho esse carro muito bacana!

    • RR

      O difícil será achar um inteiro …..
      Mas compartilho seu bom gosto automobilístico.

  • Oswaldo Bustani Jr

    Carros maravilhosos! Agora para manter aqui no Brasil é complicado e caro, hein!!!

  • Rafael

    Duas coisas são verdadeiras:

    São todos carrões, que explicam por que gostamos tanto disso. Essa BMW 750i povoa meus sonhos desde 1996.

    Porém, sempre serão carros para quem tem algum dinheiro. O pai de um amigo possui uma Grand Cherokee Limited 5.2, e em uma revisão para deixar o carro inteiraço gastou R$15.000.

    • GFonseca

      R$ 15.000?? O cara fez em concessionária ou o carro estava com algo muito grave?
      Concordo que não é barato, mas dá para se importar muita coisa de primeira linha a preços interessantes. Eu fiz uma bela revisão na minha e não cheguei nem perto desse valor…

  • Tarcisio Cerqueira

    Todos carros muito bons! Porém minha paixão nessa lista é a estrela de 3 pontas! Nem queria o V-8, me contentaria com o V-6 da E320 mesmo… Porém meu sonho mesmo seria um Diesel, com o velho e eterno OM… Será que daria para trazer um E300 TD de algum país do Mercosul?

  • R.

    Mr.Car
    O Alfa 164 também é meu sonho …. Esse V-6 tem o ronco mais lindo que já escutei num carro….. ah…… se tem….
    Mas fica difícil usar um carro desses no dia a dia!
    A grande verdade é que, todos esses carros listados, sempre foram carros de “rico”.
    E continuam sendo devido ao alto custo de suas manutenções…
    A mim cabe continuar sonhando ….
    Abraços

  • R.

    Marco,
    Você e o Mr. Car entendem do riscado e têm bom gosto por carros….
    Também tenho “fetiche” pelos Alfas …
    Meu sonho é um 164 com câmbio manual e teto solar…

    • Este é um dos meus também, mas entraria numa lista de valores um pouco menores que 35 mil.

      • Dudu

        Esse também ė válido para uma lista de valor um pouco menor. Tive o meu por 12 anos, e nunca deu dor de cabeça. O que estraga esses carros são mecânicos generalistas e incompetentes, que criam mitos sobre dificuldade de manutenção.

    • Marcos Alvarenga

      Quando eu falo em 164 fico olhando essa foto, com vontade de juntar minhas coisas e ir morar aí dentro:

      http://www.alfasport.net/Public/data/alfone1973/2008311164255_interni%20164.jpg

  • guest

    Um colunista do Ae já teve um desses: NIssan Máxima. Ao lado do Ford Taurus lembrado pelo Mr Car, são opções melhores em custo e manutenção que o Mercedes W210.
    http://www.webmotors.com.br/comprar/Carros/novos-usados/veiculos-todos-estados/NISSAN/MAXIMA
    Se for para ficar em Mercedes, melhor a geração anterior (W124), muito mais robusta.

  • César

    Pois é, Belli, esses são valores, creio, praticados na região de São Paulo. Aqui onde moro, no interior do R.G do Sul os preços desses veículos, quando em ótimo estado, são bem superiores. Para adquirir um, certamente teria que ir aos grandes centros.
    Mas tomo a liberdade de fazer minha própria lista: Opel Calibra, Fiat Coupé e PT Cruiser. Alfa, nem pensar. Tive um 164 e a dificuldade com a manutenção é algo traumático.
    Pena que esteja cada vez mais difícil encontrar um exemplar desses veículos que tenha escapado do tuning de mau gosto e um a preço razoável. A maioria dos modelos sobreviventes dos anos 1990 foi usado até o “bagaço”, sem que tenha sido feita a manutenção necessária.

    • Cesar, a pesquisa que fiz tinha um pouco de tudo, mas claro, muita coisa de São Paulo. Alguns conhecidos que buscaram carros usados legais foram buscar no interior e mesmo em outros estados, justamente por preços melhores que em São Paulo.

  • Adriano Rech

    Puxa vida, essa Alfa me fez palpitar o coração!

    Um amigo meu tem uma Audi 92, não sei bem certo o modelo, acho que é A6 se não me engano.

    Comprou peças direto da Alemanha, inclusive me mostrou uma lista explodida e o site da fábrica alemã.

  • J Paulo

    Minha lista é mais realista: Santana, Vectra, Corolla….E até mesmo Versailles. Há bons exemplares desses carros sendo vendidos. E todos ele completos.

  • Renan Becker

    Duro é manter, aqui no Brasil está cada vez mais dificil

  • Breno Caetano dos Santos

    Concordo com você. O melhor carro é o 0-km, mas se tivesse recursos iria até um pouco além, compraria um bom chassi e montaria o carro do meu gosto, com pelo menos uns 500 cv e suspensão bem calibrada, e ficaria com ele para o resto da vida.E ainda tendo o prazer de mudar seu visual ou configuração quando eu quisesse. Meu sonho.

  • FCardoso

    Tempos atrás, andei pensando em comprar um brinquedo de fim de semana justamente nessa faixa de preço. O novo “filho” seria, a princípio, um BMW 540i, mas acabei desistindo.

    Ocorre que daqui a algum tempo, serei obrigado a substituir meu Focus por um carro mais novo e percebi que se eu acrescentar os R$ 35 mil à grana que eu vou gastar no carro novo, posso comprar algo bem interessante com dois ou três anos de uso. Poderia ser um Passat ou um Classe C, por exemplo, com duas vantagens:
    1. Terei um carro confiável;
    2. Poderei usufrui-lo diariamente, não só aos finais de semana.
    E assim desisti de vez do BMW velho. Mas, para quem ainda quiser algo do gênero, recomendo informar-se a respeito de lojas de peças online fora do Brasil (principalmente para quem compra carros americanos, há bastante peça na internet a preços razoáveis).

  • RoadV8Runner

    Excelente lista, praticamente não alteraria nada. Mas, infelizmente, mesmo como segundo carro, a manutenção pode assustar, não tanto pelo preço de peças, mas sim para encontrar mão-de-obra de qualidade. Boa parte das peças pode ser comprada via Internet, nos EUA (não sei se é permitido trazer tudo, peças de qualquer valor). Tem-se que ter em mente que, dependendo da manutenção necessária, pode-se ficar com o carro parado por mais de 30 dias. Mas, ainda sim, creio que vale o risco para alguns modelos.

  • Ricardo Almeida

    Também prefiro um carro de qualidade, mesmo que usado, do que um novo de entrada.
    Há um ano troquei meu Astra Elite 2005, por um Omega australiano 3.6 de 258 cv e tração traseira, também 2005, estava com 103 mil km, tive que trocar as duas sondas cada uma r$500,00 mais m.o.
    Agora tenho que trocar o sensor de pressão do óleo, estavam me cobrando R$ 690,00, daí comecei a pesquisar e achei no eBay por R$ 140,00 já com o frete, também achei as sondas por 1/3 do que tinha pago.
    Enfim, se você souber onde procurar peças, não fica tão caro assim pra manter, o custo-benefício ainda compensará.

    • Internet hoje é uma mão na roda para achar peças de usados a preços menos abusivos que os das lojas brasileiras.

  • Lorenzo Frigerio

    Tinha um carro dessa época que eu achava legal, o Lexus SC400.
    Outro japa bem legal (e muito raro no Brasil) é o Honda Legend cupê.

    • Fernando

      É verdade, somente conheço um SC400, que vejo sempre em São Bernardo do Campo.

  • Mas esses carros são “meios de transporte” não máquinas dos sonhos, e carroças perto dos da lista. (tenho um Santana)

  • Deve ter trocado o câmbio e mexido nos diferenciais!!

  • A Cherokee Sport é uma boa opção, sem tanta eletrônica quanto a Grand Cherokee, tem manutenção mais tranqüila, e motor 6-cilindros.

  • ccn1410

    Veículos enormes e de manutenção caríssima.
    São carros para mano que não fazem a devida manutenção e usam os veículos até o osso.
    Estou fora!

    • KzR

      De jeito algum são carros para mano – e que eles nem pensem em adquiri-los. O certo é afirmar que são ótimos carros para 2º ou 3º lugar na lista de prioridade e de uso. Carros de fim de semana ou de certas ocasiões.

  • Pablo N

    O 300M tem um desempenho muito bom, assim como a estabilidade. Gera 0,93 G de aceleração lateral. Os que vieram ao Brasil têm suspensão e direção com calibragem mais firme, pois eram os mesmos exportados para e Europa. O câmbio é de 4 marchas, mas o torque de 34,5 kgfm se encarrega de fazê-lo ter a agilidade necessária. Faz de 0-100 km/h em 7,7 s e atinge 235 km/h. Creio que sejam boas marcas. Seu peso é de 1.635 kg. Atualmente tenho 2 exemplares.

  • Jr

    Milton, bela matéria. Coincidentemente, há uns cinco anos pedi a um amigo de um concessionário Mercedes-Benz Importado para ele avisar se surgisse um E430 em bom estado. Meses depois apareceu um, único dono, blindado, 50.000 km, de uma pessoa que desistiu de fazer a revisão e optou por um novo blindado de fábrica. O carro estava excelente, mas pedi para ver o orçamento da revisão e, entre freios, troca de amortecedores, alguns itens de suspensão, óleo, filtros e mais algumas correções da blindagem, a conta ficava em R$ 17.500,00. Lógico que não havia necessidade de fazer tudo de uma vez, mas trabalho com manutenção automobilística e sei que nem sempre é assim. Uma sonda lambda, que pode imobilizar o carro de uma hora para outra, a preço de concessionário sai por R$ 4.000 (R$ 1.800 se você fizer importação direta), e se começar a fazer muitas adaptações, seu sonho vira um Frankenstein. Fora que (e acho que não deveria pensar nisso, mas não consigo evitar), você vira um verdadeiro “alvo móvel” nas ruas, sujeito a todo tipo de ameaças e violências. Acho muito válida sua lista, sem dúvida, como um terceiro ou quarto carro, (o da curtição, para os finais de semana), mas não para um uso mais continuado. Para isso, nesses valores, existem muitas outras opções, como os colegas nos outros comentários já citaram. Mas, de fato, ver essas preciosidades, nesses valores, faz muita vontade. Ah, se faz!!! Abraços;

    Aldo

  • Luciano Gonzalez

    Hoje, eu tenho vontade (me falta coragem) para pular em uma Passat Variant ou Jetta Variant. Fora estes, tinha vontade de quem sabe, um A3 1.8T, manual, é claro.
    Agora quem gosta de carro e quer um carro de verdade para rodar ao invés de um popular 0-km, as opções são muitas, Polo, Astra, Focus, Fit, encontra-se diversos em excelente estado na casa dos 35 mil.

  • J Paulo

    Bem, se você chama seu próprio bem de carroça…aí já não é problema meu. Mas já que é para indicar um carro “diferente”, iria de BMW 2002.

  • Rafael Sumiya Tavares

    O câmbio Q-System é um transeixo epicíclico de 4 velocidades. O nome vem da curiosa forma em H de engate das marchas além do “PRND”, algo único na indústria, obviamente por ser eletrônico não corresponde em rapidez à vontade do motorista. Particularmente não me agrada! A versão com câmbio manual é raríssima!

  • Mibson Fuly

    Aqui em Mossoró/RN havia uma prerto com detalhes em dourado por 14.000,00 há 1 ano, na época em que buscávamos um automóvel.

  • Marcelo Schwan

    Grande Luciano!

    Põe nessa lista aí um Focus MKI com o Duratec, 2007,câmbio manual.Diversão pura também.

    E um Polo 2.0 hatch.

    abraço,
    Marcelo Schwan

    • Luciano Gonzalez

      É verdade,Marcelo!!! O Polo GTi é um sonho e o 2.0, sobra conjunto para o esforçado EA 113 2.0…. outros que entram na lista fácil são Golf GTi MKIV, Gol / Parati GTi 16v, Vectra GSi entre outros…
      Abraços!!!

  • KzR

    Concordo com sua lista.
    Suspiro até hoje com os A3 Mk1 1.8T. Vi um 1.8 numa sucata, tinha teto solar e o Audi Concert. Na hora lembrei-me do post do Josias sobre o A3 dele.
    Focus Ghia Duratec e Vectra GSi são outros dois sonhos.
    Astra só se for o GSi ou 16v.

  • KzR

    Concordo. É uma labuta diária que está se tornando cada vez mais dispendiosa. O mesmo já se pode dizer para futuros e recém-clássicos nacionais.

  • Pablo N

    Realmente, um carrão para ninguém botar defeito!

  • Pablo N

    O 300C V-6 custa muito mais de que 35 mil.

  • Vitor Archangel

    Infelizmente A3 e turbo geralmente tem um publico que detona o carro. Eu preferia ir no Passat

  • Oswaldo Bustani Jr

    Bela lista. Particularmente tenho vontade de comprar metade dos carros nela! Agora sugiro uma reportagem que fale da dificuldade que é manter esses importados no Brasil. Além de serem proibitivos para o dia a dia (pelo menos para mim, que moro em São Paulo, onde se pega trânsito já saindo de casa ) pelo consumo as vezes alto deles, não podem ser o único carro da pessoa também, pois quando quebram ficam um bom tempo na mecânica , fora os custos abusivos de importação das peças. Baita sonho de consumo, mas para comprar um 750i você tem que ter aquela poupança que sua família faz para pagar a faculdade , mais pós, mais mestrado mais MBA de reserva…

    • Conheço gente que tem 750i, um deu sorte e o carro nunca deu problema nenhum, e outro já gastou quase o preço do carro em manutenção. Vai muito do cuidado na hora da compra e do estado do carro com o dono anterior.

  • Marcio Rocha

    Essa é a lista dos sonhos, concordo. Faltou fazer a lista racional nesta mesma faixa de preço, com veículo do tipo Polo, Astra, Golf…

  • Marcelo

    Tenho um BMW 540i, blindado de fábrica, posso dizer que não existe carro igual, para quem gosta de velocidade e segurança, quanto a peças ma internet acha de tudo por preço bom, se você comparar o preço das peças de Honda, Fusion ou Jetta, vera que não é tão cara, e não se pode comparar um BMW 540i, 2000 com qualquer destes carros mencionados, será covardia.

    • Marcelo, por ser blindado de fábrica, é uma vantagem. Deve ser mesmo um ótimo carro! Parabéns!

  • patrick

    Caramba! O Accord V-6 não participar desta lista com seus 240 cavalinhos, qualidade japonesa, espetacular mecânica e conforto de poltrona…É , não sei mais o que a Honda pode fazer para ganhar o pessoal…Carros não é!

  • Colbert Bramont Loureiro

    Ah, 5,9…. tenho e sou apaixonado… é bonito sim… arranca uns olhares, puxa…principalmente pelo ronco do novo escapamento…

  • Colbert Bramont Loureiro

    Ah, e a quem interessar, pode entrar no clube que criei… tem alguns à venda lá…