Uma picape C-20 carinhosamente chamada de Princesa

Por Mauro Corrêa

O ano de 1994 tinha começado e eu com um firme propósito de finalmente comprar uma picape, tinha que ser ao estilo americano, grande, com motor a gasolina, as únicas disponíveis no mercado nacional eram a F-1000 da Ford e a C-20 da Chevrolet.

Nessa ocasião tinha um Gol 1989 a álcool e um Tanger, pequeno jipe feito em plástico reforçado com fibra de vidro. Fui até a concessionária Chevrolet na minha cidade (Belém, PA) e achei uma C-20 vermelha 1988 em bom estado de conservação. Acertei com o vendedor que ficaria com o carro se ele me desse dois dias para vender o Gol e o Tanger, e assim foi feito.

No prazo combinado, retornei com o dinheiro em mãos para fechar o negócio e para minha surpresa e decepção a C-20 havia sido vendida. Desolado e bastante irritado com a falta de palavra do vendedor, procurei o gerente para reclamar, estava sem meus carros e sem a C-20.

O gerente, pessoa sensata, vendo a situação e querendo contemporizar, propôs me vender um outro carro, um zero-km, e já mais calmo, lhe expliquei que meu sonho era uma picape C-20 e que só dispunha o dinheiro suficiente para comprar aquela usada, e que só me restava agora procurar uma em outro lugar. Foi quando me disse: Tenho uma zero-km no estoque e vou lhe vender! Perguntei: “Como, se não tenho todo esse valor?” E ele disse: “Isso a gente dá um jeito.”

Conversa vai, conversa vem, acabei ganhando um descontão e sai de lá com a C-20 Custon S zero-km, azul Riviera. Coisa mais linda! Uma verdadeira Princesa (foto de abertura).

Usava minha picape na cidade como carro do dia-a-dia e em algumas curtas viagens, sem nenhum problema, desde que fosse no asfalto, nunca em estrada de terra. Aí a família foi aumentando, dois filhos em fase de crescimento, não cabíamos mais no único banco inteiriço, minha esposa começou a sugerir que vendêssemos a picape. Tinha que achar uma solução, foi então que em 2000 resolvi transformá-la em cabine dupla. Consultei algumas empresas especializadas nesse tipo de transformação em São Paulo e o valor cobrado, quase o preço de um carro novo mais o frete, inviabilizava a negociação.

Foi então que conversando com um amigo, dono da oficina onde sempre fiz as manutenções, expus minha intenção de fazer a transformação em Belém, e que só precisaria de uma boa oficina para levar adiante o projeto.

Meu amigo conhecia bem minha picape, ficou alguns minutos em silêncio, me olhou sério e disse: “A boa oficina eu tenho, mas não quero ser responsabilizado pela destruição do seu carro, isso é loucura.”

De louco, todos temos um pouco. Alguns dias depois cheguei à oficina com uma cabine dupla de C-20 em cima de uma plataforma, havia-a encontrado em um desmanche e estava em bom estado. Pedi-lhe que a recuperasse pintando-a na mesma cor azul Riviera. Enquanto isso, fui garimpando na internet todas as peças que precisava, portas traseiras, vidros, frisos, trincos, carpete e o mais difícil de encontrar, o banco traseiro, comprado em um desmanche em Goiás.

 

Princesa 2  UMA PICAPE CHEVROLET C-20 CARINHOSAMENTE CHAMADA DE PRINCESA – POR MAURO CORRÊA – 30/10/14 Princesa 2

A carroceria da C-20 cabine dupla já montada com as peças encontradas em desmanches e pintada de azul Riviera

Por conta e risco autorizei meu amigo a desmonta minha C-20 todinha, queria que ficasse só a parte de baixo, chassis, motor, transmissão e os dois eixos. Coloquei em uma plataforma e levei até a Randon da minha cidade. Expliquei o que queria que fosse feito, alongar o chassis do mesmo jeito que se faz para trucar um caminhão, dei as medidas, os reforços que seriam necessários e alguns dias depois estava tudo pronto.

 

Princesa 3  UMA PICAPE CHEVROLET C-20 CARINHOSAMENTE CHAMADA DE PRINCESA – POR MAURO CORRÊA – 30/10/14 Princesa 3

O chassi da C-20 cabine simples já alongado, vê-se parte da longarina inserida, mais clara

Retornei com o chassis e após a pintura começamos a montá-la. Cardã devidamente adequado à nova distância entre eixos, tubulações, fiações, cabos do freio de mão ajustados, tudo pronto para o grande momento. Havia chegado a hora de colocamos a cabine no lugar. Se eu tivesse errado nas medidas, tudo estaria perdido. Alívio, a cabine assentou perfeitamente, os suportes que anteriormente eram quatro, agora são seis, todos milimetricamente reposicionados, tinham encaixados os parafusos dos coxins, depois devidamente apertados. Depois foi montada toda a parte dianteira, os pára-lamas e capô do motor, e finalmente a caçamba, exatamente como era em seu tamanho original. Propositalmente não quis diminuí-la, poderia ter utilizado a caçamba original da cabine dupla, que é menor, mas não o fiz, e por essa razão minha Princesa é maior do que qualquer picape C-20 cabine dupla que saiu de fábrica, ficando mais harmoniosa em suas proporções e mais parecida com suas irmãs americanas.

Princesa 4  UMA PICAPE CHEVROLET C-20 CARINHOSAMENTE CHAMADA DE PRINCESA – POR MAURO CORRÊA – 30/10/14 Princesa 41

Como ficou a minha Princesa, cabine dupla com caçamba da cabine simples

Até hoje, passados vinte anos, a Princesa ainda mantém a mesma imponência, tal qual o dia em que saiu da concessionária Chevrolet. Por onde passa, sua beleza chama atenção. Que seja assim por muitos anos.

Fotos: autor

ooooo

Como ficou a minha Princesa, cabine dupla com caçamba da cabine simples

Sobre o Autor

AUTOentusiastas

Guiado por valores como paixão, qualidade, credibilidade, seriedade, diversidade e respeito aos leitores, o AUTOentusiastas desde 2008 tem a missão de evoluir e se consolidar como um dos melhores sites sobre carros do Brasil. Seja bem-vindo!

Publicações Relacionadas

  • Mineirim

    Mauro,
    Parabéns pela Princesa! Essa montagem de cabine dupla com caçamba normal lembra a F-250, que também não tinha sua caçamba diminuída.
    Mas diz aí como é fazer curvas com ela, rodando na cidade. O entre-eixos é gigantesco.
    Boa sorte com a lindona.

    • Lucas Vieira

      Mineirim, se o Mercedão lotação com quase 12 m e 500 passageiros às 18 h vira qualquer esquina, isso aí tira de letra!

  • Newton (ArkAngel)

    E não é que ficou mesmo diferente?
    Aqui em São Paulo iria ser difícil estacionar nos shoppings, hehe!

  • Antônio do Sul

    Parabéns pela sua coragem, pois, graças a ela, você tem um carro exclusivo. Tiro o chapéu pela seriedade e honestidade do gerente da concessionária Chevrolet da qual você a comprou. Infelizmente, está cada vez mais difícil encontrar pessoas assim, e se ele pôde remediar a falta de palavra do vendedor, com certeza teve o apoio dos donos da concessionária, que também eram pessoas de caráter.

  • Grande projeto! tem que ter coragem pra fazer isso rsrs

  • TwinSpark

    Belíssima C20 essa da foto de abertura. Nunca fui fã de picapes, mas tenho uma forte queda por D20, principalmente as últimas. Carro gostoso e fácil de dirigir, com um motor tranquilo. A característica da D20 que mais aprecio é o barulho do motor; mas o da C20 não fica muito atrás. Alguém tem os dados de torque e potência da C20?

    Se a Chevrolet dos anos 90 fosse a mesma do início dos anos 2000 teria mantido a D20 em produção por mais tempo, ou melhor, teria mantido todo o seu conjunto mecânico na Silverado.

  • Rafael Aun

    Show.

  • BlueGopher

    Esta merece ficar na família para sempre.
    Parabéns pelo seu trabalho e coragem!

  • Mário César Buzian

    Linda picape, meus parabéns pela iniciativa e pela coragem de abraçar esse projeto !!!

  • pyttuca

    “CABOCO”, meus parabéns, espero em breve estar aqui também contando os relatos da reconstrução de minha Bonanza 93.

  • RoadV8Runner

    Realmente, o trabalho de transformação ficou perfeito. Até ler a parte em que a caçamba da cabine simples foi mantida, estava me perguntando porque não trocar por outra cabine dupla original de fábrica.

    • Lucas Vieira

      Já ouvi dizer que essa transformação “casa” certinho com o chassi da D-40, bastando alargar a caixa de roda da caçamba, por conta da rodagem dupla. Aí sim, show de bola!

  • Lucas

    Muito legal. Essas rodas são um show a parte.

    Abraço

    Lucas CRF

  • Isto sim que eu chamo de iniciativa e perseverança! A C-20 ficou maravilhosamente dentro dos parâmetros normais que uma pick-up de série deve ter, essa cor é perfeita, belo azul Riviera!

  • Filipe Pinhati

    Linda, perfeita, carrão, jóia rara!

  • Gustavo Carneiro

    Só falta um MWM Sprint 6 cilindros pra completar hehehe. Brincadeiras a parte ficou muito bom, faz sonhar com a D-40 duplada.

  • Kleber Pratagy Filho

    Bela história Mauro! Belíssima! Que assim perdure por muitos anos!

  • Mauricio Dias

    Cara, babei na primeira foto… que C-20 estilosa! Pena que esse tipo de carro esteja cada vez mais inviável de comprar…