_mg_1814  TOYOTA COROLLA GLI NO USO mg 1814

Já testamos, no uso, o Corolla Altis, topo de linha do modelo e que hoje tem preço sugerido de R$ 93.400,00. Agora foi a vez da versão de entrada, a GLI, que fica bem mais em conta, R$ 68.300,00, e que mecanicamente só difere do Altis por ter motor de 1,8 litro em vez do 2-litros e ter câmbio manual de 6 marchas em vez do CVT.

Particularmente considero que o 1.8-l de 144 cv a 6.000 rpm (álcool) dá e sobra. Tanto sobra que na vizinha Argentina não há a versão de 2 litros à venda, e olhe que lá é costume viajar a velocidades bem mais altas que aqui. O mesmo se passa com seu eterno rival Civic. Lá só vendem Civic com motor 1.8-l.

Peguei estrada com o GLI e ele estava “fraquinho”, pois tinha gasolina no tanque e com ela o 1.8-l “só” produz 139 cv a 6.000 rpm e 17,7 m·kgf a 4.400 rpm. E como ele anda bem! Como retoma bem velocidade, como se mantém bem em alta! E deu mostras que se portaria com muita naturalidade caso eu quisesse andar a mais de 160 ou 180 km/h por horas a fio, velocidades proibidas e inimagináveis por estas bandas, mas muito comuns na vizinha Argentina ou então nas autoestradas européias, cujo mercado onde a versão mais forte do Corolla tem motor 1,6-l aspirado de 132 cv. Nos Estados Unidos a versão mais potente é a 1,8-l de 140 cv, motor igual ao da Argentina e deste GLI.

Acelera bem ao longo das marchas e o corte de rotação, do tipo limpo, se dá a 6.500 rpm, 500 rpm acima da rotação de potência máxima. Perfeito. 

Ele se mostrou muito econômico para um sedã desse porte e desempenho. Fez entre 9 e 11 km/l de gasolina na cidade e entre 13 e 15 km/l na estrada, ambos dependendo do tráfego.

 

Um bom sedã urbano e estradeiro  TOYOTA COROLLA GLI NO USO mg 1857

Um bom sedã urbano e estradeiro

O interessado em adquirir o modelo, portanto, não deve temer alguma “falta de motor”, caso opte pelo 1.8-i. Ele tem quatro válvulas por cilindro, dois comandos de válvulas, ambos variáveis, e é bastante elástico, com disponibilidade de boa potência desde baixa rotação. Na cidade requer poucas mudanças de marcha, e quando elas são necessárias é um prazer trocá-las. Na estrada retoma bem, mesmo estando em 6ª marcha, que é relativamente longa, pois a 120 km/h reais o giro segue a silenciosas 3.000 rpm.  Os pneus Bridgestone Turanza ER300 205/55R16V se mostraram condizentes.

O novo Corolla, como já havia sido levantado no teste da versão Altis, ficou realmente muito bom de estrada. Viaja com uma grande  serenidade, mesmo em velocidades acima da máxima permitida. Viajando, é preciso atenção para evitar que ele ultrapasse os 120 km/h reais, pois o bom isolamento acústico (mesmo não tendo manta fonoabsorvente sob o capô), a boa aerodinâmica, a suavidade e silêncio do motor e a ótima estabilidade mascaram a velocidade em que se está. E isso é bom, pois proporciona viagens descansadas para todos a bordo.

 

Mostradores legíveis e de bom design.  TOYOTA COROLLA GLI NO USO mg 9091 1

Mostradores legíveis e de bom design

Por sinal, os bancos, revestidos em tecido cinza-claro, são bastante confortáveis. Os três adultos que cabem atrás terão cinto de três pontos e apoio de cabeça, e só o passageiro do meio encontrará um encosto um pouco duro. Já os outros terão um encosto macio e reclinado, ideal para um cochilo, e amplo espaço para as pernas. Pena o encosto desta versão não rebater, como o da versão Altis, o que aumentaria muito sua versatilidade de carga para bem além dos 470 litros. Há fixações Isofix e superiores (top theter) para cadeiras infantis.

 

Conforto ideal para quatro adultos, mas cinco viajam bem.  TOYOTA COROLLA GLI NO USO mg 9099

Ótimo conforto para quatro adultos, mas cinco viajam bem

O banco do motorista tem regulagem de altura, bem como o cinto de segurança; volante, distância e altura. A alavanca do câmbio está bem posicionada e os engates são leves e precisos, bons de cambiar, até o canal da 5ª e 6ª marchas é exato. Infelizmente a tampa do porta-objetos central atrapalha a movimentação do braço na troca de marchas, e esse é só mais um carro entre muitos com esse defeito, o que me leva a crer que projetem esses porta-objetos visando versões com câmbio automático. A solução é deixar sua tampa aberta, na vertical, para se ficar livre de cotoveladas.

O volante tem assistência elétrica variável, leve em baixa e firme em alta, ideal, e são 3,2 voltas entre batentes. Os pedais estão bem posicionados, porém o do freio bem que poderia estar um pouco mais próximo do pedal do acelerador para facilitar ainda mais o punta-tacco. Tem bom apoio para o pé esquerdo. O relé de seta tem som bem audível, o que torna difícil esquecê-lo ligado. Há luz de seta nos retrovisores externos e pisca-3. Os faróis, de refletores duplos, são excelentes. É necessário apertar a embreagem para dar a partida, e isso é bom, pois evita situações embaraçosas causadas por descuidos, fora que assim criança não consegue ligá-lo. A ré não é sincronizada.

 

Painel de design limpo. Lembra design dos carros alemães.  TOYOTA COROLLA GLI NO USO mg 9090

Painel de design limpo. Lembra design dos carros alemães.

Enfim, o Corolla, que há anos vinha conquistando  clientes fiéis por qualidades já conhecidas como confiabilidade, economia, conforto e outro dotes, abriu seu leque de possíveis interessados, pois agora somou a elas o prazer de dirigir.

 AK

 Fotos: divulgação
FICHA TÉCNICA NOVO COROLLA GLI
 
MOTOR
Tipo4 cilindros em linha, transversal, variador de fase admissão e escapamento, flex
Cilindrada (cm³)1.798
Diâmetro x curso (mm)80,5 x 88,3
N° de comandos/localizaçãoDois/cabeçote
N° de válvulas por cilindroQuatro
Taxa de compressão (:1)12
Potência (cv)/rpm G/A139/6.000/144/6.000
TorqueNão informado pela Toyota do Brasil
Formação de misturaInjeção de combustível no duto
TRANSMISSÃO
Tipo de câmbioManual 6-marchas
Conexão motor-câmbioEmbreagem monodisco, acionamento hidráulico
SeleçãoAlavanca no assoalho
Relações das marchas (:1)1ª 3,538; 2ª 1,913, 3ª 1,310; 4ª 0,971; 5ª 0,818; 6ª 0,700; ré 3,333
Relação de diferencial (:1)N.D.
Rodas motrizesDianteiras
SUSPENSÃO
DianteiraMcPherson, braço triangular, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
TraseiraEixo de torção, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
DIREÇÃO
TipoPinhão e cremalheira, assistência elétrica indexada à velocidade
Voltas entre batentes3,2
Diâmetro mínimo de curva (m)10,8
FREIOS
DianteirosDisco ventilado de Ø 274 mm
TraseirosDisco de Ø 259 mm
ControleABS e EBD
RODAS E PNEUS
RodasAlumínio, 5-raios, 6Jx16; estepe de aço, 6Jx16
Pneus205/55R16v, inclusive estepe
DIMENSÕES (mm)
Comprimento4.620
Largura1.775
Altura1.475
Distância entre eixos2.700
Bitola dianteira/traseira1.519/1/521
Vão livre do solo, mínimo155
AERODINÂMICA
Cx0,30
Área frontal (calculada, m²)2,09
Cx x A (m²)0,627
CONSTRUÇÃO
TipoUnitária, aço estampado, 4 portas, 5 lugares
PESOS e CAPACIDADES
Peso em ordem de marcha (kg)Não informado pela Toyota do Brasil
Peso bruto total (kg)1.635
Tanque de combustível (L)60
Porta-malas (L)470
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL (km/l)
Cidade10,7 (G), 7,4 (A)
Estrada13,2 (G), 9,1 (A)
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h (s)Não informado pela Toyota do Brasil
Velocidade máxima (km/h)Não informado pela Toyota do Brasil

Sobre o Autor

Arnaldo Keller
Editor de Testes

Arnaldo Keller: por anos colaborador da Quatro Rodas Clássicos e Car and Driver Brasil, sempre testando clássicos esportivos, sua cultura automobilística, tanto teórica quanto prática, é difícil de ser igualada. Seu interesse pela boa literatura o embasou a ter uma boa escrita, e com ela descreve as sensações de dirigir ou pilotar de maneira envolvente e emocionante, o que faz o leitor sentir-se dirigindo o carro avaliado. Também é o autor do livro “Um Corvette na noite e outros contos potentes” (Editora Alaúde).

Publicações Relacionadas

  • Lucas

    Tomara que os fabricantes nunca deixem de oferecer opções como este carro, um sedã espaçoso, suficientemente potente e com somente o essencial. Nada daquelas bobagens de central multimídia, ar automático dual zone e etc. Muito bom.

    • Bosley de La Noya

      Pode ficar tranqüilo que a Toyota jamais fará isso. Afinal, ela vende um carro sem nada disso pelo preço que deveria custar um com central, ar digital, transmissão automática, etc, etc …

    • Carlos Barbosa

      Ar dual zone bobagem???

    • CorsarioViajante

      Também não gosto do exagero, mas o preço tem que acompanhar.

  • Marcos Alvarenga

    Fiquei pensando como esse motor ficaria com taxa de 14-15:1 rodando só com álcool. Deve chegar aos 150cv facilmente.

    Nosso velho assunto sobre o desperdício de combustível com essa onda flex.

  • Marcelo R.

    Configuração interessante… Quanto será que vendem desta versão manual, por mês?

  • Rogério Ferreira

    Meu próximo carro… esse aí mesmo GLi, cambio manual: tem tudo o que eu preciso: anda bem, na medida certa; é econmico, mesmo sendo flex (e duvido que renderia mais se fosse apenas a gasolina), é espaçoso, não que seja um salão, mas para o meu porte, sobra; o revestimento interno é claro, como todo o carro deve ser, suspensão macia, como todo Corolla para filtrar bem as irregularidades do asfalto, sem prejuízo a estabilidade. É eficiente, boa aerodinâmica, para usar o mínimo de motor, em situações de cruzeiro (eis uma das razões da economia)… É carro para longas viagens— 1000, 2000 Km de uma só vez, sem preocupações, como sempre gostei de fazer. Sem contar que Toyota é de baixíssima manutenção, só os itens de desgaste natural, que demoram a se desgastar (terror dos reparadores). Aliás, nesses longos anos de estrada, digo, que nunca vi…NUNCA vi, qualquer Toyota parado no acostamento, com pisca alerta e capô levantado. O Painel é feio, parece que foi projetado pela mesma equipe, que desenhou aquela “maravilha” do painel do Etios, mas jamais deixaria de comprar um carro pelo painel. É o meu próximo carro, com certeza, que comprarei semi-novo, com poucos Km rodados, e preço bem melhor. Corolla seminovo, é muito mais garantido do que um 0Km das quatro grandes.

    • Claudio Fischgold

      Rogerio,

      tenho um Corolla XEI 2013 (e é o meu quarto Corolla). Como vc ainda não viu nenhum Corolla parado na estrada, há um mes fui a Angra dos Reis, e na estrada um outro motorista me avisou que tinha uma peça pendurada perto da roda dianteira esquerda. Parei e descobri que a dita peça era o rastreador colocado pela seguradora. Eu mesmo fiz uma gambiarra e prendi o dito cujo para conseguir chegar em casa. Portanto, ainda não é desta vez que temos um Corolla enguiçado na estrada.

    • CharlesAle

      Quando em um carro não é devidamente feita sua manutenção, como troca de óleos, líquido de arrefecimento etc, até um Corolla fica na estrada! Aliás, não creio em marca ruim, mas sim em carro mal cuidado.

      • Daniel

        Díficil… Corolla aceita desaforo, aliás muito desaforo.

  • Tessio R R Bonafin

    Fui a uma concessionária Toyota hoje conhecer o Corolla. Gostei muito do que vi (versão xei), mas muito caro pelo que oferece, na minha opinião. Perguntei à atenciosa vendedora sobre a versão manual de entrada. Segundo a mesma, a Toyota só está vendendo o 1.8 sob encomenda para frotistas (e sem desconto pra cnpj).
    Saí de lá e fui na Nissan em busca de um Sentra S. Também gostei muito, mais equipado e tão bem acabado quanto, mas o preço…quanta diferença! Para PJ sai por 58.500!
    Para o Sentra Manual ganhar minha garagem só falta uma avaliação do Bob ou do AK. Abraços

    • Guest

      Se a empresa coloca um carro desses no catálogo e ainda cede para testes e não o disponibiliza para a venda, deveria ser crime.
      É muita sacanagem e gostaria de saber a versão da Toyota.
      Arnaldo e Bob, que tal ir lá e perguntar?

    • Fórmula Finesse

      O Sentra não deve ficar nada a dever; é um ótimo carro de guiar: bem amortecido, silencioso, anda bem…nessa faixa de sedan atual médio, não encontrará carro ruim, só mais equipado ou não, e diferentes na questão de preços.

    • Luiz

      Amigo, pode levar o Sentra sem medo. Tenho um SV e o carro é só alegrias. Muito silencioso e econômico.
      O câmbio CVT da Nissan é melhor que o da Honda, e pior do que o Toyota. Já em relação a versão S, manual, o carro é show, muito esperto. Usei um com câmbio manual por 1 dia, e se eu não enfrentasse tanto trânsito, teria sido a minha escolha. Os engates são ótimos e o motor tem bom torque em rotações mais baixas.
      Infelizmente não tenho como comparar motor e câmbio com o Corolla 1,8 pois só tive contato com um parado na concessionária, mas te digo que são melhores do que os do Civic 1,8.

      A direção com assistência elétrica tem peso e comportamento similar a do Corolla.
      O acabamento, como você mesmo disse, é similar, mas os bancos em tecido do Nissan têm melhor aspecto.

      A única reclamação que tenho é sobre a suspensão. Ela é macia, muito boa na cidade e melhor ainda na estrada em velocidades mais altas, no entanto dá batidas secas e faz um pouco de barulho em pisos irregulares. Mas não é nada absurdo a ponto de comprometer a sua escolha.

      dicieri

      • Tessio R R Bonafin

        Obrigado!

    • Fat Jack

      “…a Toyota só está vendendo o 1.8 sob encomenda para frotistas…” cheiro de opção só no papel, mais uma artimanha da Toyota?
      AK, há alguma postura da Toyota neste sentido?
      Quanto ao Sentra a diferença a meu ver é o design, prefiro o Corolla fácil…

    • Peter Waine

      Quando você for vender e perder trinta mil no Sentra, vai questionar a decisão.

      • Tessio R R Bonafin

        Pois é Peter, mas compro carros para usar por cerca de 8 anos. Por isso o valor de revenda não é um ítem primordial na minha escolha. Abraços

    • toni

      Pessoal , comprei um Fluence Dynamique 2.0 13/14 câmbio manual 6 marchas 0 KM , câmbio e motor NISSAN com uma regulagem mais apimentada ( pico de torque a 3.750 rpm ao invés dos 4.800 do Sentra ) , paguei R$ 47.000,00 , cor prata , nem eu acredito !!!! Como a frente do carro mudou , eles estavam liquidando o estoque antigo , estou muito satisfeito , tem bancos de couro , piloto automático , ar bi-zone , keyless , banco traseiro rebate , direção elétrica , farol milha , computador de bordo, etc etc , enfim muito mais coisa que este Corolla , o carro é espertíssimo , anda muito !!!! silencioso , motor suave , show

  • BlueGopher

    Gostei do acréscimo após os créditos no final.
    O motoqueiro é companheiro (sem lulismo…) do blog?

    • Mr. Car

      “Companheiro” é sem mulismo, digo, lulismo. Com lulismo seria “cumpanheiro”.

  • CCN-1410

    Enquanto o Rogério Ferreira achou o painel feio eu achei bonito. Ele lembra a escola Bauhaus.

  • Mr. Car

    Para mim, estaria perfeito: quase não uso o carro em circuito urbano, de modo que um automático não se faz tão mais atraente que um manual. Também sempre achei o motor 1.8 para lá de satisfatório para a proposta do carro, não precisando que se desembolse mais por um 2.0. E que colírio ver este lindo vermelho, em lugar de preto ou qualquer tonalidade de prata! O interior, todo mundo aqui já sabe que adoro os clarinhos. Gostei, mas iria mais longe: painéis de portas inteiramente neste tom de cinza, bem como os carpetes. Bege também serviria, e azul então, seria um sonho. Claro que em caso de interior azul, a carroceria não poderia ser vermelha, he, he! Aprovado, mas não compraria sem antes fazer uma comparação detalhada com o Nissan Sentra, conforme o Tessio já disse em seu comentário.

  • CCN-1410

    Acredito que o interior claro foi feito devido aos pedidos incessantes do Mr. Car, hehehe…
    Quanto a regulagem de altura do cinto, eu nunca notei diferença. Às vezes eu o mudo para cima, depois para baixo e parece que tudo continua a mesma coisa.
    Arnaldo,
    Para rodar na cidade, seis marchas não é demais?

  • CCN-1410

    Para encerrar, hehehe… O Ae deveria testar mais carros “básicos” e com câmbio manual.
    O teste com esse carro foi uma boa ideia.

    • Davi Reis

      Assino embaixo! Esse é um ótimo costume aqui do Ae, só na memória recente já passaram por aqui até Palio Fire, Fiesta S 1.5 e Clio. Seria pedir demais testes do Novo Palio 1.0, Grand Siena 1.4 e Gol Trendline 1.0? São carros que vemos aos montes nas ruas e quase nunca nas avaliações.

  • Z_H

    Eu acho que foi-se o tempo de câmbio manual em sedan médio…

    • Lucas

      Sai pra lá! Salvem o câmbio manual!! Pelo direito de escolha!!

    • CharlesAle

      Quem pega muita estrada e não mora em cidades de trânsito congestionado,um manual vai muito bem…

    • Fat Jack

      Eu gosto muito de câmbio manual, sei lá, acho que a interação com o carro é prazeroso demais pra ser desprezado (teria tranquilamente um médio manual), mesmo assim, a dúvida que eu tenho:
      O manual não vai “micar” na hora da revenda?

  • Marcos Vinicius

    Uma palavra resume essa Avaliação, Perfeita! Realmente foi simples e direto, ressaltando as qualidades e até mesmo defeitos, mesmo que mínimos. Sempre fui um apaixonado por Corolla, o único problema é que a versão mais vendida (XEi 2.0) tem preço alto, na casa dos R$ 82 mil, com a avaliação dessa GLi só reforça a minha impressão de que a GLi com câmbio CVT deve ser uma excelente opção de compra.

  • Carlos Barbosa

    AH! Mas o painel não é “Wolfsburg”…

  • Daniel

    Otimo carro, muito robusto e com baixo consumo de combustível, foi sem dúvida o meu melhor carro, vendi pelo preço que eu quis em miseros dois dias de anuncio, o que me deixou com a boa impressão de que poderia ter pedido mais.

    Já o carro seguinte, Civic, tem consumo bem superior, praticamente 1 tanque a mais por mês e, pelo que dizem, não espero nada de surpreendente nele quando for vender.

    Com o lançamento da nova geração até pensei em voltar a comprar o modelo, mas infelizmente é impossível. No ceará é vendido com 5 mil de acrescimo sobre o preço do site, a versão gli auto é vendida por 75,9 mil, com 90 dias de espera, e a xei é vendida por 85,6 com 45 dias de espera.

    • CharlesAle

      Noventa dias de espera! !sso não é comprar um carro, é pagar promessa!

    • Antônio do Sul

      Tudo bem que a distância entre Indaiatuba e o Ceará é grande, mas não pode ser que esses 5 mil reais correspondam ao frete. As concessionárias estão metendo a faca só porque há quem aceite pagar esses preços. O carro pode ser muito bom, mas também há muitos produtos bons na concorrência.

  • Fórmula Finesse

    Detalhe importante, sinal de preciosismo…engate correto e fácil da quinta para sexta marcha – são poucos os modelos onde a gente se sente bem confortável para essa mudança. Muito bacana esse Corolla manual, gosto do visual, do painel, do volante…praticamente de tudo. Existe sim um viés esportivo nos Corollas se bem manejados – lembro que em termos de desempenho puro, há dez anos atrás uma Corolla Fielder manual, foi cronometrada a nada menos do que 209 km/h reais na pista circular da GM, pela revista Quatro Rodas.
    Ou seja, motor na verdade, nunca faltou a esses carros – apenas eram um pouco amordaçados pela caixa de quatro marchas automática.

    • HorsePower

      Acho essas fielder muito boas. Pena que a Toyota não manteve essa versão SW do carro por aqui!!

      • Fórmula Finesse

        Pena mesmo!

      • Leonardo Mendes

        Então, parece que a nossa Fielder era uma mescla da americana com a japonesa… nunca entendi direito.

        • DJUNIOR

          Teria o Auris no nosso caso, mas como os “novos ricos” preferem rasgar R$ 100 mil numa RAV4 2.0 FF… Tem o CVT igual ao do Corolla e tal, só que vai pagar um sedã prata Altis num carro tão equipado quanto o Etios…

  • Eduardo Copelo

    Só podiam tirar um pouco desse preço, né? o carro é bom, bonito, espaçoso, e bom de andar(pelo que dizem, nunca experimentei), mas, por 68 pratas fica difícil…. Bom, difícil pra mim que sou pobre!! rs….

    • Lucas

      Concordo.

  • guest

    Primeira vez que vejo um Corolla vermelho, cor que cai muito bem, assim como no único Fusion e no único Bora com essa cor. Vi também alguns Peugeot 408 vermelhos, também muito bonitos.

  • Lucas

    Bobagem.

  • Eduardo Edu

    Corolinha 1.8 com cambio manual empurra bem e empolga. E é econômico. Saudades do meu. Alias saudades da Toyota. Essa marca respeita o consumidor.

  • ccn1410, não é demais, não, pois na cidade vc não usa a 6a marcha e raramente usa a 5a.

  • ccn1410, bem lembrado, Bauhaus. Eu teria usado esse exemplo se tivesse lembrado quando escrevia o texto. E olhe que Bauhaus é década de 1920…, quase um século atrás.

  • Aí o mais certo é comparsa, Mr Car.

    • Mr. Car

      Tenho que admitir, Keller: você foi mais preciso na definição, he, he, he!

  • M Rios

    Mas cartel não é crime no Brasil. Todas fazem isso e o governo diz amém. Tente achar um Fit DX 1.5-MT básico, por exemplo. Dificílimo.

  • braulio

    Já eu acho que o sr. falou besteira…

  • RoadV8Runner

    Realmente, o novo Corolla está bem atraente quando comparado ao modelo anterior, exceto pelo preço, salgadinho mesmo para padrão Brasil… E tenho que concordar com o Mr. Car, o interior ficaria ainda mais bonito e agradável se usassem mais do tom cinza claro.
    O que me deixou incomodado foi o fato da tampa do porta-objetos central atrapalhar a troca das marchas com câmbio manual. Para o porte do carro, esse deslize é imperdoável.

  • CharlesAle

    O Corolla não é um carro superlativo, fica na média,mas essa média,agrada e muitos seus proprietários. É bom de manutenção, de durabilidade, resistência, economia etc.Não é topo em nada, mas é do jeito que o cliente gosta..Essa é a receita de sucesso do Corolla, mas nesse segmento eu iria de Focus sedã..

  • Juvenal Jorge

    Belo carro, câmbio certo, falta a perua, e mata a pau o Civic no quesito estilo.
    Só precisava ter preço internacional, não brasileiro.

  • Rogério Ferreira

    Em que pese a primorosa qualidade dos materiais, considerei o painel meio retrô… foge um pouco da proposta do visual externo do Corolla… Mas é questão de gosto pessoal. Prefiro o estilo “tecnobrega” do Civic. Mas como já disse, sem nenhum prejuízo a minha predilecção para uma futura compra.

  • Fat Jack

    Acredito que esta versão do Corolla seja a que mais traga a essência do carro desde sua primeira versão (e isso para mim é bom). JAMAIS pagaria algo na casa dos $90k por um Civic ou Corolla, acho um absurdo, esta versão na casa dos $60k me parece, sem dúvida, a compra mais interessante, equilibrando o emocional com o racional. A lamentar mesmo só: “… Infelizmente a tampa do porta-objetos central atrapalha a movimentação do braço na troca de marchas…” imperdoável um carro desta categoria. Não sei por que a Toyota não unificou o painel em todas as suas versões (apesar deste ser “completo” para os padrões atuais). A dúvida que eu (“manualmaníaco”) tenho hoje é se um sedã médio (mesmo dos bons como o Corolla) com câmbio manual não está fadado a ser “micado” na hora da revenda, acho que a aceitação desta configuração está diminuindo rapidamente dia a dia (infelizmente). Ainda em tempo, será que vamos voltar à época dos câmbios “+E”? Pessoalmente eu acho ótimo, ainda mais nesta configuração 5+E. Gostaria muito de saber a opinião de vocês (redatores do Ae) sobre um concorrente desta versão do Corolla meio “esquecido”: Mitsubishi Lancer da câmbio manual, salvo engano vendido a $66k.

    • Fat Jack, no texto digo que vários carros têm esse defeito do porta-objetos atrapalhando, vários, e principalmente nesse segmento, por ser quase padrão o câmbio automático.
      Tem razão quanto ao Lancer. Ele merece. Obrigado por lembrar.

  • guest

    Gostaria de sugerir um “no uso” – se possível – com o Subaru Impreza, sedã que nunca vi nas ruas, vendido ao preço das versões topo do Corolla e Civic. Obrigado.

  • Boni

    Sedã médio; manual; vermelho!

    Me pergunto se meus filhos terão a oportunidade de ver isso no futuro.

    Bela matéria, AK.

  • Lucas

    Corolla manual. Bacana demais. Impressiona-me como o câmbio faz uma diferença enorme num carro. De algo totalmente sem graça, como o automático, a um delicioso sedã.

    Lucas CRF

  • Só é caro. Devia ser 60 mil.

  • Fat Jack

    Perfeito…,

  • Ilbirs

    Não entendo que obsessão é essa da Toyota em manter os Corollas básicos sem possibilidade de rebater o banco traseiro. Tudo bem que o Corolla é conservador, mas ninguém quer que ele seja igual a um sedã dos anos 1980 inclusive na impossibilidade de rebater o banco traseiro.
    Vale lembrar que em todo Etios Sedan brasileiro o banco traseiro rebate (medida tomada pela Toyota brasileira para economia de escala, uma vez que usa o mesmo banco do hatch).

  • PRA Q PUNTA-TACO, SAI PHORA…

    Não é à toa ser o carro mais vendido, a máquina é confiável e dá segurança a quem não sabe dirigir, e se alguém achar pouco esportivo, é porque o imposto brasileiro e ridículo.

  • R.

    Mas garanto que tanto um Toyota como um Honda vele cada centavo pago!
    Permita-se…. experimente um!

    • Peter Waine

      Concordo. Já tive os dois, ambos espetaculares.

  • Peter Waine

    Não entendi essa comparação com painel de carro alemão. O do corola é ridículo, olha esse relógio de del rei!!

  • Cristiano Zank

    Quanto ao mercado, é só ver por exemplo o caso do Jetta 2011 usado. O manual custa em média de 3 a 5 mil a menos que o automático. Sinal de que a maioria está preferindo comprar os automáticos para sedãs médios. Não cheguei a olhar preço dos Corollas manuais, porque, para mim um carro nesta faixa de preço é melhor que seja automático, por mais que goste de trocar de marchas.

  • Andrex2501

    Vendo o vídeo, como existe imbecil no trânsito brasileiro, essas lesmas ficam empatando na faixa da esquerda. Não querem andar, fiquem na direita.

  • marcus lahoz

    Na pesquisa que fiz, o Corolla tem a manutenção mais barata até 120.000 km e as peças mais baratas.

    Concordo que o motor 1.8 é mais que suficiente (no Civic também acho).
    É um carrão, mas infelizmente é caro demais.

  • pkorn

    Caro, Fat Jack, por incrível que pareça, é verdade. Tive um Focus Sedan 2.0 completo com câmbio manual. Uma grande máquina, devoradora de estradas. Quando fui vender vários “especialistas” quiseram depreciar meu carro pelo câmbio manual. Hoje o Focus 2.0 sequer tem opção manual. Nem cogito em ter um, fiz o test drive no novo e posso afirmar que mesmo com aumento na potência e injeção direta, ele não dá tanto prazer como meu MK 2,5 com câmbio manual.
    Abraços aos Autoentusiastas!

    • Antônio do Sul

      Além de não ter a opção de câmbio manual, o Focus 2.0, salvo engano meu, não tem a opção de troca de marchas através das borboletas atrás do volante, que também já não permitem a interação carro-motorista que só um câmbio manual garante. Parece que o comando para trocas manuais é feito através de um botão na alavanca…

      • pkorn

        Pois é… mas tem um delay nessa troca, não é a mesma coisa, testei pessoalmente. “Nossas” fabricantes deixam muito poucas opções ao consumidor, não há versões SW, não há versões manuais, conversíveis, cupês, poucas cores. Na Europa, o consumidor pode combinar até a cor do interior com o exterior, pegar uma perua potente com câmbio manual, uma picape com cabine estendida e por aí vai…

        • KzR

          Até desanima falar das opções de lá e nós restritos a três ou quatro configurações.

      • KzR

        Por essa razão, acho que esse Focus devia micar. Um 2.0 daqueles com um PowerShift sem uma opção decente de troca de marchas? Eles já tem um bom câmbio de 6 marchas na prateleira. É só colocar.

    • KzR

      “Especialistas” em preferir o AT4 ao MT5… eu particularmente torço o nariz para essas caixas automáticas de apenas 4 marchas.
      Se você manteve seu Mk 2,5, tomou a decisão certa.

  • Dieki

    Comparado à concorrência, o conjunto mecânico é tão superior assim para vender um carro “básico” para os padrões da categoria a um preço tão elevado? O Focus Sedã SE é bem mais equipado e também oferece excelente conjunto mecânico por preço idêntico.

  • braulio

    Fat Jack, pelo que vejo com o Civic e Corolla de gerações anteriores, os manuais até desvalorizam menos: Têm a procura de quem quer um médio, mas, ou gosta do tipo de câmbio, ou não se adaptou com o automático ou simplesmente ainda tem preconceito com esse tipo de câmbio.

    • Fat Jack

      Confesso que não tenho acompanhado o mercado de usados para esses carros, porém imaginei que seria parecido com o mercado de novos, onde os de câmbio manual estão gradativamente até deixando de ser oferecidos.

  • heliofig

    Arnaldo,
    Comparando, acho que esta é a versão próxima à que o antigo Corolla XEi 2009 (como o meu, que está com 30.000km) era, inclusive equipamentos – e preço, que o XEi 2009 custava R$72 mil.
    Gostei de seu comentário sobre o motor “dar e sobrar”, pois o modelo atual tem 10CV a mais que o 2009, que já anda bem, mesmo com 4AT.
    Na minha opinião, é o conjunto mais honesto. O resto é o preço do “T” estilizado que vai na grade dianteira…

  • KzR

    Como você falou, Arnaldo. Esse motor dá e sobra. Logo é ilógico termos um 2.0 que não se pode aproveitar o potencial extra dele por causa dos limites de velocidade – somente melhores retomadas. O mesmo vale para outros modelos. Lembro de uma revista desmerecendo alguns modelos de sedã porque não tinham motor 2.0 – “preferência nacional”. Isso me leva a crer que tem alguma coisa muito errada em nosso mercado.

    • Domingos

      Considerando o quanto cobram no nosso mercado, nada mais justo que a oferta do 2.0. E vou além: se coubesse um V6…
      No mais, o 1.8 é muito bom também. Aliás, até mesmo os raros 1.6 das versões anteriores eram muito econômicos e bons de dirigir. Claro, o desempenho era apenas suficiente. Mas sem sensação de estar se arrastando.
      O problema dos 1.8 é apenas um: o automático não se vende mais a não ser para taxista ou PNE. O manual serve para anunciar preço baixo em jornal, mas chega na hora e também fazem corpo mole.
      Em especial o que não gostei mesmo nessa geração do Corolla é a moleza da suspensão em curvas. Pior que o meu antigo, que já era ruim. No resto o carro é ótimo.

    • Renato

      Esqueceu que o motor dois litros tem uma retomada bem melhor em uma ultrapassagem por exemplo. Não é só velocidade final….

  • KzR

    Essa versão é muito equilibrada. Pontos negativos: banco traseiro não-rebatível e tampa do console central invasiva.

    Esta característica do banco traseiro ser bom para cochilo também notei no Linea.

  • Luis

    Se o veiculo a sua frente estiver andando na velocidade da via não há porque. Só porque existem aqueles que aceleram a mais que permitido na via e quando chegam ao radar reduzem. O cara a sua frente paga o mesmo IPVA que você,

    • Michell

      Errado… Faixa da esquerda é única e exclusivamente para ultrapassagens.

  • Lemming®

    Se tirar este black piano do painel fica ótimo.