HONDA CIVIC Si ESTÁ DE VOLTA DSC01099 e1459384162602

Depois de um hiato de três anos, o Honda Civic Si está de volta, mas com a roupagem de um cupê, mais potência e importado do Canadá. Preço público, R$ 119.900.

O que foi produzido aqui a partir de 2007 com motor e transeixo importados vendeu cerca de 3.500 unidades.  Custava à época do lançamento R$ 99.500, o que permite supor que o novo  está sendo subsidiado pela Honda brasileira considerando a variação cambial no período (dólar a R$ 2,10, hoje R$ 2,40), a própria inflação (cerca de 35% em sete anos) e, principalmente, recolher o imposto de importação de 35% que antes não recolhia.

HONDA CIVIC Si ESTÁ DE VOLTA DSC01096 e1459384200938

De qualquer maneira, é louvável a decisão de relançá-lo no mercado brasileiro, quanto mais com um caráter bem diferente de antes, que além do maior desempenho dá um toque  de elegância e exclusividade a esse membro da família Civic por ser um duas-portas.

Mais louvável ainda foi a decisão de trazer o Si com câmbio manual de seis marchas. em plena contramão da  “preferência nacional” pelo câmbio automático — os brasileiros precisam se livrar dessa pecha ridícula de que câmbio manual nesse segmento vira mico e (re)aprender a apreciar um bom câmbio manual. Devagarinho chegaremos lá, vide o Renault Fluence GT, o Citroën DS3 e o recente Suzuki Swift Sport.

HONDA CIVIC Si ESTÁ DE VOLTA DSC01095 e1459384257368

São muitas as mudanças, a começar pelo motor, que de 2-litros de 192 cv a 7.800 rpm e 19,2 m·kgf a 6.100 rpm passou a 2,4-litros de 206 cv a 7.000 rpm e 23,9 m·kgf a 4.400 rpm. O corte de rotação que era a 8.400 rpm agora se dá 7.500 rpm. Ficou mais civilizado mas nem por isso menos empolgante.

2D8A2486b  HONDA CIVIC Si ESTÁ DE VOLTA 2D8A2486b

Interior com ênfase no esportivo

Essa potência é obtida com gasolina comum e segundo a fábrica ela não aumenta com gasolina de maior octanagem, ao contrário da versão anterior,  que ganhava 3 cv. A taxa de compressão é a mesma de antes, 11:1, que é mesma do Si comercializado nos EUA e Canadá.

2D8A8631LRc  HONDA CIVIC Si ESTÁ DE VOLTA 2D8A8631LRc

Arranjo dos instrumentos como nos demais Civic, apenas com decoração diferente.

A atuação do i-VTEC também é diferente. Enquanto antes era “tudo ou nada”, ou seja, enquanto a variação de fase  na admissão e no escapamento era por conta só dos ressaltos diferentes, agora há um variador de fase no comando de admissão. Além disso,  em operação de VTEC “manso” uma das válvulas de admissão levanta menos. O coletor de admissão continua de dois comprimentos, o “i” do i-VTEC. O coletor de escapamento permanece integrado ao cabeçote,  solução que não é novidade na Honda, surgiu no Civic de 9ª geração Japão/3ª aqui em 2006.

2D8A8524LR  HONDA CIVIC Si ESTÁ DE VOLTA 2D8A8524LR

São 2,4 litros, 206 cv a 7.000 rpm

Outra mudança foi a eliminação da árvore contra-rotativa de balanceamento, tendo a maciez do motor de 2.4 litros sido conseguida com estudo dos contrapesos do virabrequim, segundo a Honda. De fato, o motor é muito suave em toda a faixa de funcionamento.

Há mais mudanças. O entreeixos  é mais curto, 2.620 mm contra  2.700 mm do sedã, e o carro está 61 mm mais longo, 4.550 mm agora. Está marginalmente mais largo, 1.755 mm contra 1.752 mm, porém 35 mm mais baixo,  1.415 mm, era 1.450 mm. O peso subiu, foi de 1.322 para 1.359 kg.

Pneus estão mais largos, são 225/40R18, antes 215/45R17. A direção continua a mesma com assistência elétrica de relação bem baixa, 13,6:1. A suspensão tem a mesma calibração anterior, privilegiando estabilidade mas sem deixar o rodar desconfortável.

A maior novidade no interior é no quadro de instrumentos, que traz um instrumento gráfico pelo qual se sabe quanto de potência o motor está desenvolvendo, em porcentagem, bem como luz de troca de marcha a partir da entrada do VTEC “de alta” a 5.000 rpm que consiste de quatro luzes que correspondem a 500 rpm cada, até chegar à última, 7.000 rpm. É divertido — para mostrar para os amigos…

Há controle de estabilidade e tração desligável e agora há a vetoração por torque, aumentando a rapidez de mergulho nas curvas. Continua o diferencial autobloqueante Torsen.

O câmbio tem uma seleção de marchas  aprimorada em relação ao Si anterior, especialmente no canal 5ª-6ª, mas a alavanca está mais longe do motorista do que o desejável, como no anterior, denunciando o projeto japonês para mão inglesa.  Com volante na direita a distância é perfeita.

A velocidade máxima — não declarada, tampouco a aceleração — em quinta marcha. A v/1000 em sexta é de 37,8 km/h e em quinta, 29,5 km/h. A 120 km/h corresponde quase 3.200 rpm e em quinta, no corte a 7.500 rpm, são 221 km/h. Alguma coisa não bate, portanto. O carro tem potência para chegar tranquilamente  a 230 km/h, ajudado pelo Cx 0,27 e área frontal calculada de 2 m², o que resulta na boa área frontal corrigida de 0,54 m².

2D8A2705bc  HONDA CIVIC Si ESTÁ DE VOLTA 2D8A2705bc

Porta-malas de 330 litros

O cupê Civic Si, assim, é um carro que prima pela elegância e pelo desempenho (deve ir de 0 a 100 km/h em cerca de 8 segundos), conferindo certo ar de exclusividade ao seu dono. Afinal, serão importadas apenas 100 unidades num primeiro momento. Dá bem para o dia a dia e muito bem para pegar uma estrada, mesmo que o porta-malas seja pequeno, apenas 330 litros, apesar do estepe temporário fino.

E um brinde a quem aprecia câmbio manual.

BS

Fotos: divulgação/Caio Mattos, a menos que indicado diferente.
FICHA TÉCNICA HONDA CIVIC Si CUPÊ
MOTOR
N°. de cilindros/localização/posiçãoQuatro em linha/dianteira/transversal
Cilindrada (cm³)2.354
Diâmetro x curso (mm)87 x 99
Taxa de compressão11:1
Válvulas por cilindro4
Comando de válvulas/acionamento2, no cabeçote/correia dentada
Formação de misturaInjeção seqüencial Honda PGM-F1
Potência206 cv a 7.000 rpm
Torque (ISO 1585, NBR 5484)23,9 m·kgf a 4.400 rpm
CombustívelGasolina comum
TRANSMISSÃO
Rodas motrizesDianteiras
CâmbioManual, seis marchas, diferencial autobloqueante tipo Torsen
Relações das marchas (:1)1ª 3,266; 2ª 2,040; 3ª 1,428; 4ª 1,073; 5ª 0,828; 6ª 0,647; ré 3,583
Relação do diferencial (:1)4,764
SUSPENSÃO
DianteiraIndependente, McPherson, braço transversal biarticulado, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
TraseiraIndependente, multibraço, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
TipoPinhão e cremalheira, servoassistida elétrica
Relação de direção (:1)13,6
Diâmetro mínimo de curva (m)10,6
FREIOS
DianteirosDisco ventilado de 300 mm de diâmetro
TraseirosDisco de 260 mm de diâmetro
ControleABS e EBD
RODAS E PNEUS
Rodas: tamanho / tipo7J x 18 pol / liga de alumínio
Pneus225/40R18W / estepe temporário T135/80R16M
CARROCERIA
TipoCupê 2-portas, monobloco em aço, subchassi dianteiro
DIMENSÕES E PESOS
Comprimento (mm)4.550
Largura sem espelhos (mm)1.755
Altura (mm)1.415
Distância entre eixos (mm)2.620
Bitola dianteira / traseira (mm)1.500 / 1.520
Peso em ordem de marcha (kg)1.359
CAPACIDADES
Porta-malas (l)330
Tanque de combustível50
DESEMPENHO
Velocidade máxima (km/h)230 (estimado)
Aceleração 0-100 km/h (s)8 (estimado)
CONSUMO DE COMBUSTÍVELCidade 8,3 km/l, estrada 13,1 km/l (EUA)
GARANTIA3 anos sem limite de quilometragem
CORESLaranja Fire (perolizada), vermelho Rallye, branco Taffeta, preto Crystal Perolizada

Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

Publicações Relacionadas

  • peugeot talbot sport

    Meu novo sonho de consumo, bonito demais esse coupé

  • Juvenal Jorge

    Bob,
    usar dados oficiais é um problema.
    Inflação de 35% em sete anos ? Isso está dando de inflação anual no supermercado !!!!!!! se não for mais…….
    Sobre o carro, congratulações pela escolha da transmissão, mas a Honda precisa urgentemente de estilistas bons.

    • thiago

      Do ponto de vista estético, acho que a Honda poderia ter feito um arranjo melhor de pneus/rodas e altura da suspensão. Um conjunto menor e carro entre um e dois centímetros mais baixo. Daria um efeito mais bonito.

  • CorsarioViajante

    Espero que isso incentive a VW a trazer o GTI também com câmbio manual e, por que não, com a forração xadrez.

    • Jr_Jr

      A versão básica do GTI vem com tecido xadrez, acrescentando pacotes ele é substituído por couro, o que considero uma blasfêmia.

    • LG

      E com duas portas

  • Marcelo

    Mesmo com mão inglesa, alavanca de câmbio e freio de estacionamento também ficam distantes. Igual ocorre com os difusores de ar do Etios.

    http://www.honda.com.au/content/dam/honda/cars/models/civic-sedan/2014/gallery/sportFullDash.jpg

  • Marcos Alvarenga

    Gostei muito da apologia aos três pedais. E mais ainda por contar com mais um raro modelo com mais de 200 cv atrelado ao câmbio manual.

    São poucos por aqui. De cabeça só me vêm o A3 FSI de primeira leva, 2007, acho, e o C30 T5 até por volta de 2008. Mais algum?

    • Boni

      Tem os VW Fusca também, Marcos.

      • Rafael Kleber

        O Fusca manual não é mais oferecido. Triste.

    • .

      Vai saber …..

    • P500

      Apologia estranha, pois na F1 os pilotos “são de verdade” e nem por isso usam 3 pedais.
      Esperava números melhores desse carro…

  • Rafael Kleber

    Esquecendo números (ainda que parecidos), apenas pelo prazer, Civic SI ou GT86?

    • Jr_Jr

      Mesmo esquecendo números, sem eu ter andado com qualquer um dos dois, penso que o GT86 está alguns degraus acima do Civic. Ao meu ver o arranjo do Civic está mais para um apimentado do que para um esportivo, como no GT86. Ademais, esse K24 me parece mais um modernização do motor já usado em outros modelos Honda do que um trem de força ideal para um esportivo. A característica marcante – motor girador – ficou esquecida (apesar de girar acima da média), e este, acredito, era o grande diferenciador do japa.

      • Renato Mendes Afonso

        Imagino que a intenção desse 2.4 no Civic é torná-lo o mais ‘global’ possível, uma vez que o mercado norte-americano não aceita muito bem motores ‘pouco potentes’ em baixo giro, ainda que seja uma característica totalmente contornável com um bom escalonamento de câmbio.

        Honda S2000 é um exemplo disso, apesar dos seus 240 cv a mais de 8000 rpm (motor 2.0), americano não curtia muito esse motor, tanto que anos depois a geração seguinte teve a cilindrada aumentada para 2.2. O corte de giro baixou de 9000 rpm no 2.0 para 8300 rpm, se não me falha a memória, o que deve ter aumentado mais a sensação de maior potência em baixa.

    • Bob Sharp

      Rafael
      São conceitos de carro totalmente diferentes. Ambos proporcionam prazer, cada um ao seu jeito. Eu colocaria a questão da seguinte forma: quem já tem um carro, GT86; quem não tem nenhum, Civic Si.

  • Fabio Vicente

    Honda, a você meu muito obrigado pelo slogan de lançamento da nova geração do Civic Si. Valorizar o câmbio manual é a prova de que nem tudo está perdido entre as fabricantes. E de quebra, que bela provocada na VW. O Golf GTI deveria ter a opção dos 3 pedais disponível no Brasil.

  • Marcelo R.

    Gostei do painel!

    “Porque pilotos de verdade usam 3 pedais”

  • Rogério Ferreira

    É impressionante, o quanto esse Civic sintetiza bem tudo que um Autoentusiasta deseja ter reúnido em um único carro: desempenho, comportamento dinâmico, eficiência, beleza, cambio manual… enfim, um conjunto primoroso, para quem gosta de dirigir, pilotar e entende muito de carro. Caro? Talvez não, se considerarmos que muitos preferem SUVs, mais caros, para andar nos mesmos lugares que um Civic andaria. Ou seja, no asfalto! Muito boa a iniciativa da Honda, em trazer, esse carro, nessa bela configuração, para o Brasil. Bom, agora temos opções de esportivos de verdade, embora que não sejam para qualquer bolso: Suzuki Swift, Peugeot RCZ, Citroën DS3, Golf GTI, Fusca(!), Toyota GT86. Só Nissan e Mitsubishi, que andam vacilando, um nicho de mercado pode não dar lucros, mas valoriza a marca.

    • 911 Turbo

      A Mitsubishi tem o Lancer Evolution. Quer mais que ele??? Anda com Porsche e custa 1/3.

  • Tessio R R Bonafin

    Adorei o parágrafo sobre a mania de rotular carros de “micos”. Carro manual mico, era o que faltava. Na hora de comprar carro a pessoa deve adquirir aquilo que o apetece e necessita, não o que a maioria ( o “mercado” – o que o vizinho vai pensar – o status) elege como correto. Abraços.

    • Lucas

      Verdade. Esse negócio de comprar carro pensando só em revenda é coisa de picareta. Compra o carro pra usá-lo!

      • KzR

        E há muitas pessoas que ainda bobeiam em pensar que pode compensar trocar de carro a cada 2 ou 4 anos.

  • Marcelo

    Não trouxeram o automático porque não tem nem na terra dos 2 pedais. Se tivesse, certamente viria só o automático, dado as pesquisas de mercado. Também pelo fato de ter de homologar duas versões (MT e AT) – dado nosso combustível exclusivo no mundo – muitas marcas optam pelo mais vendido.

  • Eduardo Copelo

    Principalmente para o pára-choque dianteiro! bem esquisito!

  • Rodrigo Rmc

    Com esse peso x potência deve ser muito bom nas retomadas e saídas de curva!

  • Boni

    Carro muito bonito e deve ter uma tocada incrível, mas uma coisa tem que ser dita: Está cada dia mais difícil enfrentar os turbos.

    Não estou fazendo comparação com os dois modelos, mas os números de desempenho desse Civic são compatíveis com o “motorzinho” do DS3.

    De qualquer maneira, parabéns à Honda por trazê-lo e, claro, com os três pedais.

    • KzR

      Qualquer sobrepressão a mais no Prince do DS3 já se extraí quase uns 200 cv.
      O ganho de potência do Si é pouco expressivo, mas tem que se ver como esses 206 cv conversam com quase 24 kgfm a 4400 rpm. O 2.0 anterior chegava a 19,2 a altas 6100 rpm. Veja o caso de como o VW 1.4 TSI se saí melhor frente ao Fiat 1.4 T-Jet; é menos potente mais tem mais torque e por mais tempo.

    • Belford

      Amigo, esse provavelmente vai ser o último SI aspirado, um novo motor já está em testes(1,6/2,0) ambos turbo, parece que o 1,6 tem 240 cv!!!

  • Piantino

    “Pilotos de verdade usam 3 pedais.” Na F-1 então não temos pilotos de verdade?

    • Arthur

      A frase na prática seria o inverso (“pilotos de mentira…”), se considerarmos que as categorias onde estão os melhores pilotos só há carros de 2 pedais. Como eu disse acima, essa tática de marketing é para vender o único produto da prateleira.

      • Mauro

        Andam contratando garotos de 16 anos para a F-1… Sei não se tem tantos pilotos de verdade na F=1 atual, tanto é que a última medida foi cortar o auxílio de gerenciamento de desempenho do piloto por rádio, para ver se as coisas ficam um pouco mais difíceis. Acho que seria bom vocês relerem o teste do Toyobaru, porque no final das contas o que vale é sua sensação dirigindo o carro, não os números e siglas tecnológicas. E para sentir o carro mesmo, câmbio manual é o que há!

    • Renato Mendes Afonso

      “Na F-1 então não temos pilotos de verdade?”

      Depende, você acha que um piloto de F-1 não consegue domar um carro com três pedais? Certamente grande parte deles já passou por essa fase em alguma categoria.

  • Bob Sharp

    Marcelo
    Eu seria capaz de jurar que no japonês ficaria certo, calcado no que conheci do Holden/Omega no tocante à alavanca do freio de estacionamento, distante do motorista aqui, próximo na Austrália.

  • Bob Sharp

    Tessio
    Deixar de comprar o que gosta só para perder menos dinheiro na venda é o exemplo típico de vender a alma ao diabo…

  • Bob Sharp

    Corsário
    Principalmente a forração xadrez!

    • Carlos Eduardo

      A forração xadrez já tem no modelo vendido aqui, felizmente.

  • 911 Turbo

    Bob, quanto ao preço, é que em 2007 ganhavam MUITO mesmo….hoje ganham pouco. Mas pôr do bolso, jamais!

  • 911 Turbo

    Piloto de F1 não é piloto de verdade porque só usa dois pedais. Entendi.

    • Lucas

      Mas você entende que um carro manual exige mais habilidade para ser tocado com maestria do que um automático? E obviamente, a habilidade exigida para tocar um F1 é muuuito maior do que para se tocar um SI. Daí ser perfeitamente razoável exigir de quem pilote o carro, o correto manuseio dos três pedais

      Lucas CRF

      • Lorenzo Frigerio

        A maioria das pessoas não conseguiria fazer esse carro andar mais com câmbio manual que com automatizado, se a Honda tivesse um. O cara pode ficar praticando “punta-tacco” e se achar um “piloto”, mas não conseguirá trocar as marchas mais rapidamente na mão. Esse é um carro “old school”, para quem curte e acha que pilotar é ficar trocando marcha. É para quem pode se dar esse luxo e aprecia “track days”, pois não é um pau para toda obra, como o Golf GTI.

        • Marquinhos Lage

          Civic Si “Old School”? Onde?

        • marcos

          Concordo. Frescura este negócio de 3 pedais. O sofrimento não compensa.

    • Lucas

      Na F-1 o que vale são os milésimos de segundo, daí os 2 pedais apenas. Já no quesito domínio sobre a máquina, o cara que é bom mesmo domina os 3 pedais.

  • 911 Turbo

    Ahhh só mais uma coisa. Segundo fontes, o carro de 3 pedais aí corta a 215 km/h….

  • Christian Sant Ana Santos

    Rodas motrizes: dianteiras e traseiras, pelos mesmos 119.900,00, continuaria lucrativo e legal…

  • MadSubaru

    Belo carro, fora a alfinetada ao Golf GTI.

    Off: Já viram a nova resolução da CBA para Track Days? É um absurdo o que a vontade de arrecadar fundos sem se importar com as consequências.

    • CorsarioViajante

      Inclusive sugiro um post aqui no Ae sobre o assunto com o parecer da equipe.

      • KzR

        De acordo.
        Tenho minhas dúvidas se pode ser barrado baseado na inconstitucionalidade.

        • MadSubaru

          Ninguém será obrigado a se afiliar (credenciar, fazer parte) de uma instituição, para realizar determinada atividade. Ainda mais recreativa. Viso aqui, que o TrackDay não é uma competição. Logo, a CBA não tem poder nenhum de “regular”. Até porque TrackDay não tem regulamento, como uma prova. Falam ainda em Diretor de Prova.

          Além do mais, alguém dentro desta instituição está ganhando algo por trás, pois “somente será permitido o uso de pneus slick novos”. Quem participa destes eventos, não tem condições de arcar com um jogo de pneus slick novos, que custam facilmente 5 mil reais cada pneu. 99% dos participantes que utilizam slicks, o compram usados de outras equipes, o que reduz muito os gastos.

          Bom, não posso continuar a comentar aqui sem tecer elogios assombrosos à CBA. Sugiro que acompanhem também essa questão no FlatOut.com.br

          http://www.flatout.com.br/track-days-em-perigo-novo-regulamento-imposto-pela-cba-pode-inviabilizar-eventos-no-brasil/

          • marcos

            A CBA só está fazendo o que sabe: PREJUDICAR O AUTOMOBILISMO NO BRASIL, FERRAR COM TUDO, INSTAURAR A DESGRAÇA, ACABAR COM MÍNIMA POSSIBILIDADE DE ALGO AQUI DAR CERTO!! Brasil: um país HOSTIL aos automóveis!!!

    • KzR

      Off = Concordo com você. Desrespeito sem tamanho. O pessoal praticante e organizações têm de se manifestar contra para barrar esta estupidez.

  • Arthur

    Esse Civic não existe com 2 pedais, nem nos States.

    O apelo de marketing “porque pilotos…” já denota um certo receio na aceitação.

    Pelos dados que essas fábricas sempre têm, se tivessem um automático na prateleira, seria este o escolhido. Como o Golf GTI. Afinal, fábrica de automóveis vive de vendas e não de agradar quem não vai comprar.

    • Lucas

      Discordo, Arthur. Juro que me enforcaria sem dó se existisse Jetta TSI manual. Não tem, não comprei.

      Lucas CRF

      • CarroPopular

        Tinha o Fluence Turbo e muitos reclamavam que não havia a opção do automático.
        Complicado, não é, o melhor seria sem dúvida nenhuma oferecer os dois tipos de câmbio.
        Pior, e o “cara” do produto, teria seu emprego ainda se os carros não vendessem?

    • Lucas

      Mas tu deve concordar que as fábricas bem que poderiam baixar os preços de modo a…. favorecer as vendas.

  • Perneta

    Rodas de 18″ foram um excesso desnecessário.

    • Douglas

      Também achei, se eu comprasse colocaria as de 17″ do LXR.

  • Perneta

    Bob, tem como comparar as relações de marcha do modelo anterior com esse? Algo como “a tal marcha ficou % mais longa”.

  • César

    Pois é, Bob, numa das respostas você fala em “conceitos completamente diferentes”. Mas no texto, vejo citada uma certa comparação entre o Si e o Fluence GT.

    Comparar um elegante e célere coupé com um sedã que já nasceu envelhecido e careta (muitos vão me crucificar, mas mantenho minha opinião) não faz o estilo deste blog.

    • KzR

      No tocante a diversão ao volante, a comparação é válida e não menos autoentusiasta.

    • Luiz Lima

      Eu entendi que comparou apenas o câmbio manual, e não necessariamente o carro em si.

  • Ilbirs

    Interessante seria se também houvesse a versão sedã, tal qual ocorre nos Estados Unidos:

    http://automobiles.honda.com/images/2015/civic-si-sedan/exterior-gallery/2015-honda-civic-si-sedan-front1.jpg

    Esta poderia até ter a vantagem de ser feita aqui, bastando incorporar o que diferencia um Civic normal de um Si ao monobloco aqui fabricado. Haveria também a vantagem de a funilaria basicamente custar o mesmo que custa em um Civic nacional de nona geração. Quem sabe com o alívio na fábrica de Sumaré após 2015…
    Outro detalhe interessante de frisar é que esse carro tem uma vantagem sobre Golf GTI, Fusca 2.0 TSI e Citroën DS3: motor aspirado, cuja manutenção é mais simples. Porém, ainda assim não acho que ele tenha tantos argumentos assim para que alguém o escolha em vez de seus concorrentes.

    • KzR

      Seria bom tê-lo junto ao coupé, mas certamente tiraria o foco deste.
      Teoricamente, os de aspiração atmosférica são mais simples de manutenção, mas neste caso temos o i-VTEC, variando fase de duas maneiras.

    • Leonardo Mendes

      Se o mercado sinalizar que quer a versão sedã (muito bonita, por sinal) eu creio que a Honda não demorará a disponibilizá-la.

    • Carlos Eduardo

      Entusiastas são exigentes. Quando o sedã da geração anterior desembarcou aqui, muitos queriam o cupê. Agora, querem o sedã? rsrs

    • Luiz Lima

      Quer dizer que se fosse sedã você estaria pronto pra pagar 120 k? Jura?

  • Lucas

    Um brinde aos três pedais! Modinha do automático já deu…

    Lucas CRF

    • Robertom

      Marqueteiros imbecis tentam criar uma tendência, que não é modinha, é coisa para preguiçoso, braço duro e nó cego.

    • Carlos Eduardo

      Não vejo como “moda”
      Em trânsitos cada vez mais caóticos, é um conforto, comodidade e um motivo a menos para se desgastar… Hoje há câmbios robotizados com trocas tão rápidas, suaves que nenhum câmbio manual proporciona. E com economia, já que não tem conversor de torque

    • Realista

      Modinha? Fala isto para o Corvete, Porsche, Mercedes,….Três pedais é de um mau gosto……Argh

  • KzR

    Que bom saber que repaginaram o conceito sem mudar muito a filosofia – o que prova como bem construído era o antecessor. A diferença marcante além de carroceria duas portas e design é sem dúvida o motor. Ficou menos girador, mas deve empolgar com mais torque. Gostei do gráfico do i-VTEC: 4 bolas amarelas, 2 vermelhas de redline.

  • RoadV8Runner

    Só tenho que aplaudir de pé o fato da Honda ter trazido o novo Civic Si na versão cupê e com câmbio manual de 6 marchas. Louvável também trazer a opção de cor laranja, que ficou simplesmente fantástica no modelo! Essa placa dos 3 pedais ficou muito bacana também. E depois alguns dizem que japoneses não sabem fazer carros que dêem emoção…

    • Milton Evaristo

      A Honda é boa de marketing. Não existe Civic Si de 2 pedais… Se tivesse, seria igual como o GTI da VW.

  • Carlos Eduardo

    Só faltou a tração traseira!

  • Rogério Ferreira

    O Evo custa a bagatela de 215.000 reais… dá para comprar um Civic Sir e um DS3!

  • Bob Sharp

    Rafael Kleber
    Tem ou não que mandar prender o Jorge Ben Jor por mentir, dizer que o patropi é abençoado por Deus? Está ai mais uma prova de que somos é amaldiçoados.

    • Rafael Kleber

      Concordo, pessoalmente fiquei muito triste, estava aguardando ter condições financeiras e agora que vi uma possibilidade de comprar, somente usado. Nunca foi fácil achar, mas com paciência poderia ser encomendado, ou encontrado, mas agora não mais está disponível, inclusive no sítio da marca foi retirado. Um agora, só se for usado. Uma pena, de todos os carros Audi/VW dotados com este belo motor, só no Fusca era possivel com câmbio manual. Mas a lista dos que aqui somente automático, em várias marcas, é grande infelizmente, não sendo nem mais homologado, portanto, nem sob encomenda, fico sonhando acordado o que deve ser maravilhoso passar marchas em um série 2, ou 3 atuais por exemplo.

  • Avatar

    Deve ser porque alguns entusiastas do assunto não tem dinheiro para manter um terceiro carro e por isso querem a versatilidade das 4 portas. Eu mesmo era muito fã da geração anterior justamente por isso: “carro de corrida” para curtir em família quando precisar…
    Sobre o conforto do automático, penso que o povo está ficando é preguiçoso mesmo. E isso se confirma com o desleixo com que a maioria dirige. Prefiro andar – mesmo de passageiro — com um motorista que anda rápido e nitidamente concentrado na sua ação do que um “roda presa” displicente que se apóia na baixa velocidade para se dizer mais consciente e seguro.

  • André

    Nada a ver…

  • Comentarista

    A Honda subsidiando a venda ou o Si anterior que era absurdamente caro? Acredito no 2º item. Não acredito que ela pague para vender carros, ainda mais no Brasil.

    • realista

      Corretíssimo! Definiu!

  • Arthur

    O câmbio é um meio para se curtir o motor. Tendo modo manual que não reduz em carga total e não troca de marchas no limite de giros, dá pra curtir o motor numa boa.

  • Manuel Siqueira

    Não vejo o Civic Si como um carro “old school” só porque ele é aspirado.Outra coisa, é “pau pra toda obra” sim, os japoneses de hoje são muito mais resistentes e confiáveis que carros europeus e para “track days” o Si não tem potência pra isso não.

    • Carlos Berna

      De fato, o Civic Si não é um “old school”, contudo não é só por causa de ser aspirado ou sobrealimentado. O que ocorre é que para que ele fosse da velha guarda teria que ter características mais profundas em termos mecânicos que hoje estão em desuso em carros da classe dele: tração traseira, comando de válvulas no bloco (combinado com injeção eletrônica) etc.
      O lance do “punta-tacco” é apenas uma opção de condução mais esportiva “à italiana”. Porém, também penso como você com relação ao Golf GtI, em que o Civic Si é bem mais esportivo e resistente tanto nas ruas ou em competições.

  • GTI

    Com o advento dos automatizados de dupla embreagem, não se justifica mais ficar pisando em embreagem, mesmo porque eles possuem a opção de trocas manuais (borboletas no volante ou na alavanca). Tive o antigo Si, muito bom o carro, excelente. Mas no dia a dia era cansativo, com suas seis marchas e altos giros. A Fórmula 1 mostra que não se precisa mais pisar em embreagem para ser rápido e se ter domínio do carro.
    Mas é bom saber que o Si está de volta. Mas acho muito difícil trocar meu Golf GTI por ele.

  • Ilbirs

    Sistema esse também que é altamente confiável, dentro daquela lógica japonesa de fazer coisas que não dêem problema a despeito de serem altamente sofisticadas.

  • Gabriel Cunha

    GTI, a questão não é simplesmente “ser mais rápido”. O prazer em dirigir de cada indivíduo nem sempre está no menor tempo de 0 a 100. Quem busca um câmbio manual, justamente aprecia a troca mecânica, aquela “ligação direta” entre homem e máquina, som dos “cliques”, enfim, as borboletas fazem tudo eletronicamente (de forma precisa e ultra rápida, sim) mas sem aquela emoção de até mesmo “errar a marcha”. São coisas subjetivas, não muito fáceis de explicar, confesso. É tudo uma questão de gosto, talvez nostalgia tambem.

  • Skiegaard

    O fato sobre o câmbio manual, não é a questão dele ser melhor ou mais rápido, é o prazer de se ter ao guiar um manual, deixar o automatismo do AT de lado. Está certo que o mais correto seria oferecer as duas opções para ambos os clientes, mas se apenas um delas é possível logo devemos esperar o MT já que esse nicho de carro esperasse isso dele.

  • Rafael Ramalho

    Parabéns à Honda pelo belo produto. Porém nessa faixa de preço, se estivesse procurando um esportivo, iria de Golf GTI com todos opcionais, itens que o Si nem sonha. Mas com os 120K, pegaria mesmo um 320i. Não tem os 3 pedais, mas como não sou piloto de verdade, não me importo. kkk

  • RoadV8Runner

    Como não dou a mínima para marketing, o que me interessa no novo Civic Si é que o conjunto me agrada, independente de jogadas mercadológicas.

    • Milton Evaristo

      Entendi. O marketing deles é bom mesmo. Está todo mundo aplaudindo a Honda por ter trazido a caixa manual… mas só existe essa.

    • realista

      Ok. Mas você vai levar pau de qualquer Accord V-6 automático de tiozão. Inclusive do meu! E automático! São 240 cv te esperando…. Dá uma olhada na relação peso-potência entre os dois…Esportivo? Ai, ai…Agora, se a Honda põe no bicho o V-6 ( mesmo o antigo de 3 litros) eu queria ver qual carro ia se atrever a andar com este Civic. Ia dar couro em muito Porsche, Mercedes, BMW e cia. ltda. por aí…..

  • Viajante das orbitais

    A quinta e a sexta geração ainda são as mais bonitas.
    Pelo peso você percebe que não é bem um carro para pilotos…
    Sinceramente, prefiro o Golf. Esses carros não são para pilotos, são carros caros que vão oferecer muito conforto, praticidade, confiabilidade e desempenho. Duvido que o SI chegue perto do Golf em qualquer um desses quesitos.
    Tenho que elogiar a aerodinâmica e o cambio manual, mas pelo preço eu ia de Golf ou Bimmer.

    • Bob Sharp

      Viajante das orbitais
      Nesse caso você não estaria pensando num cupê, mas num hatchback ou num sedã.

  • Julio Henrique

    Na verdade temos pilotos de verdade que pilotam com dois pedais, pilotos atuais e os pilotos de verdade que pilotam com três pedais, são os que pilotaram até meados da década de 90. pilotos que pilotam com três pedais e sem a eletrônica de hoje pilotavam de verdade. Era um espetáculo que hoje não existe mais. Acabou o tesão. Compare o Senna pilotando, levando o carro no limite, punta-tacco e tudo mais com os atuais pilotos.

    • Pablo Nascimento

      Pilotos de verdade guiavam Ford Modelo T, hehehe…

  • Douglas

    Bob,
    Acredita que há chances de a VW trazer o Golf GTI manual?

  • guilherme moreira

    Tive um do modelo anterior e sinceramente o carro era ruim de andar em giros baixos. O motor berrava em alta e a suspensão era fantástica.. Agora na hora de acelerar, é bom que não tenha por perto nenhum Jetta/Golf/Fusca 2.0 DSG, pois nesse caso vai comer poeira…

  • Bob Sharp

    Douglas
    Francamente, não creio. Só quando for fabricado aqui, aí tenho certeza que sim.

  • Bob Sharp

    marcos
    Sofrimento? Em quê, pode explicar?

  • Bob Sharp

    Realista
    Se você não sabe, Corvette e Porsche têm novos câmbios manuais de sete marchas.

    • Realista

      Claro que sei Bob. E você? Sabe qual o percentual das vendas destes modelos? Pesquise! Chega a ser quase ridículo! câmbio manual: um passado sem volta e que não faz a mínima falta!

      • Bob Sharp

        Realista
        Se lançam novos câmbios de 7 marchas é porque há mercado. Você está completamente enganado quanto a câmbio manual ser um passado sem volta e que não faz a mínima falta. Pode não fazer para você, para outros faz.

        • marcos

          Tudo bem. Ok. Tem quem goste e você está certo. Ser minoria não quer dizer estar errado. Vocês que gostam devem mesmo ter o direito de comprá-los. Me retrato. Desculpem. Abs.

  • RoadV8Runner

    Se eu estivesse interessado em andar em um carro que desse “pau” em todo mundo, já teria me enforcado em um pé de couve a séculos, pois não tenho bala na agulha para comprar um superesportivo à prova de “paus” (sim, se for para dar uma de bam-bam-bam, 240 cv é piada de mau gosto… Estou falando de algo com no mínimo 600 cv e comportamento dinâmico irrepreensível).
    Para mim, existem muuuuuuuuuuuito mais coisas que me interessam em um carro do que simplesmente comparar números frios de desempenho e potência. E aquela pecinha indispensável entre o volante e o banco influencia muito no desempenho geral de um veículo.

  • Realista

    Se fosse feito com o motor V6, mesmo o antigo que equipa meu Accord e com 240 cvs, cambio automático, este seria um ótimo carro.

    • Renato Mendes Afonso

      Do jeito que esta, ele já é um ótimo carro, Só acho que deveria custar uns 10 mil a menos que um Golf GTI para de fato compensar.

  • toni

    Tudo bem câmbio automático, desde que tenha as borboletas atrás do volante e o carro não interfira na minha pilotagem quando eu puser no modo manual, aí é o melhor dos mundos.

  • Luis

    Manual, robotizado de 1 embreagem (como o da f1) ou de 2 embreagens, são todos muito bons, cada um com suas vantagens, para mim deveriam oferecer os 3 em todos os carros, só não gosto dos automáticos (exceto o ZF8)