VW FOX HIGHLINE AUTOENTUSIASTAS 01  VW FOX HIGHLINE NO USO, UM PASSO ADIANTE VW FOX HIGHLINE AUTOENTUSIASTAS 01

Depois de falar a respeito do Fox 2015 (convém ler) e dirigi-lo brevemente no mês passado, uma permanência mais demorada com a versão Highline, a topo de linha, serviu para aquilatar melhor suas qualidades e virtudes.

Com as mudanças básicas, motor e câmbio manual de seis marchas, o Fox ano-modelo 2015 subiu de patamar em satisfação de dirigir e sensação de conforto. Certamente há que se pagar mais por isso, seu preço começa em R$ 48.490 e chega a R$ 60.240 com todos os opcionais.

Entre esses, eletrônicos como navegador GPS na tela tátil de 5,5 pol. do sistema multimídia, controle de estabilidade e de tração (desligável), corretor de guinada (ao frear sobre superfícies de coeficiente de atrito diferente nos lados do veículo), bloqueio do diferencial via freio, assistente de arrancada em rampa e assistente de frenagem. 

 

VW FOX HIGHLINE AUTOENTUSIASTAS 06  VW FOX HIGHLINE NO USO, UM PASSO ADIANTE VW FOX HIGHLINE AUTOENTUSIASTAS 06

Rodas de 16 polegadas e o emblema da versão na lateral

A estes se acrescentam as rodas de 16 polegadas com pneus 195/50R16V, bancos revestidos em couro, teto solar, controle  de velocidade de cruzeiro, faróis de neblina com luz de curva e pintura metálica.  Se em vez do câmbio manual de 6 marchas for o I-Motion de cinco, R$ 63.540 — o câmbio robotizado, sozinho. custa R$ 3.300.

O Fox é mesmo um veículo “diferente”, pode ser considerado um “hatchback comprido”, mas independente disso é muito agradável de andar. O fato de ser alto, com seus 1.552 mm, não prejudica o comportamento em curva e não torna mais sensível a ventos laterais que um hatchback normal. Aliás, o rodar está no compromisso exato entre conforto e estabilidade, fato que se nota cada vez nos carros fabricados no Brasil, não só nos Volkswagen.

 

VW FOX HIGHLINE AUTOENTUSIASTAS 09  VW FOX HIGHLINE NO USO, UM PASSO ADIANTE VW FOX HIGHLINE AUTOENTUSIASTAS 09

Interior como deve ser, inclusive o quadro de instrumentos “Wolfsburg”

O que realmente agrada no Fox e em outro modelos da marca é a precisão em tudo que opera, da embreagem leve, com baixa carga, ao batente metálico de fim de curso do pedal do acelerador, por sua vez alcançável com a lateral do calçado para um punta-tacco fácil.

A direção de assistência elétrica é um show à parte, com peso correto em qualquer velocidade e “operada a dedo” nas manobras, além da relação baixa de 14,8:1 não requerer mais que 2,9 voltas entre batentes do volante de 370 mm de diâmetro e com lugar perfeito para os polegares.

O câmbio de seis marchas da família MQ200 repete a precisão e leveza de engates do cinco-marchas e o escalonamento mostra total acerto. Como em outros casos de câmbio da marca, foi acrescentada uma mantendo as relações das existentes, dentro do conceito de “n+1” marchas. Mas ao contrário da prática passada, o diferencial foi acertadamente encurtado de 4,188:1 para 4.357:1 (encurtamento de 3,9%), para ganho de aceleração e maior capacidade de rampa nas cinco primeiras marchas. Mesmo assim a v/1000 na última marcha permanece alta, com 41,3 km/h, que se traduz em cruzar a 120 km/h reais com o motor a apenas 2.900 rpm. Perfeito!

 

Malagrine  VW FOX HIGHLINE NO USO, UM PASSO ADIANTE Novo Fox Highline 19 R

A maior novidade no Fox 2015 é o câmbio de seis marchas do Highline (foto divulgação)

A velocidade máxima de 189 km/h com álcool é alcançada em quinta marcha, motor a 5.600 rpm, 150 rpm abaixo do pico. A aceleração 0-100 km/h é muito boa para o tipo de veículo, 10,8 s com gasolina e 9,8  s, com álcool.

O outro show, claro, é o novo motor 1,6-litro EA211. Dono de uma elasticidade de dar gosto, não é preciso esgoelá-lo para obter desempenho. A potência máxima ocorre a 5.750 rpm e o corte se dá a 6.500 rpm, mas usá-lo na faixa 4.000~4500 rpm resulta em desempenho apreciável.

 

VW FOX HIGHLINE AUTOENTUSIASTAS 02  VW FOX HIGHLINE NO USO, UM PASSO ADIANTE VW FOX HIGHLINE AUTOENTUSIASTAS 02

Motor MSI 1,6 16-válvulas deu nova vida ao Fox, mas só na versão Highline; não há mais o reservatório auxiliar de gasolina

O que é notável também é sua suavidade de funcionamento em qualquer rotação e carga, mesmo que a relação r/l (raio da manivela de 49,45 mm para comprimento da biela de 141 mm) seja 0,31, passando ligeiramente do valor máximo considerado de 0,30. Em marcha-lenta têm-se impressão de que o motor desligou.

O consumo oficial Inmetro/PBEV (Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular) é 10,8/12 km/l cidade/estrada com gasolina e 7,6/8,4 km/l com álcool, mas no carro avaliado, sempre com álcool,   obtive números melhores, 8 a 8,2 km/l na cidade e 10 a 10,5 km/l na estrada.

O Cx  do Fox não é dos melhores, 0,353, o mesmo com a área frontal, 2,17 m², o que mostra a eficiência do motor quanto a consumo.

 

VW FOX HIGHLINE AUTOENTUSIASTAS 15  VW FOX HIGHLINE NO USO, UM PASSO ADIANTE VW FOX HIGHLINE AUTOENTUSIASTAS 15

Bom espaço no banco traseiro na prova do “sentado atrás de mim”

Nesses dias em que estive com o Fox Highline ficou patente sua adequação ao uso em cidade, seu comprimento inferior a 3,9 metros (3.868 mm) ajudando bastante, mas um diâmetro de curva uns 30 cm menor (é 10,9 m) ajudaria. O porta-malas  está dentro da média dos hatchbacks com 27o litros e pode chegar a 353 com  o recurso do banco traseiro ajustável em distância opcional. Um carro prático, inclusive com a útil gaveta sob  o banco do motorista, existente desde o lançamento em 2003.

 

VW FOX HIGHLINE AUTOENTUSIASTAS 03  VW FOX HIGHLINE NO USO, UM PASSO ADIANTE VW FOX HIGHLINE AUTOENTUSIASTAS 03

Porta-malas acomoda de 270 a 353 litros

O quadro de instrumentos “Wolfsburg” tem o mostrador central do I-System (sistema de informação) no qual se tem o cada vez mais útil velocímetro de leitura digital, entre diversas informações. O GPS é perfeito e o sistema de áudio é de alta qualidade e fácil de operar, não é preciso estudar o manual para se obter o que se quer.

A VW acertou mesmo a receita do bolo neste Fox Highline 2015.

BS

Fotos: Paulo Keller

Veja o vídeo, mas do mesmo Fox com câmbio I-Motion:

 

 

FICHA TÉCNICA VW FOX HIGHLINE 2015
 
MOTOR
InstalaçãoDianteiro, transversal
Material do bloco/cabeçoteAlumínio
Configuração / n° de cilindrosEm linha / 4
Diâmetro x curso76,5 x 86,9 mm
Cilindrada1.598 cm³
Taxa de compressão11,5:1
Potência máxima110 cv (G), 120 cv (A) a 5.750 rpm
Torque máximo15,8 m·kgf (G), 16,8 m·kgf (G) a 4.000 rpm
N° de válvulas por cilindroQuatro, atuação indireta por alavanca-dedo roletada, fulcum com compensador hidráulico
N° de comandos de válvulas / localizaçãoDois, correia dentada / cabeçote, variador de fase na admissão, campo de 50º
Formação de misturaInjeção eletrônica no duto
Gerenciamento do motorContinental Simos 15
CombustívelGasolina comum e/ou álcool (flex)
TRANSMISSÃO
Rodas motrizes / câmbioDianteiras / manual
Número de marchas6 à frente + ré
Relações de transmissão1ª 3,455:1; 2ª 1,954:1; 3ª 1,281:1; 4ª 0,927:1; 5ª 0,740:1; 6ª 0,611:1; ré 3,182:1
Relação do diferencial4,357:1
SUSPENSÃO
DianteiraIndependente, McPherson, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
TraseiraEixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
TipoPinhão e cremalheira, assistência elétrica indexada à velocidade
Diâmetro mín. de curva10,9 m
Relação de direção14,8:1
N° de voltas entre batentes2,9
FREIOS
De serviçoHidráulico, duplo-circuito em diagonal, servoassistido
DianteirosDisco ventilado de Ø 280 mm
TraseirosTambor de Ø 200 mm
RODAS E PNEUS
RodasAlumínio 6Jx16 – estepe aço 6Jx15
Pneus195/50R16V – estepe 195/55R15H
PESOS
Em ordem de marcha1.105 kg
Carga máxima415 kg
Rebocável400 kg com ou sem freio
CONSTRUÇÃO
TipoMonobloco em aço, monovolume 4 portas, 5 lugares, subchassi dianteiro
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto0,353
Área frontal2,17 m²
Área frontal corrigida0,766 m²
DIMENSÕES EXTERNAS
Comprimento3.868 mm
Largura com/sem espelhos1.904 / 1.660 mm
Altura1.552 mm
Distância entre eixos2.467 mm
Bitola dianteira/traseira1.415/1.410 mm
CAPACIDADES
Porta-malas270 a 353 L
Tanque de combustível50 L
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h10,8 s (G) e 9,8 s (A)
Aceleração 0-1.000 m32,7 s (G) e 31,4 s (A)
Retomada 80-120 km/h, 5ª15,5 s (G) e 15 s (A); 
Velocidade máxima183 km/h (G), 189 km/h (A)
CONSUMO Inmetro/Conpet
Cidade10,8 km/l (G), 7,5 km/l (A)
Estrada12 km/l (G), 8,4 km/l (A)
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 em 6ª41,3 km/h
Rotação em 6ª a 120 km/h2.900 rpm
Rotação em vel. máx., 5ª5.600 rpm

 

NOVO FOX HIGHLINE 2015 – EQUIPAMENTOS DE SÉRIE
Abertura elétrica da tampa traseira pelo emblema
Acionam. elétrico vidros dianteiros e traseiros 1-toque
Ajuste de altura do banco do motorista
Ajuste de altura e distância do volante
Ajuste elétrico espelhos c/ inclinação no direito
Alerta sonoro e visual de faróis ligados
Alto-falantes (4), tweeters (2) e antena de teto
Apoio de cabeça no banco traseiro (3)
Ar-condicionado com filtro de poeira e pólen
Banco traseiro rebatível
Bancos revestidos de tecido
Câmbio manual de 6 marchas
Chave-canivete
Cintos 3-portos retráteis no banco traseiro (2)
Computador de bordo 9-funções
Console central com porta-copos
Conta-giros e medidor de combustível
Controle de tração
Defletor de teto traseiro
Direção com assistência elétrica
Econômetro
Emblema “Highline” nas portas dianteiras
Espelhos e maçanetas de porta cor do veículo
Faróis duplos com máscara escurecida
Faróis e lanternas de neblina
Gaveta sob o banco do motorista
Grade dianteira em preto brilhante c/ friso crom.
Iluminação e rede no compartimento de bagagem
Iluminação no porta-luvas
I-System com Eco-Comfort
Keyless – sist. de alarme com controle remoto
Lavador/limpador e desembaçador traseiro
Limpador de pára-brisa com temporizador
Pára-choques na cor do veículo c/ detalhe crom.
Pára-sóis com espelho e iluminação
Pisca-3
Porta-objetos removível e acendedor de cigarro
Porta-revistas nos encostos do banco dianteiro.
Refletores no pára-choque traseiro
Repetidoras de seta nos espelhos
Rodas de alumínio 6Jx16 e pneus 195/50R16V
Sensor de estacionamento dianteiro e traseiro
Sistema de áudio com rádfio AM/FM, toca-CD, Bluetooth, MP3, USB, SD-card e Aux
Sistema de partida sem injeção de gasolina
Soleira das portas dianteiras com apliques em alumínio
Tapetes de carpete
Tomada 12 V no console central
Travas elétricas

Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

Publicações Relacionadas

  • Que bom que os automatizados estão evoluindo.
    A embreagem dos Fiats com Dualogic Plus teriam uma durabilidade menor por conta do creeping?

    • Bob Sharp

      Felipe Portuga
      Não menor durabilidade devido ao creeping em si, uma vez que ela só ocorre caso se segure habitualmente o carro numa leve subida pelo motor. Mas o Dualogic tem uma salvaguarda contra esse tipo de abuso, que é após cerca de 30 segundos nessa condição extrema e não prevista de uso da embreagem automática ela abrir automaticamente.

  • Davi Reis

    Não tinha gostado das mudanças visuais que fizeram no Fox, mas pude conhecer o carro recentemente e pessoalmente ele parece bem melhor. As melhoras sutis no interior ajudaram a dar uma boa valorizada, mas para concorrer no lugar do Polo, eu apostaria pelo menos em airbags laterais e ar-condicionado digital. Tirando esses dois detalhes, agora acho que a Volkswagen foi bem feliz nas mudanças. O interior dessa versão Highline ficou extremamente agradável com o novo volante, bancos de couro, teto solar e outros detalhes de acabamento. E esse motor EA-211, que loucura! Realmente não parece andar como um motor de apenas 110/120 cv, e como ronca gostoso! Esticar marchas nele é algo completamente viciante.

  • Rogério Ferreira

    O Fox melhorou, sem dúvida e o EA 211 dá um show à parte. O Gol em sua versão normal (e não a Rallye), e pricipalmente o Voyage, merecia esse motor com esse cambio… Certamente a VW teme a canibalização, e fazer carros com preços mais baixos, melhores que seus carros mais caros inclusive o próprio Fox. Realiza um Voyage com o EA211 cambio de 6 marchas, peso de cerca de 1000 Kg, e o Cx de 0,31… Seria imbatível!

    • Davi Reis

      Ô se seria viu… Testei esse motor na Saveiro Cabine Dupla (mais de 1200 kg) e com 3 passageiros dentro, e mesmo assim o motor empurrava com sobra. Fiquei imaginando esse motor em um carro mais leve como o Gol ou Voyage.

  • Eduardo Silva

    Bob, há tempos leio sobre velocidade máxima aqui e minha dúvida só cresce.

    “A velocidade máxima de 189 km/h com álcool é alcançada em quinta marcha, motor a 5.600 rpm, 150 rpm abaixo do pico.”

    Como assim 150rpm abaixo do pico? O carro não consegue acelerar mais esses 150rpm para aumentar a velocidade? Achava que a velocidade máxima seria a rotação de corte na marcha mais longa.

  • CorsarioViajante

    Para ser o “último tapa” na atual geração, está coerente.
    O novo câmbio manual de seis marchas é bem legal, queria um desses no meu carro atual. O motor também parece bom.
    Mas sejamos sinceros, a VW vem acertando em produtos e errando em preços.
    Embora já tenha hotsite (horrível por sinal), o novo Fox ainda não está disponível para configurar.

  • Natan Dorneles

    Excelente avaliação, opinião bem detalhada e imparcial sobre esse baita carro (pelo menos na minha opinião). Parabéns e obrigado pelo ótimo trabalho!

  • Bob Sharp

    Eduardo
    A velocidade máxima do veiculo ocorre no ponto de igualdade da potência de tração e da potência resistiva, como o Carlos Meccia explicou ao leitor Luiz AG referente à matéria sobre aerodinâmica..Nesse caso a potência resistiva impediu que o carro ganhasse velocidade. Ou seja, se quinta marcha fosse um pouco mais curta o carro ganharia mais alguns quilômetros por hora. Em sexta marcha a velocidade máxima seria fatalmente menor.

  • Valmir Rapozo

    Bob, na análise do Golf 1.4 TSI, você comentou que os interessados em comprar o veículo deveriam fazê-lo antes da nacionalização pois o motor, consequentemente, se tornará flex. Com a adaptação dos motores à este sistema, a taxa de compressão acaba ficando no meio do caminho entre o ideal de cada um dos combustíveis. Dessa forma, em um motor da mesma família, como esse do Fox Highline, existe uma quantidade ideal de álcool e gasolina para o carro ser abastecido e alcançar a sua melhor performance?

    • Bob Sharp

      Valmir
      A experiência mostra que a melhor mistura é 85% gasolina-15% álcool, por acaso o álcool vendido nos EUA e países nórdicos da Europa, chamado Ethanol 85 (E85). Como aqui nossa gasolina já tem 25% de álcool, para “fazer” E85 aqui misture gasolina ao álcool a 20%. Por exemplo, para 20 litros de combustível, 16 litros de álcool e 4 litros de gasolina. Pode arredondar os reais na bomba, sem problema.

      • Lorenzo Frigerio

        Bob, você quer dizer 85% de álcool e 15% de gasolina.

  • Zezinho das Candongas

    Até R$ 60 mil num Fox. Ridículo.

    • Bosley de La Noya

      Pior é pagar os 60 contos e dar de cara com aquela chapa exposta na entrada do porta-malas, digna de carros de frota…

    • Bob Sharp

      Zezinho
      Há versões mais em conta, só que sem todos os equipamentos citados. Paga os R$ 60 mil quem quer (e pode).

  • Fórmula Finesse

    Bela cor, volante do Golf…pena ser bem caro; mas é um ótimo carro (sic). A nova motorização o fez subir nitidamente de categoria, não é mais aquele motor que já era meio áspero para nosso dias (mas excelente no inicio dos anos 2000), e que precisava sempre estar meio premido a fundo para obter um bom desempenho. Esse novo 16v mais do que desempenho puro, traz suavidade e isenção de vibrações mais forte, é silencioso e parece até um motor de carros mais sofisticados. O Fox continua uma ótima opção, só que é preciso cuidado ao recheá-los de opcionais, a conta pode ficar bem salgada para um veículo da sua categoria.
    Bob: Estou sem som, na arrancada você deixou em neutro, acelerou e depois jogou a alavanca para sair (imagino), cantando os pneus? Creio que mesmo sendo um belo esforço para a transmissão, deve melhorar bastante um hipotético 0 a 100 do carro, certo?

    • Bob Sharp

      Fórmula Finesse
      Exatamente isso. À falta de um controle de largada é a maneira de obter máxima aceleração a partir da imobilidade (não está nos livros, dedução própria…). Não há nenhum esforço anormal na embreagem e no câmbio, uma vez que a primeira é engatada com a embreagem ainda aberta para, fração de segundo depois, ela acoplar e resultar na saída forte, cantando pneu. Sem dúvida é com se consegue o menor tempo no 0-a-100 km/h.

      • Fórmula Finesse

        Ah, interessante…eu sempre imaginei que melhores tempos em todas as acelerações com automáticos, viria exatamente disso, não carregar o conversor de torque e depois soltar o pé, mas acelerar em N, e jogar D com a rotação lá encima (ao menos em automáticos sem tanta potência, que não lixariam muito os pneus). Mas sempre fiquei meio preocupado com uma quebra na entrada da marcha em rotações teoricamente não permitidas pelo câmbio.
        Esse motor viria muito bem no Golf 7, em uma versão mais simplória. Não ficaria um carro muito lento.

  • Lorenzo Frigerio

    Para ficar perfeito, só falta o Tiptronic 6 do Jetta.
    Agora, essa 6a. do manual poderia ser mais longa; poderia rodar a 2.600 rpm a 120 km/h. De 0,74:1 a 0,61:1 a diferença é muito pequena. Relação peso/torque para isso não falta. Parece que colocaram câmbio de 6 marchas nele só por marketing.

  • CharlesAle

    O Fox está melhor do que nunca!! Mas demorou demais para ficar assim tão bom!! Está muuuuuuito caro e suas versões mais baratas têm péssimo custo-benefício…Sem contar que já vão 11 anos de lançado e hora de renovar..Sua “nova traseira” ficou estranha,não gostei…

    • CorsarioViajante

      Pronto Charles, você resumiu tudo!

  • Bob Sharp

    :Lorenzo
    Isso, inverti, é 85% álcool e 15% gasolina. Vou editar a resposta ao Valmir, não estranhe estar certo agora. Obrigado!

  • Bob Sharp

    Lorenzo
    Gostei da escolha da v/1000 em sexta. Acho que 2.900 rpm a 120 km/h está adequado para o porte do carro e sua aerodinâmica, bem como para o motor 1,6-l, apesar do diferencial encurtado. Não foi só marketing, mas marketing também.

  • lbreis

    Bob, uma pergunta que acho que já está se tornando repetitiva, mas peço o concurso de outros colunistas para a resposta:
    Num veículo como este, com diversos homenzinho verdes ajudando na manutenção da trajetória, não seria melhor um pneu 185/R15 ou até mesmo 175, reduzindo a área frontal e o consumo de combustível? Surge a dúvida por lembrar-me do Renault Mégane 2001, 2.0 8v, tinha potência semelhante e boa estabilidade com pneus 185/60 R15, mesmo com 1.200Kg .
    Será que em meio a tanta racionalidade, neste ponto o marketing predominou sobre a engenharia?

  • Bob Sharp

    lbreis
    Marketing, sem dúvida, mas tratando-se de atender ao gosto nacional de pneus mais largos, apenas isso..Os meus colegas editores são livres para lhe responder, mas tenho certeza de que vão dizer a mesma coisa.

    • lbreis

      Sabe, na minha modesta intuição (não chega ser pensamento, porque não reúno conhecimento especializado suficiente para examinar a questão de forma racional), o ideal para um carro deste porte seria um conjunto 175/60 R15, teríamos mais borracha (7mm) para um maior conforto de rodagem, aliado a, aproximadamente 1cm a menos na altura de rodagem, o que inclusive poderia ensejar um menor compartimento para o estepe, com melhor aproveitamento do porta-malas.

      • Bob Sharp

        lbreis
        O Fox BlueMotion 1,6 que testamos em junho de 2012 tinha pneus 175/70R14 e ia muito bem. A questão de seção maior é exclusivamente por preferência dos brasileiros. Leia o teste em http://autoentusiastas.com.br/2012/06/fox-bluemotion-a-excelencia-do-4e/ .

        • lbreis

          Eu já havia lido este texto (muito completo, como de costume), minha dúvida quanto a ser possível pneu 175 e aro 15, se deveu à maior potência e torque disponíveis, além de discos eventualmente maiores com o motor ea211.Os controles de estabilidade e tração e outros homenzinhos verdes se equivocariam quanto ao melhor momento para atuarem e a intensidade da atuação ao adotar-se pneus 175/60R15, por exemplo?

  • Daniel S. de Araujo

    Tive a oportunidade de ver um Highline branco MSI igual ao avaliado e confesso que fiquei com a impressão que a VW acertou em cheio! Seria um carro que eu compraria para meu uso.

    Pena a VW não estar dando o merecido valor ao Gol…porque no Fox ela está acertando!

  • Robinson

    O interior do Fox, Golf e o esquecido Polo são bonitos e transmitem a sensação de qualidade. Meu Focus novo possui falhas de acabamento e montagem que são uma piada de mau gosto. Tenho curiosidade de saber sobre a qualidade de funcionamento do imotion, já que o DSG é referência. O powershift é muito bom e o dualogic plus também atinge um nível bem aceitável. Utilizo os dois. Esse negocio de “cabeçada” é bobagem…frescura.
    Robinson Garcia

  • Bob Sharp

    Bosley
    Não vejo o menor problema da soleira da porta de carga na cor da carroceria. Prefiro-a assim do que com qualquer tipo de revestimento. Mesmo que o carro custasse R$ 200 mil.

    • Bosley de La Noya

      Bob,
      O acabamento plástico serve justamente para não estragar a chapa. Veja só esses carros mais usados que não tem o acabamento o estado lastimável que fica a chapa, ocasionando inclusive ferrugem. Isso não passa de economia de palito da VW, uma peça que para o fabricante não deve custar nem 10 reais.

  • Robinson

    Sr. Bob, o comentário que eu fiz sobre a “cabeçada” ser frescura não é nenhuma provocação, tudo bem?

  • Mr. Car

    E como sonhar é de graça, vou imaginar um neste azul, mas com interior monocromático bege, já que nenhum fabricante se toca que tem gente que gosta e até pagaria por ele, se oferecessem ao menos como opcional.

    • R.

      Outro dia vi um New Beetle com interior todo bege claro…
      Realmente fica muito bonito !
      Mas deve sujar que uma barbaridade……
      .

      • Mr. Car

        Não, não suja. Não se eu for o dono, he, he!

      • CorsarioViajante

        Não suja tanto assim. Meu pai tem um Jetta com couro bege, e é bem relaxado e fuma muito no carro, mas não fica “sujo” como alguns imaginam.

    • Lorenzo Frigerio

      Bege não combina com azul, Mr. Car. E se você conseguisse encomendar um, seria de couro, que você não gosta.

      • Mr. Car

        Ah, combina. E como combina.

      • Fabio Toledo

        Como não combina? Ah… pensei logo no couro claro… Ok, veludo cinza claro está bom?

  • MrBacon

    Vi um Fox destes novos na rua, acho que perdeu a harmonia. O Fox 2003 não era agradável (desenho insosso e painel espartano), o facelift de 2010 ficou legal, e agora acho que perderam a mão na traseira, não combinou.

    Ademais, é um carro correto, com boas qualidades mecânicas, mas numa faixa de preço incompatível. Não que seja privilégio do Fox, afinal Fit, 208, Fiesta, todos são caros também, mas fica aquela sensação de não valer tudo isso.

  • Bob Sharp

    Robinson
    Claro que tudo bem.

  • Cláudio P

    Bob, eu que experimentei os primeiros Fiat Dualogic e VW I-Motion (e na época achei apenas razoáveis) fiquei impressionado com sua demonstração no vídeo da arrancada esportiva! Podemos dizer que estariam os robotizados mono embreagem chegando a excelência? Melhores até que os automáticos tiptronic convencionais?

  • Andre Mondino

    Excelente post e particularmente muito oportuno, pois acabei de fechar negócio em um Fox Highline de 6 marchas. Estou muito ansioso para pegá-lo, mas terei de esperar um tempo pois eu fiz questão do teto solar e controle de estabilidade e não havia pronta entrega com esses opcionais e na cor que eu desejava. Não aceitei a “empurroterapia” do estoque deles (itens de série na cor preta). Bob, gostaria de saber exatamente o que é desligado quando se aciona aquele botão no painel quando equipado com controle de estabilidade, pois notei que o Highline básico tem um botão escrito “TC” de” traction control” e o modelo com controle de estabilidade o botão é diferente.

    • Fernando Igor

      Parabéns pela aquisição,se possível falar quanto você pagou agradeço.

      • Andre Mondino

        Obrigado Fernando. Posso falar sim, sem problema algum quanto eu paguei. O preço final do carro ficou em R$ 55 mil com pintura metálica. O único opcional que eu não solicitei foi o navegador GPS. De resto ele virá com teto solar, controle de estabilidade, bancos em couro sintético, rodas aro 16 e pacote tecnológico.

        • Davi Reis

          Foi um ótimo preço, cerca de 2000, 3000 reais de desconto em cima do preço de tabela, para um lançamento ainda!

  • Fernando

    Imagino como este motor bem elástico e o câmbio com a última marcha bem longa e as demais encurtadas deve ter ficado algo que não se coloca defeitos, deve se adequar tão bem a diferentes modos de guiar que estou interessado em andar nele.

    Pergunta: o valor para se projetar um motor com dimensões mais favoráveis a um R/L mais baixo apesar de poder ser um investimento por outro lado não eliminaria custos e complexidade como a árvore de balanceamento e então um ganho em suavidade pelas vias naturais(menos peças móveis e menos perdas por atrito) a ponto de ser melhor escolha?

    • Lorenzo Frigerio

      Esse motor não tem árvores de balanceamento. Ele não existe na Europa, mas por aqui “passa”. É uma opção mais barata que o 1.4 turbo, e adequada para o perfil do “consumidor brasileiro” desses carros mais populares. O mesmo se pode dizer do motor do Jetta Comfortline, que é um 2.0 com má relação r/l considerado de torque suficiente para puxar o carro. Na Europa, usa-se o motor 1.4 turbo, que tem r/l boa. Quanto aos motores 2.0, lá são todos com árvores de balanceamento e turbinados, como o do Jetta TSi. O 1.8 turbo já não precisa das árvores.
      A VW insiste nesses motores com má relação r/l por causa do tamanho reduzido, e compensa com árvores nos carros mais caros. Na América Latrina, chupamos o dedo.

      • CorsarioViajante

        Não só na América LAtrina, mas também nos EUA o 2.0 8v é oferecido.

        • Lorenzo Frigerio

          Só cucaracha compra isso lá. De qualquer jeito, passa, porque o Tiptronic 6 tem uma 6a. marcha bem longa. O motor gira bem folgado, como as antigas barcas, então você nem sente.

          • Bob Sharp

            Lorenzo
            A família EA211 inclui o 1,6-l de aspiração atmosférica e é usado no Škoda Rapid, vendido em toda a Europa. Lembre-se que o Ford 1,8 Zetec dos Escort têm r/l 0,313 e não mostram nenhum traço de aspereza.

      • Daniel Shimomoto

        Lorenzo, permita-me discordar mas esse negócio de r/l não é algo estanque: Não quer dizer que uma relação 0,2999 é boa e uma 0,30111 vá produzir uma vibração tão violenta que o veiculo se torne inaceitável.

        Observe que o Bob elogiou a suavidade de funcionamento do EA211 mesmo com a r/L acima do convecnionado de 0,30 (em valores exatos, o EA211 tem 0,308).

        E é preciso lembrar que o valor da r/L do 1,8L turbo (que compartilha as medidas diametro curso do AP/EA827 de 81mm x 86mm com bielas de 144mm é de 0,299, e que a VW do Brasil adotou coxins hidraulicos no EA211.

        • Fernando

          Isso Daniel, mas sem colocar muito mérito no R/L foi essa minha pergunta: até que ponto vale à pena ter que corrigir alguns possíveis aspectos desse fator, comparado a um dimensionamento diferente de algumas peças para atingir o mesmo objetivo de outra forma.

          Ou seja, não querendo dizer que algo seja ruim por um número que pode não expressar as condições reais de algo, mas de repente encontrar maneiras de corrigir alguns efeitos disso podem envolver menores custos, é o que imagino mas gostaria de saber como a engenharia trata estes valores decidindo pelo melhor.

          Exemplo: se para contornar alguns motores um pouco “àsperos” pode se desenvolver árvores de balanceamento ou desenvolver coxins diferentes em motores que tenham maior vibração, se ao invés destas saídas lá no começo do projeto se iniciasse com outros valores, será mesmo que sempre os custos seriam maiores?

          Concordo que o R/L é um indicador e não uma regra geral, há muitos que mesmo tendo um valor bem acima de 0,3 não aparentam. Mas sendo é um indicador, porque não preferir agir sempre com valores baixos? Os motores “quadrados” que muitas fabricantes tiveram pareceram suas melhores opções em suas épocas.

  • R.

    Tive um Fox 1.6 e o considerava bastante honesto.
    Demasiado o preço de R$ 63 mil da versao completa com EA211. Com R$ 67 mil compra-se um Golf 1.4
    Ha alguma coisa muito maluca nisso tudo ou quem está “batendo pino” sou eu mesmo !

    • Netovski

      Me passou a mesma idéia pela cabeça, mas cabe salutar que 63 mil R$ é o preço do carro com teto solar, câmbio automatizado e sistema de navegação com comandos no volante.

      Um Golf Comfortline com esses opcionais não fica em 67, mas em 87 mil (7 do câmbio, 5 do teto, 8 do GPS + Volante multifunção) e aí a diferença de 4 salta para 24 mil.

      Com o Golf de 67 mil caberia a comparação com o Fox de 51 mil, que seria o Highline com o módulo de segurança. Mas se o orçamento é apertado infelizmente eu abriria mão e em vez de pagar 51 mil num Fox olharia com carinho para seu concorrente direto o March SL, a 43 mil.

  • R.

    Certamente isso não acontece com os Fords….

    • Bsoley de La Noya

      Mr. R ponto,
      Nos Ford de frota que temos aqui na firma (Fiesta Sedan Rocam 2013) tem um belo acabamento plástico nessa chapa. E o carro custou uns 30 mil…

  • Smooj

    Carrão. Pena que para ter o motor moderno é preciso pagar mais caro pelo Highline.

    O único defeito dele para mim é um detalhe bem pessoal: não gosto desse visual de minivan (ou monovolume, talvez). Se esse carro tivesse um corpo de Gol e fosse um pouco mais baixo eu ia considerar ele praticamente perfeito.

  • Hermes Henrique

    Realmente o Fox melhorou bastante nessa nova versão. A pergunta que fica é a seguinte: para um carro que pretende “roubar” o lugar do Polo como pequeno premium da VW, não seria obrigatório um ar-condicionado digital, igual ao oferecido no irmão mais velho e nos concorrentes do segmento? Isso que fica difícil de entender…

  • Fabio Vicente

    Opa, finalmente deixaremos de lado o assunto futebol!! rs
    Bob eu nunca fui fã deste carro justamente por ser mais alto do que a média dos hatchs, mas confesso que este “novo” Fox despertou um certo desejo. E chama atenção que este carro tenha números de desempenho próximas de um Fiat Bravo T-Jet, mesmo não tendo pretensões esportivas.
    Mas ao ver o preço… Mesmo com uma boa lista de equipamentos de série, a versão Highline é cara demais!!!
    E me espanta estes valores cobrados justamente em um momento de retração nas vendas de automóveis.

    Dúvida Bob: o diferencial não está com uma relação muito curta para um carro com 6 marchas?? Ele não ficaria um pouco mais silencioso se o diferencial fosse alongado?

    • Christian Sant Ana Santos

      Ele quase anda junto com um Palio 1.6!

      • Rogério Ferreira

        Eu tenho um Palio 1.6…. Chega a 200 km/h, fácil, fácil. certamente se o VW com motor EA211 não tiver boa aerodinâmica… (e até agora nenhum deles tem) pelo menos em linha reta, vai ter que dar passagem para o Fiat. Agora se lançarem um Gol normal (e não o Rallye), ou um Voyage com esse motor… sem chance..

  • Welyton F. Cividini

    Bob percebi que o teto solar do fox quando aberto ele não fica totalmente oculto dentro do teto(uma fresta do vidro do teto solar fica aparente) do carro,tem como abri-lo totalmente ,ocultando todo o teto solar?Aguardo resposta.Muito boa a matéria como sempre.

    • CorsarioViajante

      Que eu sabia tem. Leve o botão até a posição aberto, que ficará como você falou. Então empurre ele mais um pouco, vai abrir totalmente. Mas nesta posição, totalmente aberto, gera muita turbulência, sendo bastante incômodo – por isso o sistema funciona desta forma.

    • Bob Sharp

      Welyton
      Fica uma pequena parte do vidro visível com o teto todo aberto.

      • Welyton F. Cividini

        Bob a resposta do Corsário Viajante está correta?Se eu proceder desta forma abrirei totalmente o teto solar?

  • Luis

    Só falta ar-condicionado automático

  • Tadeu Ganzella

    Tanta tecnologia e frescura… meu gol g3 2001 1.8 (com cambio PS) gasta menos que esse fox da materia maldição flex só pode ser …

  • RoadV8Runner

    Agora é torcer para esse câmbio de 6 marchas ser estendido aos demais modelos VW.

  • Bruno

    Fox Highline ou New Fiesta 1.6 SE ??

    Estou para comprar um 0-km na faixa de 50 mil e fiquei na dúvida entre esses dois modelos..

    Alguma ajuda aí?

    • CorsarioViajante

      Dois carros com proposta bem diferente. Vai depender da sua prioridade e, claro, de qual você gostar mais de dirigir.

    • Antônio do Sul

      Para tirar a dúvida, só há um jeito: faça o test-drive com os dois.

    • Fabio Toledo

      Minha opinião? Fiesta, monstro nas curvas, 130 cv, baita ergonomia… Mas faça o teste… Pessoal aqui também, tudo em cima do muro, o Bob eu entendo, mas os leitores…

  • Marco Antonio

    Bob, excelente avaliação, gostaria de saber em quanto fica a rotação a 120 km/h em 5ª marcha no imotion?

    Obrigado,

    Marco Antonio

    • Bob Sharp

      Marco Antonio
      3.500 rpm, achei muito.Amanhã vou verificar com a fábrica se a relação de diferencial no i-Motion é a mesma do 6-marchas, como está na ficha técnica oficial. Tenho impressão que no I-Motion foi mantida a anterior, o que resultaria em 2.800 rpm a 120 km/h. Voltarei a informá-lo aqui.

      • Marco Antonio

        Obrigado Bob, pelo retorno. Fico no aguardo.
        Obrigado…

        • Bob Sharp

          Marco Antonio
          O diferencial quando é I-Motion é o mesmo do 6-marchas, 4,357:1.

          • Marco Antonio

            Bob,

            Obrigado pelo retorno, gira alto o I-Motion 3.500 rpm a 120 km/h, deve ser bem ruidoso.

            Abraço,

            Marco Antonio

          • Gabriel de Oliveira

            Ou seja, pisaram na bola.

  • Daniel Shimomoto

    Fernando, sobre a R/L citada em seu ultimo paragrafo, temos que lembrar que existe a questão custo: Muitos motores de cilindradas diferentes compartilham um mesmo bloco. O Familia I da GM parte de 1L e vai até 1,8L. O EA827/AP, de 1,5L até 2L, sendo que o 1,6L e o 1,8L compartilham até mesmo o mesmo pistão, diferindo o seu curso.

    Já pensou uma industria fazer um motor diferente para uma cilindrada diferente visando apenas atender a relação r/l?

    • Lorenzo Frigerio

      Em geral, esses motores que passam do limite da relação r/l só são vendidos no Terceiraço. Como eu disse, é uma maneira de dar mais torque sem apelar para o turbo e a complexidade mecânica. No caso específico do 2.0 TSi, a fábrica achou que o tamanho compacto do motor era o mais importante, senão restringiria o estilo do carro. Então, colocou as árvores. Ela pensou no carro como um todo. Se o motor vai durar 200.000 km ao invés de 300 ou 400.000 km de um motor corretamente dimensionado, isso é irrelevante para o 1o. comprador.
      Agora, DUVIDO que os motores 2.0 da Mercedes e BMW tenham relação r/l desfavorável. Com essas empresas, não tem “compromisso”.

      • Daniel Shimomoto

        Lorenzo, r/L esquece essa historia de colocar uma r/L alta para incremento de potencia disponivel (o “torque” como popularmente se diz. r/L é economia de escala. Para que fazer uma biela diferente para cada cilindrada diferente?
        A VW fez isso mas era um motor de maior escala (o EA827 (“AP alemão – Cod. ABA e AEG) de bielas longas de 159mm empregado em varios modelos no estrangeiro (Passat, Golf, e tantos outros)
        Tá cheio de carros de funcionamento suave com motores de “bielas ruins”: O proprio Honda Civic era um. Se não estou errado, o Corolla tem r/L de 0,31 e por ai afora.
        Essa é a uma critica que faço ao BestCars: ele vendeu a relação r/L como algo estanque. Se é abaixo de 0,3 é excelente, se é acima de 0,3, o motor é vibrante, inaceitável, etc. Confesso que a primeira vez que dirigi uma Meriva achei que dirigiria um carro que vibrasse tanto quanto uma Toyota Bandeirantes mas achei justamente o contrário. Apesar de ser um motor suave, ele também não é vibrante como o BestCars dizia ser. Ele é aspero, mas não vibrante.

        • Lorenzo Frigerio

          Existe no AE um artigo se não me engano do MAO, chamado “Relação r/l: uma análise gráfica”. O artigo explica como se chegou ao número “0,30” e por que ele é o limite. É óbvio que o tópico NVH (aspereza) depende de vários outros fatores, como chassi e escapamento. Inclusive, é possível melhorar um motor de má r/l com algumas modificações no acionamento das válvulas e pela natural evolução dos sistemas de injeção. Mas um motor bem dimensionado deveria vir em primeiro lugar, sem fazer “puxadinhos” posteriores que obrigam a soluções técnicas que encarecem o produto.

          • Fernando

            É exatamente onde eu queria chegar.

            Nem chegando a dar tanto crédito a um valor e acreditando que qualquer sintoma fosse por isso(ainda mais por os engenheiros saberem o que fazem e haverem N fatores que levam em conta no projeto), mas justamente colocando em questão se vale à pena deixar este fator de lado e em outra mão ter soluções que podem ter sido criadas para resolver um problema que quem sabe seria evitado com custos baixos, talvez irrisórios.

            E mesmo que não seja um problema, de qualquer forma creio que ajude a formar certos padrões de parâmetro para se guiar.

    • Fernando

      Exatamente Daniel, e isso é porque não estou seguindo tanto o valor em si(como falei acima, tem vários exemplos de motores com valor alto que não impede de isso não refletir em aspecto negativo), mas sim de projeto.

      O exemplo do EA827 é um perfeito, pois na verdade ele foi desenvolvido e usado na época somente em 1,5L e 1,6L, e com o tempo se chegou a cilindradas maiores, daí explorando o potencial que permitia, e para um projeto de prateleira é claro que envolvia custos bem menores do que um novo motor. A este exemplo, se no projeto dele previsse a cilindrada de 2L e assim fizessem um R/L mais favorável nesta cilindrada, não seria melhor?

      Mas justamente tratando de um novo projeto, que sendo aplicado em suas dimensões de imediato, em alguns casos isso já poderia ser evitado como o Lorenzo disse, em pequenas mudanças que talvez dispensassem comprar o remédio, mas sim de evitando a causa.

      São somente indagações e pensamentos, sobre o que se convencionou(não a engenharia pelo visto) em valor, e justamente o que eu queria saber, o ponto de vista da equipe de engenharia na hora de considerar ou não o R/L, e a tomada de decisões em projetos novos dar importância a quais fatores de imediado.

  • Carlos Eduardo Favoreto Milani

    Bob, excelente vídeo e texto como sempre! Tenho uma dúvida e se possível queria uma resposta. Tenho atualmente um Fox mil completo e duas portas. Adoro essa característica do veículo pois sou alto (1,90) e assim a coluna não atrapalha a visibilidade lateral, bem como facilita o acesso devido a grande abertura das portas. Estou atrás de um compacto, e tenho quatro favoritos no momento: Este novo Fox highline, o Punto 1.6 e correndo por fora Polo e o new Fiesta. O que mais aprecio num veículo são espaço para o motorista/conforto na rodagem, acabamento interno e como todo auto entusiasta uma boa tocada. Por estes quesitos, qual deles você acha que se sobressai? teria algum outro para indicar fora estes na faixa dos 50? Muito Obrigado, e novamente parabéns pelo excelente trabalho no Ae.

    • Carlos Eduardo

      Xará,
      Minha namorada tem o Fox completo 1.6 e eu tive o New Fiesta 1.6 PowerShift por 8 meses
      Sei que não tenho peso da opinião do BS, mas meu conselho é o New Fiesta!
      Projeto mais moderno, se optar por automático, leva um câmbio moderno de dupla embreagem. O câmbio é mto esperto e ágil, totalmente diferente do I-Motiom
      De série conta com controle de estabilidade e tração, o que só aparece na versão Highline do Fox.

      Você perde em espaço interno para os passageiros que vão atrás, mas isto não parece ser decisivo para você.

      A tocada do Fiesta é superior ao do Fox, pelo centro de gravidade mais baixo e acerto de suspensão impecável! O Fox, tem maior tendência a inclinar, embora isso não se traduza em perda de estabilidade, como mencionado na matéria acima. Mas a sensação de guiar é mais esportiva no Fiesta

      O Punto me pareceu (na época de adquirir o pequeno Ford) atrasado frente aos concorrentes e muito caro!

      • Carlos Eduardo Favoreto Milani

        Ô, cara, ‘brigadão pela resposta! hahaha Depois de um mês veio, contudo, mesmo com o atraso uma excelente resposta!
        Seguinte, já aproveitando, o que você achou do acabamento dele?! Dou muito valor pra isso…
        E outra, acho mais difícil a resposta, Você conhece o Focus de 2ª geração?! Temos um 2013 aqui em casa, Sigma 1.6 16v… Como é um carro criado aqui, também entrou no páreo!
        Dá para levar um médio seminovo mais barato que um compacto não tão equipado! São tantas dúvidas!

  • Bob Sharp

    Welyton
    Provavelmente o Corsário experimentou fazer isso e funcione, mas eu teria receio de empurrar o vidro para trás. O fato é que aquele pedaço sem abrir não me incomodou minimamente.

    • victor

      Na verdade Bob, ele quis dizer pra empurrar o botão, é como se ele tivesse 2 estágios, meu Jetta faz isso também.

  • Lorenzo Frigerio

    Em minha humilde opinião, quando desenvolveu o EA-888, a VW poderia ter aumentado o comprimento do bloco em 1 cm ou talvez 1,5 cm, que já acomodaria um maior diâmetro dos cilindros e resolveria o problema da relação r/l. Isso não faria diferença alguma no espaço do cofre do motor.
    Por que não fizeram, não entendo. Mas alemão é cabeça dura, mesmo.

  • Bob Sharp

    Carlos Eduardo
    Eu gostaria de lhe responder, e tenho como fazer isso, é claro, mas estaria infringindo a ética. Opiniões dessa ordem, só dentro dos textos, assim mesmo só se fosse num comparativo. Acho que você entenderá.

  • Bob Sharp

    Lorenzo
    A matéria é do André Dantas, de exatos quatro anos atrás, veja-a em http://autoentusiastas.com.br/2010/09/relacao-rl-uma-analise-grafica/ .

  • Dieki

    Carro excelente, mas a VW tá pedindo muito. Com todos os opcionais esbarra na mosca branca dos olhos azuis Golf Comfortline que é (bem) menos equipada mas é maior e mais potente.

  • Clayton Martins

    Achei decepcionante os números de consumo decepcionantes frente ao seu principal concorrente.

  • Fabio Toledo

    No segmento compacto só existe o Fiesta na minha opinião… Agora não há duvida que a melhor escolha para quem tem 63 mil pra por num carro é colocar mais 4 e comprar um Golf.

  • Carlos Eduardo

    Eu tive o New Fiesta SE PowerShift e minha namorada tem o FoX 1.6 Prime.
    O New Fiesta é mais carro.
    O Fox equiparou agora com o Highline, que tem trem de força melhorado, sem reservatório de partida a frio, controle eletrônico de estabilidade e tração
    Mas ainda acho o New Fiesta mais moderno, mais potente, mais ergonômico, de suspensão mais bem acertada e interior mais caprichado. Me sentia melhor guiando o New Fiesta!

  • João TSI

    Fácil? Tive um HB20 1.6 com 128 cv e um New Fiesta com 130. Nenhum deles chegava nessa velocidade facilmente. Nem meu Jetta TSI acho que chega aos 200 “fácil”

    • Rogério Ferreira

      Pois tocou num ponto crucial, não há justificativa para um carro de 128 cv igual o HB20, não ultrapassar a barreira do 190 km/h, e ser alcançado por um Voyage 1.6 com 24 cv a menos… Não há erro de calculo de transmissão que justifique. Ou tem aerodinâmica de Kombi, ou são os tais pôneis malditos. Se quiser, coloco um vídeo, do meu Palio, chegando a 200 (mais de 200 no velocímetro), mas não precisa, muitos já fizeram é só procurar no YouTube. A Fullpower fez diversos testes em vários Fiats com motor E.TorQ 1.6, todos deram potência acima dos 117 cv declarados pela Fiat. Agora Jetta TSI, não camarada, Se você não conseguir chegar aos 200 fácil, vá a concessionária, pois tem algo de errado com o seu carro.

  • Bob Sharp

    Carlos Eduardo,
    Bom acabamento, no padrão da marca. Focus 2ª geração, conheço, bom produto, mas não é criação daqui e sim da Inglaterra, e fabricado na Argentina. Dúvidas, sempre se terá. Escolha um que lhe agrade e compre-o. Não existe mais carro ruim.

  • Arlindo Neto

    Alguem sabe dizer se um highline manual, com uma parcela de 60 meses por 1215,00 ta por um bom preço?
    E esse Highline em média quantos kilometros por litro faz????

    • Bob Sharp

      Arlindo
      Os consumos estão no texto, não viu?. Quanto ao preço, você não sabe qual o valor negociado, por quanto comprou o veículo? Financiamento é outra história. Se pagou o preço básico de R$ 49.590, ao fim de 60 meses terá pago R$ 72.900. Isso representa juros de 47% em 5 anos, 8,01% a.a., 0,6% a.m.

      • Arlindo Neto

        Certo, na verdade estava querendo um Comfortline, fui a uma concessionária e eles queriam na negociação uma de 1.228 reais e porque negociei bastante. Terminei indo outro dia a outra concessionária, ontem para ser exato, e houve uma desistência de um Highline que não tem teto solar e nem é o i-Motion, inclusive tem o mesmo sistema de som do Comfortline, perfeito e o mais engraçado que foi esse de 1.215 reais. Isso me deixou impressionado por pagar mais barato por algo mais possante! Enfim, esse é meu primeiro financiamento, por isso estou perguntando tanto a tantas pessoas. Estou dando 7 mil de entrada! E, sim, ele vai sair a uns 48.590 R$ na cor branca. Bob será um bom negócio?

        • Bob Sharp

          Arlindo
          Você está pagando 1.000 reais menos que o preço de tabela, por esse lado um bom negócio. Os juros é que estão um pouco altos, 11,87% ao ano, 0,94% ao mês. Tenho visto anúncios de financiamento com juros zero.

          • Arlindo Neto

            Sim, mas com 70% de entrada e o restante financiado em 12 parcelas!

  • Paulo

    Bob, uma dúvida.. Já tive respostas diferentes inclusive na concessionária. Me disseram que o highline com controle de tração de série te oferece a opção de desativar o mesmo, já quem optar pelo opcional controle de estabilidade não terá essa opção.. apesar do botão no console. Na concessionária me disseram que o botão é só decorativo, que 5 seg depois o ESC é ligado novamente. Correta essa informação?

    • Paulo

      Tirei a dúvida, peguei ele hj, o ESC têm 4 controles, o botão no console só desliga o ASR (controle de tração com função ativa de freio). O restante dos controles continua ativo. (EDS, HHC, HBA)

  • Breno Caetano dos Santos

    Prezados, gostaria de algumas opiniões sobre a estabilidade do Fox, principalmente para fazer curvas em velocidade mais elevada. Há uma boa segurança em realizar esta manobra? Uma pessoa que tenha uma tocada mais esportiva irá se sentir seguro no Fox? Estou querendo adquirir um, e a única dúvida que tenho é esta. Agradeceria algumas opiniões. Bob, você que o dirigiu na estrada pode me ajudar também? Obrigado pela atenção.

    • Bob Sharp

      Breno
      Nenhuma restrição quanto à estabilidade, garanto.

      • Breno Caetano dos Santos

        Obrigado Bob !

  • Davi Reis

    Bob, estava relendo a avaliação e me ocorreu uma dúvida. Como exatamente funcionam os sensores de estacionamento dianteiros? Eles se acionam apenas com a ré engatada ou ficam ativados o tempo todo? Se ficam, isso não representa incômodo em tráfego lento, por exemplo?

  • Paulo

    O sensor dianteiro é desligável.

  • vicente

    Olá Bob,
    Eu comprei um Fox Trendline 1,6 2015 e queria se é possível, abaixar mais o banco do motorista, que mesmo na regulagem mais baixa ainda continua alto e difícil de evitar que a perna direita fique esbarrando no console e, a sensação que estou dirigindo um coletivo.
    O banco fica em cima de uma plataforma metálica para dar mais elevação.
    Como tenho 1,90 mm não consigo uma posição ergonômica legal para meu biotipo.
    Bob, seria possível baixar 2 a 3 cm dessa plataforma metálica,ou alterar a regulagem do mecanismo do banco, sem comprometer a segurança da estrutura?

  • Bob Sharp

    Vicente
    É possível, mas precisa modificar a estrutura do banco na parte inferior. Não tenho como orientá-lo nisso e sugiro procurar uma firma especializada em bancos, como a Bantec (www.bantec.com.br), pois fixação de banco é muito importante.

  • Jemerson Wessling

    Olá Bob, uma dúvida bem importante… O tal HHC / assistente de partida em rampa do novo Fox realmente funciona – aliado ao câmbio i-motion? pergunto isso comparando a um carro com transmissão automática, onde em nenhum momento se faz necessário o uso de freio de estacionamento para evitar que o carro volte em uma arrancada em subida ( muito presente na minha região ). Desde já, muito obrigado!

    • Paulo

      Jemerson, funciona muito bem, ele vêm no pacote modulo de segurança 1, me custou 1.100 reais e valeu cada centavo. O carro fica muito melhor de dirigir. Tive um I-motion sem Hill Hold Control, a solução é puxar o freio de mão para arrancar. Não me incomodava mas é um trabalho a mais.

  • Adm

    Fiz um test-drive em um igual a esse, muito bom o câmbio com a nova programação, o motor enche rápido gostei, o que eu dirigi não tinha HHC, vem no pacote modulo de segurança, acho um item importante para um carro com câmbio robotizado.

  • Lonir Chiapparini

    Tenho um fox highline 1.6 com rodas 16. Pergunto posso colocar as rodas e pneus do Novo Cross Fox??

    • toni

      Até consegue colocar mas vai ter problemas. Não aconselho pois as medidas são bem diferentes do pneu. Problemas para aferir velocidade, talvez vai raspar na caixa de roda, perda de desempenho do veículo e até redução da estabilidade do mesmo.

  • Luiz Claudio Junqueira

    Boa Noite!
    Bob sou deficiente e em setembro-2014 tive a oportunidade de ver o seu teste com o Fox I-Motion, Sou fã do Gol mas acabei encomendado um Fox Highline, depois do seu depoimento.
    Muito obrigado pela sua orientação.
    Tenha um ótimo final de semana.

    • Tesouro

      Luiz, também sou deficiente e pretendo adquirir um Fox Highline, qual adaptação você utiliza?

      Valeu, abraços.

  • Luiz Claudio
    Fico feliz por tê-lo ajudado. Sucesso com o novo carro.

  • Sérgio Weege Jr.

    Alguém sabe dizer se esse câmbio MQ200 é ‘facilmente acoplável’ ao motor AP (Escort 2.0i XR3), em um hipotético transplante?

  • Paulo,
    Se o carro só tem só dois pedais, para que puxar o freio de mão? Basta mantê-lo imobilizado pelo freio de serviço usando o pé esquerdo.

    • Paulo

      É verdade Bob, dá para arrancar desse jeito mesmo. Mas achava bem confortável arrancar com o freio de mão, apertando o botão na puxada, nem dá aquele “track” que incomoda. Mas com o hill holder agora é outro nível de conforto. Devia ser de série no I-Motion.

  • Paulo,
    Conheci um senhor, comandante da Panair do Brasil, que só puxava o freio de mão apertando o botão de destravamento e, uma vez carro freado, soltava-o. A alegação era para não degastar a catraca… Aliás, no regulamento internacional da FIA, o Anexo J, Prescrições Gerais, é autorizado para qualquer carro que vá competir em circuito ou em rali a imobilização ou retirada do botão para se poder usar o freio de mão sem travá-lo. Como nos carros de drifting!

  • Deivid Lincoln

    Bob, se puder por favor me ajude:Fox I-Motion Highline ou Pepper? Fiesta Titanium? Todos 0-km ou ainda um Golf seminovo?

    • Deivid Lincoln,
      A ética não permite que um jornalista de um veículo de comunicação indique o que comprar, como se fosse consultor. Espero que entenda.

      • Deivid Lincoln

        Entendo sim meu caro.. nao tinha pensado nisso.. me desculpe pela pergunta.. De qualquer forma, agradeço a resposta!!

  • RILDO RIOS Oliveira

    Comprei um Fox Fox I-Motion Highline recentemente, simplesmente fenomenal!

  • toni

    Então estive na mesma situação que a sua, mas estava entre New Fiesta e Fox Highline. Fui de Novo Fox e não me arrependo. Gostei mais do Highline que o Pepper assim como a maioria, mas é o seu gosto que conta. Avaliando retorno e modernidade de projeto, o Novo Fox Highline ganha, inclusive no prazer de guiar. O novo Golf 1,4 TSI DSG é muito bom e está bem acima dos dois carros, mas a manutenção e o seguro são de quebrar as pernas (só a troca de óleo do cãmbio DSG sai por R$ 1.231,00 a cada 2 anos).

  • Silas A. Brazuna

    Oi, Bob! Tudo bem? Estive a procura de um hatch 1,6 com câmbio manual, fiz vários “test drive” mas sempre tive um certo preconceito com relação ao VW Fox… Até ler seu artigo sobre o modelo Highline. Fui experimentar na concessionária e o carro é tudo o que você comentou! Para os que gostam de dirigir, é comprar sem medo. Hoje, três meses depois, sou um feliz proprietário de um VW Fox Highline com câmbio manual de seis marchas. Agradeço a você pela clareza do texto e pelas informações. Abraços!

    • Filipe Medeiros

      Amigo, o volante do Fox é iluminado?

      • Silas A. Brazuna

        Desculpe a demora. Eu não tinha visto sua pergunta. Sim, o volante do Fox tem iluminação nos botões. É a mesma peça utilizada no Golf e no Jetta.

  • Silas,
    Fico satisfeito de lhe ter sido útil e de sua experiência ter correspondido ao que achei do carro.

  • Filipe Medeiros

    Alguém sabe dizer se o volante dele acende tipo o do Golf quando liga o farol?

  • Bianca Silva

    Olá, gostaria de saber pra que serve o botão off, localizado ao lado do banco do motorista! E tem um carro desenhado com a escrita off embaixo!! Obrigada

    • FOwner

      Esse botão desabilita o monitoramento do habitáculo quando o alarme estiver ativo. Em outras palavras, o alarme somente irá disparar se houver a abertura de uma das portas – porta-malas, inclusive – ou do capô, mas nada acontecerá se estourarem o vidro e invadirem o veículo.

      Para futuras referências, uma explicação mais detalhada pode ser encontrada no manual do proprietário, seção “Travamento central e sistema de travamento”, subseção “Monitoramento do interior do veículo”, página 52.

  • Felipe Fred,
    A água parada que vira criadouro para o aedes aegypti é nada comparada com o criadouro de boatos e difamações que é a internet. Sobre sua pergunta, todo e qualquer carro testado no AE, até hoje, pode ser comprado sem receio, não só o novo Fox..

  • Mauricio

    Boa Tarde, Felipe.

    Tenho um Fox 15/15 e sim ele está baixando por volta de 1 litro de óleo a cada 7 a 8 mil KM e após os 10 mil Km ele começou a bater tucho com o motor frio e depois de atingir a temperatura, 90 graus, o barulho desaparece. Segundo a avaliação da CSS esses detalhes não são defeitos e sim características do veículo conforme informações no próprio manual do veículo. Boa sorte.

  • Douglas, o que você pede não cabe resposta neste espaço, só numa matéria — longa — do tipo “Entendendo a ficha técnica”. Aguarde. Fonte que você possa consultar, desconheço.

  • Davi Reis

    Como diz o Bob, o consumo do nosso carro é o que queremos que seja.

  • Paulo

    Isso aí, comprei o apoio pelo Mercado Livre sem revestimento. Foi revestido em couro sintético preto igual ao acabamento da porta. Fiz em uma loja de couro automobilístico aqui onde moro, Belo Horizonte. Fiquei preocupado porque têm que furar o banco, mas ficou muito bom.