Haddad  NOVA BOÇALIDADE DA PREFEITURA PAULISTANA: RODÍZIO O DIA TODO Haddad

Prefeito Fernando Haddad (PT-SP) continua a infernizar a vida dos paulistanos e de quem nos visita

Saiu no portal G1 hoje: a Secretaria Municipal de Transportes estuda criar a proibição de carros rodarem durante o dia todo em todas as vias da cidade no mesmo esquema de rodízio pelo final da placa.

Seria o mesmo caso de impedir que a população não pudesse recorrer a um posto de saúde ou hospital público um dia na semana obedecendo ao último dígito da carteira de identidade. Igual.

Esta secretaria, pela qual o prefeito é responsável, simplesmente ignora ou finge ignorar que a única lei que o motorista é obrigado a observar é o Código de Trânsito Brasileiro (CTB, e que hoje completa 17 anos), uma lei federal e que logo em seu Art. 1º diz que “O trânsito de qualquer natureza nas vias terrestres do território nacional abertas à circulação de veículos no território nacional rege-se por este código.”

Por isso mesmo, o motorista só tem como saber se pode ou não utilizar uma determinada via se houver sinalização informando que o trânsito ali é proibido. Não há outra maneira legal.

Nada existe que indique ao motorista, no caso do atual rodízio, que ele não pode circular livremente na cidade. De novo, a única lei a seguir, quando ao volante de um veículo, é o CTB. Não há outra, seja estadual ou  municipal.

Como não há sinalização, não pode haver autuação (CTB, Art. 90).

A rigor, se o Brasil fosse um país sério, o atual rodízio teria de ser abolido em vista dessa flagrante irregularidade administrativa e o valor de todas as multas pagas até hoje (17 anos!) devolvido com atualização monetária.

Agora, mais essa de querer proibir de se usar o automóvel o dia inteiro uma vez por semana em todas as vias do município.

Não sei o que o Ministério Público Estadual está esperando para tirar do cargo desse prefeito que procura cada vez mais infernizar a vida de quem vive em São Paulo ou quem aqui vem a trabalho ou a passeio.

Bob Sharp
Editor-chefe

 

Foto: terradonordeste.blogspot.com

Sobre o Autor

AUTOentusiastas

Guiado por valores como paixão, qualidade, credibilidade, seriedade, diversidade e respeito aos leitores, o AUTOentusiastas desde 2008 tem a missão de evoluir e se consolidar como um dos melhores sites sobre carros do Brasil. Seja bem-vindo!

Publicações Relacionadas

  • Fernando

    Se já não bastasse os corredores de ônibus criados em vias onde quase não se vê ônibus (criadas apenas para dizer em época de eleição “Fiz centenas de km de faixa de ônibus”), nessa mesma de boçalidade segue a criação das faixas de bicicletas (que não são utilizadas no durante a semana), talvez útil fosse se para motos.

  • Adam Lewis Charger

    Está cada vez mais complicada a situação na Cidade de São Paulo, hein? Medidas impensadas, totalmente sem sentindo. Não sou de partido nenhum, mas parece que toda vez que o PT entra em SP dá alguma caca, me lembro do meu pai falando que nos anos 80 tudo funcionava bem (ele vendia tambores de freio na época) quando entrou a Erundina e segundo meu pai, acabou com a cidade, depois de alguns anos a Marta também foi um estorvo, agora esse cidadão fazendo essas coisas.

    Pergunta, se eu recorrer a justiça comum sobre alguma multa que tomei em rodizio, teria chances de ganhar, tendo em vista o que foi dito nesse texto?

    • João Martini

      Sim, São Paulo era perfeita! rs.

  • Marco

    Essa corja do PT tem que ser defenestrada da face da terra.

  • F A

    Moro em São Paulo, na capital. Desde que foi possível a reeleição, aqui onde moro, sempre os candidatos que tinham a opção de ser reeleitos (prefeito/governador/presidente), foram. Ou seja, foram reeleitos o Serra, o Alckmin, o Lula e até o não muito popular Kassab. Só teve um candidato
    dentro das eleições em que votei na capital paulista, que tinha essa opção e não foi reeleito,a Marta. O PT nunca teve penetração em São Paulo, até que
    fizeram a besteira de votar na Erundina e deu no que deu. Depois dela o PT voltou a ficar sem popularidade aqui. Mas a memória é curta e depois elegeram a Marta. E, como disse, foi a única que perdeu uma possível reeleição. E se não bastasse, depois de uns anos vem e votam nesse lixo do Haddad. O eleitor desse cara tem que ser mesmo um imbecil. Infelizmente moro numa democracia e sou obrigado a aceitar a vontade da maioria, mesmo que a maioria seja imbecil.

    • Fat Jack

      Memória curta…, deixa ele sair e eu aposto contigo que teremos outro(a) prefeito(a) do PT em no máximo 8 anos…

  • João Carlos

    O Ministério Público não teve nem peito pra pleitear no judiciário banir a inconstitucionalidade do rodízio. Um vergonha, 17 anos, e nada.

  • Tony Belviso

    Este prefeito está com a síndrome de Odorico Paraguaçú …criou um cemitério ( as ciclovias ) e agora tem que arumar defuntos ( os militontos dos cicloativistas ) para fazer jus a obra ….toda a raiva contar os automóveis pagadores de impostos e taxas é para atacar os paulistas que barraram sua proposta de aumento extorcivo de IPTU, como não conseguiu tirar mais dinheiro nosso, ele solta toda sua raiva contra os munícipes; com mais radares, multas, multas, multas e velocidades maxímas que nem charrete consegue manter, faixa de todo tipo para toler nossa mobilidade….a ordem é quebrar a classe media paulistana que sustenta toda essas barbaridades impostas por um partido comunista . Toda essa grana gasta com essa boçalidade de ciclovia seria muito mais útil na compara de novos ônibus , criação de linhas executivas rápidas de ponto a ponto ( como existia nos anos 70 pegava-se um executivo em Congonhas e ia-se direto até a cidade , rápido , barato e limpo ). Já passou da hora de São Paulo ser dividia em ao menos 4 cidades distintas .

    • Fat Jack

      Belíssima referência! Enquadra-se prefeitamente, digo, perfeitamente…

  • Danilo

    São várias as vias que devido a conversões, os ônibus saem da faixa reservada a eles e devido a seu porte ocupam outras duas faixas restantes ficando livre a faixa de ônibus e os carros tem que esperar. Ou seja 1 onibus consegue ocupar todas as 3 faixas. Próximo a cruzamentos deveria se extinguir a faixa exclusiva. Tem muito microônibus que fica fazendo hora no meio do caminho para não chegar muito cedo no ponto que tem o fiscal (Rally de regularidade?) e fretados enrolando no caminho para dar tempo de seu “passageiro” chegar no ponto.

  • Lucas Vieira

    Eu já teria mudado de cidade, pois é ruim com rodízio e ruim sem rodízio, ruim com PT, ruim sem PT…. difícil uma solução!

  • Fat Jack

    Falar dessa imundice já virou “tacar pedra em avião”, é um descalabro atrás de outro. Já estamos sob a ótica do “Quem disse que não pode piorar??? Pode!!”

  • joão

    Se eu fosse de São Paulo procuraria outro lugar para morar. Há todo um interior do Brasil que pode ser ocupado, melhorando a distribuição de renda e pessoas no território. É o caso de se pensar…

    • Z_H

      Se não fosse o trabalho……

  • Gustavo Tourinho

    O que me deixa mais assombrado com a ideia infame do rodízio é o caráter paliativo dela! Como pode durar 17 anos (!) uma solução cujo princípio é apenas e tão somente o de retirar 20% da frota de circulação?! Se no ano seguinte a frota cresce novamente? Como isso pode ser definitivo?

    Se o centro de São Paulo não comporta o volume de carros que lá circulam e derrubar prédios para alargar avenidas não é uma opção, então já se deveria ter partido para o transporte eficiente massas, ainda que para isso fosse necessário impedir completamente a circulação de veículos, como é feito em alguns centros de cidades europeias (Amsterdam, por exemplo).

    Sei que isso é impopular num grupo de “AUTOentusiastas”, que preferem dirigir seus bem escolhidos e adorados automóveis de uma porta a outra, e eu me incluo nesse grupo. Mas estou tentando ser razoável, independente das minhas preferências pessoais.

    O problema é que o transporte de massas nunca se tornou eficiente e seguro a ponto de o cidadão se convencer a deixar o carro em casa e a solução paliativa do rodízio se tornou eterna, deixando os paulistanos com o pior dos dois mundos.

    Dinheiro não é problema em São Paulo. O desvio dele, talvez seja. E se o investimento fosse bem feito, talvez tivéssemos o fomento à construção de edifícios-garagem no entorno do centro e das estações de metrô da cidade (ou qualquer que seja o modal da solução), e apenas BRT, VLT ou mesmo bondes circulando cheios de gente pelas ruas do centro, que não comportam o uso individual do automóvel.

    O que não dá pra aturar é a perpetuação da solução paliativa (e burra) do rodízio, junto com um transporte coletivo socado e insuficiente… Para sempre!

  • Marcelo Alonso

    AUTOentusiastas, sugiro a criação, por parte de vocês, de uma associação de motoristas, com existência jurídica, para se ter condições legais de propor ações judiciais coletivas contra todo o tipo de descalabro cometido contra os motoristas aqui em São Paulo. Leio os comentários de centenas de pessoas no site, talvez milhares, todas revoltadas, mas sem tomar atitudes concretas contra a situação atual. Não adianta somente ficar aqui falando, nada se resolve assim, sem pressão social coletiva, movimento social não é só de trabalhadores, estudantes, professores, sem teto, etc. Temos que fazer barulho. Há muito tempo eu digo que estamos na mão de um grupo de funcionários públicos, que só fazem por aumentar suas benesses e pensar em como podem fazer ações obscuras à luz da lei (belo eufemismo). E isso ocorre nos três poderes e nos três níveis do governo.

  • Falou besteira. Quando venho ao centro, costumo deixar o carro em casa, exatamente porque é ruim de andar, parar, etc… Mas não dá para tirar o direito do cidadão de ir e vir com o carro. Por vezes ele precisa, assim como eu as vezes preciso vir com o carro quando compro alguma coisa, por exemplo.

    O cara enche uma cidade com a topologia de São Paulo com faixas para bicicleta. Só pode ser uma besta mesmo. Bem feito para os idiotas que votaram nele. Uma pena que nós, que não votamos, tenhamos que sofrer juntos.

  • Sergio

    Olha que coisa fofa: http://goo.gl/J1ZcRx

    • Felipe Parnes

      Avenida politécnica.
      Novo slogan da campanha para nosso ilustríssimo prefeito: “Calçada pra quê?
      Danem-se os pedestres”

  • Só uma coisa: Essa tinta aí, se molhada, reduz muito a aderencia do pneu das bikes. Preparem-se pra muitos ciclistas caindo

  • petrafan

    faltam 828 dias.

  • francisco greche junior

    Poxa me surpreendi, pense que teria mais repercussão e comentários. Acho que de modo geral estamos todos estagnados e cansados, sem esperança, já perdendo a coragem de reclamar em vista de tanto desaforo.

  • KzR

    Lei de Murphy, inciso Haddad.

  • Juvenal Jorge

    Passou muito da hora de acabar com esse rodízio comunista, perpetrado pelos ignorantes que detêm o poder.
    Fora prefeito inútil.