DSC08683  CITROËN DS4 NO USO DSC08683

Para mim, carro é que nem lancha. De nada adianta uma lancha com tremenda motorização se ela não é boa marinheira (“boa marinheira” é como costumamos descrever uma embarcação que enfrenta mares cascudos com segurança e conforto). Um bom formato de casco é primordial e a importância do motor vem depois. O mesmo vale para carro: bom chassi e suspensão são primordiais e motor vem depois. Carro tem que ser bom de chão.

 

Mesmo trem de força do C4 Lounge THP.  CITROËN DS4 NO USO DSC08595

Mesmo trem de força do C4 Lounge

E o Citroën DS4 é um hatch médio muito bom de chão, daí minha imediata simpatia por ele. Tem o mesmo trem de força do recém-testado Citroën C4 Lounge. O motor é o nosso já bem conhecido e elogiado THP 165 — um 4-cilindros turbo de 1,6 litro de 165 cv a 6.000 rpm e 24,5 m·kgf de 1.400 a 4.000 rpm, e o câmbio é o excelente automático Aisin de 6 marchas. Motor suave e silencioso que, apesar de não ser um monstro em potência, oferece respostas consistentes em ampla faixa de giro, e potência suficiente para viajar tranqüilamente em velocidades só permitidas nas Autobahnen. E gasta pouco combustível (só gasolina, que pode ser a comum). Faz de 8 a 10 km/l na cidade e de 10 a 14 km/l na estrada, pelo computador de bordo.

 

Bom para nos levar em longas viagens em busca do sol.  CITROËN DS4 NO USO DSC08643

Bom para as longas viagens

Quanto à suspensão do DS4 — McPherson na frente e eixo de torção atrás —, ela segue o padrão da linha DS, que inclui o DS3 e o DS5, e que se caracteriza por dar prioridade ao comportamento. Ela é mais firme que a do C4, por exemplo, o que a torna menos confortável na cidade, já que no Brasil é comum o asfalto urbano ser ruim. Em compensação, ao pegar uma boa estrada o DS4 mostra atitude exemplar, digno de figurar entre os melhores entre os bons.

Em alta velocidade segue sólido, é simplesmente insensível a ventos laterais e nas curvas, seja de alta ou de baixa, segue à risca o traçado desenhado. Pouco rola e imediatamente se estabiliza após uma manobra um pouco mais brusca às vezes necessária para desviar de alguma situação imprevista, por exemplo. É, portanto, um carro muito obediente, sempre pronto a seguir rapidamente para onde é apontado. Gostei muito.

 

Massagem para o lombar. Um bom mimo.  CITROËN DS4 NO USO DSC08617

Bancos têm massageador para a região lombar, um bom mimo

Os pneus Michelin 225/45R18 são ótimos como aderência, porém obviamente um pouco duros. Há quem goste de aro 18 e pneu de perfil bem baixo, mas paga-se em menos conforto e maior cuidado com buracos por isso. O DS4 não é carro para esses motoristas desmazelados que ignoram por onde passam e passam com tudo por lombadas e buracos, e seguem batendo lata e nem aí. É para quem escolhe onde vai pisar. É para quem curte seu bom carro e dele cuida.

 

Porta-malas de 359 litros.  CITROËN DS4 NO USO DSC08630

Porta-malas de 359 litros mesmo com estepe no seu interior

Ano passado testei o DS5 e o achei mais duro de suspensão que este DS4, quando, teoricamente, por o DS5 ser maior e pesado, deveria ser mais macio. Também o Bob ano passado reclamara dizendo ter achado a suspensão do DS4 excessivamente dura, a ponto de ser desagradável. Perguntei à Citroën se haviam feito algum acerto na suspensão de ambos, suavizando-as, e me foi respondido que não, que tudo continuava igual. Mas não foi essa a impressão que tive, não mesmo. Acho que agora estão mais compatíveis com as nossas condições.

 

Painel padrão Citroën  CITROËN DS4 NO USO DSC08624

Painel padrão Citroën

O painel e interior segue como o do C4, com a pequena diferença de que as indicações do computador de bordo, como consumo de combustível, distância percorrida, autonomia, são informados no centro do mostrador central, o do velocímetro. E ele também tem a benfazeja tecla que desliga quase todas as luzes do painel — só deixando à vista a indicação do velocímetro analógico e a da marcha em uso —, o que, pelo menos para mim é ideal para longas viagens noturnas. Os faróis baixos são direcionais, acompanham as curvas, coisa que a Citroën tem desde o modelo SM da década de 1970, aqueles cujo motor V-6 vinha da Maserati, que então a ela pertencia.

Os bancos dianteiros são o que há de melhor em termos de conforto, com o extra de ambos terem uma relaxante massagem lombar, que atua inflando e desinflando num ritmo de respiração lenta.

Os vidros das portas traseiras são fixos. É evidente que essa função não foi aplicada para favorecer o estilo do carro. Tudo bem, desde que os passageiros de trás fossem agraciados com saídas de ar-condicionado, o que não foram.

 

Falta saídas de ar-condicionado para os de trás, que não podem abrir suas janelas.  CITROËN DS4 NO USO DSC08641

Falta saída de ar-condicionado para os passageiros de trás, que não podem abrir suas janelas.

O DS4 pesa 74 kg a menos que o C4 Lounge (1.363 kg x 1.437 kg), portanto, como era de se esperar, é mais rápido no 0 a 100 km/h, que faz em 8,6 segundos, enquanto o C4 Lounge o faz em 8,8 segundos. Porém sua velocidade máxima é 2 km/h inferior. Atinge 212 km/h  (todos os dados são de fábrica). Diferenças, como se vê, irrisórias, mas a diferença em termos de chão não são irrisórias, não. O C4 Lounge é bem mais macio, enquanto o DS4 é bem mais grudado à estrada, apesar de o C4 de ruim não ter nada. Muito disso se deve à maior firmeza da suspensão do DS4 e ao fato da sua suspensão estar menos erguida (é importado da Franca, o C4 Lounge é fabricado na Argentina). Numa pista, tipo Interlagos, o DS4 certamente despacha o C4 Lounge.

 

Fazer curvas no trilho é com ele.  CITROËN DS4 NO USO DSC08668

Fazer curvas no trilho é com ele

O banco traseiro é confortável, cômodo, apesar de não tão espaçoso para as pernas. Já o porta-malas é muito bom, com 359 litros. 

Para quem aprecia os recursos de entretenimento, o DS4 oferece uma infinidade deles. São tantos, que quando você pensar que já acionou todos, provavelmente estará na metade. Tem controle de tração e de estabilidade, que podem ser desativados. 

 

Útil luz de cortesia.  CITROËN DS4 NO USO DSC08655

Útil luz de cortesia.

É um carro rápido, veloz, muito bom de chão, que, sem alarido, proporciona bons momentos de esportividade, principalmente numa boa e sinuosa estrada vazia.

Preço: R$ 103.000, o que é muito para muitos e pouco para poucos.

Ficha técnica e lista de equipamentos, veja no teste do Bob.

 AK

Fotos: autor

Sobre o Autor

Arnaldo Keller
Editor de Testes

Arnaldo Keller: por anos colaborador da Quatro Rodas Clássicos e Car and Driver Brasil, sempre testando clássicos esportivos, sua cultura automobilística, tanto teórica quanto prática, é difícil de ser igualada. Seu interesse pela boa literatura o embasou a ter uma boa escrita, e com ela descreve as sensações de dirigir ou pilotar de maneira envolvente e emocionante, o que faz o leitor sentir-se dirigindo o carro avaliado. Também é o autor do livro “Um Corvette na noite e outros contos potentes” (Editora Alaúde).

Publicações Relacionadas

  • Leandro

    Por esse valor, não valeria a pena investir um pouco mais e pegar um Golf Mk7 GTI? Em termos de potência e esportividade também.

    • Guilherme Keimi Goto

      Acho que o comprador do DS4 procura um carro “exótico”, enquanto o do Golf procura algo mais mainstream.
      Em questões de esportividade acho que o GTI é melhor, mas na questão da imagem o DS4 leva vantagem por ser menos banal que o Golf.

    • Carlos Barbosa

      Quando surge um carro bom vem alguém e fala: investe num VW!! Sai pra lá

      • Davi Reis

        Talvez seja porque também existam boas opções em outras marcas… Virou moda nos últimos anos descer o sarrafo nas 4 grandes mas nem por isso não existem boas opções nelas.

      • Leandro

        Entre pegar um carro de 165CV e um de 210CV, ambos tecnologicamente bem atuais, pra qual lado vai o peso?
        Sem contar a desvalorização dos carros da Citroen.
        Mas gosto é gosto e não se discute.

      • Sidnei

        Por que será, né? O Golf é melhor de suspensão, de motor, de câmbio…

  • Pedro Resende

    É um carro muito interessante, mas não justifica a diferença de preço para o 308 e C4 thp.

    • Cristiano_RJ

      A diferença reside em dois pontos:
      1) 308 e C4 Lounge THP são produzidos na Argentina, enquanto o DS4 é importado da Europa;
      2) A linha DS4 possui proposta de maior sofisticação; assim como Lexus (Toyota) e Acura (Honda).

  • O DS4 é lindo… assim como DS3 e DS5. São carros com desenhos marcantes, daqueles que não passam despercebidos. Mas essa do vidro da porta traseira é de lascar…

    • Marcio Santos

      De lascar são os vidros fixos sem saída de ar traseira, esta combinação em um carro que pretende se colocar como premium parece imperdoável.

      • Bob Sharp

        Marcio Santos
        Saiba que há décadas os carros tem saídas de ar, até Fusca depois de 1974. Não é preciso janela para renovar o ar.

  • Davi Reis

    Gosto é gosto mas acho esse carro muito bonito, esse interior então… Mas por esse preço, o Golf GTI parece melhor opção.

    • Nando

      Que tal um BMW 118i? Tem o mesmo motor do DS4 (um pouco mais potente, porém), câmbio de 8 marchas e com a tração no lugar que Deus mandou. Mais divertido e mais refinado que ambos. Por aproximadamente R$ 110.000.

  • Nando

    O C4 Lounge Exclusive também traz as informações de computador de bordo no centro de velocímetro, que também pode ser configurado como velocímetro digital.

    Acredito que ambos sejam pesados demais. O C4 pesa mais de 200 kg acima de um Civic, o que é muita coisa. Eu esperava que o DS4 fosse bem mais leve, por ser menor.

    Apesar de ser um belíssimo carro francês (sem nenhuma conotação negativa para “carro francês”, muito pelo contrário), com muita personalidade e inegáveis qualidades, acredito que existam opções melhores na faixa de até R$ 110 k.

  • laguiar

    Realmente um belo carro, e realmente muito caro… 90 mil estaria muito bem pago, até sobrando já.

  • Igor Serra

    É lindo… não se discute. Mas pelo preço, melhor pegar o C4 Lounge.

  • Marco Antonio

    Excelente Carro, assim como a matéria, muito bem redigida!!! Apenas senti a falta do Vídeo…; Mas se pudesse adquiria o DS5, ou Golf GTI

  • Davi Reis

    Também é uma opção a considerar! Mas ando achando esses últimos BMWs muito feios, essa eu deixaria passar… Por 110.000/120.000 lembrei que também tem o A3 Sedan, é um carro maravilhoso.

    • Nando

      Muito bom também, mas eu troco a aparência dele pela tração traseira do BMW sem nenhum remorso…

      • Davi Reis

        A tração traseira realmente dá uma turbinada no fator diversão.

    • Ilbirs

      Parta sempre do princípio que você está dentro, e não fora do carro. Aí dá para relevar o desenho “Angry Birds” do Série 1 F20.

      • Davi Reis

        Estou sempre dentro, mas antes de entrar, preciso passar por fora (risos)! Não que eu valorize mais a aparência do que o carro em si, mas esse novo estilo da BMW não consegue me agradar de jeito nenhum.

  • Marco Antonio

    Excelente carro, assim como a matéria, muito bem redigida!!! Apenas senti a falta do vídeo…; mas se pudesse adquiria o DS5, ou Golf GTI

  • Giovanni Leonardo Ferreira

    O Citroën parece ter um público cativo que curte gadgets e troca de carros conforme a moda. Acho o visual sempre exótico beirando o cansativo. Dificilmente há o que criticar sobre desempenho, estabilidade e acessórios mas não conheço quem fique muito tempo com eles.

    • Eduardo Alvim

      Estou com o meu C4 hatch há 4 anos. Pouco rodado (93k km), deve ficar na família ainda um bom tempo.

      • Rodrigo

        O meu também tem 4 anos, só que atualmente está com 26K km… rodo muito pouco com ele e até hoje são somente muitas alegrias…

        • Giovanni Leonardo Ferreira

          Existem exceções e principalmente aqui. Os que hoje tem Xsara VTS por exemplo não vendem.

          • Eduardo Alvim

            Mas aí você está forçando a barra. Será que o proprietário do Alfa 145 Quadrifoglio vende fácil seu carro também?

    • Cristiano_RJ

      Meu camarada, acho que você está rotulando demais. O “público Citroën” isso, os carros da marca aquilo…
      Quando estamos diante de um novo modelo, acho mais apropriado avaliá-lo por suas qualidades objetivas do que julgá-lo pela logo que carrega consigo.

  • Belford

    Arnaldo cadê o vídeo!!!!! Adoro ver você “pilotar” em uma serra cheia de curvas!!!!!!! Um abraço!!!

  • Roberto

    Conheço dois proprietários do DS4, estão deveras satisfeitos. Ambos dizem que o carro vale cada centavo. Cheguei a viajar com um deles e até me surpreendi de como esse carro anda rápido (o dono também tem um pé muito pesado; passamos de 200 km/h em duas oportunidades, carro com 4 pessoas).

    Ainda terei um carro com esse motor! Meu sonho seria um 208 GT automático.

    Ótima avaliação, como sempre, AK!

  • Z_H

    A parte do “(só gasolina, que pode ser a comum)” muito me interessa (Tenho um 408 THP)… Essa história das 50 ppm de enxofre para toda gasolina a partir de Jan/2014 é fato ?

  • Roberto, não acho uma coisa bacana passar de 200 km/h com 4 pessoas dentro do carro. Que seu amigo o faça sozinho.
    Parece que deve vir esse seu sonho. Vá juntando a grana aí.

  • Belford, obrigado, mas decidimos só fazer vídeos se for para ficarem bons. Eu estava sem câmera boa, etc, mas estamos providenciando mais equipamento.

  • .

    AK
    Como sempre lindas praias e paisagens…
    Belíssimo par de óculos Ray-Ban aviador!
    Grande estilo!

  • César

    Brilhante avaliação, como sempre.
    Talvez meu comentário até não se justifique, mas permita-me: por esse valor, duvido que, do alto de seu design cansativo e de sua frágil e barulhenta suspensão, um Citroën um dia consiga ser melhor do que um Mercedes A200 ou um BMW série 1.

  • Felipe

    Realmente o visual Citroën sempre me agrada, é uma excelente pedida de carro, para mim a cor mais bonita no DS4 é o chumbo!
    No entanto, ultrapassando a barreira dos 100 mil para mim já não dá.
    Quanto a compará-lo com o Golf GTI é muito complicado, acho que só na questão do preço, pois na performance ele com certeza está muito mais para o Golf 1.4, carro esse que eu tenho e manual além de tudo, preferência pessoal minha!
    Ah, e na minha opinião sincera, performance ele perde para o Golf 1.4 já…
    Um desse pouco usado encaixaria certinho no bolso no entanto.
    abs

    • Christian Bernert

      Felipe, concordo com a sua observação quanto ao ‘pouco usado’. A Citroën acertou em quase tudo neste carro, mas o pecado dos vidros fixos atrás complica as coisas. Acaba desmerecendo as quatro portas. Acho que seria mais inteligente assumir que é um 2 portas e pronto. Mas se a intenção é ser diferente eles conseguiram.
      Por outro lado a faixa de preço o torna pouco vendável.
      Já quando este DS4 chegar ao mundo dos usados, o ‘Rei-Mercado’ tratará de puxar ele para um valor real. Isto irá se traduzir em maior desvalorização frente aos possíveis concorrentes (Audi, BMW, VW, Mercedes… ué, todos alemães…).
      Temo que com isso a Citroën continue com dificuldades de se livrar da pecha de carros de alta desvalorização.
      Fora estas elucubrações mercadológicas, o DS4 é um belo carro, sólido, agradável e com desempenho muito bom.

      • Felipe

        Com certeza, Christian!
        Essa desvalorização é ruim para o primeiro proprietário, mas excelente para o segundo.
        Realmente, o baque na Citroën é grande, meu cunhado já está no terceiro, ele adora, no entanto já sabe que vai levar um tombo.
        Pegando com pouco uso um DS3 na faixa dos 50-55 e o DS4 na faixa dos 70-75 ficaria perfeito.
        Infelizmente é o que ocorre com esses carros..
        Abs

  • Fórmula Finesse

    Ótimo post! Parece ser um excelente carro mesmo, mas algo no desenho externo e no preço, não o tornam tão atrativo aos meus olhos (perante outras opções).
    Mas certo que deve ser um grande companheiro para cruzar as estradas.

  • Leonardo Mendes

    Pena que essa luz de cortesia no retrovisor não seja praxe em outros carros, faz uma boa diferença quando necessária.

    R$ 103.000,00… para o carro em si não achei caro, problema é que nessa faixa de preço já bate de frente com uma estrela, quatro anéis e uma hélice estilizada na grade, e como diz um conhecido “tem que ver o que dá mais status entre os amigos quando estaciona na frente do clube.”

    • Luís Galileu Tonelli

      Sem contar que já vem um bom Fusion!

  • pkorn

    Como de resto no Brasil… um carro que é apenas mais uma versão da linha nos países de origem, chega aqui como a azeitona do martini do 007.

  • Bosley De La Noya

    Sem falar que um jogo de rodas orbitais cai como uma luva nesse Golf…

  • CharlesAle

    “O DS4 não é carro para esses motoristas desmazelados que ignoram por onde passam e passam com tudo por lombadas e buracos, e seguem batendo lata e nem aí. É para quem escolhe onde vai pisar. É para quem curte seu bom carro e dele cuida”””Infelizmente o péssimo piso nacional não dá a chance sequer do bom motorista ser um “perito”em desviar de buracos!!Ou seja,esse carro,aliás como a maioria dos carros Franceses,vai sofrer no Brasil…….E sobre o preço (103 mil) é só para quem gosta, de fanático por carros franceses!!

  • Marcio Santos

    O problema dos premium mais baratos é a falta de equipamentos, são ótimos carros mas equipados como um sedã médio de 70k.

    • Nando

      Concordo contigo, mas ainda assim fico com o BMW. Pensando racionalmente, existem equipamentos que fazem muito pouca ou nenhuma falta, tipo ar- condicionado de duas zonas, ajuste elétrico de bancos, etc. Nada disso substitui um carro com tração traseira e acertado no padrão BMW.

  • Smooj

    Se fosse assim todos os carros do mercado seriam Golfs.

    Acho bom termos opções distintas, mesmo que não sejam melhores. Talvez o dono de um DS4 estive procurando um visual diferente, ou um pouco mais de exclusividade.

  • Giovanni Leonardo Ferreira

    Há alguns meses um amigo comprou um em estado razoável. Pagou R$ 5.000,00 Alfa 145 Quadrifoglio vermelho. Um trato na pintura e no motor e pronto.
    Tem seu público e sem dúvida é um carro muito legal.

  • Giovanni Leonardo Ferreira

    O carro foi muito bem avaliado pelo Arnaldo. Um carro muito competente práticamente irretocável. Comentei sobre o estilo, a identidade da marca mesmo. Os fabricantes buscam cada vez mais uma identidade visual bem uniforme em toda a linha e eu vejo essa identidade na Citroën “Creavive technology”.

  • zebedeu

    Esse carro fica interessante se for remapeado para 200 cv. Mas no preço dele hoje, sai 10 mil mais caro que um Nissan Altima, por mais que se diga que são categorias diferentes, Altima é outro nível. A DS tem que desamarrar esse interior dos Citroën, por mais bem acabado que seja, decepciona ver seu carro de 110.000 ter o mesmo painel de um de 80! Um interior mais próximo do DS5 seria bem vindo, e os 200 cv mesmo que seja por remapeamento.