Novo Mustang

Mustang 2015 (foto Automotive News)

Adotar suspensão traseira independente, vários itens de segurança eletrônicos e outros elevou o peso e o consumo de combustível de várias versões do novo Mustang 2015, segundo etiquetas de consumo vazadas hoje na internet. Executivos da Ford não confirmam a autenticidade dos números da EPA (Agência de Proteção Ambiental), que podem ser vistos em http://www.mustang6g.com/.

“Ainda não falamos em consumo e gostaríamos de esperar até que EPA informe oficialmente os consumos do Mustang,” disse o porta-voz da Ford, Brian Cotter. Ele acrescentou que não poderia confirmar os números da EPA das etiquetas nos vidros.

Segundo o que vazou sobre as etiquetas, o consumo na estrada do Mustang V-6 automático caiu de 13,1 km/l para 11,9 km/l no modelo 2015, deixando o Mustang 3,2 quilômetros atrás de seu concorrente Chevrolet Camaro V-6 automático.

A versão de câmbio manual do mesmo modelo também mostra queda, de 8,1 e 12,3 km/l cidade/estrada, e 9,3 km/l médio, para 7,2, 11,9 e 8,9 km/l, mesma ordem.

O Mustang 2,3-litros de quatro cilindros — novidade para 2015 — com câmbio manual aparenta ser o modelo mais econômico, com 9,3/13,1/11 km/l, segundo as informações vazadas.

O peso em ordem de marcha do Mustang 2015 aumentou em quatro dos seis modelos. O novo carro é ligeiramente maior do que o que está saindo de produção. Pesos do cupê variam de 1.600 kg do quatro-cilindros automático a 1.692 kg do V-8 automático. Os modelos 2014 iam de 1.590 kg do cupê V-6 manual a 1.642 kg do V-8 automático. A Ford ainda não divulgou os pesos ou os consumos EPA dos conversíveis.

A Ford se esforçou bastante para cumprir sua promessa de diminuir o peso entre 91 e 318 kg em cada modelo. (Automotive News)

BS

(67 visualizações, 1 hoje)