Bolha nos protege do vento

Bolha protege o piloto do vento

A idéia era um post mais vídeo do que texto. Entretanto, problemas técnicos impediram ter o vídeo editado e publicado — o que ocorrerá oportunamente. Mas, independentemente disso, há muito o que falar sobre a incrível Triumph Tiger Explorer.

Painel de boa visualização; a bolha ajuda muito na estrada

O ronco do seu motor de 3 cilindros em linha, de 1.215 cm³ confirma o que venho notando: esses motores emitem um delicioso ronco que lembram o do 6-cilindros boxer do Porsche 911. E já que “ronca parecido ao Porsche”, em matéria de ronco o motor de 1,2 litro da Tiger Explorer está de parabéns. Ele gera 137 cv a 9.300 rpm e cabe a você dar conta disso tudo. Você e o controle de tração. Ultimamente, a potência das grandes motos tem subido tanto que esses controles se fazem necessários.

Motor de 3 cilindros produz 137 cv

E elasticidade também é com ele. O torque máximo, de 12,3 m·kgf, está a 6.400 rpm. Para o leitor ter uma noção de sua força, estando parado engatei 3ª marcha e com aceleração normal, baixa, a moto saiu como se estivesse tudo certo, sem nada estranhar ou reclamar, saiu forte e acelerou liso. E olhe que suas marchas são longas, a 1ª passa dos 60 km/h. O motor é uma barbaridade. No começo, enquanto ainda estamos nos acostumando com a moto, para saber qual marcha está engatada é necessário olhar no mostrador do painel, já que ela acelera feito um canhão em qualquer marcha e em qualquer giro. E ele é dócil, suave, macio. Motor fácil de dosar sua potência, pois é linearmente progressivo em toda a faixa de rotação.

Transmissão final por cardã

Bem, já que o leitor já teve uma idéia do monstro que é esse motor, fica difícil imaginar que seja possível domar tudo isso, mas acontece que conseguiram. A moto, apesar de alta é comportada, leve de pilotar. Muito boa de curva, deita e levanta com naturalidade e leveza. Freios, excelentes, e com ABS que pode ser totalmente desligado, opção que valorizo, principalmente em estrada de terra.

Controle de velocidade de cruzeiro

 

Acesso ao computador de bordo

Acesso ao computador de bordo

Ela tem controle de velocidade de cruzeiro, útil para estradas desertas, e tem controle de tração, tremendamente útil quando se trata de domar o despejo de tamanha potência numa só roda. É fácil, creia, muito fácil errar na dose da subida de giro desse canhão, ainda mais se pensarmos em piso molhado.

Mesmo em arrancadas fortes a frente pouco tende a sair do chão. Na estrada a bolha protege bem, o que permite viagens rápidas e descansadas.

Na certa o leitor interessado irá me perguntar como ela é comparada à BMW GS 1200. Bem, este não é um comparativo, seriam muitos itens a avaliar, todavia adianto que na terra a Tiger Explorer é bem mais leve e jeitosa.

Faróis duplos, excelentes

Mas tudo isso tem um preço, ou melhor, alguns preços a pagar. Primeiro preço: tamanha potência gera um bocado de calor, então quando o ventilador do grande radiador liga vem ar quente para valer nas canelas. E quando digo quente para valer é isso mesmo, bem quente, então ela é uma moto que não é das melhores no trânsito, já que as canelas sofrem. Para amenizar isso, só botas de cano alto.

Note-se a diferença de altura entre os selins

Segundo preço: é uma moto para um, só piloto. O assento do carona está muito acima do piloto, o que provoca um desequilíbrio acentuado quando está ocupado. O centro de gravidade sobe muito e vai lá para atrás. Além disso, o carona sofre se ficar por ali por um tempo mais prolongado, fica meio desprotegido, sem apoio. Sendo assim, apesar da moto ser nota 10 para viajar, só é 10 se for para ir sozinho, caso contrário ela se torna ruim.

Terceiro, o preço: R$ 55.400,00

 

Detalhe: bom gosto

 

AK

Fotos: autor

 

FICHA TÉCNICA TRIUMPH TIGER EXPLORER
   
MOTOR E TRANSMISSÃO
Tipo Arrefecido a líquido, 3 cilindros em linha, duplo comando no cabeçote, 12 válvulas, gasolina
Cilindrada 1.215 cm³
Diâmetro e curso 85 x 71,4 mm
Potência 137 cv a 9.300 rpm
Torque 12,3 m·kgf a 6.400 rpm
Formação de mistura Injeção eletrônica seqüencial, acelerador eletrônico
Escapamento 3 em 1, tubos de aço inoxidável, silenciador lateral de aço em aço inoxidável
Transmissão secundária Cardã
Embreagem Multidisco em banho de óleo, comando hidráulico
Câmbio 6 marchas
Capacidade de óleo lubrificante 4 litros
CHASSI, TREM ROLANTE E INSTRUMENTOS
Quadro Quadro Trellis de aço tubular
Braço oscilante Unilateral, liga de alumínio, fundido com eixo acionador
Roda dianteira Liga de aumínio fundido, 10 raios, 2,5×19 pol.
Roda traseira Liga de aumínio fundido, 10 raios, 4×17 pol.
Pneu dianteiro 100/80R19
Pneu traseiro 150/70R17
Suspensão dianteira Garfos invertidos Kayaba de Ø 46 mm, 190 mm de curso
Suspensão traseira Monoshock Kayaba com reservatório de óleo remoto, pré-carga ajustada hidraulicamente, ajuste de carga na distensão, 194 mm de curso
Freio dianteiro Discos duplos flutuantes de Ø 305 mm, pinças   Nssin de 4 pistões, com ABS
Freio traseiro Disco de Ø 282 mm, pinça deslizante Nissin de dois pistões
Instrumentos/funções Pacote de instrumentos multifuncional em LCD contendo velocímetro digital, computador de bordo, conta-giros analógico,indicador de marchas, medidor de combustível, indicador de manutenção, indicação de temperatura ambiente, relógio, botão de rolagem no guidão e indicador do monitoramento da pressão dos pneus
DIMENSÕES E CAPACIDADES
Comprimento 2.248 mm
largura no guidão 885mm
Altura sem espelhos 1.410 mm
Altura do assento 840 e 860 mm
Distância entre eixos 1.530 mm
Ângulo da cabeça/avanço 23,9°/105,5 mm
Tanque de combustível 20 litros
Peso em ordem de marcha 259 kg

 

(595 visualizações, 1 hoje)