Driving

Dirigindo o Testa S

Coragem, dedicação e inovação são três coisas que eu admiro. Na área de automóveis eu sempre gostei de carros diferentes, como os Citroën antigos, Saab pré-GM, o primeiro Honda Insight, o Audi A2, e vários outros. Até Pagani e Koenigsegg pela dedicação de Horácio e Christian, que conseguem vender os carros deles e gerar um pouco de lucro, sem as empresas falirem.

Agora tem mais um carro que eu admiro, o Tesla S, e pelo que sei esse é o primeiro carro elétrico puro que se pode usar no dia a dia sem ter a ansiedade de autonomia.

Assim, com muita curiosidade, tive a oportunidade de dirigir dois Tesla S P85+ recentemente, e como ainda não está disponível no Brasil, só posso dizer que, se você estiver por perto de uma loja nos EUA ou na Europa, entre e pergunte se tem um demo car livre. Você vai ter uma experiência muito interessante para um autoentusiasta.

 

Red 1

Um belo carro moderno

Por fora o Tesla S tem um estilo bom e atraente, parece um carro bem normal, como algo entre um Audi A5 de quatro portas e um Porsche Panamera. Como o A5, o Tesla S também tem tampa do porta-malas grande incluindo o vidro (hatch), bastante prático.

 

Red 2

Um dos dois carros avaliados era esse vermelho

Olhando mais de perto alguns detalhes interessantes. As maçanetas das portas são totalmente embutidas, até o momento que você chega perto do carro com a chave no bolso, aí elas saltam para fora. Outro detalhe é que não se encontra nada de portinhola para encher um tanque, já que não tem um, e nem para colocar um cabo da tomada. Olhando para a traseira, junto do difusor de ar não se vê nenhuma saída de escapamento, só um difusor mesmo, e o piso é totalmente plano, da frente até a traseira.

 

Com certeza isso são amostras pequenas de que o Tesla é projetado bem longe de Detroit, e isso é verdade. O  Tesla é americano com origem na Califórnia. É como um carro Vale do Silício, e no momento que você se senta atrás do volante dá para entender que é assim mesmo. No centro do painel há um mostrador enorme de 17 polegadas.

 

Panel

Quase sem botões, e uma tela enorme. GPS também no quadro de instrumentos; volante é usado nos Mercedes-Benz, com outro acabamento

Usando esse mostrador se faz praticamente tudo com o carro, e o Tesla é o primeiro carro que não só fala de eliminar botões, eliminou mesmo quase todos.  No painel tem dois botões, um do pisca-alerta e  outro para abrir a porta luvas. Só.

O volante tem três em cada raio. Na centro do volante há três alavancas, uma para selecionar D, N, R, P, uma para o controle de cruzeiro e mais uma convencional para as luzes.

 

Door trim

O Tesla convida a entrar e dirigir a modernidade

Continuando a procurar botões se encontra os normais para os vidros e espelhos na porta. Mais de que isso? Nada.
Quer abrir o teto solar? Entre no mostrador.
Quer mudar o rádio ou escutar música na internet? Entre no mostrador.
Quer mudar algo na ventilação? Entre no mostrador.
Quer abrir o porta-malas? Entre no mostrador.
Quer ver seu e-mail? Entre no mostrador.
Quer mudar a força no volante? Entre no mostrador.

Assim, posso continuar, no mostrador tem tudo?

Como não sou filho da geração internet, o mostrador é interessante, mas agora quero dirigir. Quero sentir o asfalto no volante, quero sentir as forças nas curvas, quero escutar o ronco do. . . motor. . .  ah, é isso. Com o motor ligado não se escuta nada, ainda não me acostumei com isso.

Com a chave no bolso e o carro ligado, eu aperto o acelerador, e como em todos carros elétricos que eu dirigi até agora, é tudo silencioso. Saí para a estrada como se estivesse num carrinho num parque de diversões. E posso dizer, o Tesla S P85+ é bem mais divertido de que qualquer carrinho de parque de diversões.

 

Rear lamp

Tomada para carregar, escondida na lanterna

P85+? O que significa isso?  O P é performance e significa que o motor tem seis Weber 38 DCN e eles faz. . .   hum, não, nada disso. O carro tem um  inversor elétrico com especificações que faz a energia da bateria entrar no motor mais rápido,  algo assim.

Para mim eletricidade ainda é um pouco misteriosa e às vezes penso que os fios guardam fumaça. Como? Sim, o que acontece se algo elétrico quebra? Sai fumaça. Se o fio é grande e algo quebra, sai muita fumaça. Lógico, não é? Então, o 85 é tamanho da bateria, 85 kW·h. Isso é bastante, para não dizer muito. Outros carros elétricos normalmente têm uns 18 a 24 kW·h, por aí. Carro híbrido tem menos ainda, uns 5 a 10 kW·h.

O + significa que é a versão mais esportiva com amortecedores e buchas firmes, com estabilizadores mais grossos e com rodas de 21 polegadas.

No assunto de hardware o carro também é interessante. Como o Tesla S é desenvolvido de uma folha de papel em branco, o conceito dele é bastante diferente.

Na frente não se precisa pensar nada sobre ter um motor grande que atrapalha varias coisas, como estrutura para impactos, desde objetos grandes até a cabeça de um pedestre. Também é fácil colocar o posição das rodas com mais liberdade e também as posições dos braços triangulares da suspensão no chassi. Tudo fica melhor e tem um espaço para algumas malas também ali na frente.

 

Naked

Estrutura principal, espaço na frente para porta-malas, chassi de desenho simples fabricado em liga de alumínio

A estrutura e carroceria inteira é de alumínio e o piso plano é um sanduíche com as baterias no meio, muito bom para o centro de gravidade. Atrás tem o motor elétrico que é bastante simples e pequeno, e ao lado dele uma transmissão fixa, só tem uma marcha. O motor não tem nada da beleza de um motor de um supercarro que se poderia colocar numa vitrine em
casa, mas o motor do Tesla é bem potente. No versão P85+ ele tem uns 420 cv e 61,1 m·kgf!

Motor elétrico, em vista por cima

Dirigir o Tesla na cidade de Oslo é simples, o carro é totalmente normal — quase. O motor elétrico freia um pouco mais de que um motor de combustão quando solto o acelerador. Tem mais um no qual  o motor freia menos. Na verdade eu não acho o modo freio normal do motor muito forte e  sinto falta do freio mais forte que tem no motor do BMW i3, que já testei.

Tem um outro modo também que se pode escolher num menu no mostrador e se chama creep (se mover pouco e discretamente, em inglês). Com isso ativado e sem tocar o acelerador, o carro vai um pouquinho para frente, como um carro americano automático no Drive, só soltando o freio. Nos menus se também pode escolher a altura do chassis, a força no volante, controle de tração e por aí vai.

Eu estou seguindo o GPS do carro para um lugar fora da cidade. Onde há um pouco de trânsito lembrei que posso usar a faixa de ônibus com esse carro. Acho  que deve ter algum ponto no futuro em que esse privilégio irá acabar, porque haverá muito carro nessas faixas, mas por enquanto é assim.

Saindo da cidade, a uns 90 a 100 km/h o carro vai bem, barulho de motor ou transmissão não tem. Barulho de vento tem um pouco, tudo normal. O que tem mais é barulho dos pneus, mas com 21 polegadas e um perfil bem esportivo posso dizer que isso é bastante normal também. O que não é totalmente normal é a forca do motor. Com 61,1 m·kgf, já, num instante, o carro vai, já, bruto. O carro é pesado (2.200 kg) mas mesmo assim esse torque é gostoso, muito gostoso. Em qualquer momento está ali, nenhum câmbio em que é preciso trocar marcha, nenhum pingo de gasolina que tem que entrar no cilindro na próxima volta. Esses 61,1 m·kgf sempre estão ali, no momento em que você quer. Como é bom!

O carro acelera forte até velocidades bem altas, só que tudo tem um fim. Um Tesla S não é nada na Autobahn na Alemanha num domingo cedo, quando tem pouco trânsito. A velocidade máxima é uns 210 km/h e nessa velocidade a energia sai bastante rápido da bateria, uns 230 W·h/km, a autonomia cai bastante. Mas em qualquer outra velocidade mais normal, o Tesla S faz uma ótima companhia na rodovia. Seguindo o computador de bordo o carro gasta uns 170 W·h/km num uso normal. Isso é equivalente a uns 2,5 litros de gasolina por 100 km
e isso dá 40 km por litro. Como é bom não deixar energia sair pelo escapamento… E, melhor ainda, nos postos da Tesla a energia é de graça.

 

Front

Dois porta-malas, um deles na frente. Muito bom

Rebatendo o banco traseiro tem-se um espaço muito grande e junto com o espaço do porta-malas na frente pode-se carregar muitas coisas. Vários outros detalhes são práticos também. O keyless go é outra coisa legal, chegando perto do carro com o cabo para colocar energia no carro não se precisa apertar nada, a portinhola se abre sozinha. O porta-malas traseiro tem motor para abrir e  fechar também.

Pelo lado bom, o carro tem várias outras coisas, não é só essa força bruta e gostosa e a energia barata. Pode-se comprar mais dois bancos para se colocá-los no porta-malas para o caso de você ter mais duas crianças para transportar; você levanta esses dois bancos do assoalho do porta-malas e tem um carro de 7 lugares, ou pelo menos 5+2.

 

7 seats

Bancos extras ficam guardados recolhidos dentro do assoalho do porta-malas

O mostrador no painel tem tudo que um carro pode ter em 2014. Câmera de ré, navegação e acesso à internet. O fato de o carro ter conexão com a internet faz ele ter condições de mandar um e-mail para você se estiver com baterias descarregadas e sem o cabo conectado à tomada (uma pessoa uma vez esqueceu o Tesla Roadster dele uns seis meses numa garagem sem colocar o cabo na tomada. A bateria nova não era barata. . . )

O lado ruim da conexão com a internet é que EUA podem escutar tudo que você diz no carro e quem sabe, ver exatamente onde você está etc, como eles já podem com seu telefone moderno. Tudo tem um lado bom e um lado ruim.

Se tem algumas coisinhas  para reclamar? Sempre tem. A direção é boa, o carro vai onde você quer, só que você não sente o asfalto nas suas mãos, o direção é um pouco “elétrica”. A altura do teto no banco traseiro é um pouco limitada, com 1,80 m de altura a sua cabeça fica tocando o teto. Mais algo? Sim, pelo preço do carro eu acho que a Tesla poderia ter trabalhado mais com o conforto nos bancos, são aceitáveis mas excelentes é que  não são. Também falta o sistema para evitar batidas na cidade, como começa ter em vários carros europeus.

Minha conclusão? Se eu gostei o carro? Sim, gostei muito e gostaria de comprar um, com certeza. Como sempre, só tem um detalhezinho que atrapalha a compra. Para uso no dia a dia eu não uso um carro que aqui na Suécia custa um pouco mais de R$ 200.000 (Tesla S básico com 60 kW·h) até R$ 300.000 (P85+). Ainda tem petróleo sobrando com um preço que posso pagar, mas vejo que o momento em que vou ter um carro elétrico em casa chega mais e mais por perto a cada dia.

 

Happy Hans

Pelo meu sorriso, dá para ver que gostei bastante; qualquer um que dirija o Tesla pela primeira vez fica com esse sorriso

HJ

P.S. Adivinhe que carro Christian von Koenigsegg usa todo dia?
Sim, um Tesla S.

 

Mais fotos:

 

T

Aerofólio em compósito de fibra de carbono na tampa traseira é opcional

 

The store

Na porta do concessionário em Oslo, Noruega, vários carros para test drive

 

Workshop

Na oficina do concessionário, mais limpeza sem os motores de combustão interna

 

Wheel

Rodas com cor esportiva, e pneus de perfil bem baixo, 245/35zR21, Michelin Pilot Sport

 

White 1

O outro carro que andei era branco, bonito também, e com mais autonomia porque usa menos energia para o ar-condicionado

 

Parado

Este aqui foi importado de forma independente, e não funciona na Noruega. Estava no concessionário para ver o que fazer. Algum software com problema?

 

Key

A chave parece uma miniatura do carro

 

Flat floor

Assoalho plano e ótimo espaço atrás

 

Diffusor

Difusor de ar traseiro, assoalho plano ajuda aerodinâmica

 

Back

Não há como não lembrar do Jaguar XF

 

Radio

Comando de rádio e temperaturas

 

Bancos c aques

Aquecimento de pára-brisa para não embaçar, temperatura dos bancos

 

Tunnel

Painel na frente do motorista. Aqui, mostra que estamos num túnel, a 2,5 km da saída

 

Braking power

No mostrador principal se pode mudar o leiaute, aqui bem limpo. A força usada para acelerar ou frear esta mostrada em kW no lado direito

 

Navi and energy

Parte de cima mostra consumo e autonomia

 

Range

Leiaute simples para autonomia. Esse era no carro branco. No vermelho, a imagem mostra um Tesla vermelho.

 

ISRVM

Espelho interno é do Volvo V40. Para que fazer novo se você pode comprar pronto?

 

FICHA TÉCNICA TESLA S P85+
MOTOR
Tipo Elétrico, corrente alternada, síncrono
Instalação Traseiro, transversal
Potência máxima 422 cv de 5.000 a 8.600 rpm
Torque máximo 61,1 m·kgf de 0 a 5.100 rpm
ENERGIA
Bateria Íons de lítio
Capacidade 85 kW·h
TRANSMISSÃO
Tipo Transeixo traseiro, sem marchas, tração traseira
Relação do transeixo 9,73:1
SUSPENSÃO
Dianteira Independente, triângulos superpostos, mola helicoidal e amortecimento eletrônico
Traseira Independente, multibraço, mola helioidal e amortecimeno eletrônico
DIREÇÃO
Tipo Pinhão e cremalheira, assistência elétrica indexada à velocidade
Diâmetro mínimo de curva 11,3 m
FREIOS
Dianteiros Disco ventilado de Ø 355 mm
Traseiros Disco ventilado de Ø 385 mm
Controle ABS, EBD e assistência à frenagem
PNEUS
Pneus 245/35R21
Marca e tipo no carro testado Michelin Pilot Sport
PESOS
Em ordem de marcha 2.200 kg
Distribuição de peso frente/trás 48/52%
CONSTRUÇÃO
Tipo Separada, chassi em alumínio, carroceria em alumínio com reforços de aço, hatchback 4-portas, 5 lugares
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto (Cx) 0,24
Área frontal (estimada) 2,25 m²
Área frontal corrigida 0,540 m²
DIMENSÕES EXTERNAS
Comprimento 4.975 mm
Largura sem/com espelhos 1.963/2.189 mm
Altura 1.435 mm
Distância entre eixos 2.960 mm
Bitola dianteira/traseira 1.660/1.700 mm
CAPACIDADES
Porta-malas traseiro 745 a 1.645 L
Porta-malas dianteiro 150 L
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h 4,8 s
Velocidade máxima 212 km/h
CONSUMO (COMPUTADOR DE BORDO)
Médio 170 W·h/km
GARANTIA
Termo 8 anos sem limite de quilometragem
(433 visualizações, 1 hoje)