gm-corvette-8-speed-main-art  NOVO AUTOMÁTICO EPICÍCLICO RIVALIZA COM DUPLA-EMBREAGEM, DIZ GM gm corvette 8 speed main art

Câmbio automático Hydra-Matic 8L90 8-marchas para tração traseira

A GM diz que seu tradicional câmbio automático epicíclico do Chevrolet Corvette Stingray e do Z06 que será lançado, rivaliza com o alardeado 7-marchas robotizado do Porsche 911, conferindo ao carro esporte do fabricante trocas rápidas e redução de consumo de combustível, valorizando a gravata-borboleta.

A caixa Hydra-Matic 8L90 de oito marchas estréia no Corvette 2015 e vem junto com o Gravador de Dados de Desempenho e o Modo Manobrista como as novas tecnologias do próximo ano-modelo. O Z06 de última geração está sendo anunciado com 659 cv e 90 m·kgf, além de outras mudanças mecânicas e externas em relação ao Stingray básico e chega no primeiro trimestre de 2015.

Apesar das trocas rápidas dos câmbios de duas embreagens que os alemães preferem para seus modelos de alto desempenho, o engenheiro-chefe da Corvette, Tadge Juechter, diz que a GM não seguirá nesta direção no seu supercarro 100% americano. Há várias razões, ele diz, começando pelo fato de não existir no mercado câmbio de dupla embreagem capaz de agüentar a potência do Z06 e que compartilhará o novo 8-marchas com o Stingray de 461 cv.

Isso significa que a GM teria de projetar seu próprio robotizado de dupla embreagem para as especificações do Corvette e o resultado seria um câmbio de nicho que fatalmente aumentaria o preço do Corvette que, como se sabe, se caracteriza pelo preço relativamente baixo.

“Uma das razões de vendermos o Corvette por preço razoável é volume no âmbito da General Motors, tanto em motores quando em câmbios,” disse Juechter à WardaAuto numa coletiva de imprensa aqui (nos EUA) para apresentar o 8-marchas e o sistema de gravação de dados.

A GM utilize uma versão modificada do V-8 LT1 small block de 6,2 litros reprojetado para 2014 nas picapes e suves grandes. Picapes com o motor L86 terão o 8-marchas também em 2015, elevando o número de produção anual do câmbio para 700.000 unidades..A GM historicamente vende menos 20.000 Corvettes por ano.

A especialista em câmbio ZF fornece o câmbio PDK de duas embreagens à Porsche. A Getrag cedeu sua tecnologia à Ford para seu dupla-embreagem para carros pequenos (PowerShift) e a Volkswagen se valeu da BorgWarner para uso nos seus carros e nos Audi.

Juecheter diz também que o Corvette exige certos requisitos de espaço e que o 8-marchas da GM casa melhor com a tecnologia de desativação de cilindros do fabricante, fator-chave de redução de consumo dos motores THE small-block que cortam metade dos cilindros na operação em baixa carga. “O espaço para o câmbio é bem apertado,’ acrescenta’ É uma especificação singular.”

O câmbio 8L90 tem o mesmo comprimento de 598 mm do 6L80 seis-marchas do Corvette que será substituído, mas é 4 kg mais leve pelo uso de materiais leves como magnésio e alumínio em várias peças. Junto com o novo projeto está a bomba de óleo descentrada, primazia na indústria e que resultou em 24 novas patentes.

Juntamente com a desativação de cilindros, o 8-marchas reduz o consumo do Corvette em 3,5%, que cai para 12,5 km/l na estrada segundo estimativa da EPA; na cidade, 6,8 km/l.

A GM precisa de câmbio com conversor de torque para máximo benefício da desativação de cilindros, outro motivo para evitar o de dupla-embreagem, diz Juechter. “Isso nos permite explorar melhor a desativação e isso é muito importante, porque a estratégia de desativação é fundamental na redução de consumo.’

Ele espera que o novo câmbio aumente a participação do câmbio automático para ligeiramente acima do histórico dois-terços do Corvette nos primeiros meses antes de voltar ao padrão normal. “Será um atrativo especial.”

Também novidade no Corvette 2015 é o gravador de dados de desempenho. Desenvolvido em conjunto com firma de engenharia de competição Coswortrh, gravador registra voltas nos track days, bem como o que Juechter chama de “guiadas épicas”.

Os proprietários podem em seguida ver os vídeos de suas voltas ou percursos feitos rapidamente, os quais incluem dados-chave exibidos na tela tátil de 8 polegadas. Vídeo e dados podem também ser baixados num SD card e compartilhados.

“Isso nasceu das mídias sociais e de como as pessoas gostam de compartilhar suas experiências,” disse Juechter, observando que o desenvolvimento do sistema começou antes do início do desenvolvimento do Corvette de quinta geração lançado no ano passado.

Sobre o Autor

AUTOentusiastas

Guiado por valores como paixão, qualidade, credibilidade, seriedade, diversidade e respeito aos leitores, o AUTOentusiastas desde 2008 tem a missão de evoluir e se consolidar como um dos melhores sites sobre carros do Brasil. Seja bem-vindo!

Publicações Relacionadas

  • Jorge Diehl

    Bob, tem alguma opinião formada sobre o câmbio automático de 4 marchas dos New Beetle mais antigos? Comentam que é ruim, mas tenho um 2007 que é muito bom!

    • marcus lahoz

      Jorge.

      Tenho um Xsara Picasso automático, 4 marchas, e todo mundo fala mal do câmbio. Eu acho um espetáculo, é um dos pontos altos do carro, não quebra, tem trocas manuais e é bom de usar. Quem não conhece fala bobagem demais.

  • Jorge Diehl

    Outra questão dos câmbios automáticos é que as fábricas não comentam que o óleo deve ser trocado e alguns “especialistas” afirmam que deve ser trocado a cada “X” km. Quem tem não sabe em quem confiar…

  • Ilbirs

    Se for o que estou pensando em relação à necessidade de uma transmissão automática convencional para o casamento com o desligamento de cilindros, pode ser que o conversor dê uma ligeira patinada de propósito antes de a metade desligada dos cilindros voltar à vida, podendo em alguns casos manter-se desligada por mais tempo. Em uma transmissão de duas embreagens não haveria como usar uma patinagem proposital por significar queima do próprio material de fricção.
    Ainda assim, é meio esquizofrênica a relação da GM com a dupla embreagem. Já há transmissão desse tipo no Cruze de nova geração, por ora restrito à China, mas ainda não vemos essa solução se espalhar pelo resto da linha.

  • Helton Oliveira de Moura

    Curioso para ver em pratica !

  • Andrex2501

    Bob, uma pergunta meio off-topic, como faço para calcular a v/1000 de um carro? Se tiver uma fórmula simples ou possuir algum link que possa vê-lo. Agradeço desde já!

  • braulio

    Jorge, a resposta está na própria pergunta: Se para você ele é bom, então ele é bom! Quem não tem, ou teve e não gostou, não deveria nem se dar ao trabalho de palpitar em algo que você comprou e gostou.

  • João Carlos

    Também acho estranho isso. Nos Honda continuam com a tradicional vareta medidora e necessidade de troca, embora seu fluido não seja – aparentemente e pelo preço – tão avançado como o de alguns rivais que alegam vida-toda.

    Acho que fica a critério de cada um a troca, mas em todo caso, nesses carros com fluido vida-toda fica mais difícil a troca (não tem vareta, tem que desmontar algumas partes pra chegar no orifício) e também conferir o nível (embora só diminua em caso de vazamento) e estado do fluido.

  • João Carlos

    Curioso pra saber se a Honda ainda usa pares de engrenagem em seus automáticos de mais marchas, como nos Acura de 9.

  • Julio Mayo

    Ué, o Veyron tem 1200 cv e hum milhão de torques e usa uma dupla embreagem…
    A Chevrolet poderia ser mais humilde e dizer, desculpem-nos… Não somos tão bons nisso.

    • Fernando Y

      Acho que a respostas (meio obvia, a meu ver) esta aqui: “o resultado seria um câmbio de nicho que fatalmente aumentaria o preço
      do Corvette que, como se sabe, se caracteriza pelo preço relativamente
      baixo”.
      Pergunta um pouco maliciosa a sua, nao?

    • Gabriel

      A diferença de um Veyron para um Corvette é que enquanto um custa milhões e dá prejuízo, o outro custa uma pechincha e da muito lucro. Ao mesmo tempo em que em uma pista o ‘Vette ainda deixa o Veyron para trás.

  • Fernando Y

    Há um erro de grafia no titulo do artigo, esta embregem ao inves de embreagem 🙂

  • Bob Sharp

    Fernando Y
    Corrigido, obrigado.

  • marcus lahoz

    Depois de alguns testes, eu acho acho que a GM acertou, câmbios com conversor de torque são bem mais gostosos de utilizar que os com dupla embreagem.

    • Welyton F. Cividini

      No que que os automáticos são mais gostosos que os de dupla embreagem?

  • RoadV8Runner

    Apoio totalmente a decisão da Chevrolet em lançar um câmbio automático convencional no lugar do manual robotizado (embora ainda prefira o câmbio manual tradicional). Também estou curioso para ver como ficará o desempenho do Corvette com esse novo câmbio.

  • Eduardo Cabral

    Segundo a BMW, o câmbio de dupla embreagem só é aplicável em motores que viram mais de 7000 rpm, já que o automático não suporta tanta rotação. Por isso acho que só os M3-M5-etc a gasolina usam ainda dupla embreagem… O M-Diesel é conversor de torque!

    • Guilherme Keimi Goto

      Apesar de eu não imaginar a lógica disso, a informação é interessante.
      Se alguém souber explicar, eu agradeço

      • Eduardo Cabral

        O limite da caixa da ZF é um pouco para baixo dessas 7000 rpm. Eu não cheguei a perguntar o motivo exato, mas me lembro que o engenheiro da BMW falou “como o sistema é hidráulico” ela não poderia trabalhar com mais rotação.

      • Fernando Y

        Até onde eu sei, o conversor de torque é um negocio centrifugo. Ele gira, o que faz com que um fluido se mova para as extremidades do conversor (pela acao da força centrifuga), e ai ocorre o acoplamento.
        O negocio das rpm até faz sentido, ja que o funcionamento do conversor é meio que associado ao giro do motor. Mas o motivo exato eu nao sei.

        • Guilherme Keimi Goto

          Realmente Fernando, faz sentido.

  • Jorge Diehl

    Já tivestes que trocar o óleo?

    • marcus lahoz

      Sim, assim como os demais cambios este demanda troca do fluido.

  • Julio Mayo

    Mmmm, mantenho a minha opinião que os americanos não conseguem ser tão bons como os europeus. Continuo acreditando que a questão principal não é o custo, e sim o fato que a GM não consegue fazer uma dupla embreagem confiavel.

    • Fernando Y

      Tem que ver a questão do mercado também. O americano em geral é muito tradicionalista, e já estão acostumados com o câmbio automático.

      • HorsePower

        E ainda o valor disso tudo, como ele,falou. Gastar as turras para desenvolver um câmbio para um único carro da marca? Ainda mais um modelo de vendas bem mais baixas? Realmente não vale a pena financeiramente. A Porsche, fico calado, porque ela vai usar esse câmbio em toda a sua linha, se quiser.

  • Reginaldo Ferreira Campos

    Já que não têm tú, vai tú mesmo. Como não tinha meios para produzir sua caixa automatizada, a GM mandou seus engenheiros se virarem em cima do velho câmbio. Apesar de toda a tecnologia que pode ser aplicada no velho engenho, acredito que este tenha um limite que uma hora ou outra aparecerá nos bólidos da “nova” GM.

  • Daniel

    O que eu fiquei mais curioso foi sobre a opção manobrista, como deve funcionar?

    • Smooj

      Provavelmente vai limitar o câmbio só a algumas marchas, tipo a primeira e a segunda. Qualquer outro tipo de limitação, tipo de giros e velocidade, seria mais coerente ser mediada pelo sistema de injeção.

    • HorsePower

      Acredito que ele deixe o carro “xoxo”, para evitar barbeiragens. Outro dia um quase bateu emmeu carro. Acostumado com SUVs a diesel, de resposta lenta, o cidadão pisou com a mesma “vontade” no meu carro (Santa Fe 3.5) e saiu cantando pneu e quase batendo. Imagina um ‘Vette desses….

  • Smooj

    Só não entendi como eles farão esse automático trocar de marchas mais rápido que um dupla-embreagem — se foi isso o que ele quis dizer por rivalizar. Não duvido que eles consigam essa proeza, pois já tem até aquele 8 marchas da ZF que é bem rápido, só queria saber qual vai ser o truque.

    Podiam é simplificar o dupla-embreagem voltando ao sistema automatizado de embreagem simples. A Koenigsegg desenvolveu um sistema que dispensa a segunda embreagem, troca de marchas tão rápido quanto e é menor e mais leve.

    • Luis

      Concordo com você, os robotizados de 1 embreagem funcionam super bem quando bem programados suave com o pé leve e extremamente rápido com a conveniência do baixo peso. A Lamborghini usa esse tipo de câmbio, que infelizmente a Ferrari abandonou, a sensação das trocas rápidas é muito legal. Para mim deveria disponibilizar os 3: manual, robotizado de monoembreagem e robotizado com dupla embreagem