Fotos: Paulo Keller
VW Gol Rallye 04
De novembro de 2010 para cá o Gol Rallye freqüentou três vezes as páginas do Ae. Para vê-las, entre no quadro de busca ‘Gol Rallye’. Todos da terceira edição, sendo a primeira de 2004 e a segunda, de 2007, ambas ainda o Gol de geração anterior. Em 2010 o Rallye era relançado, desta vez baseado na última geração do Gol (2008) para finalmente, em maio de 2013, ser reeditado, fazendo par com outro Gol, “diferente do rebanho”, o Track de motor 1-litro.

Se a última aparição do Gol Rallye no Ae foi relativamente recente, junho de 2013, por que então falar dele de novo? A razão é o Gol Rallye estar de coração novo. Um belo coração!

VW Gol Rallye 10Quieto na quietude

Em março deste ano a Volkswagen brasileira apresentou novo motor de 1,6 litro, o MSI, sigla criada para identificá-lo comercialmente e que corresponde a multipoint sequential injection, eufemismo para injeção no duto em contraposição à injeção direta que vem tomando conta da produção automobilística mundial, ainda por chegar ao Brasil (há o Focus Direct Flex 2-litros no mercado, mas é produzido na Argentina).

VW Gol Rallye - Interior 05Tudo no seu lugar, com deve ser

O novo motor do Grupo Volkswagen pertence à nova geração, denominada EA211, de motores 1 a 1,6-litro, de três e quatro cilindros. Aqui, o primeiro da nova família, de três cilindros 1-litro, chegou no Fox BlueMotion 1,0, em junho do ano passado, e em fevereiro último, no up! No mês seguinte foi a vez do quatro-cilindros 1,6-litro, por enquanto usado lá fora só no checo Škoda Rapid. Aqui, propulsiona o Gol Rallye e a picape Saveiro Cross — também por enquanto.

DSC00002 AO novo coração do Gol Rallye bate forte e suave

O motor deste novo Gol Rallye é decididamente moderno, tanto quanto o 1-litro, ambos de exatamente mesma arquitetura. Bloco e cabeçote de alumínio, duplo comando de válvulas com variador de fase na admissão em campo de 50º (40º no três-cilindros), quatro válvulas por cilindro, coletor de escapamento integrado ao cabeçote, circuito de arrefecimento duplo e engenharia de formato nas polias envolvidas no acionamento dos comandos de válvulas para reduzir os esforços na correia dentada, que é prevista para 120.000 km ou 4,5 anos. O motor de quatro cilindros tem ainda trocador de calor óleo-água fixado ao bloco e chapa divisória entre bloco e cárter para evitar agitação excessiva do óleo lubrificante. Uma das soluções notáveis na família EA211 é o posicionamento dos comandos de válvulas no que seria a tampa de válvulas e a montagem dos ressaltos nas árvores mediante interferência térmica (ressalto aquecido e árvore resfriada) com controle desta montagem por computador, formando uma unidade indivisível.

Por ser flex, a taxa de compressão é 1 ponto mais alta que no motor original alemão, sendo de 11,5:1. A partida do motor em baixas temperaturas, quando abastecido com álcool, é feita por aquecimento do combustível numa galeria de plástico, dispensando a tradicional injeção de gasolina e o seu pequeno e arcaico reservatório no compartimento do motor.

Dentro dos objetivos de redução de consumo e emissões de CO2 perseguidos no mundo todo hoje, o motor não privilegia potência elevada, mas boa potência em rotação baixa e média. Por isso desenvolve apenas 110/120 cv a 5.750 rpm (gasolina/álcool), com torque máximo de 15,8/16,8 m·kgf a 4.000 rpm. O ganho sobre o motor anterior, o EA111, é expressivo, este desenvolve 101/110 cv a 5.250 rpm e 15,4/15,6 m·kgf a 2.500 rpm.

 

COMPARATIVO DOS MOTORES
Motor EA111 1,6-litro EA211 1,6-litro
 
Cilindrada                      1.598 cm³
Diâmetro e curso                76,5 x 86,9 mm
N° de cilindros                     Quatro
Taxa de compressão 12,1:1 11,5:1
Material do bloco/cabeçote Ferro fundido/alumínio Alumínio
Localização e n° de comandos de válvulas Cabeçote, 1 Cabeçote), 2
Acionamento de comando               Correia dentada
Variador de fase Não Sim, admissão, 50°
Válvulas por cilindro Duas Quatro
Atuação das válvulas       Indireta, alavanca roletada
Potência, gasolina 101 cv a 5.250 rpm 110 cv a 5.750 rpm
Torque, gasolina 15,4 m·kgf a 2.500 rpm 15,8 m·kgf a 4.000 rpm
Potência, álcool 104 cv a 5.250 rpm 120 cv a 5.750 rpm
Torque, álcool 15,6 m·kgf a 2.500 rpm 16,8 m·kgf a 4.000 rpm
Potência específica (G/A) 63,2/65,1 cv/l 68,8/75,1 cv/l
Comprimento da biela/ rel. r/l                140 mm/0,31
Trocador de calor óleo-água Não Sim
Sistema de partida a frio Injeção de gasolina Aquecimento do álcool
Peso do motor 105 kg 90 kg

O Gol Rallye atual só mudou em comparação com o anterior, fora o motor, no diferencial encurtado de 4,188:1 para 4,357:1 (4%), em razão do motor mais girador agora, e no diâmetro dos discos de freio, que passou de 256 a 280 mm, para maior potência de frenagem em razão da maior velocidade máxima, que subiu de 179/181 km/h para 184/190 km/h. Todo o resto é absolutamente igual, exceto a inclusão de controle de cruzeiro dentro do pacote opcional Tecnologia e uma nova cor, a laranja Canyon,

O novo Gol Rallye custa R$ 50.820 e com todos os opcionais chega a R$ 53.941. O testado em junho passado custava R$ 45.850 e chegava a R$ 47.940. O aumento se deve em boa parte à dança do IPI e também ao novo motor. Com o câmbio robotizado I-Motion o preço inicial é R$ 53.790.

Nota: no dia 17, às 12h50, a VW divulgou nota comunicando aumento de preços em toda a linha, em que o preço-base deste Gol passou para R$ 51.370 e I-Motion, R$ 54.37o/BS

Como anda

Percebe-se logo a grande elasticidade do 1,6 MSI, expressa na retomada 80-120 km/h em quinta marcha feita em 14,8/14,3 s, enquanto antes era 15/14,8 s (sempre gasolina e álcool). Ganho também na aceleração 0-100 km/h, 9,5/9,9 s, contra 10,6/10,3 s. O motor é bastante suave apesar da relação r/l 0,31 (considera-se bom até 0,30) e o giro sobre facilmente até o corte (limpo) a 6.500 rpm. A partir de 3.000~3.500 rpm a pegada é mesmo forte. Ao parar num semáforo parece que motor morreu, não se percebe qualquer vibração ou oscilação e nem ruído. Parece até um sistema desliga-liga…

Com o encurtamento do diferencial a v/1000 em quinta caiu de 35,5 para 34,1 km/h, significando que a 120 km/h o motor está agora a 3.500 rpm, antes era 3.380 rpm. À velocidade máxima a rotação é 5.600 rpm (150 rpm abaixo do pico), e com o motor anterior era a 5.100 rpm (também 150 rpm antes).

VW Gol Rallye 11Os úteis faróis auxiliares bifuncionais são um destaque no Gol Rallye, enquanto o Arnaldo e eu conversamos sobre alguma coisa, só não me lembro exatamente sobre o quê

Eu havia dito no teste de junho do ano passado que praticamente não havia patinagem da roda interna mesmo com a altura de rodagem 28 mm maior que no Gol normal. Pois nesse agora, com mais potência e torque, ela aparece mais, embora não atrapalhe tanto no uso normal, sendo que o carro mantém as mesmas e boas qualidades de curva. Elas são ajudadas pela direção com assistência hidráulica, rápida, de relação 14,9:1, 3 voltas entre batentes, com o bom volante de Ø 370 mm. O diâmetro mínimo de curva é 10,6 metros. Pneus, os mesmos Pirelli P7 195/60R16V com estepe 195/55R15H, rotulado como temporário (velocidade máxima 80 km/h).

VW Gol Rallye 07Pneus de asfalto, Pirelli P7 195/50R16V

Fiquei imaginando esse mesmo carro com altura de rodagem padrão de Gol, como seria perfeito. Em compensação, com essa altura toda roda-se despreocupadamente em relação a lombadas e valetas, mas não quanto a buracos e tampas de bueiros “esquecidas” de serem levantadas após recapeamento asfáltico, afinal são pneus de perfil 50.

A Volkswagen continua a não informar o consumo do Gol Rallye, mas ficou muito parecido com o da versão com o motor anterior, 10 km/l na cidade e 12,8 km/l na estrada, com álcool (antes, 10,2 km/h cidade e 13 km/l estrada).

DSC00003Pintura das partes internas igual às externas:
capricho e responsabilidade, exemplo a ser imitado

Apreciável no Gol Rallye é a percepção de rigidez estrutural e de fabricação esmerada. Tudo contribui para isso, do toque da alavanca de câmbio que é referência à pintura do compartimento do motor com as partes “invisíveis” pintadas tal e qual a pintura geral do veículo. Cuidados como o vidro do pára-brisa com faixa degradê e repetidoras dos indicadores de direção — embora nos espelhos, prefiro-as na carroceria por serem mais visíveis. A iluminação conta com a solução perfeita vista pela primeira vez no CrossFox 2009, os faróis auxiliares bifuncionais, neblina e longo alcance, atrelados aos fachos baixo e alto e comutando-se com estes. E, claro, o quadro de instrumentos “Wolfsburg”, irretocável.

“Wolfsburg”

Além de todas essas características, dois fatores são de  impelir a comprar um Gol Rallye. Um, a nova cor laranja Canyon. Além de bonita (questão de gosto), é a cor mais visível de todas em qualquer horário e condição do tempo. O carro é logo avistado por pedestres, ciclistas e até por aquele caminhão velho, de marca ignorada (essa é do mestre Chico Anysio!), que está por cruzar a estrada, bem como pelo motorista que enxerga mal os espelhos devido aos sacos de lixo — deixam o carro “lindão”… — e sai para ultrapassar sem ver direito o que vem atrás (“mas eu dei seta…”).

Outro, se a Volkswagen aproveitasse que fabrica  o Gol de duas portas e fizesse o Rally baseado nele. Ficaria fantástico.

BS

Vídeo:

 

FICHA TÉCNICA VW GOL RALLYE 2015
 
MOTOR
Instalação Dianteiro, transversal
Material do bloco/cabeçote Alumínio
Configuração / n° de cilindros Em linha / 4
Diâmetro x curso 76,5 x 86,9 mm
Cilindrada 1.598 cm³
Taxa de compressão 11,5:1
Potência máxima 110 cv (G), 120 cv (A) a 5.750 rpm
Torque máximo 15,8 m·kgf (G), 16,8 m·kgf (G) a 4.000 rpm
N° de válvulas por cilindro Quatro, atuação indireta por alavanca-dedo roletada, fulcum com comensador hidráulico
N° de comandos de válvulas / localização Dois, correia dentada / cabeçote, variador de fase na admissão, campo de 50º
Formação de mistura Injeção eletrônica no duto
Gerenciamento do motor Continental Simos 15
Combustível Gasolina comum e/ou álcool (flex)
TRANSMISSÃO
Rodas motrizes / câmbio Dianteiras / manual
Número de marchas 5 à frente + ré
Relações de transmissão 1ª 3,455:1; 2ª 1,954:1; 3ª 1,281:1; 4ª 0,927:1; 5ª 0,740:1; ré 3,182:1
Relação do diferencial 4,357:1
SUSPENSÃO
Dianteira Independente, McPherson, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora de Ø 20 mm
Traseira Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
Tipo Pinhão e cremalheira, assistência hidráulica
Diâmetro mínimo de curva 10,6 m
Relação de direção 14,9:1
N° de voltas entre batentes 3
FREIOS
De serviço Hidráulico, duplo-circuito em diagonal, servoassistido
Dianteiros Disco ventilado de Ø 280 mm
Traseiros Tambor de Ø 200 mm
RODAS E PNEUS
Rodas Alumínio 6Jx16
Pneus 195/50R16V – estepe 195/55R15H temporário
PESOS
Em ordem de marcha 1.043 kg
Carga máxima 407 kg
Rebocável 400 kg com ou sem freio
CONSTRUÇÃO
Tipo Monobloco em aço, hatchback 4 portas, 5 lugares, subchassi dianteiro
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto 0,37
Área frontal 2,08 m²
Área frontal corrigida 0,768 m²
DIMENSÕES EXTERNAS
Comprimento 3.924 mm
Largura sem/com espelhos 1.659 / 1.898 mm
Altura 1.491 mm
Distância entre eixos 2.467 mm
Bitola dianteira/traseira 1.434/1.410 mm
CAPACIDADES
Porta-malas 285 L
Tanque de combustível 55 L
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h 9,9 s (G) e 9,5 s (A)
Aceleração 0-1.000 m 31,5 s (G) e 31 s (A)
Retomada 80-120 km/h, 5ª 14,8 s (G) e 14,3 s (A);
Velocidade máxima 184 km/h (G), 190 km/h (A)
CONSUMO
Cidade 10 km/l (10 l/100 km), álcool, computador de bordo
Estrada 12,8 km/l (7,8 l/100 km), álcool, computador de bordo
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 em 5ª 34,1 km/h
Rotação em 5ª a 120 km/h 3.500 rpm
Rotação em vel. máx., 5ª 5.600 rpm

 

GOL RALLYE 2015, CÂMBIO MANUAL  
EQUIPAMENTOS DE SÉRIE  
   
EXTERIOR  
Carcaça dos espelhos na cor “efeito cromado”  
Chave-canivete com controle remoto  
Defletor na tampa do porta-malas  
Maçanetas na cor do veículo  
Moldura nas soleiras  
Molduras nas caixas de roda  
Pára-brisa com faixa degradê  
Pára-choques na cor do veículo  
Rodas de alumínio 16 pol. na cor preto Ninja  
INTERIOR  
Ajuste elétrico dos retrovisores externos com função ré  
Alarme keyless  
Alça de teto para o passageiro  
Bolsas para revistas nos encostos dos bancos  
Console central com dois porta-copos  
Conta-giros  
Destravamento elétrico interno do porta-malas  
Iluminação do compartimento de bagagem  
Luz de leitura dianteira  
Pára-sóis com espelho e iluminação  
Porta-objetos nas laterais das portas  
Porta-revistas atrás do encosto do banco do passageiro  
Quatro alto-falantes e dos tweeters  
Rádio/toca-CD MP3/USB/Bluetooth/interface iPod  
Rede de retenção de carga no porta-malas  
Sapatas de pedais de alumínio  
Tomada de 12 V  
Travamento central com controle remoto do levantador do vidro  
Vidros com acionamento elétrico, um-toque e antiesmagamento  
Volante multifuncional para rádio, telefone, computador de bordo e I-System  
SEGURANÇA ATIVA  
Bolsas infláveis frontais  
Desembaçador do vidro traseiro  
Faróis auxiliares de dupla função (neblina e longo alcance)  
Freios ABS  
Luz traseira de neblina  
Palhetas do limpador de pára-brisa aerodinâmicas  
Repetidoras dos indicadores direção nos espelhos  
Sensor de obstáculo traseiro  
SEGURANÇA PASSIVA  
Bolsas infláveis frontais  
SEGURANÇA PREVENTIVA  
Ajuste de altura do banco do motorista  
Ajuste de altura e distância do volante  
Ar-condicionado  
Direção assistida hidráulica  
 
EQUIPAMENTOS OPCIONAIS Preço R$
Pacote Tecnologia
Controle de cruzeiro, espelho interno eletrocrômico, sensores de chuva e crespuscular, limpador com temporizador e acendimento automático dos faróis ao se aproximar/deixar o veículo 762,00
Revestimento dos bancos em couro sintético 671,00
Cores
Pintura sólida (3 cores)
Pintura metálica (3 cores) 1.140,00
Pintura especial: amarelo Solaris e laranja Canyon 1.688,00
(821 visualizações, 2 hoje)